Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Baleia Falsa Orca  Voltar

Baleia Falsa Orca

 

Pseudorca crassidens

Origem do nome científico: Do grego pseudos (falso), e do latim orca (tipo de baleia), crassus (grosso) e dens (dente) - referência aos grossos dentes da espécie

Hábitat

Oceânico/Costeiro

Distribuição

Cosmopolita. Ocorre em águas temperadas quentes, subtropicais e tropicais.

Registros

Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Bahia, Paraíba, ilha da Trindade. Encalhe em massa: Em janeiro de 1994, cinco espécimens encalharam a cerca de 13km ao sul da desembocadura da Lagoa do Peixe e em junho de 1995, 14 falsas-orcas encalharam no litoral sul.

Lista de Identificação / Principais características:

· Coloração quase inteiramente preta (indivíduos juvenis são mais claros), exceto nas áreas claras da garganta, peito e ao longo da linha ventral. Apresenta uma comprida mancha que varia de cinza a esbranquiçada, em forma de âncora, posterior a garanta e peito, que vai estreitando-se e pode estender-se a abertura genital. A cabeça negra pode apresentar em algumas áreas tonalidades mais claras dependendo da iluminação

· Corpo comprido e delgado. Pode apresentar marcas e cicatrizes

· Cabeça pequena, arredondada ou moderadamente cônica. Ausência de rostro (bico)

· Linha da boca comprida e reta

· Nadadeira dorsal proeminente, delagada e falcada localizada no centro do dorso

· Nadadeiras peitorais largas na base, longas e estreitas, com uma curva parecendo um cotovelo e com as extremidades pontudas

· Nadadeira caudal pequena em relação ao corpo, delicadamente pontuda na extremidade

· Piolhos-de-baleia podem ser encontrados aderidos na superfície da pele

· Nº de dentes: 14 - 22 / 16 - 24

Comprimento máximo: 6 m / 5m

Peso: 1,36 ton

Comportamento

O seu nome comum não é proveniente da similaridade da aparência externa com orcas mas sim de semelhanças da morfologia do crânio dessas duas espécies. Existem algumas evidências de variação geográfica na morfologia do crânio, embora nenhuma subespécie seja atualmente reconhecida. Espécie gregária. Ocorre tipicamente em grupos de 10 a 20 indivíduos.

Esses grupos geralmente pertencem a um grande bando composto por centenas de animais. A forte unidade social é evidente devido ao grande número de animais que usualmente encalham em massa. Nadadora rápida e ativa. Normalmente, exibe toda a cabeça e grande parte de seu corpo quando na superfície da água. Algumas vezes até as nadadeiras peitorais são visíveis. Freqüentemente emerge com a boca aberta, revelando seus dentes. Aproxima-se de barcos para investigar, nadar em suas proas ou nas ondas por eles produzidas. Salta claramente fora da água e bate com suas nadadeiras caudais na superfície. São notórias pela indústria pesqueira por "roubar" peixes de valor comercial dos espinhéis.

Sua ocorrência na baía da Ilha Grande é considerada rara.

História Natural

Ambos os sexos tornam-se sexualmente maturos com idades variando entre oito e 14 anos, embora existam algumas evidências que os machos tornam-se maturos mais tarde. O intervalo entre as crias é de quase sete anos. Nascimentos ocorrem ao longo do ano. O período de gestação varia de 11 a 15,5 meses

Comprimento no nascimento: 1,6 - 1,9m

Peso: Não determinado

Longevidade: ? - 58 anos ? - 63 anos

Predadores naturais: Não são conhecidos mas acredita-se que grandes tubarões possam ser

Dieta: Lulas, polvos, peixes (ocasionalmente outros cetáceos)

Ameaças: Enredamento, captura acidental em espinhel, distúrbios humanos e poluição química

Outros nomes vernaculares : Pseudorca, chati (pescadores de atum e espadarte no sul e sudeste do Brasil)

Fonte: www.projetogolfinhos.com.br

Baleia Falsa Orca

Nome Popular: Baleia Falsa Orca
Nome científico: Pseudorca crassidens
Tamanho: 5 metros de comprimento
Peso: 2.2 toneladas

A falsa orca possui um corpo longo e delgado. A cabeça é pequena e de forma oval. A boca é longa e curva, formando um sorriso permanente. Sua coloração é quase toda preta, interrompida apenas por uma mancha cinza-clara em forma de âncora, no ventre (entre as nadadeiras peitorais), e por outras manchas claras que podem existir nos lados da cabeça. Apresenta de 16 a 22 pares de grandes e grossos dentes. Os machos costumam serem maiores que as fêmeas. Sua gestação dura aproximadamente 15 meses, nasce apenas uma cria medindo entre 1,5 e 1,8 metros. A fase de amamentação pode chegar a 18 meses e podem viver até 22 anos.

Baleia Falsa Orca

Como a orca verdadeira alimenta-se, comendo animais de sangue quente, inclusive outros cetáceos, mas, em geral, alimenta-se de lulas e peixes grandes, como o atum. Podem ser encontrados em todos os oceanos, sobretudo em águas temperadas e tropicais de zonas oceânicas, embora, em águas frias, possa ser encontrada próximo à costa. No Brasil ocorre no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Espírito Santo Bahia e Paraíba. São constantemente ameaçadas pela competição com pescadores. No Japão, Taiwan, China e Ilhas do Caribe é capturada e utilizada para consumo humano. Nos Estados Unidos exemplares desta espécie são mantidos em cativeiro para shows acrobáticos.

Em geral, forma grupos de 10 a 50 indivíduos de ambos os sexos e todas as classes de idade, porém, já foram vistos grupos de centenas de animais juntos. Costuma encalhar em grupos de até centenas de animais, existindo fortes laços sociais entre os indivíduos dessa espécie. No Brasil, existe um registro de encalhe em massa, de 14 falsas-orcas (8 machos e 6 fêmeas), no Rio Grande do Sul em junho de 1995. No entanto, o encalhe em massa mais numeroso para a espécie ocorreu em Mar Del Plata, Argentina, em 1946, onde 835 animais vieram a morrer nas praias.

Fonte: www.pick-upau.org.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal