Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Papagaio Verdadeiro  Voltar

Papagaio Verdadeiro



Amazona aestiva

Características

É considerada a ave mais inteligente que existe, podendo até imitar a voz humana, isto ocorre por apresentar a língua carnosa e uma estrutura chamada siringe modificada. São animais de vida longa, podem chegar facilmente até os 80 anos, apesar dos animais que são retirados da natureza viver no máximo 15 anos devido a alimentação errada. Somente é possível dizer que é macho ou fêmea com exames especiais.

Mede cerca de 85 cm e pesa em torno de 400 g. Sua plumagem é predominantemente verde, apresentando a fronte azul com amarelo na cabeça envolvendo os olhos. Apresenta o encontro (parte superior da asa quando fechada) vermelho e o bico preto.

Habitat

Vive em áreas de mata seca e úmida, também em campos, cerrados, palmeirais e beiras de rio.

Ocorrência

Desde a região nordeste passando pelo Brasil central até o sul do país, estendendo-se para a Argentina, Paraguai e Bolívia.

Hábitos

Fora do período reprodutivo são avistados em grandes bandos.

Alimentação

Frugívoro, granívoro e larvas de insetos que encontra nas árvores frutíferas da região. Ele usa as patas para segurar os alimentos. Pode também ser avistado em áreas de grandes plantações (milho, girassol, sorgo) e pomares.

Reprodução

Sua reprodução ocorre em períodos variados dependendo da localidade.

Após 5 anos de vida os papagaios procuram formar um casal, que se torna fiel por toda a vida. Este casal procura um oco de árvore e palmeiras ou ainda cupinzeiros de grande porte, onde preparam o ninho com madeira roída pelo forte bico, na época reprodutiva a fêmea coloca 3 a 4 ovos que são chocados durante 28 dias por ambos os pais, que também se revezam no cuidado com os filhotes que dura até a postura do próximo ano.

Ameaças

É o papagaio mais procurado como animal de estimação por ser considerado um excelente "falador". Assim sendo, a captura para o comércio é a principal ameaça para a espécie. Em algumas regiões de sua ocorrência as populações estão sofrendo declínio acentuado.

Fonte: www.vivaterra.org.br

Papagaio Verdadeiro

Nome científico

Amazona aestiva

Quanto mede

36cm - 400g

Onde vive

Ocorre do Nordeste (Piauí, Pernambuco, Bahia, pelo Brasil central (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso), ao Rio Grande do Sul, Paraguai, norte da Argentina e Bolívia.

Filhotes

Postura 4 ovos

É o papagaio mais procurado, pois tem fama de "falador". O amarelo da cabeça estende-se por cima e por detrás dos olhos contornando-os.

Bico negro. Existem indivíduos predominantemente amarelos. Os jovens podem ter a cabeça toda verde. Entre os papagaios, o macho e a fêmea voam tão juntos um do outro que o casal parece ser uma grande e fabulosa ave de quatro asas. A melhor defesa que possuí é ficar imóvel e calado. Os movimentos lentos que assume ao andar, trepar ou comer parecem ser prudentemente calculados servindo também para se ocultar ainda melhor.A postura é de 4 ovos. Os filhotes abandonam o ninho após dois meses. Essa espécie começa a reproduzir tarde, com 3 a 4 anos de vida.

Em bandos são muito barulhentos. É o melhor falador dentre os psitacídeos nacionais. Treinado desde pequeno, continua a aprender por vários anos.Os papagaios são capturados clandestinamente e transportados para serem vendidos. Além da captura do exemplar, se perdem ovos e muitos filhotes morrem no ato da retirada das aves dos ninhos.

Pois, os traficantes de aves, freqüentemente, derrubam a árvore, eliminando assim também os locais favoráveis para reprodução, como exemplo, as palmeiras velhas, que são os melhores locais para procriação. Decorrem, também, a falta de comida com a eliminação das fruteiras nativas nas matas.

Fonte: www.curiosidadeanimal.com

Papagaio Verdadeiro

Amazona aestiva

Ordem: Psittaciformes
Família: Psittacidae

Características

Semelhante ao papagaio-do-mangue. Fronte e loros azuis, o amarelo da cabeça estende-se por cima e por detrás dos olhos contornando-os por conseguinte, ao contrário do que se dá no papagaio-do-mangue. Têm capacidade de "falar", imitando a voz humana, sendo por isso um dos mais procurados como animal de estimação. Pode ser visto aos pares, ou em bandos de até dezenas de indivíduos, principalmente de manhã ou no fim da tarde, quando se deslocam entre os locais de dormida e os pontos de alimentação.

Habitat

Vive na mata úmida ou seca, cerrado, caatinga, campos, palmais, beira de rio.

Distribuição Geográfica

Do nordeste do Brasil (Piauí, Pernambuco, Bahia), centro (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso), ao Rio Grande do Sul, Paraguai, norte da Argentina e Bolívia.

Alimentação

Frutas, folhas e sementes.

Reprodução

3 a 5 ovos incubados por cerca de três semanas.

Fonte: www.ucs.br

Papagaio Verdadeiro

Nome Popular: Louro Baiano, Papagaio Baiano, Papagaio Verdadeiro, Curau e Papagaio Grego
Nome Científico: Amazona aestiva
Classe: Aves
Ordem: Psittaciformes
Família: Psitacidae

Características

Vivem em grandes bandos ou em pares. Muitos indivíduos apresentam um comportamento monogâmico podendo ao logo da vida ter um só parceiro. Vivem em regiões de mata úmida ou seca, palmais, regiões alagadas e beiras de rios. São animais de hábitos diurnos e passam o dia em revoadas a procura de pontos de reprodução e também de alimento. Sua dieta consiste em frutas, bagas, folhagens, sementes e ocasionalmente ovos e insetos. São presas em potencial de cobras, jaguatiricas e aves de rapina. Em cativeiro costumam ser animais extremamente longevos, chegando aos 70 anos de idade.

Distribuição Geográfica

Ocorre desde o Nordeste Brasileiro, sobretudo nos estados do Piauí, Pernambuco e Bahia, como também no Brasil central, como Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Também ocorre no sul do Continente, em regiões do Rio Grande de Sul, como também em partes do Paraguai, Argentina e Bolívia.

Estado de Conservação

Sofre declínio de suas populações selvagens em virtude do tráfico e do desmatamento. Felizmente, por enquanto não está presente na lista das espécies mais ameaçadas de extinção.

Comentários Gerais

Os papagaios em geral são uma das aves mais populares do mundo. São ícone de beleza, alegria e tropicalidade. No entanto toda essa graça e vivacidade que vem do colorido de suas magníficas penas e da capacidade de algumas espécies em imitar a fala humana, levou essas aves à ruína, sendo uma das famílias com maior número de espécies ameaçadas.

Desde os primórdios os papagaios foram admirados e capturados pelos povos nativos da América, que os tinham como animal de estimação, ornamentando suas vestimentas com suas belas penas tanto para rituais religiosos, como para demonstração de poder. Quando os colonizadores europeus chegaram ao Brasil, o país com maior número de espécies de psitacídeos no mundo, não foi diferente, um dos elementos de maior destaque em nosso país foram as "maravilhosas e coloridas aves" relatadas assim pelos próprios colonizadores, que foram retratadas nos mapas como forma de identificação das novas terras. Essa relação foi tão profunda que um dos nomes sugeridos para nosso país foi "Terra dos Papagaios".

Desde então o tráfico desses pássaros passou a ser aclamado pelos mercados europeus. Mas o fascínio dos homens pelos papagaios antecede a chegada ao Novo Mundo, uma vez que os primeiros pisittacídeos levados para a Europa, chegaram no ano de 300 a.C vindos da Índia.

Os imperadores romanos não só capturavam esses animais como também, mantinham o hábito de consumi-los como raros e prestigiados petiscos. Porém essa pratica levou muitas espécies à beira da extinção, e mesmo hoje, quando muitos desses hábitos foram banidos ou sofrem grande proibição o futuro desses magníficos pássaros é incerto. Suas áreas de reprodução estão sendo destruídas, e o tráfico ainda é uma realidade em muitas regiões. Sendo assim para que o "elo de comunicação com os deuses", denominação dos papagaios em culturas antigas, seja preservado é necessária uma conscientização da população para não aderir ao tráfico e um esforço de nossas autoridades em fiscalizar e punir os caçadores, e também preservá-los, criando reservas protegidas da ação humana e incentivando a reprodução em cativeiro.

O caso do Papagaio Baiano é alarmante, por ser a espécie, no Brasil, mais procurada para o xerimbabo (hábito de se domesticar esses animais), se tornando então animal freqüente nas mãos dos traficantes.

Fonte: www.zoonit.org.br

Papagaio Verdadeiro

Amazona aestiva

É um dos papagaios mais procurados pelo homem para servir de ave doméstica (estimação ) por ser o melhor pássaro falador’. Desta forma, centenas são capturados e comercializados clandestinamente em feiras e mercados.

Quando estiver no campo, de binóculo, e tiver a oportunidade de observar algum papagaio, verifique se ele tem a fronte e loros azuis, a cabeça amarela, o encontro das asas e base da cauda vermelhos, o bico escuro e o restante do corpo um verde escuro. Se a descrição coincidir com a ave que estiver vendo trata-se de um papagaio verdadeiro.

Habita a mata úmida ou seca, próximo a rios e cerrados. Alimenta-se de sementes e frutos nativos, como por exemplo o pequi e o araticum.

Ocorre no sul e leste de toda a região sudeste , nordeste ao centro-oeste do Brasil, e ainda no Paraguai , Bolívia, e norte da Argentina.

Obs:. Os indivíduos imaturos podem apresentar a cabeça toda verde.

Fonte: www.animalnet.com.br

Papagaio Verdadeiro

Papagaio Verdadeiro ou Trombeteiro

Ordem: Psittaciformes
Familia: Psittacidae
Género: Amazona
Espécie: A. aestiva
Comprimento: 35 a 37cm
Peso: 400 g

Presente no interior do Brasil, no Nordeste (Piauí, Pernambuco e Bahia), Centro-oeste (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso) e Rio Grande do Sul. Ausente nas áreas litorâneas. Encontrado também na Bolívia, Paraguai e Argentina (Amazona Aestiva Xanthopterix).

É o mais procurado dos papagaios para ser animal de estimação, por ter fama de melhor "falador" de entre os papagaios do Brasil.

Habita a copa de florestas húmidas ou secas, palmais e beiras de rio. Vive em bandos de tamanho variável. A bonita faixa vermelha da asa que possui permite distinguir esta espécie do Papagaio do Mangue (Amazona amazónica).

Os papagaios aestivas adoram trepar e fazer acrobacias. Além disso, têm uma grande necessidade de roer. Para este fim, é aconselhável que disponham de brinquedos adequados e alguns ramos de salgueiro. Estas aves também podem ser muito ruidosas. Este é um aspecto que deve ter em consideração, caso viva no meio de muita vizinhança. Estes psitacídeos se habituados adoram tomar banhos de chuveiro ou borrifador em dias quentes.

Devem ser alimentados à base de uma mistura de alimentos próprio para papagaios (ração comercial ou sementes) facilmente adquirida em lojas especializadas., bem como um sortido diário de frutos frescos e de vegetais.

Os aestivas não são aves frágeis, mas não suportam bem o frio, as correntes de ar e a humidade. Por conseguinte, é essencial que o abrigo nocturno tenha um isolamento muito bom e que esteja situado num local bem protegido.

Existem duas mutações de Amazonas Aestivas, A. a. arlequim e A. a. lutino.

Fonte: www.naturezactiva.com

Papagaio Verdadeiro

Nome Popular: Papagaio-verdadeiro
Nome Científico: Amazona aestiva
Peso: 300 a 400g
Tamanho: 37 cm
Expectativa de Vida: 80 anos

Alimentação

Na natureza, alimentam-se de castanhas, frutas silvestres e sementes (principalmente de leguminosas). Em cativeiro são oferecidos, além da ração comercial, frutos, sementes e vegetais.

Reprodução

O período reprodutivo vai de setembro a final de fevereiro. Em média, botam 3 ovos que são chocados por 24 a 29 dias.

Distribuição Geográfica

Esta espécie ocorre no interior do Brasil, desde o nordeste (Piauí, Pernambuco e Bahia) até o Rio Grande do Sul, passando pelo Brasil central (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso). Também ocorre no Paraguai, Bolívia e norte da Argentina.

Descrição

São verdes com fronte azul e uma região amarela que se estende por detrás dos olhos e manchas vermelhas nas asas. Essas características de cores podem variar de indivíduo para indivíduo e de acordo com a região. Não é possível determinar diferenças entre machos e fêmeas somente através de características externas. São aves extremamente populares e muito procuradas como animais de estimação. Isto se deve ao fato de serem muito inteligentes e perceptivas. São muito procuradas pela fama de serem as mais falantes.

Fonte: www.avedomestica.com

Papagaio Verdadeiro

Uma ave surpreendente que imita os humanos

Papagaio Verdadeiro

O divertido Papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva) é o mais popular no Brasil, entre as 27 espécies do gênero Amazônica, das quais 10 se encontram no país. Um imitador habilidoso da fala humana, este papagaio dócil é considerado um brasileiro legítimo.

Os papagaios vivem em bandos e são aves que precisam de companhia e contato com seus donos no cativeiro, senão ficam agressivas. São encontradas do Nordeste à Foz do Iguaçu e também na região central brasileira.

Na fase adulta, a cor predominante é o verde, combinado com azul na fronte e ao redor do bico; amarelo no topo da cabeça, em volta dos olhos e em pontos da garganta; vermelho (ou vermelho e amarelo) nas extremidades superiores das asas e base da cauda e preto no bico e margens de plumas no pescoço e parte superior do peito.

Quando jovens, possuem cores mais pálidas em especial na cabeça. A íris do olho é marrom escura e laranja no adulto. É nesta fase que eles devem ser acostumados ao convívio com a família. Se alimentado no bico fica manso e, se ensinado, aprende a falar.

Sua diversão é pegar objetos e se empoleirar no dedo e no ombro. Os papagaios passam mais tempo andando e escalando do que voando, não necessitando de grandes espaços. Podem ser criados soltos, bastando cortar pela metade as penas voadeiras de uma asa. É uma ave que mede cerca de 38 cm e vive de 40 a 50 anos.

Um bom exercício para limpar o bico e distrair o papagaio é oferecer tocos e gravetos de árvores verdes ou em decomposição. Caso contrário, ele roerá os poleiros.

É um animal resistente, mas as variações de temperatura podem fazer mal à sua saúde. É importante que o viveiro possua uma área protegida do vento e da chuva, para garantir conforto e bem-estar ao animal.

É fundamental diversificar a alimentação do papagaio. Frutas e verduras devem ser dadas à vontade juntamente com grãos de aveia, milho verde, arroz integral com casca, girassol, alpiste e trigo integral. Carne ou ração canina, uma vez por semana. Diariamente, pode ser oferecido um pão amolecido com água adicionada de vitaminas e sais minerais, porém com orientação veterinária.

Os papagaios gritam com relativa freqüência. Pelo menos por meia hora ao amanhecer e quando ouvem sons de outras aves, é gritaria na certa!

A gaiola do papagaio deve ser de ferro e possuir revestimento em epóxi. Já os poleiros não podem ser de PVC, ferro ou outro material que não madeira. Se criado em viveiro, este deve ter no mínimo 5m de comprimento x 2 m de altura x 2m de profundidade e pode acomodar vários papagaios.

A formação de casais para futuros cruzamentos é uma opção interessante, facilitada agora pelo novo Criadouro Conservacionista instituído pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente).

Os papagaios detestam ser incomodados na época do acasalamento. Portanto, devem ser alimentados por fora. A fêmea põe no máximo quatro ovos brancos. Sai do ninho duas ou três vezes por dia e se alimenta muito pouco. No período de incubação, por volta de 28 dias, o Papagaio tolera a inspeção de seu ninho, mas fica temeroso quando está nele.

A alimentação do filhote é feita somente pela mãe nos primeiros oito dias. Ela mesma busca comida para dar aos seus filhotes. Um reforço de pão com água e milho verde cru ou cozido pode ser oferecido pelos donos.

Passados estes primeiros dias, a alimentação é dada pelo pai e pela mãe. A mãe os aquece dia e noite até três semanas antes de saírem do ninho, o que costuma ocorrer entre 60 e 70 dias. A partir do 15° dia podem ser separados, ou não, dos pais, os quais podem voltar ao viveiro comunitário.

Como ave da fauna nacional, o papagaio está protegido por lei. Se você pretende adquirir um exemplar desta espécie, entre em contato com o IBAMA para saber sobre criadouros credenciados em sua região.

Fonte: www.petfriends.com.br

Papagaio Verdadeiro

Papagaio Verdadeiro

Nome Popular: Papagaio-verdadeiro
Nome Científico: Amazona aestiva
Peso: 300 a 400g
Tamanho: 37 cm

Expectativa Vida

Se forem bem cuidados tornam-se "eternos" companheiros, pois vivem até 80 anos!

Alimentação

Na natureza, alimentam-se de castanhas, frutas silvestres e sementes (principalmente de leguminosas). Em cativeiro são oferecidos, além da ração comercial, frutos, sementes e vegetais.

Reprodução

O período reprodutivo vai de setembro a final de fevereiro. Em média, botam 3 ovos que são chocados por 24 a 29 dias.

Distribuição Geográfica

Esta espécie ocorre no interior do Brasil, desde o nordeste (Piauí, Pernambuco e Bahia) até o Rio Grande do Sul, passando pelo Brasil central (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso). Também ocorre no Paraguai, Bolívia e norte da Argentina.

Descrição

São verdes com fronte azul e uma região amarela que se estende por detrás dos olhos e manchas vermelhas nas asas.

Essas características de cores podem variar de indivíduo para indivíduo e de acordo com a região. Não é possível determinar diferenças entre machos e fêmeas somente através de características externas. São aves extremamente populares e muito procuradas como animais de estimação. Isto se deve ao fato de serem muito inteligentes e perceptivas. São muito procuradas pela fama de serem as mais falantes.

Fonte: www.casadopapagaio.com.br

Papagaio Verdadeiro

Papagaio Verdadeiro

Amazona aestiva

Caracterização

Mede 36cm, seu peso é de 400g. É o papagaio mais procurado, pois tem fama de "falador". Fronte o loras azuis, o amarelo da cabeça estende-se por cima e por detrás dos olhos contornando-os. Bico negro. Existem indivíduos predominantemente amarelos; os imaturo podem ter a cabeça toda verde.

Habitat

Vivem na mata úmida ou seca, palmais, beira do rio.

Distribuição

Ocorre do Nordeste (Piauí, Pernambuco, Bahia, pelo Brasil central (Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso), ao Rio Grande do Sul, Paraguai, norte da Argentina e Bolívia.

Hábitos

Entre os papagaios, macho e fêmea voam tão juntos um do outro que o casal parece ser uma grande e fabulosa ave de quatro asas. A melhor defesa que possuem é ficarem imóveis e calados. Os movimentos lentos que assumem ao andarem, treparem ou comerem parecem ser prudentemente calculados servindo também para se ocultarem ainda melhor; na mata traem-se mais pelo barulho de frutos que fazem cair no solo.
Emite um sinal de satisfação e tranquilidade, no poleiro, através de um estalo produzido pela raspagem da mandíbula contra as ondulações da superfície do "polato".

Alimentação

Procuram seu alimento tanto nas copas das árvores mais altas, como em certos arb ustos frutíferos. Subindo na ramaria utilizam o bico como um terceiro pé; usam as patas para segur ar a comida, levando à boca. Gostam mais das sementes do que da polpa da frutas. São atraídos por árvores fru tíferas como mangueiras, jaboticabeira, goiabeiras, laranjeiras e mamoeiros.

Reprodução

Nidificam nos troncos ocos de palmeiras e outras árvores; aproveitam-se de fendas pela decomposição, em rochas erodidas ou até em barrancos.

Afofam o fundo de suas cavidades com madeira triturada, o que facilita a secagem do fundo banhado pelas fezes líquidas.

A postura é de 4 ovos. Os filhotes abandonam o ninho após dois meses.

Essa espécie começa a reproduzir tarde, com 3 a 4 anos de vida. Nidificam de setembro em diante.

Manifestações sonoras

São muito barulhentos. É o melhor falador dentre os psitacídeos nacionais; treinado desde pequeno, continuam a aprender por vários anos.

Voz: "krik-kiakrik-krik-krik", "kréo" (bem típico), "rak-áu" (voando); canto melodioso: "drüo druo-druo-druo drüo drüi dü; pedinchar do filhote "ga, ga, ga, ga".

Comércio, declínio da espécie

Os papagaios são capturados clandestinamente e transportados para serem vendidos. Além da captura se perdem ovos e muitos filhotes morrem no ato da retirada das aves dos ninhos, pois freqüentemente derruba-se a árvore, eliminando assim também os locais favoráveis para reprodução, como exemplo, as palmeiras velhas, que são os melhores locais para essas aves procriarem.

Destacamos também a falta de comida, decorrente da eliminação das fruteiras nativas nas matas.

Bibliografia

Helmt Sick, 1988. "Ornitologia Brasileira".

Fonte: www.faunacps.cnpm.embrapa.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal