Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Baleia-de-cuvier  Voltar

BALEIA-DE-CUVIER

BALEIA-DE-CUVIER

NOME POPULAR: Baleia-de-Cuvier, Baleia-bicuda-de-Cuvier
NOME CIENTÍFICO: Zyphius cavirostris
TAMANHO: 7.5 metros de comprimento
PESO: 3 toneladas

Da família da Ziphiidae. Podem ser encontradas em todos os oceanos, em águas tropicais e temperadas. No litoral brasileiro, já foram registrados aparecimentos no Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia, Pernambuco, Paraíba e Fernando de Noronha. Suas principais características são, corpo longo e robusto. Cabeça pequena, sem distinção nítida do rosto, seu orifício respiratório é em forma de meia-lua. Suas nadadeiras peitorais são pequenas e a nadadeira dorsal deslocada para a região caudal do corpo.

Pode realizar mergulhos profundos e ficar submersa por mais de 40 minutos. Sua dieta é basicamente de lulas, peixes de águas profundas e ocasionalmente de crustáceos.

Possui corpo longo e robusto com a cabeça pequena, sem uma definição nítida do pequeno bico. A nadadeira dorsal pode ser triangular ou falcada e localiza-se após o centro do dorso. Possui dois sulcos em forma de "V" na região da garganta. Possui apenas dois dentes na mandíbula, que são visíveis mesmo quando o animal está com a boca fechada.

Sua gestação dura aproximadamente 16 meses, nasce apenas uma cria com cerca 2,5 metros.
Alimentam-se de lulas e peixes, ocasionalmente crustáceos e peixes.
Sofrem a caça por parte dos japoneses no Pacífico norte.

Fonte: www.pick-upau.org.br

Baleia de Cuvier

Baleia de Cuvier

Os cetáceos odontocetos da espécie Ziphius cavirostris (Cuvier, 1823), conhecida como baleia bicuda de Cuvier, são animais robustos com pequenas nadadeiras peitorais e dorsais; de cor cinza escuro ou marrom claro, com cabeça constantemente pálida e pequenas manchas circulares ou ovais esbranquiçadas espalhadas pelo corpo; ligeira concavidade no topo da cabeça que se acentua conforme o animal envelhece, bico pouco definido, pequena abertura oral e um único par de dentes cônicos na extremidade das mandíbulas que só irrompem em indivíduos machos São considerados cosmopolitas, sendo encontrados em águas tropicais e temperadas de todos os oceanos, com exceção de áreas de águas rasas e de latitudes polares muito altas. Podem ser avistados em muitos mares fechados como no Golfo da Califórnia, Golfo do México, Mar do Caribe, Mar Mediterrâneo e perto de locais com profundidade maior que 200 metros, mantendo-se preferencialmente próximos ao talude continental e alimentando-se principalmente de lulas de águas profundas, além de peixes e crustáceos.

Seu comportamento é considerado discreto e podem ser encontrados sozinhos ou em pequenos grupos compostos de dois a sete indivíduos. Não possuem valor comercial, sendo eventualmente pegos por redes de pesca nas ilhas do Caribe, Indonésia, Taiwan, Peru e Chile. A única ameaça conhecida por causar mortalidade em massa da espécie seria a pratica de exercícios navais com uso de sonar, comuns nas Bahamas, Caribe, Ilhas Canário e no Mar Mediterrâneo.

Parecem ser particularmente vulneráveis a esses eventos, embora a causa exata não seja conhecida. Os sonares parecem causar a formação de bolhas no sangue quando retornam do mergulho profundo para a superfície. O primeiro exemplar da espécie foi encontrado na Ilha da Trindade, uma Ilha Vulcânica a 1.167 km do continente Sul-Americano situada no Oceano Atlântico, pertencente ao Estado do Espírito Santo, Sudeste do Brasil.

Baleia de Cuvier

Fonte: www.biotemas.ufsc.br

Baleia de Cuvier

A baleia bicuda de Cuvier tem um bico curto em comparação com as outras espécies em sua família. Sua cabeça é pequena e não há definição nítida do seu pequeno bico. Na sua garganta há dois sulcos em formato de “V”. Parte do seu corpo varia: alguns são cinza escuro, outras em tons acastanhados. A barbatana dorsal varia em forma de triangular para altamente falciforme. A casualidade da baleia é de cerca de um quarto do comprimento do corpo.

A baleia cresce aproximadamente 7 metros (23 pés) de comprimento, sendo seu comprimento máximo de 7.5 metros. Pesa cerca de e a 3 toneladas. Vivem em média 30 anos, porém há registros de baleias que viveram 50 anos. A gestação da baleia bicuda de cuvier dura aproximadamente 16 meses e o nascimento é de apenas uma cria que mede aproximadamente 2.5 metros. Sua alimentação é à base de peixes, lulas e crustáceos.

Habitat e Extinção

Baleia de Cuvier

As baleias bicudas são encontradas em águas tropicais e temperadas dos oceanos e são cosmopolitas. Sua escala é conhecida principalmente a partir de encalhes. É muito divulgada em todo o Atlântico, Pacífico e Índico. No litoral brasileiro, já se registram aparecimentos no Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Bahia, Paraíba e Fernando de Noronha. Recentemente, há registro de encalhamento de uma baleia bicuda de cuvier nas margens da praia de Iracema.

As águas profundas são as preferidas como seus habitat. As baleias bicudas também podem ser sensíveis ao ruído. A maior incidência de encalhes foi gravado em mares ruidosos, como o Mediterrâneo. Formam grupos de três a dez e podem realizar mergulhos bem profundos e chegam a ficar submersas por aproximadamente 40 minutos ou mais.

São exemplares ameaçados de extinção como as outras espécies, principalmente pelas caças realizadas pelos japoneses no Pacífico Norte.

Segue abaixo sua classificação científica:
Reino: Animália
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Cetácea
Subordem: Odontoceti
Família: Ziphiidae
Gênero: Ziphius

Fonte: animais.culturamix.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal