Breaking News
Home / Animais / Falcão Peregrino

Falcão Peregrino

PUBLICIDADE

Falcão Peregrino – Descrição geral

Apresenta uma coroa e um comprido bigode negros, parte inferior branca com densas garras transversais e o dorso cinzento-escuro. As asas são compridas e a cauda é curta. Tem o bico superior denteado, próprio dos falcões.

É uma ave de médio porte, corpo compacto, pescoço curto e cabeça arredondada com grandes olhos negros.

As penas das asas são rígidas e as restantes estão bem justas ao corpo, pelo que toda a sua fisionomia se encontra bem adaptada às suas performances de voo.

Voa alto em círculos com batimentos rápidos e pouco profundos, às vezes com intervalos de voo planado. Mergulha em voo picado.

É uma ave atrevida de voo rápido e firme que persegue sem descanso os patos selvagens, os pombos, as perdizes e toda a espécie de pássaros.

Autêntica joia viva da Natureza, o seu voo picado permite-lhe atingir velocidades inacessíveis a todos os outros seres vivos, e o simples vislumbre da sua característica silhueta recortada contra o azul do céu é suficiente para aterrorizar a maior parte das aves.

Uma das suas estratégias de caça consiste em subir nas correntes de ar quente (térmicas) a grande altura, por vezes a mais de 1500 m em relação ao nível do solo, deixando-se então cair sobre a presa avistada, num ângulo mais ou menos pronunciado e por vezes em queda livre vertical, com as asas aerodinamicamente coladas ao corpo, e controlando magistralmente a sua velocidade quer abrandando ligeiramente com as asas entreabertas, quer acelerando ainda mais com a ajuda de curtos e rápidos batimentos das asas.

Apesar de ser um caçador destemido, muito valorizado pelos falcoeiros, o falcão-peregrino nunca se defende de outras aves.

O milhafre e outras aves de rapina muitas vezes esperam o falcão-peregrino matar uma vítima para tomar-lhe a presa.

Falcão Peregrino – Aves

Apesar de ser um caçador destemido, muito valorizado pelos falcoeiros, o falcão-peregrino nunca se defende de outras aves.

O milhafre e outras aves de rapina muitas vezes esperam o falcão-peregrino matar uma vítima para lhe tomar a presa.

O falcão peregrino aparece na Europa, Ásia, Austrália e América.

Durante o Inverno, os falcões europeus migram para a África.

O falcão peregrino prefere o campo aberto, as praias e pântanos perto de colônias de aves aquáticas e ribeirinhas.

É encontrado também em cidades grandes.

Em geral põe seus ovos num penhasco, muitas vezes sem ninho.

Os ovos são incubados pelo casal de pais.

O falcão peregrino tem o bico superior denteado, próprio dos falcões.

Alimenta-se quase exclusivamente de outras aves, que ele alcança facilmente no voo.

É uma das mais rápidas aves de velocidade, o seu mergulho chega a 288 Km/h.

O choque que a presa leva ao ser atingida em pleno voo pelas garras do peregrino é tão forte que morre instantaneamente.

A quantidade de peregrinos tem diminuído rapidamente nos últimos anos.

Falcão Peregrino – O que é

É uma ave de rapina diurna de médio porte, com uma envergadura de 89 a 120 cm, sendo as fêmeas maiores e mais pesadas que os machos (dimorfismo sexual).

Apresenta uma forma típica de falcão, com asas pontiagudas e um desenho corporal compacto e aerodinâmico.

O dorso apresenta um tom cinzento-azulado enquanto que o ventre e a zona interna das asas apresentam tonalidades claras com barras escuras. Identifica-se facilmente através da sua cabeça preta cinza com um “bigode “ escuro e um queixo branco.

O Falcão-peregrino distribui-se por todos os continentes à excepção da Antártida, sendo a sua população europeia estimada em cerca de 7600 a 11000 casais reprodutores.

As populações do norte são migradoras podendo percorrer cerca de 14500 km, daí o seu nome comum “Falcão-peregrino”.

Prefere habitats em zonas montanhosas e vales fluviais podendo igualmente ser encontrado em cidades. Cria em saliências rochosas nas encostas escarpadas e de difícil acesso.

Alimenta-se de aves de pequeno a médio porte, lançando-se em voo picado e alcançando, por vezes, uma velocidade próxima dos 300km/h!

Devido à sua abundância, tamanho e comportamento, o Pombo-das-rochas (Columba livia) pode chegar a compor mais de 50% da sua dieta.

Estruturas como os pombais tradicionais poderão proporcionar uma base alimentar bastante importante a estas aves de rapina.

As populações desta espécie sofreram um elevado declínio nos anos 50 e 60 devido à utilização de pesticidas organoclorados (DDT) na agricultura, estas substâncias acumuladas de ave para ave, presas potenciais desta espécie, provocaram o enfraquecimento da casca do ovo e consequente insucesso reprodutivo dos indivíduos.

A sua proibição permitiu alguma recuperação da espécie nos últimos anos. Sendo igualmente sensível a perturbações no período de nidificação, a presença humana poderá levar ao abandono do ninho, inviabilizando o sucesso reprodutivo.

Falcão Peregrino – Falco peregrinus

O Falcão Peregrino é provavelmente o animal mais rápido à superfície da Terra, chegando a atingir os 300 Km por hora.

Deve o seu nome “Peregrino” aos hábitos nômadas e às suas peregrinações errantes, sobretudo na fase adolescente.

Em Portugal, é uma espécie de passagem (Outono-Inverno), sendo muito rara.

Tamanho

O Comprimento oscila entre os 38 a 50 cm e a Envergadura (com as asas abertas) entre os 83 a 113 cm.

A fêmea chega a ter mais um terço do tamanho do macho.

Pesa entre 580 a 1000 g

Distribuição: Europa, Ásia, África, Austrália, América

Habitat

As suas capacidades únicas permitiram-lhe colonizar os mais diversos tipos de habitat, desde os desertos quentes até à tundra, revelando todavia preferência pelas zonas abertas.

São conhecidos territórios de falcão peregrino em muitas zonas costeiras até aos 4000 m nos Himalaias, estando presente em todos os continentes e latitudes, sendo uma espécie cosmopolita o que revela o seu sucesso adaptativo.

É encontrado também em grandes cidades.

Alimentação

É a única rapina que se alimenta exclusivamente de outras aves (sobretudo Pombos-das-rochas), que alcança facilmente no vôo, enterrando as aguçadas garras no seu dorso.

Comem principalmente aves em vôo e morcegos. Na cidade, o prato predileto são os pombos. Usa as poderosas garras para aprisionar as vítimas.

Reprodução

O falcão peregrino faz o ninho numa falésia, nas montanhas à beira de um planalto ou do mar. No norte da Europa, chega a instalar-se em ninhos abandonados por outras aves de rapina nas árvores.

Sendo extremamente sensível a perturbações no período de nidificação, a presença humana pode levar a ave ao abandono do ninho, inviabilizando consequentemente a sua postura.

A fêmea põe 3 a 4 ovos (castanhos-claros, com manchas avermelhadas) numa cavidade de uma rocha ou árvore.

O período de incubação dura 28 a 29 dias. Os filhotes conservam-se no ninho até ao 35º dia de vida.

O falcão peregrino tornou-se muito raro em certos países da Europa, e isso por vários motivos: o homem persegue-o, os caçadores furtivos roubam-lhes os ovos e as crias para abastecer os falcoeiros e, enfim, localmente, vai lentamente intoxicando ao devorar presas que ingeriram sementes ou insetos tratados com pesticidas.

Características

Ave de rapina que atinge até 50 centímetros de altura e 1,20 metro de envergadura, sendo que a fêmea é maior que o macho. Trata-se do maior dos falcões encontrados no Brasil, onde surge como ave de arribação vinda da América do Norte.

A parte superior é cinza-azulada, e a inferior, branca barrada de preto. As asas são longas e pontiagudas. Os falcões em geral são considerados os voadores mais elegantes que se conhece.

O peregrino, especialmente, é o mais rápido dos pássaros, podendo atingir 180 quilômetros por hora. Há quem diga que, quando mergulha para capturar a caça, chega a 300 quilômetros por hora.

Tem uma visão apuradíssima, avistando sua presa a 1 quilômetro e meio de distância.

Habitat: Extremamente variável, reproduzindo-se em regiões tropicais, zonas frias, desertos etc.

Ocorrência: É extremamente cosmopolita, sendo encontrado em todos os continentes, exceto na Antártida.

Hábitos

Com vôo elegante e muito rápido, ele migra todos os anos do Hemisfério Norte para regiões mais quentes e é visitante habitual das cidades brasileiras.

Aqueles que vivem em zonas temperadas do Hemisfério Norte e no Ártico migram para o Sul nas épocas frias. As subespécies europeias e asiáticas deslocam-se para a África, Sul da Ásia e Indonésia.

As norte-americanas vêm para a América do Sul.

Os falcões peregrinos nativos de latitudes médias e do Hemisfério Sul são sedentários.

Os migratórios costumam escolher sempre os mesmos lugares para passar a temporada de inverno.

Ameaças

Pode ser domesticado e usado para caça, como já o faziam os imperadores persas e árabes na Antiguidade. Ainda hoje, a prática é tida como um esporte caro na Europa.

O animal é levado ao campo com um capuz, que é retirado no momento de voar em busca da presa. No Egito antigo, Horus, o Deus do céu, era representado por um falcão, muito provavelmente o peregrino.

Acreditava-se que os olhos de Horus tinham o poder de dar saúde, o que fazia dele um popular amuleto. Está extinto em algumas regiões do planeta.

A caça e a contaminação por agrotóxicos são as principais ameaças. Carnívoro e ocupando o topo da cadeia alimentar, o falcão não é contaminado diretamente pelos pesticidas. Ele se alimenta de aves que se alimentaram de insetos contaminados. Acaba também envenenado.

A conseqüência é o enfraquecimento da calcificação dos ovos fazendo com que estes se quebrem facilmente no ninho durante a incubação.

Com a proibição do uso do DDT em 1972 nos Estados Unidos, a população dos falcões e de outras aves voltou a aumentar.

O trabalho das organizações de proteção aos animais silvestres também trouxe grande contribuição para a não extinção da espécie.

Falcão Peregrino – Príncipe das aves de caça

O falcão peregrino é considerado o “Príncipe das aves de caça”, sendo uma das espécies mais apreciadas para os lances de altanaria devido à velocidade dos seus ataques em voo picado.

Deve o seu nome “peregrino” aos hábitos nômadas e às suas peregrinações errantes, sobretudo na fase adolescente.

Está representado por numerosas subespécies em todos os continentes, exceto a Antártida.

Os falcões distinguem-se de outras aves de rapina de tamanho semelhante, como os gaviões, pela cauda longa e pelas asas pontudas que, no caso do falcão peregrino, chegam até a ponta da cauda quando está empoleirado.

Essas características o tornam extremamente veloz e o levaram a especializar-se em capturar presas no ar e desprezar os animais terrestres.

Em vôo picado (de mergulho) é a ave mais veloz do mundo: já foi cronometrado a 270 km/h (75 m/s) e mesmo a 320 km/h (90 m/s), em pequenas distâncias.

Quando carrega para alcançar a presa passa sem dificuldade de sua velocidade de cruzeiro de 45 km/h (12 m/s) para os 100 km/h (28 m/s) em vôo horizontal, mas ainda é menos veloz que o andorinhão.

Pode avistar a presa a um quilômetro e meio de distância e carregar o equivalente ao próprio peso. As fêmeas são maiores que os machos e chegam a 1,5 kg.

Recebe o nome de “peregrino” porque as subespécies que vivem em zonas temperadas do Hemisfério Norte e do Ártico migram para o sul no outono e costumam escolher sempre os mesmos lugares para passar a temporada de inverno.

As subespécies europeias e asiáticas deslocam-se para a África, Sul da Ásia e Indonésia.

As norte-americanas vêm para a América do Sul, inclusive o Brasil.

Já os nativos de latitudes médias e do Hemisfério Sul são sedentários: apenas os jovens se deslocam, em busca de seu próprio espaço.

Embora tenha uma distribuição mais ampla que qualquer outra espécie, não é uma ave muito comum e é vulnerável à poluição e aos pesticidas, que se acumulam em suas presas e o incapacitam para a reprodução: na América do Norte, o uso do DDT chegou a levá-lo à beira da extinção. Para recuperá-lo, foi preciso colocar filhotes criados em cativeiro nos ninhos de falcões selvagens.

Habitualmente, esta ave de rapina alcança a presa após um mergulho de várias centenas de metros, ultrapassado por vezes até um quilômetro. Neste caso, o embate das asas contra o corpo da vítima produz um ruído audível à distância.

Ou então com as garras, ataca a presa por baixo. As suas presas, capturadas em pleno voo, incluem, na Europa, pombos, estorninhos, abides-de-roupa (Vanellus vanellus), garranginas, melros-pretos, tordos, gaios, cotovias-dos-campos, tentilhões-das-árvores, etc. Nas Américas, caçam pombos, garças, gaivotas, patos, gansos, mergulhões e pica-paus.

O falcão peregrino freqüentemente se abriga numa falésia, nas montanhas à beira de um planalto ou do mar ou, nas cidades, em beirais de prédios altos e pilastras de pontes. No norte da Europa, costuma instalar-se em ninhos abandonados nas árvores por outras aves de rapina.

A postura – que ocorre em maio, no Hemisfério Norte – consta de dois a três ovos cremosos e intensamente manchados de castanho-avermelhado.

As avezinhas, que permanecem no ninho quatro semanas, nascem cobertas de uma penugem sedosa e muito clara, voam pelos 34 dias mas só adquirem a independência algum tempo depois.

Atingem a maturidade aos dois anos de idade.

Classificação científica

Nome Cientifico: Falco peregrinus
Nome Comum:
Falcão peregrino
Reino:
Animalia
Filo: Chordata
SubFilo: Vertebrata
Classe: Aves
Ordem: Falconiformes
Familia: Falconidae
Género: Falco
Espécies: Peregrinus
Status:
Ameaçado
Comprimento médio:
machos, 0,40 m, fêmeas, 0,50 m.
Envergadura média: machos:
0,90 m; fêmeas: 1,10 m
Cauda: estreita e comprida
Cor: azul-acinzentada com listas escuras; coroa preta na cabeça; cauda com pontas brancas; pintas na barriga, que é esbranquiçada.
Período de incubação:
1 mês
Ninhada: 3 ovos
Habitat: todas as áreas continentais do mundo, exceto as geleiras da Groenlândia e Antártida e as selvas tropicais da Alta Amazônia e do Congo.
Onde vive:
turfeiras, rochedos marítimos

Falcão Peregrino – Fotos

Fonte: www.palombar.org/rapina.no.sapo.pt/www.vivaterra.org.br/www.ectep.com/rpg_ficcao.sites.uol.com.br/zoomania.spaceblog.com.br/www.racerocks.ca

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aracnídeos

PUBLICIDADE Definição Os aracnídeos (classe Arachnida), qualquer membro do grupo de artrópodes que inclui aranhas, …

Anaconda

Anaconda

PUBLICIDADE O que é uma Anaconda? Uma anaconda é uma cobra grande e não venenosa. Vive principalmente …

Tigre de Sumatra

PUBLICIDADE O que é um Tigre de Sumatra? Um tigre de Sumatra é uma espécie …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.