Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Animais / Anglo Árabe

Anglo Árabe

PUBLICIDADE

Anglo Árabe

RESISTÊNCIA E VELOCIDADE

História: Fruto cruzamento das duas raças mais valorizadas do mundo: o Puro Sangue Árabe e o Puro Sangue Inglês. É considerado em genética eqüina, o maior sucesso já obtido no cruzamento de duas raças puras.

Características: De tamanho médio, é um animal inteligente e com grande facilidade de adaptação. Herdou do Puro Sangue Inglês, a velocidade, o galope estendido e as aptidões para salto e do Árabe, a elegância e a resistência.

Aptidão: O Anglo Árabe, tem se destacado nas mais diversas modalidades hípicas Olímpica, principalmente em provas de Salto e Enduro

No Brasil: O primeiro Anglo Árabe a nascer no Brasil foi Jango, em 1948. Filho de Anglo Árabes importados da Hungria, sua descendência foi utilizada nas cavalarias do exército brasileiro

Fonte: www.mercadodecavalos.com.br

Anglo Árabe

Trata-se de um cavalo com características que podem enganar até um perito, à primeira vista. O Puro – Sangue Inglês, que descende do Árabe, ainda apresenta indivíduos com características marcantes do cavalo Árabe.

Como o Anglo-Árabe é produto da reintrodução do sangue Árabe no PSI, pode haver dúvidas se determinado animal seria um Anglo- Árabe de porte elevado, ou um Puro – Sangue Inglês apresentando fortes características de sua origem Árabe.

Carga genética

A cruza de um animal Árabe com um Puro – Sangue Inglês resulta em um produto que obtera registro como um Puro – Sangue Anglo Árabe. Contudo, não é só o produto com 50% de cada raça que obtém registro: nos vários países onde criam estes animais, admite-se nova cruza com uma das duas raças tendo o produto 75% de carga genética de uma raça e 25% da outra. Em alguns países é permitida mais uma cruza, reduzindo a 12,5% a carga de uma das raças.

Histórico

Criadores europeus, sobretudo ingleses, franceses e poloneses, decidiram dar nova infusão de sangue Árabe no PSI para torná-lo mais resistente para esportes amadores, como o salto, além de reduzir o temperamento nervoso do PSI . Note-se que a nova infusão de sangue Árabe visa somente a animais com maior resistência, pois em termos de velocidade, para o turfe, o produto perde em rendimento.

Função

O esporte amador, em geral, reunindo o porte e a energia do PSI à resistência e docilidade do Árabe.

Altura: de 1,5 a 1,65m se utilizados reprodutores de porte ideal.

Pelagem: Alazã ou castanha, passível de tornar-se tordilha se pelo menos um dos genitores o forem.

Fonte: www.saudeanimal.com.br

Anglo Árabe

Este cavalo, que também já foi chamado de Puro Sangue Francês, foi formado por Gayot em 1847 por meio do cruzamento simples do Inglês com o Árabe, cruzamento alternativo dessas raças e ainda mestiçagem entre os Anglo Árabes. Como lastro foram utilizadas éguas do antigo cavalo navarrino, derivado do Andaluz. A região de criação está localizada no Sul da França, desde o Girondet até o Toulouse, passando por Pau e Tarbes. Vários países da Europa, da América e mesmo o Japão, importaram esta raça. Ele mede entre 1,52 m e 1,60 m e pesa, em média, 450 quilos.

As pelagens mais comuns são a castanha e a alazã e mais raramente a tordilha. A pele é fina e as crinas escassas.

Cabeça quadrada, seca e bela, desde a do Inglês até a do Árabe, com a fronte larga e curta, orelhas pequenas, atentas, olhos vivos e inteligentes, narinas e lábios finos, perfil direito e ganachas espaçadas.

Pescoço piramidal, forte, bem proporcionado, ou um pouco longo, bem inserido.

Corpo mais reforçado que o do Inglês, porém mais harmonioso. A cernelha é longa e alta. O dorso e lombo são simples, direitos, curtos e fortes, às vezes ligeiramente enselados. A garupa é forte, larga, inclinada, não muito longa, com a cauda baixa, meio encambitada. O peito não é muito largo, o tórax é alto e profundo, de largura regular. As espáduas são longas e oblíquas e o flanco é curto e o ventre redondo.

Membros altos e secos, delicados com articulações nítidas, tendões sólidos, bons aprumos e bons cascos. O braço e antebraço são longos, a nádega é reta e longa, a perna longa e delicada, os jarretes abertos, as quartelas altas, de inclinação média.

Anglo-Árabe é um cavalo de sela maior que o Árabe e menos exigente que o Inglês. É uma excelente montaria militar para a cavalaria leve: resistente, ágil, veloz, notadamente quando predomina o sangue Árabe. Quando predomina o inglês é próprio para corridas de obstáculos (“steeple-chase”) e quando pequeno, muito apropriado para polo.

Anda a passo, trote e galope e é bom saltador.

Presta-se para nos mesmos fins de melhoria do Inglês e do Árabe. Sendo, porém, uma raça menos fixa (mais heterozigótica), nem sempre dá resultados satisfatórios nos cruzamentos com éguas comuns, o que é lamentável, pois seu tipo é mais apropriado para fins militares que o do Inglês ou do Árabe.

Fonte: pets.cosmo.com.br

Anglo Árabe

Anglo-Árabe é uma raça resultante da mestiçagem do Árabe e de seu descendente, o PSI (Thoroughbred), que combina as melhores qualidades dessas raças de elite. Do Árabe espera-se que ele herde a resistência, a versatilidade, a frugalidade no trato e os cascos densos; do PSI a estatura maior e a velocidade. De ambos a habilidade atlética para os esportes hípicos.

Criação: A raça originou-se e aperfeiçoou-se na França, onde os Anglo-Árabes são criados sistematicamente desde os tempos napoleônicos nas grandes coudelarias do sudoeste, em Pau, Pompadour, Tarbes e Gelos desde o ano de 1800. Os primeiros Anglo-Árabes são o cruzamento de éguas PSI com os garanhões Árabes (nunca o inverso), importados do Egito por Napoleão Bonaparte e seus generais. Já em 1836 a criação francesa era famosa, tornando-se necessário a introdução de novas linhagens par refrescamento do sangue. Foram importados dois magníficos Árabes do oriente próximo Massoud e Aslan e três éguas PSI Dair, Common Mars e Selim. Por volta de 1850 a raça foi considerada formada e os cruzamentos com Árabes ou PSI puros passaram a ser cortados.

Características: Na aparência o Anglo_Árabe tende mais para o PSI. Sua fronte é recta (e não côncava como o Árabe), e sua estatura elevada. Os ombros são inclinados e fortes, as perlas longas e bem formadas com ossatura e cascos de boa qualidade, bons pulmões e excelente coração. São versáteis cavalos de sela, prestando-se para corridas em hipódromos, provas se salto de obstáculos, adestramento clássico e pólo. Na França os Anglo-Árabes têm corridas especiais, e seu stud book não aceita produtos com menos de 25% de sangue Árabe ou Thoroughbred.

Influências: Thoroughbred: Colaborou com tamanho, decisão, galope e potencial competitivo. Árabe: Solidez, vigor, resistência e temperamento calmo.

Altura: Varia entre 1,62 e 1,67m.

Cores: Tordilho, Castanho, Alazão

Usos: Sela, Desportos hípicos

Fonte: cavalo.com.sapo.pt

Anglo Árabe

Resultante do cruzamento de éguas PSI (Thoroughbred) herdando o tamanho, decisão, galope e potencial competitivo, com garanhões árabes herdando solidez, vigor, resistência e temperamento calmo.

Na aparência o Anglo Árabe tende mais para o PSI. Sua fronte é reta (e não côncava como o Árabe), e sua estatura elevada. Os ombros são inclinados e fortes, as pernas longas e bem formadas com ossatura e cascos de boa qualidade, bons pulmões e excelente coração. 

Altura: Entre 1,62 á 1,67m.

Pelagem: Tordilho, castanho e alazão.

Usos: Sela, desportos hípicos.

Fonte: www.marcoscowboy.com.br

Anglo Árabe

anglo-árabe é uma raça resultante da mestiçagem do Árabe e de seu descendente, o PSI (Thoroughbred), que combina as melhores qualidades dessas raças de elite. Do árabe espera-se que ele herde a resistência, a versatilidade, a frugalidade no trato e os cascos densos; do PSI a estatura maior e a velocidade. De ambos a habilidade atlética para os esportes hípicos.

Criação

A raça originou-se e aperfeiçoou-se na França, onde os anglo-árabes são criados sistematicamente desde os tempos napoleônicos nas grandes coudelarias do sudoeste, em Pau, Pompadour, Tarbes e Gelos desde o ano de 1800. Os primeiros anglo-árabes são o cruzamento de éguas PSI com os garanhões árabes (nunca o inverso), importados do Egito por Napoleão Bonaparte e seus generais. Já em 1836 a criação francesa era famosa, tornando-se necessário a introdução de novas linhagens par refrescamento do sangue. Foram importados dois magníficos árabes do oriente próximo Massoud e Aslan e três éguas PSI Dair, Common Mars e Selim. Por volta de 1850 a raça foi considerada formada e os cruzamentos com árabes ou PSI puros passaram a ser cortados.

Características

Na aparência o anglo-árabe tende mais para o PSI. Sua fronte é reta (e não côncava como o árabe), e sua estatura elevada. Os ombros são inclinados e fortes, as pernas longas e bem formadas com ossatura e cascos de boa qualidade, bons pulmões e excelente coração. São versáteis cavalos de sela, prestando-se para corridas em hipódromos, provas se salto de obstáculos, adestramento clássico e pólo. Na França os anglo-árabes têm corridas especiais, e seu stud book não aceita produtos com menos de 25% de sangue árabe ou thoroughbred.

Influências

Thoroughbred: Colaborou com tamanho, decisão, galope e potencial competitivo. 

Árabe: solidez, vigor, resistência e temperamento calmo.

Altura

Varia entre 1,62 e 1,67m.

Cores

Tordilho, castanho, alazão

Usos

Sela, desportos hípicos

Fonte: www.felipex.com.br

Anglo Árabe

Também cognomina

Também cognominado Puro Sangue Francês, foi formado por Gayot em 1847 por meio de cruzamento simples do Inglês como Árabe cruzamento alternativo dessas raças e ainda mestiçagem entre os Anglo-Árabes. Como lastro foram utilizadas éguas do antigo cavalo navarrino, derivado do Andaluz. A região de criação está localizada no Sul da França, desde o Girondet até Toulouse, passando por Pau e Tarbes. Vários países da Europa, da América e mesmo o Japão, importaram esta raça. CARACTERÍSTICAS DA RAÇA Descrição: Peso de 450Kg.

Estatura

De 152 a 160 cm.

Pelagem

As pelagens mais comuns são a castanha e a alazã e mais raramente a tordilha. A pele é fina e as crinas escassas.

Cabeça

Quadrada, seca e bela, desde a do inglês até a do Árabe, com a fronte larga e curta, orelhas pequenas, atentas, olhos vivos e inteligentes, narinas e lábios finos, perfil direito e ganachas espaçadas. Pescoço: Piramidal, forte, bem proporcionado ou um pouco longo, bem inserido.

Corpo

Mais reforçado que o do inglês, porém, mais harmonioso.

A cernelha é longa e alta. O dorso e lombo são simples, direitos, curtos e fortes, às vezes ligeiramente enselados. A garupa é forte, larga, inclinada, não muito longa, com a cauda baixa, meio encambitada.

O peito não é muito largo, o tórax é alto e profundo, de largura regular. As espáduas são longas e oblíquas e o flanco é curto e o ventre redondo.

Membros

Altos e secos, delicados com articulações nítidas, tendões sólidos, bons aprumos e bons cascos.

O braço e antebraço são longos, a nádega é reta e longa, a perna longa e delicada, os jarretes abertos, as quartelas altas, de inclinação média.

Aptidões e outras qualidades:

O Anglo-Árabe é um cavalo de sela maior que o Árabe e menos exigente que o Inglês. É uma excelente montaria militar para a cavalaria leve: resistente, ágil, veloz, notadamente quando predomina o sangue Árabe. Quando predomina o inglês é próprio para corridas de obstáculos (“steeple-chase”) e quando pequeno, muito apropriado para pólo.

Anda a passo, trote e galope e é bom saltador. Presta-se para os mesmos fins de melhoria do Inglês e do Árabe. Sendo, porém, uma raça menos fixa (mais heterozigótica), nem sempre dá resultados satisfatórios nos cruzamentos com éguas comuns, o que é lamentável, pois seu tipo é mais apropriado para fins militares que o do Inglês ou do Árabe.

Fonte: www.revistadaterra.com.br

do Puro Sangue Francês, foi formado por Gayot em 1847 por meio de cruzamento simples do Inglês como Árabe cruzamento alternativo dessas raças e ainda mestiçagem entre os Anglo-Árabes. Como lastro foram utilizadas éguas do antigo cavalo navarrino, derivado do Andaluz. A região de criação está localizada no Sul da França, desde o Girondet até Toulouse, passando por Pau e Tarbes. Vários países da Europa, da América e mesmo o Japão, importaram esta raça. CARACTERÍSTICAS DA RAÇA Descrição: Peso de 450Kg.

Estatura

De 152 a 160 cm.

Pelagem

As pelagens mais comuns são a castanha e a alazã e mais raramente a tordilha. A pele é fina e as crinas escassas.

Cabeça

Quadrada, seca e bela, desde a do inglês até a do Árabe, com a fronte larga e curta, orelhas pequenas, atentas, olhos vivos e inteligentes, narinas e lábios finos, perfil direito e ganachas espaçadas. Pescoço: Piramidal, forte, bem proporcionado ou um pouco longo, bem inserido.

Corpo

Mais reforçado que o do inglês, porém, mais harmonioso.

A cernelha é longa e alta. O dorso e lombo são simples, direitos, curtos e fortes, às vezes ligeiramente enselados. A garupa é forte, larga, inclinada, não muito longa, com a cauda baixa, meio encambitada.

O peito não é muito largo, o tórax é alto e profundo, de largura regular. As espáduas são longas e oblíquas e o flanco é curto e o ventre redondo.

Membros

Altos e secos, delicados com articulações nítidas, tendões sólidos, bons aprumos e bons cascos.

O braço e antebraço são longos, a nádega é reta e longa, a perna longa e delicada, os jarretes abertos, as quartelas altas, de inclinação média.

Aptidões e outras qualidades:

O Anglo-Árabe é um cavalo de sela maior que o Árabe e menos exigente que o Inglês. É uma excelente montaria militar para a cavalaria leve: resistente, ágil, veloz, notadamente quando predomina o sangue Árabe. Quando predomina o inglês é próprio para corridas de obstáculos (“steeple-chase”) e quando pequeno, muito apropriado para pólo.

Anda a passo, trote e galope e é bom saltador. Presta-se para os mesmos fins de melhoria do Inglês e do Árabe. Sendo, porém, uma raça menos fixa (mais heterozigótica), nem sempre dá resultados satisfatórios nos cruzamentos com éguas comuns, o que é lamentável, pois seu tipo é mais apropriado para fins militares que o do Inglês ou do Árabe.

Fonte: www.revistadaterra.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Leão

Leão

Leão, Animal, Características, Habitat, Família, Espécie, Reprodução, Classificação, Rei da Selva, Simba, Reino, Filo, Classe, Gênero, Dieta, Leão

Víboras, Calangos e Tartarugas

Víboras, Calangos E Tartarugas, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Víboras, Calangos E Tartarugas

Víbora

Víbora, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Vipera Latastei, Áspide, Inimigos, Gigante, Predadores, Crânio, Dentes, Animal, Réptil, Víbora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+