Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Bull Terrier - Página 6  Voltar

Bull Terrier



História da raça

Bull Terrier

No ano de 1800, na Inglaterra, as brigas de cães estavam na moda. Organizavam-se combates de cães contra ursos, touros, leões, macacos, ratos, em fim tudo tipo de animais tanto selvagens como domésticos.

Qualquer cão que demonstrasse coragem e valentia servia para entrar no ringe da morte, aonde além das vidas jogava-se muito a dinheiro.

O predomínio do Buldogue Inglês em todas elas era evidente. Mas estamos falando de um cão muito diferente ao Buldogue de nossos dias tanto no aspecto físico como no psicológico.

A única coisa que ainda conserva o mesmo é o seu nome.

Bull Terrier

Em 1835, o parlamento Inglês proibiu as brigas entre animais. As brigas contra os touros (Bull-baitings), e contra os ursos (bear-baitings), tinham os seus dias contados, o mesmo que contra outros animais de grande porte.

Bull Terrier

As brigas entre cães por serem mais fáceis de se encobrir, continuaram mantendo-se clandestinamente. (dog-fightings).

Seu reinado durou até 1862, quando um criador da Cidade de Birmingham chamado James Hinks, apresentou na exposição de Londres (Cremone Dog Show) a sua cadela "Puss" fruto do cruzamento do "Bull and Terrier" com "White English Terrier". Para ganhar um pouco de elegância e estética, ele tinha introduzido na linha de sangue o "Dálmata".

Alguns anos mais tarde, depois da intervenção de outras raças como o "Greyhound", o "Foxhound" e o "Spanish Pointer", Hinks criou uma nova raça a que chamou "Bull Terrier". Daí em diante a raça ganhou amantes e apaixonados em vários países do mundo ganhando a notoriedade que hoje mantém em inúmeros centros de criação.

Esta é uma foto que se conserva de James Hinks, considerado como o primeiro criador da raça.

Padrão da raça Bull Terrier

Bull Terrier
clique para ampliar

APARÊNCIA GERAL

De construção forte, musculoso, bem balanceado, ativo com uma expressão viva, determinada e inteligente. Uma característica única é sua cana nasal descendente e a cabeça em forma de ovo. Independente do tamanho, os machos devem parecer masculinos e as fêmeas femininas.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO

O Bull Terrier é o gladiador das raças caninas, corajoso e fogoso. De temperamento equilibrado e fácil de ser disciplinado. Embora obstinado, é particularmente bom com as pessoas.

CABEÇA

Longa, forte e profunda até o final do focinho, jamais grosseira. Vista de frente, tem a forma de ovo e é completamente cheia; sua surperfície é livre de cavidades ou recortes. O perfil se curva suavemente para baixo, do topo do crânio até a ponta da trufa.

REGIÃO CRANIANA

Crânio

O topo do crânio é quase plano de orelha a orelha.

REGIÃO FACIAL

Trufa

Deve ser preta, bem inclinada para baixo na ponta. Narinas bem desenvolvidas.

Lábios

Bem ajustados e limpos.

Maxilar / Dentes

Mandíbula profunda e forte. Dentes saudáveis, bem ajustados, fortes, de bom tamanho, com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura.

Olhos

De aparência estreita, obliquamente colocados e triangulares; bem profundos, pretos ou marrons o mais escuro possível, de maneira a parecer quase preto, com uma expressão penetrante. A distância, dos olhos até a ponta do nariz, deve ser, perceptivelmente maior que a dos olhos ao topo do crânio. Olhos azuis ou parcialmente azuis são indesejáveis.

Orelhas

Pequenas, finas e colocadas próximas. O cão deve portá-las rigidamente eretas.

PESCOÇO

Muito musculoso, longo, arqueado, afinando dos ombros à cabeça e livre de pele solta.

TRONCO

Bem arredondado, com nítido arqueamento das costelas e grande profundidade da cernelha ao esterno, de maneira que este fique mais próximo do solo.

Dorso

Curto, forte, com a linha superior atrás do nível da cernelha arqueando ligeiramente sobre o lombo.

Lombo

Largo e bem musculoso.

Peito

Largo, quando visto de frente.

Linha inferior

Da ponta do esterno ao ventre, forma uma graciosa curva para cima.

CAUDA

Curta, inserida baixa e portada horizontalmente. Grossa na raiz afinando para a ponta.

MEMBROS

Anteriores

Devem ter uma forte ossatura redonda, a mais forte e robusta possível, de maneira que o cão possa ficar solidamente plantado e devem ser perfeitamente paralelos. Em cães adultos, o comprimento dos anteriores deve ser aproximadamente igual à profundidade do peito.

Ombros

Fortes e musculosos, sem serem carregados. Escápulas largas, planas e colocadas bem próximas da caixa torácica. Devem apresentar, debaixo para cima, uma nítida inclinação em seus bordos anteriores, formando um ângulo quase reto com o braço.

Cotovelos: retos e fortes.
Metacarpos: retos.
Posteriores: paralelos, quando vistos por trás.
Coxas: musculosas.
Joelhos: articulação bem angulada.
Jarretes: bem angulados.
Metatarsos: curtos e fortes.

PATAS

Redondas e compactas, com dedos bem arqueados.

MOVIMENTAÇÃO

Quando em movimento, o cão parece ter todas as suas partes bem integradas, cobrindo o solo com passos fáceis e regulares e com um típico ar garboso. No trote, os membros trabalham em planos paralelos. Quando a velocidade aumenta, as pegadas convergem para o eixo central. Os anteriores apresentam um bom alcance e os posteriores fornecem uma boa propulsão, pela ação compassada das ancas e pela flexão dos joelhos e jarretes.

PELE

Bem aderente.

PELAGEM

Pêlo: curto, assentado, denso, áspero ao toque e brilhante. O subpêlo pode estar presente no inverno.

COR

Nos brancos, pura pelagem branca. A pigmentação da pele ou marcações na cabeça não devem ser penalizadas. Nos coloridos, a cor predomina sobre o branco. O tigrado é preferido. Tigrado escuro, vermelho, castanho e tricolor são aceitáveis. Pequenas marcas na pelagem branca são indesejáveis. Manchas azuis e fígados são altamente indesejáveis.

TAMANHO

Não há limites para a altura e o peso, mas o cão deve dar a impressão de máxima substância para seu tamanho, em coerência com as suas qualidades e sexo.

FALTAS

Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

NOTA

Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

BULL TERRIER MINIATURA

O padrão do Bull Terrier Miniatura é o mesmo que o do Bull Terrier, com a seguinte exceção:

TAMANHO

A altura não deve exceder 35,5 cm. Deve dar uma impressão de substância ao tamanho do cão. Não há nenhum limite de peso. O cão deve ser, a todo momento, bem balanceado.

Fonte: www.clubedobullterrier.com.br

voltar 1234567avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal