Breaking News
Home / Animais / Urubus Brasileiros

Urubus Brasileiros

PUBLICIDADE

Os urubus, aves da ordem Cathartiformes e da família Cathartidae, são aves de extrema importância na natureza por serem necrófagos, ou seja, são aves que se alimentam de animais já mortos. Eles são responsáveis pela eliminação de 95% das carcaças dispostas em um ecossistema, sendo a maioria delas de mamíferos.

No Brasil são conhecidas cinco espécies de urubus: O imponente urubu-rei (Sarcoramphus papa) e o urubu-da-mata (Cathartes melambrotos), que muito raramente são encontrados próximos das áreas urbanizadas, e o urubu-preto (Coragyps atratus), o urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura), e o urubu-de-cabeça-amarela (Cathartes burrovianus).

Apesar de sua importância e abundância, poucas pessoas conhecem seus hábitos, como o comportamento alimentar e a hierarquia respeitada por essas aves. Os urubus localizam a carcaça, normalmente, por possuírem um ótimo sentido de olfato, sendo muito mais desenvolvido no urubu-de-cabeça-vermelha e de-cabeça-amarela, estes localizam primeiro a carcaça e assim são seguidos pelas outras espécies.

Para que possam ter uma boa visão de para onde os urubus-de-cabeça-vermelha e de-cabeça-amarela estão voando, as outras espécies procuram atingir grandes altitudes aproveitando as correntes térmicas para planar, e muitas vezes somem de nossas vistas tornando-se um ponto minúsculo no céu.

Diferente das demais aves, os urubus não possuem penas em sua cabeça, isso pode ser explicado devido ao fato de se alimentarem de carniça, e essas penas poderiam ser um ponto de contaminação ao entrarem em contato com a carcaça, repleta de microorganismos prejudiciais a sua saúde. Há cientistas dedicados ao estudo do sistema imunológico destes animais para descobrir o segredo da resistência a infecções que parecem possuir.

Outro fato pouco conhecido sobre essas aves, é que existe uma clara organização na hora da alimentação. Esta “hierarquia” pode ser vista na maneira como as outras espécies de urubus se afastam da carcaça com a chegada do urubu-rei, e quando encontram uma pele muito resistente, somente ele é capaz de rasgar esta pele graças a seu bico mais forte que o das demais espécies.

Dependendo do tamanho da carcaça, esta poderá alimentar muitos urubus, podendo algumas vezes acontecer uma competição entre eles.

Com exceção do urubu-rei, que é afetado com ações do homem, tanto na destruição de seu habitat como na sua captura para tráfico, as demais espécies não possuem predadores naturais, aumentando sua população de acordo com o crescimento de lixo produzido pelo homem.

Talita Tonioli Arantes

Fonte: www.zoologico.sp.gov.br

Urubus Brasileiros

Os cientistas ainda não desvendaram totalmente esse mistério, mas acreditam que os urubus se deliciam com comida estragada sem passar mal graças ao seu sistema imunológico e ao potente suco gástrico secretado por seu estômago. Mas isso não significa que eles prefiram carne podre à fresquinha. Acontece que os urubus não têm habilidade para caçar, pois as garras de suas patas são ineficientes para essa tarefa. Assim, só lhes resta a carcaça de animais mortos.

Apesar de feioso e com má fama, o urubu tem papel essencial na natureza. Como é um animal necrófago, que se alimenta de carne em putrefação, faz uma espécie de “faxina” nos locais onde vive, pois elimina do meio ambiente a matéria orgânica em decomposição. Para encontrar a refeição, eles contam com olfato e visão apurados. São capazes de ver um bicho pequeno a 3 mil metros de altura! Mas os urubus não cantam de galo: eles não têm siringe, o órgão vocal das aves, e só fazem uns barulhos esquisitos chamados de crocitar.

BELEZA ROUBADA

Urubus são feios e sujos, mas cheios de truques para sobreviver ao cardápio nojento

À FLOR DA PELE

A cabeça e o pescoço pelados dos urubus ajudam na sobrevivência. Como eles se alimentam de carne podre, cheia de bactérias e outros microorganismos letais, se tivessem penas, essas regiões poderiam entrar em contato com a comida, transformando-se em pontos de contaminação.

CARONA VOADORA

Espertos, os urubus aproveitam as correntes de ar quente para planar por horas a fio sem fazer esforço. Eles fazem movimentos ascendentes em espiral em largos círculos e voam dezenas de quilômetros atrás de alimento. No solo, quando se sentem ameaçados, regurgitam para perder peso e alçar vôo com mais rapidez.

PASSO A PASSO

Os urubus têm um andar engraçado e desengonçado por causa de seus pés chatos. Eles não possuem habilidade para caminhar, como fazem outras aves, e dão pequenos pulinhos para se deslocar. Ao contrário de aves de rapina como as águias, eles não têm uma garra funcional, por isso não conseguem capturar presas.

OVOS NO PAREDÃO

A reprodução dos urubus acontece no início da primavera. Diferentemente da maioria das aves, eles não constroem ninhos em plantas. As fêmeas fazem a postura entre rochas escondidas, paredões rochosos e árvores ocas. Normalmente, colocam dois ou três ovos, sendo que o período de incubação varia de 49 a 56 dias conforme a espécie.

DUPLA PROTEÇÃO

O estômago dos urubus secreta um suco gástrico que neutraliza as bactérias e toxinas presentes na carne putrefata. Além disso, acredita-se que os anticorpos de seu sistema imunológico fazem com que ele seja imune a doenças que atingiriam os humanos se resolvêssemos adotar o menu indigesto.

LEI DO MAIS FORTE

Cinco espécies de urubus, como o urubu-da-mata, vivem no Brasil. Com o olfato mais apurado, o urubu-de-cabeça-vermelha e o urubu-de-cabeça-amarela encontram primeiro a comida e são seguidos pelos demais. Mas quem come primeiro é o urubu-rei, que é maior e tem o bico mais forte, ideal para rasgar a pele da carcaça. Enquanto ele se esbalda, os demais, como o urubu-de-cabeça-preta, se afastam da carniça. O urubu-rei tem esse nome por causa do bico forte e da exuberante coloração de sua cabeça.

REFRESCO NOJENTO

Como não tem glândulas sudoríparas para dissipar o calor, o urubu usa uma estratégia cabulosa para evitar que a temperatura de seu corpo suba demais: defeca e faz xixi nas próprias pernas! O cheiro ruim também afasta eventuais predadores. Além disso, ficam com o bico aberto para perder calor .

Fonte: mundoestranho.abril.com.br

Urubus Brasileiros

Urubus Brasileiros

Característica

É o mais comum dos urubus do Brasil. Tem a cabeça e o alto do pescoço nus, pretos como toda a plumagem do corpo, asas e cauda. Os bicos e os dedos são delgados, as unhas são pontiagudas e quando em ataque podem ser retesadas e dilaceradas. O bico tem a extremidade pontiaguda e curva, a fim de facilitar a dilaceração da carniça. Possuem grande capacidade olfativa e uma visão bastante aguçada.

Habitat

Florestas, campos e áreas urbanas.

Ocorrência

Zonas tropicais do México ao Brasil, em todos os estados.

Hábitos

São aves diurnas. Excelente voador e planador. Vive, às vezes, em grandes bandos, sobrevoando em círculos a grandes altitudes, durante horas numa determinada área, e nessas evoluções geralmente define uma posição para a busca da carniça que localizou. Podem chegar a 5.000 metros de altitude.

Alimentação

Animais mortos em decomposição, verduras e frutas. Às vezes, em grupo, atacam recém-nascidos bovinos.

Reprodução

Normalmente constroem os ninhos em uma gruta de rocha ou num local de difícil acesso. A postura é feita no solo, em uma pequena concavidade e sempre é de 2 ovos grandes, de coloração branca pintados com manchas marrons, medindo 76 x 55 mm em seus eixos e pesando 96 gramas cada um. A incubação é realizada pelo casal, que também cria a prole. O período de incubação é de 32 a 35 dias. Ao nascerem os jovens são cobertos por penugem branca e já quando a plumagem aparece, esta tem coloração marrom a qual permanece até iniciarem os vôos, para depois tornar-se negra. Só após o terceiro mês de idade os jovens deixam o ninho para alçarem vôo.

Fonte: www.vivaterra.org.br

Veja também

Rinoceronte

Rinoceronte, Reprodução, Características, Espécies, Mamíferos, Hábitos, Fotos, Classificação, Habitat, Tamanho, Animal, Anatomia, Comportamento, Rinoceronte

Rinoceronte Branco

Rinoceronte Branco, Características, Tamanho, Alimentação, Habitat, Extinção, Espécie, Hábitos Alimentares, Reprodução, Peso, Visão, Rinoceronte Branco

Rinoceronte de Java

Rinoceronte de Java, Características, Tamanho, Alimentação, Habitat, Extinção, Espécie, Hábitos Alimentares, Reprodução, Peso, Rinoceronte de Java

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.