Breaking News
Home / Animais / Cobra-D’Água

Cobra-D’Água

PUBLICIDADE

O que é

As cobras-d’água são um grande número de cobras encontradas em todo o mundo que nadam e caçam na água.

Embora a maioria das espécies não seja venenosa, elas incluem algumas das cobras mais mortais conhecidas.

Por esta razão, deve-se ter cuidado quando confrontado com uma cobra-d’água desconhecida.

Embora todas as cobras possam nadar, algumas ficam particularmente em casa na água. Essas cobras, que incluem boca de algodão, cobras de água do norte, cobras de água asiáticas, cobras de água do arco-íris e cobras de mangue, podem ser muito perigosas para banhistas ou nadadores inconscientes. Ao mesmo tempo, essas cobras não têm nada para impulsionar, tornando seus ataques muito mais lentos.

A maioria das cobras, mesmo as cobras-d’água, simplesmente não são tão eficazes em combate quando não estão em terra. Por esta razão, eles tenderão a não atacar a menos que sejam provocados, e na maior parte, as cobras-d’água irão fugir ao invés de lutar. Dito isto, se uma cobra se sente ameaçada ou encurralada, ou é acidentalmente abalada, provavelmente irá atacar.

A melhor coisa a fazer para evitar encontros indesejados com cobras-d’água é ficar longe de lugares onde elas gostam de se bronzear.

Primeiramente, isso significa pendurar galhos de árvores. Muitas cobras sentam os galhos para coletar a luz do sol e depois caem na água se detectarem movimento. Eles não estão caindo para atacar – eles estão realmente tentando fugir – mas se eles pousarem em um barco ou em um nadador, eles podem entrar em pânico e atacar.

Na América do Norte, apenas uma espécie é venenosa: o mocassim de água de algodão. Mocassins de água ou “Cottonmouth” estão relacionados com cascavéis e cabeças de cobre, e podem ser mortais.

Elas têm mandíbulas que podem se fechar rapidamente e com grande força, dirigindo suas presas venenosas profundamente em carne.

Seu nome deriva de seu hábito de deitar com a boca aberta, mostrando os interiores brancos. Embora muitas vezes difamados por serem agressivos, os mocassins de água são na verdade bastante dóceis.

Geralmente, eles evitarão os humanos, a menos que sejam provocados de alguma forma.

Um número de cobras-d’água não-venenosas também vive na América do Norte. Estes incluem a serpente de água verde da Flórida, a cobra-d’água cascavel de diamante, a cobra marrom da água, a cobra do pântano salgado, a cobra da água, e a cobra d’água do sul. Nenhuma dessas cobras é agressiva ou venenosa, mas, como algumas delas têm aparência semelhante a mocassins de água, deve-se ter cuidado, a menos que a identificação seja certa.

Na América do Sul, uma das cobras-d’água mais comuns é a cobra de mangue da Venezuela e as ilhas de Trinidad e Tobago e as Guianas. Embora não venenosas, elas são facilmente provocadas, e sua mordida é dolorosa e pode causar infecção.

A cobra-d’água asiática, encontrada em todo o sudeste da Ásia, China, Indonésia e partes da Ásia Ocidental, é outra cobra de água não-venenosa. É bastante dócil e raramente atacará, a menos que seja extremamente provocado.

Como elas se parecem?

Estas são cobras de cor escura, marrom, bronzeadas ou acinzentadas na aparência.

As costas e os lados têm uma série de manchas quadradas alternando entre si que podem se fundir para formar bandas.

Serpentes adultas podem parecer marrom ou preto sólido, especialmente quando secas.

A barriga é geralmente branca, amarelada ou alaranjada com bordas escuras em forma de meia-lua.

Os juvenis têm selas marrom-avermelhadas em um fundo bege, marrom ou cinza.

Os machos são geralmente menores que as fêmeas

As cobras-d’água do norte são de médio a grande porte, variando de 61 a 140 cm. Eles variam de 19 a 27,3 cm no nascimento.

Habitat

As cobras-d’água do norte utilizam muitos habitats aquáticos diferentes, tais como: rios, riachos, pântanos, lagos, lagoas, pântanos, pântanos e represas.

Elas preferem áreas abertas que forneçam muitos pontos para se aquecerem ao sol e águas relativamente paradas.

Elas podem se mover para a terra, especialmente os juvenis, mas nunca se distanciam do ambiente aquático.

Quando não estão se aquecendo ou à procura de presas eles podem ser encontrados sob rochas planas, toras, tábuas ou outros tipos de cobertura.

Cobras-d’água do norte são as serpentes mais comuns perto de fontes de água em todo o nordeste da América do Norte.

Descrição

Há inúmeras espécies de cobras-d’água. Algumas vivem no chão, outras em árvores e algumas ainda são semi-aquáticas.

A fêmea pões de 30 a 40 ovos de cada vez, sempre em lugares diferentes.

Algumas vezes, porém, várias dessas cobras botam seus ovos num mesmo lugar. Há muitos anos, na Grã-Bretanha, foram encontrados mais de mil ovos em um único buraco de uma velha muralha.

Quarenta fêmeas tinham posto aí seus ovos.

A cobra-anelada, que é uma variedade de cobra-d’água, põe seus ovos em junho ou julho em qualquer lugar quente – um monte de feno, folhas podres ou esterco.

Ela é comum em toda a Europa, com exceção da Escócia e Irlanda. É semi-aquática e prefere os locais úmidos e pantanosos. Durante a noite, dorme num buraco de árvore caída ou numa fenda de rocha. Nada bem, com a cabeça acima da superfície da água, mas pode ficar submersa por até vinte minutos.

Esta cobras alimenta-se de rãs, lagartos, aves pequenas a até de roedores. Ela é rápida e difícil de apanhar. Quando isso acontece, ela cospe um líquido repugnante.

Características

A cobra-d’água-viperina (Natrix maura) é uma cobra pequena, com cerca de 65 a 70 cm de comprimento total; no entanto alguns exemplares podem atingir 90 a 100 cm.

Possui corpo cilíndrico, cabeça bem diferenciada e olhos com grandes pupilas redondas.

As escamas dorsais são fortemente carenadas (com uma saliência longitudinal).

O desenho e cor desta cobra são muito variáveis.

O dorso é geralmente castanho, esverdeado, alaranjado ou avermelhado, com uma série dupla de manchas escuras que normalmente formam um desenho em ziguezague.

Na parte posterior da cabeça possui uma mancha escura em forma de V invertido.

O ventre é esbranquiçado com manchas escuras ou negras, de forma quadrangular. Esta cobra é frequentemente confundida com as víboras, que apresentam um padrão semelhante. Porém, as víboras têm pupila vertical, placas cefálicas subdivididas e a cauda mais curta.

As fêmeas são maiores que os machos e a sua cauda é proporcionalmente mais curta. Os juvenis têm cores mais contrastantes que os adultos.

Distribuição e Abundância

Esta espécie ocupa o Norte de África, a Península Ibérica, a França, o sudoeste da Suíça e o extremo noroeste da Itália. Em Portugal encontra-se de Norte a Sul, desde o nível do mar até aos 1800 metros de altitude.

Fatores de ameaça

A cobra-de-água-viperina é uma das cobras mais comuns em Portugal.

No entanto, a poluição aquática continental e a degradação e destruição de habitats úmidos têm provocado o declínio e mesmo o desaparecimento de algumas populações. Além destes fatores, os atropelamentos são também uma ameaça para esta espécie.

Habitat: A sua presença está associada a uma grande variedade de habitats aquáticos, tais como lagos, albufeiras, pântanos e charcos, mas também pode ser observada a vários quilômetros de distância da água, já que para a hibernação e posturas precisa de locais secos. Sendo boa nadadora, pode manter-se submersa durante períodos superiores a 15 minutos.

Alimentação: Alimenta-se na água de peixes, rãs, relas, sapos, tritões e insetos aquáticos. Por vezes também caça invertebrados e micro mamíferos em terra.

Inimigos naturais: Entre os inimigos naturais da cobra-d’água-viperina incluem-se garças, cegonhas, águias,mochos, cobras, o ouriço, a lontra e o toirão.

Reprodução: Esta cobra tem dois períodos reprodutores, um na Primavera e outro no Outono, embora este último não seja tão importante e afete menos os indivíduos. A cópula pode durar mais de uma hora. A fêmea põe entre 4 e 24 ovos em galerias, raízes ou debaixo de pedras. Os ovos são brancos e medem cerca de 3 por 1,5 cm. A incubação dura entre um mês e meio e 3 meses e as primeiras eclosões dão-se em Agosto. Enquanto que as fêmeas só atingem a maturidade sexual aos 4 ou 5 anos de idade, os machos podem reproduzir-se a partir dos 3 anos.

Atividade: Está inativa entre Novembro e Março, mas não se trata de uma verdadeira hibernação, uma vez que nos dias mais quentes deste período pode sair do seu refúgio (raízes, pedras, madeira, etc.) para apanhar sol.É fundamentalmente diurna, mas durante o Verão também pode apresentar alguma atividade crepuscular e noturna.

Curiosidades

Quando se sente ameaçada, esta espécie adota uma postura idêntica à das víboras, dilata as mandíbulas para que a cabeça pareça triangular (como a das víboras) e emite sons (sibilos).

Este comportamento ajuda a manter alguns predadores afastados, com receio de serem mordidos por uma víbora venenosa.

Outros mecanismos de defesa incluem fingir que está morta e a libertação de secreções fétidas das glândulas cloacais.

Classificação

Nome científico: Liophis miliaris 
Nome popular:
 Cobra-D’água
Nome inglês:
Water snake
Reino:
Animalia
Filo: Chordata
Classe:
 Reptilia
Ordem: Squamata
Família: Colubridae
Gênero:
Natrix
Espécie:
N. maura
Habitat: Cerrado e Mata Atlântica
Hábitos: Diurnos
Distribuição:
América do Sul
Habitat: Cerrado e Mata Atlântica
Hábito: Diurno
Particularidades: Esta espécie é muito dócil e geralmente foge assim que perturbada.

Cobra-D’Água – Fotos

Fonte: www.wisegeek.org/www.biokids.umich.edu/www.britannica.com/mundo-animal.fandom.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aracnídeos

PUBLICIDADE Definição Os aracnídeos (classe Arachnida), qualquer membro do grupo de artrópodes que inclui aranhas, …

Anaconda

Anaconda

PUBLICIDADE O que é uma Anaconda? Uma anaconda é uma cobra grande e não venenosa. Vive principalmente …

Tigre de Sumatra

PUBLICIDADE O que é um Tigre de Sumatra? Um tigre de Sumatra é uma espécie …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.