Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Chow Chow  Voltar

Chow Chow



PADRÃO OFICIAL DA RAÇA CHOW CHOW

Transcrição do padrão distribuido pela CBKC (Confedaração Brasileira de Cinofilia)

Chow Chow
Chow Chow

1 - Focinho
2 - Cânio
3 - Stop
4 - Trufa
5 - Occipital
6 - Cernelha
7 - Dorso
8 - Lombo
9 - Garupa
10 - Raiz da Cauda
11 - Ísquio
12 - Coxa
13 - Perna
14 - Jarrete
15 - Metatarso
16 - Joelho
17 - Linha inferior
18 - Cotovelo
19 - Patas
20 - Linha de Solo
21 - Metacarpo
22- Carpo 23 - Braço
24 - Nível Externo
25 - Antebraço
26 - Ponta de esterno
27 - Ponta do Ombro
A - Profundidade do peito
B - Altura do cotovelo
A+B = Altura do cão na cernelha

Aparência Geral

Cão ativo, compacto, bem estruturado, lombo curto, acima de tudo pronunciado, de aspecto leonino, porte digno e orgulhoso, a cauda é claramente portada sobre o dorso.

Características

Língua de cor azul escuro, calmo, bom guardião, singular por seu andar curto e saltitante.

Cabeça

Crânio largo e achatado, stop moderado. Bem cheio sheio sob os olhos. Focinho de comprimento moderado e largo dos olhos até a ponta. A trufa é grossa e larga e sempre preta, com exceção nos exemplares cor creme e quase branca, para os quais a trufa de cor clara é admitida, e, nos azuis e fulvos, admiti-se a trufa da mesma cor do pêlo.

Olhos

Escuros, amendoados, bem pequenos e bem delineados. Nos exemplares azuis e fulvos admite-se olhos da mesma cor do pêlo. Os olhos devem ser perfeitos sem entrópio, mas jamais deverão ser penalizados em razão de tamanho.

Orelhas

Pequenas, espessas, extremidades levemente arredondadas, eretas, rígidas e bem afastadas, inseridas acima dos olhos, voltadas para a frente, ligeiramente convergentes, o que ao cão a expressão carateristica da raça de ar carrancudo. Essa expressão jamais deverá ser resultado do efeito do enrrugamento natural da testa.

Boca

Dentadura de dentes fortesa e bem alinhados: os maxilares são fortes e apresentam uma perfeita (a) em tesoura, regular(b) e completa(c), isto é, os incisivos superiores sobrepões-se tocando aos inferiores em contato justo e inseridos ortogonalmente ao maxilar. Alíngua é de cor azul escura, assim com os lábios e o palato. As gengivas são preferencialmente pretas.

(a) Perfeira - articulação em tesoura, onde os incisivos superiores ultrapassem os inferiores até a metade, tocando-os pela frente.

(b) Regular - com todos os incisivos alinhados

(c) Completa - todos os incisivos estão igualmente articulados em tesoura.

Pescoço

Forte, cheio, moderadamente curto, bem inserido nos ombros, ligeiramente arqueado.

Anteriores

Os ombros são musculosos e obliquos. Os membros anteriores são perfeitamente retos, de comprimento moderado, com boa ossatura.

Tronco

Antepeito largo e bem profundo. Costelas bem arqueadas, mas não em barril. Dorso curto, horizontal e forte. O lombo é robusto.

Posteriores

Musculosos, jarretes bem curtos com um mínimo de angulação, essencial para andar curto e saltitante característico do chow. Metetarso aprumado e o jarrete não se flexiona para a frente.

Patas

Pequenas, redondas, "pé de gato", aprumadas sobre os dígitos.

Cauda

Raiz inserida alta e portada completamente deitada sobre o dorso.

Movimentação

Passsada curta e saltitante. Os membros anteriores e posteriores se deslocam em planos paralelos.

Pêlo

Seja longo ou curto

A) Longo: muito abundante,denso, reto, eriçado. A textura do pêlo é tosca e a do subpêlo é suave e lanosa. A pelagem é particulamente densa em torno do pescoço, onde forma uma juba e na face posterior das coxas, em fartos culotes.

B) Curto: abundante, denso, reto; menos eriçdo que o longo; textura felpuda. Qualquer redução artificial do pêlo, modificando a silhueta natural do chow, deverá ser penalizada.

Côr

Pêlo de cor unicolor: preto, vermelho, azul, fulvo, creme ou branco; frequentemente com tonalidades, mas sem manchas ou de cores diversas. Sob a cauda e na face posterior das coxas a cor é, frequentemente mais clara.

Alturas

Na cernelha macho: 48 a 56 cm; fêmea: 46 a 51 cm

Faltas

Qualquer desvio dos termos dste padrão deverá ser consideradofalta e penalizada de acordo com a sua gravidade.

Nota

Os machos devem apresentar os dois testículos visivelmente normais, bem acomodados na bolsa escrotal.

Chow Chow
Chow Chow

ORIGENS DA RAÇA

A história da raça demonstra indícios de haver uma proximidade entre os ancestrais do Chow-Chow e dos cães mongóis. Consta, que o território outrora ocupado pelos Ainos (Povo antigo próximo à região Ártica), foi invadido foi por povos guerreiros e nômades (hunos, tártaros e mongóis). Esses povos usavam caninos grandes e ferozes (Molosso) para trabalhos auxiliares - Guarda de acampamento, tração, caça e como fator de intimidação do inimigo. A conseqüência dessa ocupação foi o cruzamento de raças distintas, o molossos dos nômades com os cães árticos dos ainos.

Chow Chow
Chow Chow

Após este período, os imperadores manchús impuseram à China um isolamento que perdurou por 3 séculos. Do século II A.C. até meados do século XIX, não se tem informações sobre cães, salvo citação no livro dos Ritos sobre a chegada do "Cão Tártaro".

O ideograma que simboliza o cão, já existia nas escrituras chinesas primitivas, provando que embora este animal não tivesse sua origem na China, ele fazia parte de seu cotidiano. O antepassado do Chow-Chow, considerado pelo Dr. Fernand Méry (fã da raça) como "um dos mais diretos descendentes do cão das turfeiras e das cavernas", foi companheiro dos imperadores manchús e da aristocracia. Num passado não muito distante, no século XIX, converteu-se num manjar muito freqüente (o nome "Chow" provêm do cantonês através do pidgin inglês e provavelmente significa "alimento"). Nota-se que, neste sentido, a língua violeta deste cão indicava que era comestível...

Chow Chow
Chow Chow

Esta prática, chocante para os nossos costumes, não tem nada de especial e o Chow-Chow não era o único cão cujo destino final era a panela. Era considerado normal, na China e em várias regiões da Indonésia e Extremo Oriente, que vários cães tivessem essa sorte (não só naquela época mas ainda hoje). O Chow-Chow aparentemente devia ser o mais apreciado, pois apresentavam grandes criações com finalidades declaradamente culinárias. O animal era abatido com 6 meses de idade, e para comprovar a autenticidade de sua carne, seu "pernil" era servido juntamente com sua pata. O gosto e a textura da carne era simular ao dos suínos.

O Chow-Chow era também um dos cães guardiães utilizados na China. A aristocracia Ts'ing possuía, além dos cães de colo como o pequinês, outros cães tão exóticos como aqueles, porém de maior tamanho e que serviam para a guarda. Isto foi confirmado através da descoberta do Shar-Pei feita pelos americanos.

A sua categoria de cão de combate, que permitiu a conservação da raça, tendo existido na China, no século passado, canis tradicionais de Chow-Chows destinados à luta. Este cão de aparência dócil, quando especificamente treinado para combate, não deve nada para raças denominadas agressivas. Esta referência histórica permite contradizer a idéia de que, na China Antiga, o Chow tinha sido um cão comum unicamente destinado a terminar nos balcões dos açougues.

A raça evoluiu muito nas mãos dos criadores ingleses do século XX, mas nem por isso deixou de ter todas as suas características originais. Tornou-se mais compacto, o pelo mais lustroso, o focinho alargou, a testa enrugou-se e o scowl (franzido das sobrancelhas) se desenvolveu, mas esta evolução não fez mais do que acentuar alguns traços preexistentes sem contudo modificar muito a silhueta do animal.

Assim, sabe-se que o primeiro par, trazido por um oficial da Companhia das Índias Orientais em 1780, não era constituído por dois Spitz atuais.

O aspecto singular dos primeiros exemplares atraiu as atenções: um artigo publicado na imprensa inglesa em 1820 menciona que entre as raridades trazidas com grande esforço da China figurava um Chow. Na mesma época, exemplares dessa raça eram expostos perante a curiosidade do público no Jardim Zoológico de Londres.

A verdadeira entrada do Chow-Chow na cinofilia ocidental deu-se em 1880, quando um exemplar chamado Chinese Puzzle foi exposto no Crystal Palace. Dez anos mais tarde, um outro exemplar causava um grande impacto na exposição de Brighton. No entanto, a raça era muito rara na Inglaterra, e The Kennel Club não inscreveu os primeiros Chow antes de 1894.

O padrão, então redigido pelo primeiro clube da raça (fundado em 1895), baseava-se numa descrição fiel do campeão Chow VIII, um macho vermelho importado diretamente da China. Depois redigiu-se um segundo padrão, com modificações essenciais em comparação ao primeiro, que a FCI corrigiu e divulgou.

TEMPERAMENTO

O Chow-Chow, que hoje é um cão de companhia e que no século passado era criado na China apenas pela sua pele e pela sua carne, antigamente era utilizado para fins muito diferentes.

Cão de guarda de palácios e residências senhoriais, era também um caçador (particularmente apreciado para a caça da zibelina na Ásia setentrional). Os japoneses, que por sorte salvaram algumas raças aparentadas com o Chow-Chow, diziam que estes cães eram essencialmente cães de caça, capazes de rastear e perseguir grandes veados. Alguns Chows atuais mostram ocasionalmente uma verdadeira essência de caçador...

Seria um cão de trenó?

Dheers (Estudioso Canino) coloca isso em questão: "ele foi considerado um cão de tiro; trata-se de atrelagens de brincadeira, é claro, porque se pensarmos num verdadeiro serviço de tiro, num trabalho efetivo, pareceria um trabalho duvidoso; não só porque este cão não tem velocidade mas principalmente devido aos seus jarretes retos e freqüentemente torcidos que o tornam pouco indicado para a tração" .

Dr. Fernand Méry (um dos fãs incondicionais da raça) defende uma opinião completamente diferente. Segundo afirmações suas, " numerosos Chows puxando trenós transportavam duas vezes por ano as mercadorias humildes de algum condutor vindo de longe das fronteiras nevadas da Manchúria até os grandes povoado..." . Por outro lado, Pierre Etienne (Antigo presidente francês do clube desta raça) assegura que o aspecto físico do Chow lhe permite puxar trenós: " a forma peculiar dos seus membros posteriores, a parte da frente maciça (cabeça, pescoço, ombros) que pesa no arreio tornam-no especialmente apto para a tração de trenós, com uma ação potente e sem solavancos.

Existem provas recentes realizadas com sucesso em Berlim e por criadores suecos" De qualquer forma, a atual vocação do Chow-Chow não é ser uma " locomotiva na neve" mas sim um cão de companhia e de guarda. Para quem duvidar desta última aptidão, basta lembrar de sua desconfiança de antigamente, a sua coragem indiscutível e a sua austeridade perante a dor. No que se refere A expulsão dos intrusos, o seu tamanho médio é compensado pelo seu volume (não se pode confundi-lo com um cão pequeno) e, embora não ladre, nem por isso os seus avisos são menos significativos ou dignos de serem levados em conta... O que o torna tão apaixonante e atraente não é tanto a sua utilidade para esta ou aquela missão, mas a sua personalidade fora do comum. As vezes ouve-se dizer que este cão com aspecto de leão parece ter se transformado num ursinho de pelúcia. É verdade que o homem modificou o seu aspecto, mas não conseguiu influenciar o seu temperamento.

O Chow conserva uma segurança e uma dignidade totalmente leoninas, continuando a ter aquele ar asiático de insensibilidade e falsa indiferença. A sua capacidade de afeto, muito real e profunda, manifesta-se pouco. O seu gosto pela independência é muito evidente. Sendo geralmente muito calmo, nem por isso deixa de ser capaz de ter reações muito vivas e os seus reflexos podem ser muito rápidos quando necessário. É claro que o Chow não é recomendado para donos que exijam manifestações expansivas de ternura, nem para aqueles que precisem saciar uma necessidade maníaca de autoritarismo. Este é um animal que não consegue ser facilmente manipulado e nem é aconselhável que seja possuído por alguém de personalidade fraca porque o levaria as ruas da amargura. Todavia, esse caráter independente, distante e altivo é precisamente o que o faz parecer-se com o leão, com o gato e com o urso, cujas personalidades fascinam tanto algumas pessoas.

O aspecto bondoso do Chow nada tem a ver com o seu temperamento: antes de obedecer, pensa duas vezes. Não se pode brusco com ele e muito menos bruto, mas não quer dizer que se deva ter em princípio uma atitude complacente perante a sua rebeldia natural. Ao contrário, deve-se educá-lo precocemente, desde os três meses (ou mesmo antes, se possível) com suavidade, compreensão e paciência, mas sempre com firmeza.

Fonte: www.chowchow.com.br

Chow Chow

 

Chow Chow
Chow Chow

País

China

Função Original

Guarda e tração

Origem

Anos 100. Animal forte e corajoso como poucos, o chow chow é popular na China há mais de 2000 anos. A raça somente apareceu no mundo ocidental no final do séc. XIX, na Grã-Bretanha.

No seu país de origem, sua pele possuía alto valor, assim como sua carne, bastante apreciada. A despeito dos outros cães, sua língua é azul-negra.

Temperamento

Corajoso e forte, essa raça oferece uma boa sensação de segurança aos donos.

Utilizações

Cão de companhia, muito indicado para pessoas tranquilas. Necessita de muitas escovações em virtude de sua pelagem farta.

Fonte: www.animalnet.com.br

Chow Chow

História

Chow Chow
Chow Chow

O Chow Chow pertence a uma linhagem ancestral que se pensa se herdeira de mais de 2000 anos de história. A narrativa do seu passado é por isso muitas vezes assaltado pelas dúvidas e pela falta de dados concretos. Sabe-se, no entanto, que a olaria e escultura da Dinastia de Han (206 a.C a 22 d.C) é representativa destes originais cães de língua preta.

Outra teoria, porém, remete as suas origens para um passado ainda mais distante, apontado a sua origem para o Círculo Árctico, de onde posteriormente emigrou para a Mongólia e Sibéria. Nestas regiões desenvolveu a sua pelagem resistente ao frio e foram cobiçados pela sua carne e pelo seu pêlo, utilizado no vestuário. Alguns autores pensam que algumas raças mundialmente famosas como o Samoyedo Norwegian Elkhound, the Keeshound, descendem deste cão.

Ao longo dos séculos, a sua popularidade foi crescendo timidamente, já que durante muito tempo o prestígio do Pequinês, Lhasas e Shih-Tzu (os chamados "Cães Reais da China) lhe vedaram o acesso ao estrelato. Foram, no entanto, utilizados pelos imperadores na caça, onde desempenhavam a função de retrieving e caçavam lobos. Foram ainda utilizados como cães de guarda e puxadores de carroças.

Em 1760, é importado, por um jardim zoológico, o primeiro Chow Chow para a Grã-Bretanha. O "Wild Dog of China", conforme era chamado pelo zoo, tornou-se bastante popular quando a Rainha Vitória se interessou pela estirpe.

O primeiro clube da raça viria a formar-se neste país, em 1890, tendo-se exportado o primeiro exemplar para os EUA pouco depois. Aí revelou-se um participante activo das exposições do género, o que lhe valeu, em 1903, o reconhecimento do Kennel Club americano. Em 1912, foi registado pelo Kennel Club do Canadá.

No séc. XX, a sua popularidade atingiu uma dimensão considerável, em parte devido á sua aparência original, normalmente associada à imagem do leão ou do urso. Foi adquirido por personalidades famosas tais como Sigmond Freud e pelo Presidente Calvin Cloolidge.

Actualmente, esta estirpe goza de um cómodo prestígio e é um participante regular nas mais importantes exposições e competições do mundo da Canicultura.

Pode fazer o login da sua conta ou criar uma nova conta.

Temperamento

O Chow Chow possui uma personalidade que alguns autores comparam com a do gato, outros porém, alertam que a raça nem sempre é bem compreendida, o que originou mitos infundados. Sabe-se que é um cão independente, reservado nas suas emoções, silencioso e calmo.

É um bom cão de guarda que protege o seu dono e território com empenho. Na sua relação com estranhos demonstra ser cauteloso e, se não for socializado enquanto pequeno, esta característica pode-se agravar. Na verdade não é um animal que necessite da atenção de toda a gente, tornando-se por isso um pouco indiferente à sua presença.

É aconselhável, que sejam habituados desde pequenos a conviver com todos o tipo de pessoas e animais. São animais mais sensíveis do que o seu aspecto de urso deixa aparentar e, caso sejam submetidos a treino ou educação, este deve ser meigo, mas firme. No seio familiar, ele elege um dos membros para seu dono, demonstrando ser realmente afectuoso e leal.

Descrição

O Chow Chow é um cão de porte médio, cuja altura nas espádua varia nos machos entre os 48 e os 56 cm e nas fêmeas entre os 46 e os 51 cm. O seu peso oscila entre os 20 e os 32 Kg.

A sua pelagem é de tamanho longo e apresenta-se muito abundante e densa, formando um colar acentuado em torno do pescoço e cabeça. As cores permitidas são o vermelho, preto, azul, gamo e creme. Na face posterior das coxas e na cauda a cor é, normalmente, mais clara.

A cabeça é larga e achatada e o chanfro pouco saliente. O focinho é largo mas de comprimento moderado e o nariz apresenta-se largo em toda a sua extensão. A língua é preta, característica que partilha com alguns ursos pequenos. Os olhos amendoado são escuros e bem delineados e as orelhas cobertas de pêlo são pequenas, arredondadas nas pontas, trazidas erectas. O pescoço é comprido e bem arqueado, mergulhando num peito volumoso e largo.

O seu corpo é compacto e a sua presença imponente e segura. O dorso é curto e nivelado e as costelas são ligeiramente arqueadas. Os membros são musculados e dotados com uma forte estrutura óssea. Os pés de gato são arredondados e a cauda de inserção alta é mantida enrolada sobre o dorso.

Observações

A esperança média de vida desta raça oscila entre os 9 e os 15 anos de idade e não apresenta especial propensão a doenças geneticamente transmissíveis. Existem, no entanto, alguns registos de displasia da anca.

Deve ser escovado desde pequeno duas a três vezes por semana, por forma a que se habitue a este ritual. É indicado que se utilize uma escova de arame. Este não é o animal mais indicado para quem sofre de alergias, uma vez que a sua pelagem cai com alguma intensidade.

Os Chow Chow devem praticar exercício físico diariamente (aproximadamente 40 minutos por dia) mas fora das horas mais quentes do dia. Na verdade, estes cães dão-se melhor em climas frios, pelo que o ideal é que no Verão possam desfrutar de algumas sombras, caso vivam no exterior. A exposição solar pode ainda ser prejudicial para a sua pele que é relativamente sensível.

Curiosidade

Uma antiga fábula explica-nos que, quando Deus estava a pintar o céu de azul, algumas gotas de tinta caíram do seu cenário, gotas essas que o Chow Chow lambeu, o que tingiu a sua língua para sempre.

Fonte: animais2.clix.pt

Chow Chow

Chow Chow
Chow Chow

O Chow Chow eh um cachorro muito conhecido na China, local onde era utilizado para caça e guarda. Em tempos antigos, a carne do Chow Chow era considerada um alimento muito fino.

Duas das principais características do Chow Chow são sua lingua roxa/preta e sua espessa camada de pelo macio unicolor (vermelho, preto, cinza, azul, creme ou até cinza).

O Chow Chow é um cachorro bastante independente e, por isso, pode se tornar desobediente em algumas ocasioooes. Os treinadores recomendam treinamento firme desde o início.

Seu tamanho fica entre 46 e 56 cm e pode pesar até 32 kg. Fique atento a irritações nos olhos, porque sao comuns.

Fonte: www.chowchow.com.br

Chow Chow

Chow Chow
Chow Chow

Esta esplêndida raça, conhecida como Spitz Chinês em alguns países, está sendo muito difundido em todo o mundo. O seu porte nobre e vistoso, sua beleza indiscutível e sua pelagem exuberante, de cor singular provocam inevitavelmente a admiração de todo o público. É um cão que também é muito versátil, sendo utilizado em muitas funções com sucesso. É um valente guardião e defensor da casa, é ótimo guarda de barcos, é ótimo caçador de presas selvagens, além de um incansável cão de tração.

É um cão equilibrado, de aspecto leonino, de porte orgulhoso e digno, leal mas reservado. É ágil, compacto, curto e harmonioso em seu conjunto. Tem um nariz grande e preto, seus olhos são escuros 
e pequenos, preferencialmente amendoados. As orelhas, pequenas, são grossas e bem separadas entre si. Seu peito é amplo e profundo, seu dorso é curto, reto, forte e a cauda implantada alta, levada bem dobrada, apoiada na garupa.

Chow Chow
Chow Chow

A pelagem do Chow Chow é abundante, espessa, lisa reta, um pouco dura ao tato, com sub-pêlo suave e lanoso. Segundo o padrão da raça, a variedade de pêlo curto, com excessão da pelagem, é idêntica.

A altura mínima para a raça é de, cerca de, 45 cm., entretanto o a característica primordial do exemplar deve ser a harmonia do conjunto.

Fonte: www.guiaderacas.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal