Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Bedlington Terrier  Voltar

Bedlington Terrier

 

O CARNEIRINHO

Ele tem a aparência de um carneiro, mas a valentia e a força de um lobo. Dono de um aspecto muito exótico e de um temperamento meigo e obediente, o Bedlington Terrier acabou conquistando muita gente

Ele tem a aparência de um carneiro, mas a valentia e a força de um lobo. Dono de um aspecto muito exótico e de um temperamento meigo e obediente, o Bedlington Terrier acabou conquistando muita gente. Este é sem dúvida um dos cães mais exóticos que existem. Seu aspecto pitoresco, que muito lembra uma ovelha, tem despertado a atenção e o interesse das pessoas pelo mundo afora. Tanto é verdade que além da Inglaterra, o país de origem da raça, hoje ela é criada em muitos outros como Holanda, Escandinávia, Estados Unidos e Argentina. No Brasil o Bedlington é ainda um cão bastante raro e, portanto, existem aqui poucos exemplares. Gracioso e com a aparência de frágil, este cãozinho pode facilmente enganar os desavisados. Na realidade, por trás dessa carinha de ovelha mansa está escondido um temperamento valente e decidido que, no passado, contribuiu para tornar a raça uma exímia caçadora de invejável combatividade.

CAÇADOR DE RATOS

Até hoje o aparecimento do Bedlington é um mistério. Não se sabe quais raças teriam entrado na sua formação. A única informação concreta é que ele surgiu na região de Northumberland, Inglaterra, mais precisamente no condado mineiro de Bedlington, de onde deriva seu nome. Lá, ele era utilizado como cão de caça, especificamente para exterminar os ratos das minas. Graças aos dentes muito fortes, o olfato apurado, a rapidez de reflexos e a grande coragem da raça, ela desempenhava esta tarefa com a maior perfeição. Conta também a lenda, que os mineiros e lutadores da época apostavam grandes quantias nas lutas entre Bedlingtons de suas respectivas criações. Este cãozinho, uma vez entrando em uma briga, era o mais digno lutador, pois nela permanecia até a morte.

COMPANHEIRO DOS NOBRES

Com o passar do tempo, através de acasalamentos sucessivos, a raça ganhou mais altura e pescoço, tornando-se um pouco maior e pesada, passou também a ser apreciada como cão de companhia. Assim, aos poucos, deixou a companhia dos operários das minas para passar a freqüentar as casas de elite e viver entre os nobres europeus. O Bedlington acabara, portanto, tornando-se um companheiro de primeira classe. Meigo, muito obediente e dono de um aspecto curioso, o Bedlington já conquistou a admiração de muitos criadores. Além de tudo, a raça não oferece maiores problemas de criação. É muito forte e resistente. Apenas requer alguns cuidados com a manutenção de sua pelagem. A atividade e a curiosidade são também marcas registradas da raça. Ciúmes do dono é também o que não falta neste cãozinho. Se você pretende adquirir um Bedlington, se prepare. Normalmente ele não gosta de dividir as atenções de seu dono, ainda mais se for com outra raça.

Fonte: www2.uol.com.br

Bendlington Terrier

Quando briga luta até a morte

Bedlington Terrier

O Bendlington Terrier é um cão de porte pequeno, muito ágil, musculoso e elegante. No passado era utilizado como cão de caça no combate aos ratos das minas de extração.

O jeito de "carneirinho" engana. Por trás, escondem-se a força e a valentia de um "lobo" que combina o aspecto exótico a um temperamento meigo e obediente de um cão de companhia.

A sua pelagem é uma mistura de pêlos macios e duros. Tende a cachear, principalmente na cabeça e na região das faces. A coloração encontrada é fígado, areia e azul, com ou sem marcação castanho.

Origem em História

Era anteriormente conhecido como Rothbury Terrier e com este nome se originou nas colinas de Hannhs, onde os fazendeiros amavam o esporte da caça com terriers.

Em 1820, Mr. Joseph Ainsley, morador de Bedlington (Inglaterra) adquiriu uma cadela de nome "Coates Phoebe". Em 1825 ela foi acasalada com um macho chamado "Anderson's Piper" e o resultado desta união foi o cão "Ainsley's Piper", considerado o primeiro exemplar a ser chamado por Bedlington Terrier, em função do nome da colônia.

Tanto Piper como sua mãe eram consideravelmente mais leves e mais baixos que os Bedlingtons de hoje. Mas é sabido que Piper com oito meses começou a caçar texugos, raposas, lontras e nunca mais parou. Aos 14 anos, já com falta de dentes e quase cego, ainda conseguiu capturar um texugo depois de vários outros terriers terem fracassado.

Bedlington Terrier

Muitas raças foram usadas na sua formação, mas sempre houve admiradores que se ativeram à raça original. Em 1877 foi formado o clube da raça na Inglaterra e estes criadores dedicados foram os responsáveis pelo melhoramento do tipo e também pela sua divulgação através de exposições.

Nos primeiros tempos em Bedlington os entusiastas da raça promoviam brigas entre esses terriers e apesar de não serem naturalmente briguentos quando se envolvem em uma luta combatem até a morte.

Com o tempo a elite o adotou e ele se tornou um companheiro de primeira classe. Não demorou para ele se tornar um pet, devido a sua adorável natureza e grande coração.

Fonte: www.petfriends.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal