Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Tamanduá-bandeira  Voltar

Tamanduá-Bandeira

Tamanduá Bandeira

Nome científico: Myrmecophaga tridactyla.

Nome em inglês: Giani Anteater.

Ordem: Edendata.

Família: Myrmecophagidae.

Habitat: Campos, florestas.

Distribuição geográfica: Belize, Guatemala até a América do sul (Equador, Colômbia, Venezuela, Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai e Brasil.

Características: Pelagem cinza com uma diagonal preta bordejada de branco, estendendo-se até o peito, sobre os ombros em direção às costas. O adulto pesa aproximadamente de 16 a 23 Kilogramas. A enorme cauda é um tufo de pelos. Tem as patas providas de longas garras e sua língua mede de 30 a 40 cm, que serve para capturar seu alimento.

Gestação: Aproximadamente 190 dias.

Número de filhotes: 01.

Alimentação: Formigas e cupins (ovos, lagartas e adultos).

Curiosidades: Sua marcha é vagarosa, dificultada pelas garras que são voltadas para dentro, evitando o desgaste das unhas no contato com o solo, pois é com elas que escava os formigueiros e rompe os duríssimos cupinzeiros.

Alerta: Sua extinção deve-se à destruição de seu habitat.

Fonte: www.viaje.curitiba.pr.gov.br

Tamanduá Bandeira

Ele é um mamífero quadrúpede assim como a vaca, o cavalo ou o cachorro. Mas nenhum bicho desse mundo pode ser confundido com um tamanduá: o bico fino e comprido, o corpo peludo e magro e o rabo que parece um espanador de pó fazem do tamanduá um bicho muito diferente.

Mais impressionantes são os hábitos alimentares desse bicho: o tamanduá é um aspirador de formigas. Como não é preciso muito esforço para comer formigas (e também cupins, que eles adoram), os tamanduás são banguelas, não têm nenhum dente na boca comprida e fina. E olhe que não ter dentes é coisa rara entre os mamíferos! Eles quase sempre possuem mandíbulas com duas fileiras de dentes. Para aprisionar os insetos, o tamanduá usa a sua língua fina, comprida e gosmenta.

Trabalho mesmo o tamanduá tem para abrir o formigeiro e o cupinzeiro. Para isso ele usa as garras das patas dianteiras, que normalmente têm três dedos. O esforço vale a pena: eles chegam a comer até 30 mil formigas por dia!

Um tamanduá normalmente mede 1,20 metro de comprimento. A longa cauda pode ter quase o mesmo tamanho do corpo: de 60 a 90 centímetros. Eles vivem nas florestas e no cerrado de toda a América do Sul e são muito comuns no Brasil (tamanduá-açu, tamanduá-grande, tamanduá-cavalo, jurumim, tamanduá-mirim, tamanduá-de-colete, papa-formiga).

Dentre todas as espécies de tamanduás do Brasil, existe uma que está em extinção: o Myrmecophaga tridactyla ou tamanduá-bandeira. As fêmeas desse tamanduá têm um filhotinho por vez, quase sempre na primavera. Por ser muito pequeno e frágil, o filhote é carregado nas costas da mãe até cerca de um ano de idade. Depois eles crescem, viram exterminadores de formigas e cupins e podem viver por até 25 anos.

Tamanduá Bandeira

Fonte: www.canalkids.com.br

Tamanduá Bandeira

Tamanduá Bandeira

O tamanduá bandeira é um animal muito engraçado, que não possui dentes e se alimenta de formigas, cupins e larvas de besouro. Seu bico comprido faz com que ele pareça um aspirador. Ele chega a comer mais de 30.000 insetos por dia. Sua língua longa e coberta com uma saliva pegajosa facilita o seu trabalho na hora de se alimentar. Os insetos grudam nela com muita facilidade e rapidamente são engolidos.

O único momento em que o tamanduá bandeira é visto em companhia de algum animal de sua espécie, é na hora do acasalamento e da amamentação (no caso das fêmeas que têm um filhote por ano). Ele é totalmente solitário e fica dormindo a maior parte do dia em lugares escondidos e cobertos com a própria cauda.

Infelizmente, o tamanduá bandeira é um animal ameaçado de extinção. Estão querendo acabar com ele! Você sabe por que isso acontece? Porque o cerrado, que é seu habitat natural, está sendo destruído e também por causa das caças que os homens ficam planejando contra os pobrezinhos. Além de tudo isso, as queimadas também são fatais para os tamanduás, pois seu pêlo é altamente inflamável, pega fogo rapidamente.

É preciso, urgentemente, pensar em uma solução para evitar que o homem destrua todas as espécies de tamanduá bandeira que ainda existem. Uma solução seria sua criação em cativeiros, ou seja, cuidado pelo homem sem nenhuma liberdade. Mas isto é impossível no caso do tamanduá bandeira, pois não haveria a quantidade e o tipo de insetos de sua preferência. Ele iria se alimentar muito mal e ficaria muito fraquinho, correndo o risco de ficar doente toda hora. É uma pena!

Fonte: www.pequenoartista.com.br

Tamanduá Bandeira

Tamanduá Bandeira

Ordem: Xenarthra

Família: Myrmecophagidae

Nome popular: Tamanduá-bandeira

Nome em inglês: Giant anteater

Nome científico: Myrmecophaga tridactyla

Distribuição geográfica: América Central e América do Sul

Habitat: Campos e cerrados

Hábitos alimentares: Insetívoro

Reprodução: Gestação de 190 dias

Período de vida: Aproximadamente 15 anos

Os tamanduás, juntamente com os tatus e os preguiças pertencem à Ordem Xenarthra, que significa “articulação diferente”. Os tamanduás são os únicos mamíferos que não possuem dentes, enquanto que seus “parentes” tatus e preguiças possuem dentes incompletos, sem a presença de esmalte. Animais adultos podem pesar até 60kg e medir 1,2 m mais a cauda de quase 1,0 m. Apresentam uma coloração acinzentada, com faixas diagonais pretas com as bordas brancas.

Suas características mais marcantes são o focinho longo e fino e a cauda em forma de bandeira, o que lhe conferiu o nome comum.Possuem hábitos crepusculares e solitários, sendo que se os casais encontram-se somente na época do período reprodutivo. Possuem garras muito desenvolvidas nas patas dianteiras, que servem para destruir cupinzeiros, sua principal fonte de alimentação. Estima-se que um animal adulto se alimenta de aproximadamente 35000 insetos por dia.

Em cativeiro os animais recebem uma “papa” a base de leite de soja, ração de cachorros, carne moída, ovos cozidos, frutas e complementos vitamínicos e minerais. Cupins são oferecidos sempre que possível. Os Tamanduás bandeira estão ameaçados de extinção, uma vez que ocupam o cerrado, um dos ecossistemas mais vulneráveis.

No Zoológico de São Paulo já nasceram vários filhotes, alguns criados por suas próprias mães, outros na creche do Zôo, quando a mãe, ainda inexperiente, abandonava seu filhote. Estes nascem com aproximadamente 1,2 kg, com olhos abertos e passam aproximadamente 1 ano agarradinhos no dorso da mãe, onde encontram calor, proteção e alimentação.

Fonte: www.cpap.embrapa.br

Tamanduá Bandeira

Tamanduá Bandeira

O tamanduá-bandeira é um desdentado encontrado no Brasil, nos campos e Cerrados.

Sua pelagem é grossa, dura e mais longa na cauda. Tem um comprido focinho cilíndrico com uma língua pegajosa de 60 cm. Seu olfato, 40 vezes mais eficiente que o do homem, compensa sua visão deficiente.

Possui garras poderosas, usadas para escavar os rígidos termiteiros. As longas garras dianteiras impedem que o tamanduá-bandeira caminhe com os dedos voltados para frente, por isso, ele anda sobre os pulsos, com os cinco dedos voltados para dentro. Estas garras são potentes armas de defesa contra seus predadores (onça e suçuarana) e sua força deu até origem à expressão popular "abraço de tamanduá".

Alimenta-se de formigas, cupins e larvas de besouros. Ele escava os termiteiros e com sua língua longa e pegajosa, atinge o interior dos mesmos, extraindo deles os ovos, as larvas e os cupins adultos. Um tamanduá-bandeira chega a devorar mais de 30.000 insetos por dia.

Os cupins removem o subsolo e o utilizam para a contrução de sua casa. Durante este processo, nas paredes dos termiteiros são fixados nutrientes não encontrados na superfície; além disto, a atividade dos cupins no interior de seu ninho incorpora muita matéria orgânica. Quando o termiteiro é destruído pelo tamanduá, os nutrientes e matéria orgânica são espalhados pela superfícies e aproveitados por microorganismos e plantas, renovando a biomassa do Cerrado.

Após uma gestação de 190 dias, nasce apenas um filhote com cerca de 1,3kg. A mãe carrega seu filhote nas costas até um pouco depois do desmame (de 6 a 9 meses). Ela o acompanha até a próxima gestação, quando então o filhote passará a viver sozinho. O tamanduá-bandeira é um animal solitário. Raramente é visto aos pares, exceto durante a amamentação ou o acasalamento.

São animais não-territoriais mas costumam vagar por uma área de aproximadamente de 9.000ha.

São ativos durante o dia e à noite, dependendo da temperatura do ambiente, das chuvas e da proximidade com núcleos urbanos. Nadam bem e apesar desta espécie de tamanduá não ser tipicamente escaladora de árvores, escalam muito bem quando em fuga ou em situações de perigo.

É um animal ameaçado de extinção, principalmente pelo homem. Com o crescimento da população humana e o avanço da agropecuária no Cerrado, o habitat natural desse animal está sendo destruído. A caça também reduziu significativamente sua população. As queimadas criminosas também são fatais ao tamanduá-bandeira, pois seu pêlo é altamente inflamável.

Em cativeiro, a longevidade deste animal é reduzida pois não tem à sua disposição a quantidade e o tipo de insetos de sua preferência. Alimentando-se mal, fica mais vulnerável.

Fonte: www.brasilnature.com

Tamanduá Bandeira

Tamanduá Bandeira

Nome popular: Tamanduá-bandeira, iurumi
Nome científico: Myrmecophaga tridactyla
Quanto vive: 15 anos e o "vovô" dos tamanduás viveu 19, num zoológico de Ohio, Estados Unidos
Quanto pesa: 30 quilos
Onde vive: Cerrados da América Central à Argentina
O que come: Cupim, formigas, ovos, larvas de insetos
Filhotes: Um, que nasce após gestação de 190 dias

O tamanduá-bandeira é da Ordem dos Edentata, que quer dizer sem dentes. Ele nem precisa mesmo de dentes, porque só come insetos pequenos, que engole sem mastigar. Para conseguir sua comida, o tamanduá usa as fortes unhas que tem para abrir um cupinzeiro, onde enfia a língua de dois palmos de comprimento, fininha e coberta de uma saliva grudenta. Os cupins grudam na língua e o tamanduá a recolhe, para engolir o almoço.

O tamanduá enxerga mal, escuta mal, mas tem um olfato muito bom, 40 vezes melhor que o nosso. E o nariz dele é tão importante que, para protegê-lo, o tamanduá esconde a ponta do focinho embaixo da grande cauda, quando vai dormir.

Embora ficando raro porque o cerrado onde vive está sendo transformado em plantações de soja, o tamanduá-bandeira deve sobreviver em cativeiro, pois se reproduz bem nos zoológicos. Mesmo quando a fêmea não sabe bem como tratar do filho e o abandona, ele é criado na mamadeira, mas nesse caso os tratadores dão um bicho de pelúcia para o filhote, no qual ele fica agarrado, usando-o como substituto da mãe ausente.

Fonte: www.jperegrino.com.br

Tamanduá Bandeira

Tamanduá Bandeira

Vive em florestas e cerrados, das Américas Central e do Sul, inclusive no Brasil. É a maior espécie dentro do grupo, pesando até 40 kg. É um animal facilmente reconhecível devido a sua cauda de pêlos longos e densos, que tem a forma de uma bandeira e que, às vezes, pode ser do mesmo tamanho do corpo.

Quando anda, tem sempre o focinho próximo ao chãoo para farejar alimento, e as mãos tocam o chão de lado por causa de suas longas unhas que são voltadas para dentro. Para dormir, procura por um local seguro, onde se deita com a cabeça entre as pernas e com a cauda cobrindo todo o corpo e a cabeça, de forma que, entre as folhagens da mesma cor de seus pêlos, fica quase imperceptível. Seu focinho e sua língua afilados, o ajudam a capturar seu alimento preferido, os cupins.

Podem comer 30.000 cupins num único dia. Além dos cupins e formigas, alimentam-se também de ovos, larvas de insetos e frutas. O período de gestação é de cerca de seis meses e nasce apenas um filhote, que é carregado nas costas da mãe, até que ela engravide novamente.

Fonte: br.geocities.com

Tamanduá Bandeira

Tamanduá- bandeira: espécie ameaçada

Nome científico: Myrmecophaga tridactyla

Onde vive: florestas, savanas e cerrados das Américas do Sul e Central

Quanto pesa: Até 29 kg

Filhotes: 1 por gestação

É cauteloso, pacífico e solitário. Defende-se com as fortes garras das patas dianteiras. O tamanduá bandeira passeia calma e tranqüilamente com seu longo focinho cônico voltado para o chão. Seu olfato bem desenvolvido vai levá-lo fielmente ao alvo: formigas. Uma vez encontrado o formigueiro, o tamanduá cava a terra com suas fortes garras e mete o focinho no buraco. Sua língua pegajosa, de mais de meio metro de comprimento, explora as galerias do formigueiro.

Depois de pegar um número grande de formigas, o tamanduá recolhe a língua. Come 30 mil insetos por dia. Seu principal alimento são as formigas, os cupins e larvas. Come também vermes e pequenas centopéias.Mede até 120 centímetros mais de 90 centímetros de cauda. Sobe bem nas árvores e é capaz de nadar. O tamanduá não possui dentes, caça de dia nos campos cerrados e nas florestas da América Central e do Sul, desde a Guatemala até a Argentina.

Quando próximo das cidades, ele sai principalmente à noite. Na primavera, a fêmea dá à luz um filhote que carrega nas costas até cerca de um ano de idade.A média de vida é de 15 anos.

Fonte: www.linkscampeoes.com.br

Tamanduá Bandeira

Mamíferos Família: Cofagídeos

Ordem: desdentados

Tamanho: Entre 1 e 1,9 m Peso: 22 a 39 kg

Descrição

Tamanduá é um nome genérico que abrange as várias espécies da família dos Mirmecofagídeos, sendo o tamanduá bandeira a maior e mais característica das espécies.

Tem o corpo robusto, comprimido lateralmente; cauda peluda como se fosse uma enorme bandeira que lhe serve de coberta à noite, quando se aninha para dormir; a cabeça termina em um peculiar focinho tubular; seu colorido é cinzento carregado onde uma zona quase preta, orlada por uma listra branca, estreita, estende-se do pescoço e do peito, para as costas. Os pés são providos de longas garras (4 nas mãos e 5 nos pés) para abrir formigueiros e cupinzeiros. Sua língua é extensível (chega a 30 ou 40 cm) e viscosa, com a qual captura uma infinidade de insetos, formigas, cupins e larvas, sendo por isso de grande utilidade.

Distribuição

Vive nas estepes , savanas e zonas de bosques da América Central e do Sul. Evita matas pois não sabe trepar nas árvores.

Comportamento

É solitário de hábitos terrestres, tanto diurnos quanto noturnos. Sua audição é bastante aguçada e pode detectar à boa distância a presença de inimigos como pumas e jaguares e os enfrenta com suas fortes e armadas patas dianteiras.

Alimentação

Caminha muito e se alimenta de vários cupinzeiros e formigueiros durante o dia. Ingere em cada um uma quantidade limitada de insetos, evitando assim o desperdício de alimento. Sua área de deslocamento, dependendo da oferta de comida, pode variar entre 1 e 25 km quadrados.

Reprodução

Dependendo da área geográfica, a época de reprodução pode variar. A gestação dura aproximadamente 190 dias e geralmente nasce apenas uma cria. Os filhotes são amamentados durante várias semanas, período em que a mãe os leva nas costas. Às vezes, a mãe costuma abandonar a cria. Atingem a maturidade sexual entre os 2 anos e meio e os 4 anos de idade. Seu risco de extinção se deve ao fato de estarem perdendo o seu hábitat para a agricultura.

Fonte: www.animalnet.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal