Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Animais / Martim Pescador

Martim Pescador

PUBLICIDADE

Chloroceryle americana

Características

Mede 19 cm de comprimento com bico de 40 cm. Corpo compacto, asas curtas, cauda cheia e pouco alongada e pernas curtas com 4 dedos, sendo 3 voltados para frente e 1 para trás. Pescoço curto com cabeça grande e bico longo, forte e grosso. Existe dimorfismo sexual. No macho, a parte superior do corpo é verde-bonzeada, asas e cauda pintadas de branco. Parte inferior com a garganta branca como na barriga.Peito ferrugíneo-castanho. Lados verdes pintados de branco. A fêmea tem garganta e peito de cor ocre claro, sendo o peito pintado de verde.

Habitat

Ao longo de rios, lagos e orla marítima, mangues, embocaduras de rios, em florestas ou áreas abertas, onde haja árvore para o pouso.

Ocorrência

Brasil central e este meridional, do Espírito Santo ao Rio Grande do Sul.

Hábitos

Espécie solitária, muito boa voadora, podendo manter-se fixa num ponto de vôo quando caçando na água ou nos campos.

Alimentação

Peixes, insetos, pequenos répteis, anfíbios, jovens pássaros e mamíferos como camundongos.

Reprodução

Ninho construído nas barrancas dos rios e de estradas pouco movimentadas, constituindo-se de um buraco de 10 cm de diâmetro com profundidade que pode chegar a 1 m, com curva terminando em uma concavidade onde coloca algumas folhas para proteção da postura. A postura consiste em 2 a 4 ovos brancos com 25 x 20 mm em seus eixos e a incubação faz-se em 21 dias. Os filhotes nidícolas permanecem por 32 dias até deixarem o ninho.

Ameaças

Poluição e destruição do habitat.

Fonte: www.vivaterra.org.br

Martim Pescador

Das 84 espécies de martins-pescadores que existem no mundo, apenas 5 ocorrem no Brasil, sendo o Martin-pescador-grande, ou matraca (Ceryle torquata; Ringed Kingfisher) a espécie mais conhecida da família alcedinidae, não só pelo seu tamanho já que é a maior espécie desta família no Brasil, como por se comum e muito barulhento pois seu canto parece uma “matraca” estalando.

As aves desta família (Alcedinidae) estão associadas a ambientes aquáticos, vivendo à beira de lagos, rios, lagoas e espelhos d’água, pois dependem deste ambiente para se alimentar, já que comem pequenos peixes, insetos aquáticos etc.

Costumam ficar pousados em um galho próximo a água observando possíveis presas, as quais alcançam em certeiro vôo rápido e muitas vezes vertical. Também pairam no ar (“peneirar”) sobre o espelho d’água, para então cair sobre a presa na água, o que é mais comum no Martim-pescador-grande (Ceryle torquata; Ringed Kingfisher).

Já o Martin-pescador-pequeno (Chloroceryle americana; Green Kingfisher) vive em rios e lagos menores e faz vôos rasantes sobre a água seguindo as curvas do rio, as vezes percorrendo centenas de metros.

O menor dos Martins-pescadores brasileiros é o Ararimbinha (Chloroceryle aenea; Pygmy Kingfisher) com apenas 12,5cm, enquanto o Martim-pescador-grande (Ceryle torquata; Ringed Kingfisher) chega a 42cm

Todos eles nidificam em buracos que fazem em barrancos quase sempre à beira de um rio ou lago. O ninho é comprido e na cama incubadora são colocados os ovos e criados os filhotes sem muita limpeza.

Vivem aos casais e os machos diferem das fêmeas pela mancha marron no peito que varia de tamanho conforme a espécie.

Espécies que ocorrem no Brasil

  • Ceryle torquata
  • Martim-pescador-grande, matraca
  • Ringed Kingfisher
    Chloroceryle amazona
  • Martim-pescador-verde
  • Amazon Kingfisher
  • Chloroceryle americana
  • Martin-pescador-pequeno
  • Green Kingfisher
  • Chloroceryle inda
  • Martin-pescador-da-mata
  • Green-and-rufous
  • Kingfisher
  • Chloroceryle aenea
  • Ararimbinha
  • Pygmy Kingfisher

Bibliografia consultada

DUNNING, J. S. 1987. South American Birds: A photographic aid to identification. Newtown Square: Harrowood Books.
HOFLING, ELIZABETH; CAMARGO, HÉLIO F. DE A. . Aves do Campus, EDUSP, 3ªedição.1999.
HOWARD, RICHARD and MOORE, ALICE. A complete checklist of the birds of the world. Academic Press.1991.
SCHAUENSEE, RODOLPHE MEYER DE. A guide to the birds of South America. The Academy of Natural Sciences of Philadelphia. 1970.
SICK, H. 1997. Ornitologia Brasileira. Edição revista e ampliada por J. F. Pacheco. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira.
SOUZA, DEODATO. Todas as aves do Brasil. Editora DALL. 1998.

Fonte: www.aultimaarcadenoe.com

Martim Pescador

Muito comum em margens dos rios, o martim-pescador permanece à espera de que lhe passem a seu alcance os pequenos peixes que captura em mergulhos certeiros, com o bico pontiagudo.

Martim-pescador é uma ave da família dos alcedinídeos que ocorre do México à Terra do Fogo. Além de peixes, come insetos como abelhas, vespas e formigas aladas. Vive aos casais, revezando-se o macho e a fêmea na escavação de tortuosas galerias, de um metro de extensão, nos barrancos dos rios, onde nidificam. Seus dedos dianteiros, unidos na base, prestam-se à perfeição para isso. A fêmea põe de dois a quatro ovos. O tempo médio de incubação, apurado no caso do martim-pescador-pequeno, é de 22 dias.

O martim-pescador-grande (Ceryle ou Megaceryle torquata) mede 42cm e às vezes apresenta matizes encarnados. O martim-pescador-verde ou ariramba-verde (Chloroceryle amazona), de 29,5cm, tem as partes superiores verde-metálicas e as inferiores brancas (amareladas na fêmea).

Semelhante nas cores é a espécie mais comum, o martim-pescador-pequeno (C. americana), de 19cm, de um verde mais escuro nas partes superiores, em contraste com uma faixa branca e sedosa que liga a base do bico à nuca. O martim-pescador-da-mata ou martim-pescador-pintado (C. inda), de 22cm, vive em áreas recolhidas, à beira de córregos em matas fechadas: tem as partes inferiores cor de ferrugem, a fêmea com uma faixa peitoral mesclada de branco e preto. O martim-pescador-anão ou arirambinha (C. aenea), de 12,5cm, é uma miniatura do martim-pescador-da-mata, mas com o centro da barriga branco.

Fonte: www.biomania.com.br

Martim Pescador
Plumagem do dorso e cabeça verde metálica brilhante

Martim Pescador

Chloroceryle amazona

Período Reprodutivo

Junho a setembro

Locais de observação

Brejos, Mata ciliar rio Cuiabá, Mata ciliar rio São Lourenço, Rios, corixos e baías.

Martim Pescador

Maior do que as espécies seguintes, mas bem menor do que o matraca. Plumagem do dorso e cabeça verde metálica brilhante. Macho com uma grande faixa avermelhada no peito, separando o colar e barriga brancos (foto). Na fêmea, essa área é ocupada por uma listra verde, larga nos lados e estreita, quase interrompida, no meio do peito. Nos dois sexos, os flancos são estriados de verde.

Martim Pescador

Costuma ficar pousado nas galhadas sobre a água, meio escondido pela vegetação ou nas cabeceiras de pontes. Ocasionalmente, “peneira” sobre a água. Voa muito próximo da superfície, seja quando é assustado, seja na maioria dos deslocamentos. Os territórios de pesca são mantidos livres de outros martins-pescadores, com rápidos movimentos verticais de cabeça e cauda precedendo qualquer atitude mais belicosa. Saindo ou chegando ao pouso, fora das tentativas de pesca, emite uma risada longa e cortante, característica da espécie. Assustado, dá o alarme com um grito curto e forte, enquanto movimenta cabeça e cauda.

Martim Pescador

A baixa das águas do Pantanal é o período de reprodução, com os casais formando grupamentos de ninhos em alguns barrancos. Como os outros martins-pescadores, cavam os ninhos com os pés, algumas vezes usando tocas abertas por peixes no período de cheia. O casal cuida do choco e dos filhotes.

Aparece em todos os corpos d’água da RPPN, com maior freqüência nas mesmas áreas do que o matraca. Pode ser visto pescando no embarcadouro do hotel em Porto Cercado.

Fonte: www.avedomestica.com

Martim Pescador

Martim Pescador

Período Reprodutivo

Junho a setembro

Locais de observação

Brejos, Cambarazal, Mata ciliar rio Cuiabá, Mata ciliar rio São Lourenço, Rios, corixos e baías.

Miniatura da espécie anterior, divide as mesmas cores principais. No macho, a mesma faixa vermelha no peito. Nos lados da barriga, entretanto, possui bolinhas verdes e não estrias. Nas asas, pontos brancos nas penas de vôo. A fêmea apresenta uma larga faixa verde no peito, dividida por uma listra esbranquiçada quase central. Na foto, uma ave juvenil, com o verde do peito pouco notável.

Martim Pescador

O canto é uma risada parecida com a espécie anterior, bem mais fraca e curta. Também fica pescando a partir de galhadas baixas com folhas. Ocasionalmente, “peneira”. Apanha pequenos peixes, sendo mais comum nos corixos e corpos d’água menores, alguns totalmente cobertos pela vegetação arbórea marginal.

Ninho nos barrancos expostos pela vazante, mais comumente nos corixos do Moquém, das Conchas e Riozinho. Os dois sexos cuidam da prole, podendo haver vários ninhos nas proximidades.

Fonte: www.avespantanal.com.br

Martim Pescador

Martim Pescador

Martins-pescadores, são aves de porte variável, cabeça provida de penacho, bico grande e forte, e plumagem de cores diversas. São solitários raramente vêem-se casais. Podem ser vistos pousados em galhos de árvores, pontes e cercas, às margens dos rios, corixos e banhados.

Alimentam-se, principalmente, de peixes que pescam mergulhando. Comem também insetos, pequenos anfíbios, répteis e filhotes de mamíferos. Capturam animais terrestres de maneira semelhante a que usam para pescar: mantêm-se em vôo de libração, ou seja, batendo as asas sem sair do lugar, sobre o local em que está a presa; quando conseguem uma boa visibilidade, juntam as asas ao corpo e atiram-se em mergulho, como uma flecha, apanham-na com o bico e engolem-na imediatamente.

Cavam galerias nos barrancos dos rios, ou aproveitam buracos abandonados para a construção dos ninhos. Enquanto a fêmea choca, o macho se encarrega de alimenta-la. O cuidado com os filhotes é repartido pelo casal.

As espécies mais comuns na região

Martim-pescador-grande ou matraca, Martim-pescador-verde, Martim-pescador-pequeno-verde, Martim-pescador-pequeno-pintaddo e Martim-pescador-miudinho.

Fonte: www.pantanalms.tur.br

Martim Pescador

Martim Pescador

Espécie

Chloroceryle americana

Familia

Alcedinidae

Comprimento

19,00 cm

Descrição

É quase uma miniatura do martim-pescador-verde. Presente em todo o Brasil e também dos Estados Unidos e México à Argentina. Comum em beiras de rios e lagos com vegetação aquática, lagunas e manguezais. Pousa na vegetação à beira d’água (entre 1 e 3 m de altura), de onde observa suas presas.

Às vezes paira no ar antes de mergulhar. Come peixes de 3 a 5,5 cm. Faz ninho em buracos escavados em barrancos de rios, com a entrada do túnel bem escondida pela vegetação pendente. Põe de 3 a 5 ovos. O macho apresenta uma faixa ferrugínea no peito, a qual é verde-metálica (mais larga nas laterais) na fêmea. Conhecido também como ariramba-pequena.

Fonte: www.guiapescaelazer.com.br

Martim Pescador

Martim Pescador
Martim-pescador: ave de bico longo que
se alimenta de peixes, girinos e insetos

Nome comum a qualquer componente de uma vasta família de aves dotadas de cabeça grande e bico longo, pesado e pontudo. Várias espécies têm uma crista no alto da cabeça. Além disso, apresentam pernas curtas, cauda grossa, curta e eriçada e comprimento de 16 cm. Os dedos externo e médio estão unidos por fortes membranas. Vivem à beira dos cursos d’água e são encontradas em todo o mundo. No Brasil, são também chamadas pica-peixes e arirambas. A família do martim-pescador é constituída de aves terrestres e aquáticas.

O martim-pescador pode passar horas pousado em um galho de árvore sobre um curso d’água, observando se algum peixe pequeno aparece. Só então ele mergulha. Ele pode atravessar o peixe com o seu bico comprido e capturá-lo. A seguir, mata o peixe arremessando-o uma ou mais vezes de encontro a um galho e o lança para o alto, pegando-o quando cai. Além de peixes, o martim-pescador costuma se alimentar de lagostins, rãs, girinos, salamandras e insetos.

O martim-pescador é representado no Brasil por cinco espécies, uma das quais é o martim-pescador do Amazonas (espécie Chloroceryle amazona). As outras são o martim-pescador-grande (Megaceryle torquata), o martim-pescador-pequeno (Chloroceryle americana), o martim-pescador-pintado (Ceryle inda) e o martim-pescador-verde (Ceryle americana).

Fonte: klickeducacao.ig.com.br

Martim Pescador

Martim Pescador

Nome Popular: MARTIM-PESCADOR-PEQUENO
Nome Científico: Chloroceryle americana
Família: Alcedinidae

Tamanho

19 cm

Descrição

É quase uma miniatura do martim-pescador-verde. Presente em todo o Brasil e também dos Estados Unidos e México à Argentina.

Comum em beiras de rios e lagos com vegetação aquática, lagunas e manguezais. Pousa na vegetação à beira d’água (entre 1 e 3 m de altura), de onde observa suas presas.

Às vezes paira no ar antes de mergulhar. Come peixes de 3 a 5,5 cm. Faz ninho em buracos escavados em barrancos de rios, com a entrada do túnel bem escondida pela vegetação pendente. Põe de 3 a 5 ovos.

O macho apresenta uma faixa ferrugínea no peito, a qual é verde-metálica (mais larga nas laterais) na fêmea. Conhecido também como ariramba-pequena.

Fonte: www.campodacachoeira.com.br

Martim Pescador

Chloroceryle americana, tamanho 19cm

É geralmente a espécie mais comum, as parttes superiores verde bem escuras contrastando com uma faixa branca saliente e sedosa que liga a base do bico à nuc, onde é atravessada pelo penacho nucal.

O macho tem as parrrtes inferiores brancas com o peito acastanhado, sendo os mesmos respectivamente amarelados e manchados de verde na fêmea. Voz “ta-ta”, “ti-ti” ( advertência), “trr-trr-trr-trr”, canto chireado e uma seqüência descedente parecida a com o Martim-Pescador-Verde, “kli, kli, kli, kli, kli”. Habita os lagos com rica vegetação aquática, beira de rios pequenos e grandes, manguezais.

Ocorre no Texas e México à Argentina, todo o Brasil.

Fonte: www.ibama.gov.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Leão

Leão, Animal, Características, Habitat, Família, Espécie, Reprodução, Classificação, Rei da Selva, Simba, Reino, Filo, Classe, Gênero, Dieta, Leão

Víboras, Calangos e Tartarugas

Víboras, Calangos E Tartarugas, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Víboras, Calangos E Tartarugas

Víbora

Víbora, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Vipera Latastei, Áspide, Inimigos, Gigante, Predadores, Crânio, Dentes, Animal, Réptil, Víbora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+