Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home   Voltar

Falcão Peregrino



Falco peregrinus

É uma ave de rapina diurna de médio porte, com uma envergadura de 89 a 120 cm, sendo as fêmeas maiores e mais pesadas que os machos (dimorfismo sexual).

Apresenta uma forma típica de falcão, com asas pontiagudas e um desenho corporal compacto e aerodinâmico.

O dorso apresenta um tom cinzento-azulado enquanto que o ventre e a zona interna das asas apresentam tonalidades claras com barras escuras. Identifica-se facilmente através da sua cabeça preta cinza com um “bigode “ escuro e um queixo branco.

O Falcão-peregrino distribui-se por todos os continentes à excepção da Antártida, sendo a sua população europeia estimada em cerca de 7600 a 11000 casais reprodutores.

As populações do norte são migradoras podendo percorrer cerca de 14500 km, daí o seu nome comum “Falcão-peregrino”.

No nosso país esta espécie está presente durante todo o ano e foi considerado como ”Vulnerável” no Livro Vermelho dos Vertebrados.

Falcão Peregrino

Prefere habitats em zonas montanhosas e vales fluviais podendo igualmente ser encontrado em cidades. Cria em saliências rochosas nas encostas escarpadas e de difícil acesso.

Alimenta-se de aves de pequeno a médio porte, lançando-se em voo picado e alcançando, por vezes, uma velocidade próxima dos 300km/h!

Devido à sua abundância, tamanho e comportamento, o Pombo-das-rochas (Columba livia) pode chegar a compor mais de 50% da sua dieta.

Estruturas como os pombais tradicionais poderão proporcionar uma base alimentar bastante importante a estas aves de rapina.

As populações desta espécie sofreram um elevado declínio nos anos 50 e 60 devido à utilização de pesticidas organoclorados (DDT) na agricultura, estas substâncias acumuladas de ave para ave, presas potenciais desta espécie, provocaram o enfraquecimento da casca do ovo e consequente insucesso reprodutivo dos indivíduos.

A sua proibição permitiu alguma recuperação da espécie nos últimos anos. Sendo igualmente sensível a perturbações no período de nidificação, a presença humana poderá levar ao abandono do ninho, inviabilizando o sucesso reprodutivo.

Fonte: www.palombar.org

Falcão Peregrino

FILO: Chordata
CLASSE: Aves
ORDEM: Falconiformes
FAMÍLIA: Falconidae
NOME CIENTÍFICO: Falco peregrinus

CARACTERÍSTICAS

Comprimento: até 45 cm
Cauda: estreita e comprida
Cor: azul-acinzentada com listas escuras; coroa preta na cabeça; cauda com pontas brancas; pintas na barriga, que é esbranquiçada.

Batida rápida das asas.

Período de incubação: 1 mês
Ninhada: 3 ovos

Apesar de ser um caçador destemido, muito valorizado pelos falcoeiros, o falcão-peregrino nunca se defende de outras aves.

Falcão Peregrino

O milhafre e outras aves de rapina muitas vezes esperam o falcão-peregrino matar uma vítima para lhe tomar a presa.

O falcão peregrino aparece na Europa, Ásia, Austrália e América.

Durante o Inverno, os falcões europeus migram para a África.

O falcão peregrino prefere o campo aberto, as praias e pântanos perto de colónias de aves aquáticas e ribeirinhas.

É encontrado também em cidades grandes.

Em geral põe seus ovos num penhasco, muitas vezes sem ninho.

Os ovos são incubados pelo casal de pais. O falcão peregrino tem o bico superior denteado, próprio dos falcões.

Alimenta-se quase exclusivamente de outras aves, que ele alcança facilmente no voo.

É uma das mais rápidas aves de velocidade, o seu mergulho chega a 288 Km/h.

O choque que a presa leva ao ser atingida em pleno voo pelas garras do peregrino é tão forte que morre instantaneamente.

A quantidade de peregrinos tem diminuído rapidamente nos últimos anos.

Fonte: www.minerva.uevora.pt

Falcão Peregrino

Falco peregrinus

Falcão Peregrino

O Falcão Peregrino é provavelmente o animal mais rápido à superfície da Terra, chegando a atingir os 300 Km por hora.

Deve o seu nome "Peregrino" aos hábitos nómadas e às suas peregrinações errantes, sobretudo na fase adolescente.

Em Portugal, é uma espécie de passagem (Outono-Inverno), sendo muito rara.

Tamanho

O Comprimento oscila entre os 38 a 50 cm e a Envergadura (com as asas abertas) entre os 83 a 113 cm.

A fêmea chega a ter mais um terço do tamanho do macho.

Pesa entre 580 a 1000 g

Distribuição

Europa, Ásia, África, Austrália, América

Habitat

As suas capacidades únicas permitiram-lhe colonizar os mais diversos tipos de habitat, desde os desertos quentes até à tundra, revelando todavia preferência pelas zonas abertas.

São conhecidos territórios de falcão peregrino em muitas zonas costeiras até aos 4000 m nos Himalaias, estando presente em todos os continentes e latitudes, sendo uma espécie cosmopolita o que revela o seu sucesso adaptativo.

É encontrado também em grandes cidades.

Alimentação

É a única rapina que se alimenta exclusivamente de outras aves (sobretudo Pombos-das-rochas), que alcança facilmente no vôo, enterrando as aguçadas garras no seu dorso.

Reprodução

O falcão peregrino faz o ninho numa falésia, nas montanhas à beira de um planalto ou do mar. No norte da Europa, chega a instalar-se em ninhos abandonados por outras aves de rapina nas árvores.

Sendo extremamente sensível a perturbações no período de nidificação, a presença humana pode levar a ave ao abandono do ninho, inviabilizando consequentemente a sua postura.

A fêmea põe 3 a 4 ovos (castanhos-claros, com manchas avermelhadas) numa cavidade de uma rocha ou árvore.

O período de incubação dura 28 a 29 dias. Os filhotes conservam-se no ninho até ao 35º dia de vida.

Status

Ameaçado.

O falcão peregrino tornou-se muito raro em certos países da Europa, e isso por vários motivos: o homem persegue-o, os caçadores furtivos roubam-lhes os ovos e as crias para abastecer os falcoeiros e, enfim, localmente, vai lentamente intoxicando ao devorar presas que ingeriram sementes ou insectos tratados com pesticidas.

Classificação

Falcão Peregrino

Reino - Animalia
Filo - Chordata
SubFilo - Vertebrata
Classe - Aves
Ordem - Falconiformes
Familia - Falconidae
Género - Falco
Espécies - Peregrinus

Falcão Peregrino

Descrição geral

Apresenta uma coroa e um comprido bigode negros, parte inferior branca com densas garras transversais e o dorso cinzento-escuro. As asas são compridas e a cauda é curta. Tem o bico superior denteado, próprio dos falcões.

É uma ave de médio porte, corpo compacto, pescoço curto e cabeça arredondada com grandes olhos negros.

As penas das asas são rígidas e as restantes estão bem justas ao corpo, pelo que toda a sua fisionomia se encontra bem adaptada às suas performances de voo.

Voa alto em círculos com batimentos rápidos e pouco profundos, às vezes com intervalos de voo planado. Mergulha em voo picado.

É uma ave atrevida de voo rápido e firme que persegue sem descanso os patos selvagens, os pombos, as perdizes e toda a espécie de pássaros.

Autêntica jóia viva da Natureza, o seu voo picado permite-lhe atingir velocidades inacessíveis a todos os outros seres vivos, e o simples vislumbre da sua característica silhueta recortada contra o azul do céu é suficiente para aterrorizar a maior parte das aves.

Uma das suas estratégias de caça consiste em subir nas correntes de ar quente (térmicas) a grande altura, por vezes a mais de 1500 m em relação ao nível do solo, deixando-se então cair sobre a presa avistada, num ângulo mais ou menos pronunciado e por vezes em queda livre vertical, com as asas aerodinamicamente coladas ao corpo, e controlando magistralmente a sua velocidade quer abrandando ligeiramente com as asas entreabertas, quer acelerando ainda mais com a ajuda de curtos e rápidos batimentos das asas.

Apesar de ser um caçador destemido, muito valorizado pelos falcoeiros, o falcão-peregrino nunca se defende de outras aves.

O milhafre e outras aves de rapina muitas vezes esperam o falcão-peregrino matar uma vítima para tomar-lhe a presa.

Falcão Peregrino

Fonte: rapina.no.sapo.pt

Falcão Peregrino

Falcão Peregrino

Características

Ave de rapina que atinge até 50 centímetros de altura e 1,20 metro de envergadura, sendo que a fêmea é maior que o macho. Trata-se do maior dos falcões encontrados no Brasil, onde surge como ave de arribação vinda da América do Norte.

A parte superior é cinza-azulada, e a inferior, branca barrada de preto. As asas são longas e pontiagudas. Os falcões em geral são considerados os voadores mais elegantes que se conhece.

O peregrino, especialmente, é o mais rápido dos pássaros, podendo atingir 180 quilômetros por hora. Há quem diga que, quando mergulha para capturar a caça, chega a 300 quilômetros por hora.

Tem uma visão apuradíssima, avistando sua presa a 1 quilômetro e meio de distância.

Habitat

Extremamente variável, reproduzindo-se em regiões tropicais, zonas frias, desertos etc.

Ocorrência

É extremamente cosmopolita, sendo encontrado em todos os continentes, exceto na Antártida.

Falcão Peregrino

Hábitos

Com vôo elegante e muito rápido, ele migra todos os anos do Hemisfério Norte para regiões mais quentes e é visitante habitual das cidades brasileiras.

Aqueles que vivem em zonas temperadas do Hemisfério Norte e no Ártico migram para o Sul nas épocas frias. As subespécies européias e asiáticas deslocam-se para a África, Sul da Ásia e Indonésia.

As norte-americanas vêm para a América do Sul.

Os falcões peregrinos nativos de latitudes médias e do Hemisfério Sul são sedentários.

Os migratórios costumam escolher sempre os mesmos lugares para passar a temporada de inverno.

Alimentação

Comem principalmente aves em vôo e morcegos. Na cidade, o prato predileto são os pombos. Usa as poderosas garras para aprisionar as vítimas.

Reprodução

São aves solitárias que se encontram somente para o acasalamento.

Os ovos eclodem em cerca de um mês e os filhotes passam dois meses dependentes da mãe, antes de partirem para o mundo.

Aos 2 anos, tornam-se maduros sexualmente.

Ameaças

Pode ser domesticado e usado para caça, como já o faziam os imperadores persas e árabes na Antiguidade. Ainda hoje, a prática é tida como um esporte caro na Europa.

O animal é levado ao campo com um capuz, que é retirado no momento de voar em busca da presa. No Egito antigo, Horus, o Deus do céu, era representado por um falcão, muito provavelmente o peregrino.

Falcão Peregrino

Acreditava-se que os olhos de Horus tinham o poder de dar saúde, o que fazia dele um popular amuleto. Está extinto em algumas regiões do planeta.

A caça e a contaminação por agrotóxicos são as principais ameaças. Carnívoro e ocupando o topo da cadeia alimentar, o falcão não é contaminado diretamente pelos pesticidas. Ele se alimenta de aves que se alimentaram de insetos contaminados. Acaba também envenenado.

A conseqüência é o enfraquecimento da calcificação dos ovos fazendo com que estes se quebrem facilmente no ninho durante a incubação.

Com a proibição do uso do DDT em 1972 nos Estados Unidos, a população dos falcões e de outras aves voltou a aumentar.

O trabalho das organizações de proteção aos animais silvestres também trouxe grande contribuição para a não extinção da espécie.

Fonte: www.vivaterra.org.br

Falcão Peregrino

O falcão peregrino (Falco peregrinus) é uma ave de rapina diurna de médio porte que pode ser encontrada em todos os continentes excepto na Antártida.

A espécie prefere habitats em zonas montanhosas ou costeiras, mas pode também ser encontrado em grandes cidades como Nova Iorque.

Na América do Sul, ele só surge como espécie migratória, não nidificando aqui. Como ave reprodutora, é substituído na América do Sul por uma espécie similar e um pouco menor, o falcão-de-peito-laranja.

Falcão Peregrino

O falcão peregrino mede entre 38 e 53 cm de comprimento, sendo as fémeas maiores que os machos.

A sua plumagem é característica, em tons de cinzento-azulado no dorso, asas e cabeça e branca riscada de negro na zona ventral. Os olhos são negros e relativamente grandes.

O falcão peregrino é um caçador solitário que ataca outras aves, em geral pombos ou pássaros, que derruba com as garras em voo picado e mata com o bico.

É o animal mais rápido do mundo, com velocidade de mergulho que chega a atingir 288 Km/h. Graças à sua eficiência enquanto predador, é um dos animais preferidos na arte da falcoaria.

O falcão peregrino é muita vezes vítima de outras aves de rapina que roubam as suas presas, à semelhança dos leopardos, que muitas vezes vêem a sua refeição assaltada por hienas.

Como predador solitário, o falcão não pode arriscar morrer de inanição por ferimentos obtidos numa luta por uma presa já abatida.

Como ave que freqüenta ambientes urbanos atrás de presas como os pombos, o falcão peregrino às vezes não pode consumir as aves que abate por conta do tráfego de pessoas e viaturas; em Santos no litoral paulista, é comum achar pombos mortos abatidos por falcões peregrinos migratórios (Falco Peregrinus tundrius) e abandonados na via pública.

Note-se também que, no que diz respeito à escolha de suas presas, o falcão peregrino é oportunista, caçando quaisquer aves presentes na sua área de ocorrência: nos manguezais de Cubatão, por exemplo, caça inclusive exemplares juvenis de guará (Eudocinus Ruber).

Na época de reprodução, o casal põe cerca de três ovos num penhasco, directamente sobre o solo, sem fazer ninho. Os ovos são incubados pelo casal de pais ao longo de cerca de um mês.

Falcão Peregrino

O falcão peregrino é muito sensível ao envenenamento com inseticidas organoclorados como o DDT, com o quais entra em contacto através da gordura de suas presas, e que provocam enfraquecimento da casca de seus ovos e esterilidade.

O uso do DDT afectou gravemente as populações residentes na Europa Ocidental e América do Norte durante as décadas de 1950 e 1960. A situação foi invertida com o banimento destes compostos das práticas agrícolas e pela liberação na natureza de indivíduos criados em cativeiro.

Segundo Helmut Sick, este esforço de recuperação por liberação de animais criados em cativeiro (alguns mestiços de subespécies diferentes) reduziu a intensidade da migração de falcões do Leste da América do Norte para o Brasil, já que parte das populações recuperadas perdeu o hábito migratório.

Os falcões peregrinos presentes no Brasil entre outubro e abril, durante o inverno boreal pertencem à subespécie F.P. tundrius, mais ártica; outra subespécie norte-americana, F.P. anatum, é residente, não migrando para a América do Sul.

Fonte: www.petmanias.com

Falcão Peregrino

Falcão Peregrino

Falco peregrinus

O falcão peregrino é considerado o "Príncipe das aves de caça", sendo uma das espécies mais apreciadas para os lances de altanaria devido à velocidade dos seus ataques em voo picado.

Deve o seu nome "peregrino" aos hábitos nómadas e às suas peregrinações errantes, sobretudo na fase adolescente.

Está representado por numerosas subespécies em todos os continentes.

Na falcoaria medieval destacaram-se as seguintes subespécies de falcões peregrinos:

Falcão Bafari, ou Baarii (falco peregrinus brokey) - Expressão árabe que significa marinho, ou costeiro.

Nome dado na nomemclatura cetreira à subespécie ibérica do falcão peregrino, sendo uma das aves com maior tradição peninsular.

Falcão Nebri

Falco peregrinus peregrinus e falco peregrinus calidus

Termo português antigo que designa as subespécies de falcões peregrinos da Europa do Norte.

A plumagem destas aves é mais clara e contrastada evidenciando uma grande beleza.

Além disso, os falcões nebris são maiores e mais pesados que os peregrinos ibéricos, motivo pelo qual eram tidos em grande apreço pelos falcoeiros da Europa do Sul.

Falcão Tagarote

Falco peregrinus pergrinoides

Termo que designa a subespécie do falcão peregrino do Norte de África, também conhecido por falcão da Barbéria.

Eram trazidos para a penísula pelos mercadores do mediterrâneo, sendo o mais pequeno representante da espécie.

Fonte: www.ectep.com

Falcão Peregrino

Nomes alternativos: falcão-peregrino (português), peregrine ou duck hawk (inglês), faucon pélérin (francês), slechtvalk (holandês), wanderfalke (alemão), pellegrino (italiano); shahin (árabe).

Comprimento médio: machos, 0,40 m, fêmeas, 0,50 m. Envergadura média: machos: 0,90 m; fêmeas: 1,10 m.

Massa média: machos 0,72 kg (-21½), fêmeas 0,92 kg (-20½).

Hábitat: todas as áreas continentais do mundo, exceto as geleiras da Groenlândia e Antártida e as selvas tropicais da Alta Amazônia e do Congo.

Falcão Peregrino

Inteligência Abstrata: -8; Inteligência Concreta: -3; Resistência: -2; Proteção: 0; Tamanho: -1; Saúde: +1; Mobilidade: +3½ (no ar), -7 (em terra); Sentidos: +2 (Olfato: +1; Audição: +2; Visão: +3); Dificuldade de treinamento: +2.

Habilidades: Força: machos -11; fêmeas -10; Capacidade de Carga: +3; Combate: +2; Vôo (curta distância/mergulho) 15 (24/37); Esquiva: +3½; Caça: +3.

Manobras de combate: Bicar/Golpe de Garra (1½ / 2).

Características

O falcão peregrino é considerado o "príncipe das aves de caça" e uma das espécies mais apreciadas para os lances de altanaria devido à velocidade dos seus ataques em vôo picado.

Deve o nome "peregrino" aos hábitos nômades e às suas peregrinações errantes, sobretudo na fase adolescente.

Está representado por numerosas subespécies em todos os continentes, exceto a Antártida.

Os falcões distinguem-se de outras aves de rapina de tamanho semelhante, como os gaviões, pela cauda longa e pelas asas pontudas que, no caso do falcão peregrino, chegam até a ponta da cauda quando está empoleirado.

Essas características o tornam extremamente veloz e o levaram a especializar-se em capturar presas no ar e desprezar os animais terrestres.

Em vôo picado (de mergulho) é a ave mais veloz do mundo: já foi cronometrado a 270 km/h (75 m/s) e mesmo a 320 km/h (90 m/s), em pequenas distâncias.

Quando carrega para alcançar a presa passa sem dificuldade de sua velocidade de cruzeiro de 45 km/h (12 m/s) para os 100 km/h (28 m/s) em vôo horizontal, mas ainda é menos veloz que o andorinhão.

Pode avistar a presa a um quilômetro e meio de distância e carregar o equivalente ao próprio peso. As fêmeas são maiores que os machos e chegam a 1,5 kg.

Recebe o nome de “peregrino” porque as subespécies que vivem em zonas temperadas do Hemisfério Norte e do Ártico migram para o sul no outono e costumam escolher sempre os mesmos lugares para passar a temporada de inverno.

Falcão Peregrino

As subespécies européias e asiáticas deslocam-se para a África, Sul da Ásia e Indonésia.

As norte-americanas vêm para a América do Sul, inclusive o Brasil. Já os nativos de latitudes médias e do Hemisfério Sul são sedentários: apenas os jovens se deslocam, em busca de seu próprio espaço.

Embora tenha uma distribuição mais ampla que qualquer outra espécie, não é uma ave muito comum e é vulnerável à poluição e aos pesticidas, que se acumulam em suas presas e o incapacitam para a reprodução: na América do Norte, o uso do DDT chegou a levá-lo à beira da extinção. Para recuperá-lo, foi preciso colocar filhotes criados em cativeiro nos ninhos de falcões selvagens.

Habitualmente, esta ave de rapina alcança a presa após um mergulho de várias centenas de metros, ultrapassado por vezes até um quilômetro. Neste caso, o embate das asas contra o corpo da vítima produz um ruído audível à distância.

Ou então com as garras, ataca a presa por baixo. As suas presas, capturadas em pleno vôo, incluem, na Europa, pombos, estorninhos, abides-de-roupa (Vanellus vanellus), garranginas, melros-pretos, tordos, gaios, cotovias-dos-campos, tentilhões-das-árvores, etc. Nas Américas, caçam pombos, garças, gaivotas, patos, gansos, mergulhões e pica-paus.

O falcão peregrino freqüentemente se abriga numa falésia, nas montanhas à beira de um planalto ou do mar ou, nas cidades, em beirais de prédios altos e pilastras de pontes. No norte da Europa, costuma instalar-se em ninhos abandonados nas árvores por outras aves de rapina.

A postura – que ocorre em maio, no Hemisfério Norte – consta de dois a três ovos cremosos e intensamente manchados de castanho-avermelhado.

As avezinhas, que permanecem no ninho quatro semanas, nascem cobertas de uma penugem sedosa e muito clara, voam pelos 34 dias mas só adquirem a independência algum tempo depois.

Atingem a maturidade aos dois anos de idade.

Fonte: rpg_ficcao.sites.uol.com.br

Falcão Peregrino

Falcão Peregrino

Nome Cientifico: Falco peregrinus

Nome Comum: Falcão peregrino.

Características

Ave de rapina que atinge até 50 centímetros de altura e 1,20 metros de envergadura, sendo que a fêmea é maior que o macho. Trata-se do maior dos falcões encontrados no Brasil, onde surge como ave de arribação vinda da América do norte. A parte superior é cinza-azulada, e a inferior, branca barrada de preto.

As asas são longas e pontiagudas. Os falcões em geral são considerados os voadores mais elegantes que se conhece. O peregrino, especialmente, é a mais rápida das aves, podendo atingir 180 quilómetros por hora. Há quem diga que, quando mergulha para captura a caça, chega a 300 quilómetros por hora.

Tem uma visão apuradíssima, avistando uma presa a 1 quilómetro e meio de distância.

Reprodução

Os falcões peregrinos são aves solitárias que se encontram somente para o acasalamento. Os ovos eclodem em cerca de um mês e os filhotes passam dois meses dependentes da mãe, antes de partirem para o mundo.

Aos 2 anos, tornam-se maduros sexualmente.

Habitat

A espécie prefere habitats em zonas montanhosas ou costeiras, mas pode também pode ser encontrado em grandes cidades. Extremamente variável, reproduzindo-se em regiões tropicais, zonas frias, desertos etc.

Comportamento

O tipo de problemas que pode afectar este grupo de aves tem por vezes origens imprevisíveis.

O falcãoperegrino está neste momento em acentuado decréscimo em todo o mundo, por causa do uso dos pesticidas, que o afectam uma das suas presas favoritas, os corvídeos. O veneno que actua sobre o gafanhoto, comido pela gralha, não chega para matar o falcão; mas é suficiente para afectar a casca dos seus ovo, que se torna demasiado fina, levando-os a quebraremse quando a fêmea os está a chocar, ou para empobrecer o teor em nutrientes da gema, causando a morte do embrião.

Em Portugal praticasse a prática corrente de roubo de ovos de falcão-peregrino e de açor, para serem chocados artificialmente e depois vendidos para o estrangeiro a preços sedutores.

Falcão Peregrino

Distribuição Geográfica

Global

Espécie de distribuição quase mundial (com excepção da Antártida), que, nidifica na maioria dos países da Europa nomeadamente em Albânia, Alemanha, Andorra, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca (incluindo a Gronelândia), Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Polónia, Portugal, Reino Unido (incluindo Gibraltar e Ilha do Homem), República Checa, República da Irlanda, Roménia, Rússia, Suécia, Suíça, Turquia e Ucrânia.

O seu estatuto migrador está relacionado com a latitude a que cria, sendo os indivíduos escandinavos migradores, ao passo que os suleuropeus são sedentários, efectuando apenas dispersões locais. As áreas de invernada estendem-se desde a Europa Central até África, a sul do Equador.

Nacional

Em Portugal distribui-se por todos os principais maciços montanhosos do país, assim como pelos vales escarpados do nordeste, e ao longo de toda a franja litoral centro e sul. As aves invernantes e dispersantes ocorrem por grande parte do território mas com maior frequência nas vastas áreas do Alentejo.

Fonte: aearraiolos.drealentejo.pt

Falcão Peregrino

Falcão Peregrino, o voo do míssil

O falcão peregrino, o mais rápido dos seres vivos, é certamente uma das mais espectaculares e admiradas aves da fauna mundial. Conheça algumas das suas características comportamentais e ecológicas e junte-se rapidamente ao coro de admiração.

De todos os predadores alados provavelmente nenhum combinará de uma forma tão notável, um tão elevado grau de especialização, uma tão grande beleza e capacidades de voo tão extraordinárias como o falcão peregrino (Falco peregrinus).

Autêntica jóia viva da Natureza, o seu voo picado permite-lhe atingir velocidades inacessíveis a todos os outros seres vivos, e o simples vislumbre da sua característica silhueta recortada contra o azul do céu é suficiente para aterrorizar a maior parte das aves.

Falcão Peregrino



Desde tempos imemoriais que as suas faculdades impressionaram o Homem. No antigo Egipto simbolizava o Deus Hórus e, entre os falcoeiros, desde a antiguidade até ao presente, permaneceu sempre como a mais cobiçada das aves, valorizada pelas suas capacidades de caça e formosura ímpar. Na idade média a posse destas aves chegou a ser autorizada apenas aos príncipes e duques da corte, funcionando como um indicador de estatuto social.

O falcão peregrino é uma ave de médio porte, corpo compacto, pescoço curto e cabeça arredondada com grandes olhos negros. A sua cauda é curta, ao contrário das suas asas, longas e ponteagudas, e das patas estreitas e longas. As suas penas das asas são rígidas e as restantes estão bem justas ao corpo, pelo que toda a sua fisionomia se encontra bem adaptada às suas performances de voo.

As suas dimensões variam consideravelmente consoante a subespécie e, para além disso, apresenta também um acentuado dimorfismo sexual, sendo o macho bastante menos corpulento do que fêmea. Na Península Ibérica, o comprimento total andará entre os 40 e os 50 cm e o peso médio de um macho e fêmea adultos rondará os 600 e os 900 gramas, respectivamente.

As suas capacidades únicas permitiram-lhe colonizar os mais diversos tipos de habitat, desde os desertos quentes até à tundra, revelando todavia preferência pelas zonas abertas. São conhecidos territórios de falcão peregrino em muitas zonas costeiras até aos 4000 m nos Himalaias, estando presente em todos os continentes e latitudes, sendo uma espécie cosmopolita o que revela o seu sucesso adaptativo.

Em todo o mundo são reconhecidas mais de 20 subespécies, sendo o Falco peregrinus brookei, a subespécie presente em Portugal. No entanto, durante o Inverno verifica-se uma entrada temporária de falcões oriundos do norte da Europa . Foi este tipo de comportamento migratório, característico de algumas populações, que deu origem ao seu nome de peregrino.

O falcão peregrino é uma espécie ornitófaga, isto é, alimenta-se quase exclusivamente de aves. Mas apesar de ser um especialista, a sua acção predatória pode incidir sobre um número notavelmente alargado de presas. Dentro dos limites do seu território de caça, praticamente nenhuma outra ave se encontra totalmente isenta do risco de vir a figurar na ementa do falcão peregrino.

Falcão Peregrino

Estão documentadas capturas de espécies tão pequenas como chapins ou tão grandes como gansos, e mesmo de outras rapinas como corujas, gaviões ou águias-de-asa-redonda. Um estudo realizado na Alemanha nos anos setenta, permitiu a elaboração de uma lista de presas que ascendeu a 210 espécies diferentes de aves. Por tudo isto, no nosso País, provavelmente apenas a abetarda, as cegonhas, grous, flamingos e as maiores rapinas, se poderão dar ao luxo de ignorar a presença do falcão peregrino.

Na maior parte dos casos, as suas presas são aves de pequeno a médio porte e a lista de capturas de um determinado indivíduo é até certo ponto um reflexo da composição da avifauna existente no seu território. Contudo, se tivéssemos de escolher a sua presa de eleição, esta seria certamente o pombo-da-rocha (Columba livia), que frequentemente constitui mais de 50% da dieta do falcão. Este facto dever-se-á não apenas à abundância de pombos, como ao facto destes constituírem uma refeição altamente energética e de dimensões óptimas. Para além disso, o seu voo rápido e rectilíneo, revela-se particularmente vulnerável ao tipo de caça praticado pelo falcão peregrino.

Uma das suas estratégias de caça consiste em subir nas correntes de ar quente (térmicas) a grande altura, por vezes a mais de 1500 m em relação ao nível do solo, deixando-se então cair sobre a presa avistada, num ângulo mais ou menos pronunciado e por vezes em queda livre vertical, com as asas aerodinamicamente coladas ao corpo, e controlando magistralmente a sua velocidade quer abrandando ligeiramente com as asas entreabertas, quer acelerando ainda mais com a ajuda de curtos e rápidos batimentos das asas.

O voo picado do falcão peregrino constitui sem dúvida uma das proezas mais extraordinárias do mundo animal, e quem teve o privilégio de assistir a tal espectáculo nunca o esquecerá.

A determinação da velocidade atingida no seu voo picado, e que o torna recordista absoluto e incontestado do reino animal, tem sido motivo de prolongada discussão entre vários autores. Foram já calculadas velocidades máximas instantâneas da ordem dos 350 km/h, e há quem defenda que em determinadas circunstâncias possa mesmo ultrapassar os 400 km/h, mas diversos autores consideram estes valores exagerados. No entanto, é consensual que na maioria dos seus ataques em picado, a velocidade máxima atingida situar-se-á entre os 200 e os 250 km/h.

A sua técnica de caça assenta sobretudo na velocidade com que desfere o ataque, no entanto, esta varia consideravelmente entre indivíduos, e em função do tipo e comportamento da presa, assim como das condições climatéricas, com especial destaque para o vento. Nem sempre o ataque consiste num voo picado directo sobre a presa, já que muitas vezes realiza um picado ligeiramente atrasado, passando por detrás da ave para vir a capturá-la pouco depois, surgindo por baixo desta e aproveitando o seu ângulo morto de visão.

Frequentemente os falcões agarram as suas presas em voo no final dos seus picados, mas a situação mais clássica e de maior espectacularidade dá-se quando fazendo uso da sua incrível velocidade, abatem as presas simplesmente com o impacto, através de uma pancada dada com as patas recolhidas ou com a ajuda de uma das garras usada como uma lâmina mortal.

Na maior parte dos casos, a presa tomba imediatamente mortalmente ferida, largando um tufo de penas, e é por vezes recolhida antes mesmo de cair no solo.

A violência do impacto é de tal ordem, que muitas das aves deste modo abatidas apresentam geralmente asas partidas, contusões múltiplas, ou cortes profundos e mais ou menos extensos infligidos pelas garras do falcão em pontos vitais. São mesmo conhecidos casos em que a infeliz presa é decapitada em voo, o que diz bem do poder deste excepcional predador, o falcão peregrino.

Pedro Vaz Pinto

Fonte: www.naturlink.pt

Falcão Peregrino

O falcão-peregrino é uma ave de rapina, de porte médio. Quando ele vai caçar, sua velocidade de vôo chega a 288 quilômetros por hora! Uau! Já pensou nisso?

É muito mais rápido que uma montanha-russa!

Ele pode ser encontrado em todos os continentes, menos na Antártida ( pois não é parente do pingüim...)

Prefere morar em áreas montanhosas ou perto do mar, mas às vezes mora em grandes cidades, como o Rio de Janeiro e Nova York.

Na América do Sul, ele só aparece como um "visitante", ou seja: é uma espécie migratória, portanto não constrói ninhos por aqui.

Falcão Peregrino

Mede entre 38 e 53 centímetros de comprimento, com envergadura (comprimento das asas abertas) de 89 a 119 centímetros.

Ele é tão magrinho que só chega a 1 quilo e meio, no máximo! Quando vai caçar, sua estratégia é muito interessante: voa rondando a presa, "fingindo" que nem a viu lá do alto, com aquela visão poderosíssima.

Depois, mergulha lá do alto, com sua velocidade enorme, e pega a presa de surpresa! Geralmente prefere caçar aves menores, como pombos ou andorinhas, ou mamíferos pequenos, como esquilos.

É a espécie favorita para a arte da falcoaria.

Fonte: zoomania.spaceblog.com.br

Falcão Peregrino

O falcão peregrino é considerado o "Príncipe das aves de caça", sendo uma das espécies mais apreciadas para os lances de altanaria devido à velocidade dos seus ataques em voo picado.

Deve o seu nome "peregrino" aos hábitos nómadas e às suas peregrinações errantes, sobretudo na fase adolescente.

Está representado por numerosas subespécies em todos os continentes.

Falcão Peregrino

Informação Técnica

Falcoaria – Cetraria

Teriam sido os Citas, povo ariano que para si disputaria a honra de considerar-se o mais antigo da Terra que, além de contar com a glória da domesticação do cavalo, primeiro estabeleceria a livre aliança entre os homens e as aves de presa melhor dotadas, por forma a caçarem em mútua colaboração, mas em completa liberdade, situado cada qual no seu meio.

Falcão Peregrino

Fonte: olhares.aeiou.pt

Falcão Peregrino

Falcão Peregrino

Nome científico: Falco peregrinus
Quanto mede: 38 a 48 cm
Onde vive: turfeiras, rochedos marítimos
Filhotes: Postura de 3 a 4 ovos - incubação: 28 dias.

É o exemplo típico da família dos falcões, também pode ser conhecido como gavião-real.

Por cima é cinzento-pardo com manchas, por baixo. Tem a garganta branca com duas manchas negras descendo dos dois lados do bico.

É uma ave atrevida de vôo rápido e firme que persegue sem descanso os patos selvagens, os pombos, as perdizes e toda a espécie de pássaros.

Apesar de ser uma espécie bastante espalhada, tem diminuído dramaticamente desde os anos 50 devido à poluição do habitat.

Falcão Peregrino

Fonte: www.curiosidadeanimal.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal