Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Animais / Anu Preto

Anu Preto

PUBLICIDADE

Anu Preto

Caracterização

Mede 36 cm. Corpo franzino, preto uniforme, de bico surpreendemente alto, forte e curto. Cauda comprida e graduada. Sexo sempre semelhante.

O Anu Preto, apesar de formar casais, vive sempre em bandos, ocupando territórios coletivos durante todo o ano. São aves extremamente sociáveis. Tem grande habilidade em pular e correr pela ramagem. O cheiro do corpo é forte e característico, perceptível para nós a vários metros e capaz de atrair morcegos hematófogos e animais carnívoros.

Habitat

Vive nas paisagens abertas com moitas e capões entre pastos e jardins; ao longo das rodovias costuma ser quase a única que sempre se vê, como habitante mais comum de lavouras abandonadas. Prefere lugares úmidos. Voador fraco mal resiste à brisa, qualquer vento mais forte o leva para longe.

Distribuição

Ocorre da Flórida à Argentina e emtodo o Brasil.

Hábitos

Gostam de apanhar sol e banhar-se na poeira, ficando a plumagem às vezes fortemente tingida com a cor da terra do local ou de cinza e carvão, sobretudo se eles correrem antes pelo capim molhado, pois suas penas se tornam pegajosas. Pela manhã e após as chuvas pousam de asas abertas para enxugarem-se.

À noite para se esquentar juntam-se em filas apertadas ou aglomeram-se em bandos desordenados; acontece de um correr sobre as costas dos outros, que formam a fila, para forçar a sua penetração entre os companheiros. Procuram moitas de taquara para pernoitar. Arrumam as suas plumagens reciprocamente.

Alimentação

São essencialmente carnívoros, comendo gafanhotos, percevejos, aranhas, miriápodes etc. Predam também lagartas peludas e urticantes, lagartixas e camudongos. Pescam na água rasa; periodicamente comem frutas, bagas, coquinhos e sementes, sobretudo na época seca quando há escassez de artrópodes .

O Anu Preto alimenta-se sobretudo de ortópteros (gafanhotos) que apanha acompanhando o gado. Quando não há gado no pasto executa, às vezes, caçadas coletivas no campo, o bando espalha-se no chão, em um semicírculo, ficando afastados uns dos outros por dois ou três metros. Permanecem assim imóveis e atentos e quando aparece um inseto, a ave mais próxima salta e o apanha. De tempos em tempos o bando avança. Quando pousam sobre o dorso dos bois geralmente o fazem para ampliar seu campo visual. Às vezes apanha insetos em pleno vôo, capturando também pequenas cobras e rãs; seguem tratores que aram os campos.

Reprodução

Os ovos das fêmeas do Anu Preto perfazem 14% do peso de seu corpo. É de cor azul-esverdeada, coberto por uma crosta calcárea, raspada sucessivamente pelo process de virar os ovos durante a incubação. A incubação é curta, dura de 13 a 16 dias. O Anu Preto costuma trazer comida quando visita a fêmea no ninho.

O macho dança em torno da fêmea, no solo. As fêmeas, embora possuam ninhos individuais, se associam mais freqüentemente a um ou dois casais do seu bando para construir ninho coletivo, pôr ovos e criar a prole juntas, tendo a cooperação de machos e filhotes crescidos de posturas anteriores. Seus ninhos são grandes e profundos. Pode acontecer de um ninho ser ocupado por 6 ou 10 aves, e conter 10, 20 e até mais ovos. A postura de uma fêmea é calculada em 4 a 7 ovos. A incubação é curta, dura de 13 a 16 dias, são criados com sucesso meia dúzia de filhotes por vez. A boca aberta vermelha do filhote do Anu Preto é marcada por três sinais amarelos.

Quando os seus ninhos são abandonados, às vezes são aproveitados por outros pássaros, cobras e por pequenos mamíferos, sobretudo marsupiais.Os filhotes deixam o ninho antes de poder voar, com a cauda curta, e são alimentados ainda durante algumas semanas. Seus filhotes ainda pequenos são facilmente espantados e fogem para todos os lados sobre os galhos em torno do ninho, mas costumam regressar ao mesmo quando se sentem novamente seguros.

Manifestações sonoras

O Anu Preto possui mais de uma dúzia de vozes diferentes. Tem dois pios de alarme: a um certo grito todos os componentes do bando se empoleiram em pontos bem visíveis, examinando a situação; outro grito, emitido quando um gavião se aproxima, faz desaparecer num instante no matagal todo o grupo.

Eles se divertem cavaqueando baixinho, de modo bem variado, causando às vezes a impressão de estar tentando imitar a voz de outra ave.

Folclore, crendices

Para dar um exemplo das crendices absurdas que envolvem os animiais, dizem que à carne do Anu Preto é atribuído o valor curativo em doenças venéreas.

Fonte: www.faunacps.cnpm.embrapa.br

Anu Preto

Nome Vulgar: Anu preto
Nome Científico: Crotophaga ani
Classe: Aves
Gênero: Crotophaga
Espécie: ani

Descrição

Ave extremamente sociável, nunca vista solitária, anda sempre em bandos e pode ser identificada pela plumagem toda preta, bico alto e cauda longa.

Pode ser vista acompanhando o gado para capturar insetos (como gafanhoto, grilos e besouros), isso acontece quando o pasto é “pisado” pelo gado, com isso, esses insetos, se mexem, sendo por ela capturado.

Também têm o hábito de ir andando pelos gramados, de vez em quando dando pequenos pulos para pegar pequenas presas.

É bastante versátil em sua alimentação, comendo frutos, coquinhos, sementes, artrópodes, pequenas cobras e rãs e filhotes de outras aves saqueadas em seus ninhos.

Com freqüência capturam alimento no solo, ocasião em que adotam as técnicas “procuradora” e “senta e espera”.

Fazem grandes ninhos coletivos, que é feito com pequenos ramos e folhas, medindo cerca de 30cm de diâmetros por 13cm de profundidade e abriga ovos de várias fêmeas; cada uma põe de 4 a 7 ovos, podendo o total atingir 20 ovos.

Cada um destes, azul-esverdeado e recoberto por uma crosta calcária, mede cerca de 35 x 25mm, representando 14% do peso da ave adulta.

A incubação dura de 13 a 16 dias e os filhotes deixam o ninho com 5 dias de idade; compartilham, com machos e filhotes mais velhos, da tarefa de criar os filhotes.

Enquanto não voam, permanecem nas proximidades do ninho subindo pelos galhos com auxílio do bico e dos pés.

Vive em grupos formados geralmente por 7 a 15 indivíduos; à noite os membros do bando dormem sob a folhagem densa de uma mesma árvore e mantêm um território bem definido, com duas áreas: uma para ninhos e pernoite e outra para alimentação.

Anu Preto

O tamanho médio é de 33cm e seu peso varia de 98 a 120g.

Na ausência de animais domésticos, os animais caminham juntos em semi-círculos até aparecer um inseto.

Então, a ave mais próxima salta e o apanha.

Analisando essa técnica, o anu–preto é um excelente controlador de insetos, favorecendo toda a cadeia alimentar.

É uma das aves mais comuns nos campos, parques, jardins, pastagens e culturas, vive também nas paisagens abertas e a beira de rodovias, pousa nos arbustos existentes nos pastos.

Também pode ser observado nos fios de arame, ou rede elétrica.

Ao contrário do anu-branco, prefere locais mais úmidos (mata galeria), vegetação predominante em aréas perto de rios, caatinga, e próximas a ambientes aquáticos.

Muito comum na região sudeste, assim como todo o Brasil, sendo encontrado também em outros países, como dos EUA até Argentina.

Fonte: www.diagnostico.org.br

Anu Preto

Anu Preto

Crotophaga ani

Ordem

Cuculiformes

Família

Cuculidae

O anu-preto é uma ave desajeitada e simpática, que na cidade vive principalmente em capinzais perto da água, sempre em bandinhos que têm entre quatro e doze indivíduos. É fácil vê-lo, pois vive sempre em locais bem abertos. Tem vôo lento e pesado, baixo. Em dias de vento, a cauda longa e larga parece ser um transtorno se a ave pousa em algum lugar alto e exposto.

A nidificação é comunitária, e muitas fêmeas usam o mesmo ninho, volumoso, construído com varetas, para pôr seus ovos, azul-esverdeados e cobertos por uma crosta calcária.

Alimenta-se de insetos grandes, em particular gafanhotos; come mais raramente pequenos vertebrados e alguns frutinhos. Procura seu alimento no chão, entre a vegetação rasteira, e nas áreas rurais segue o gado, comendo os insetos que as reses espantam.

É visto principalmente em áreas verdes, como a Cidade Universitária e o parques do Carmo e do Estado.

Citação bibliográfica

Argel, M., 2001. Anu-preto (Crotophaga ani). In: www.marthaargel.com.br. Acessado em [data do seu acesso].

Martha Argel

Fonte: www.marthaargel.com.br

Anu Preto

Nome científico

Crotophaga ani Linnaeus, 1758

Nomes populares

Anu-preto, anum (Pará)

Ordem

Cuculiformes

Família

Crotophagidae

Subfamília

Crotophaginae

Tamanho

36 cm.

Descrição

Gosta de sol e toma banho na poeira, ficando a plumagem às vezes com a cor da terra ou de cinza e carvão. Para se aquecerem aglomeram-se em bandos desordenados, geralmente formados por 7 a 15 indivíduos. Prefere lugares úmidos. Não voa bem, mal resiste a brisa, qualquer vento mais forte ó leva para longe

Vocalização

Assobio melodioso “tülid”, ”ani”, lembando um maçaricão, Numenius, “uä”; seqüência lenta de “glü” (canto); possui mais vozes ventríloquas. O anu-preto possui mais de uma dúzia de vozes diferentes (Davis 1940a). Tem dois pios de alarme: a um certo grito todos os componentes do bando se empoleiram em pontos bem visíveis, examinando a situação; outro grito, emitido quando um gavião aproxima-se, faz desaparecer em um instante todo o bando no matagal. O crocitar dos pássaros pode lembra as gralhas. O anu-preto se diverte cavaqueando baixinho, de modo bem variado, causando as vezes a impressão de estar tentando imitar a voz de outra aves e até de gente.

Reprodução

Cada fêmea põe de 4 a 7 ovos de cor azul-esverdeada com uma camada calcária medindo cerca de 35 x 25 mm, cada ovo tem 14% do tamanho do anu-preto fêmea. Os ninhos são feitos de ramos, folhas, mede cerca de 30 cm de diâmetros por 13 cm de profundidade, geralmente são coletivos e auxiliados pelos machos e filhotes das crias anteriores. A incubação dura de 13 a 16 dias. Quando nascem ainda não voam, então ficam perto do ninho, e são alimentados pelos pais.

Alimentação

Alimenta -se de artrópodes como gafanhotos, percevejos, aranhas, miriápodes e pequenos vertebrados como as lagartixas e camudongos, peixes, capturam pequenas cobras e rãs; periodicamente comem frutas, bagas, coquinhos e sementes. Caçam coletivamente no campo, o bando espalha-se no chão, em um semicírculo, distantes uns dos outros por 2 a 3 metros. Ficam imóveis e atentos e ao aparecer um inseto, a ave mais próxima salta e o apanha. Até agora não foi possivel comprovar a opinião popular, segundo a qual o anu é grande devorador de carrapatos. Em centenas de estudos estomacais, pesquisados por vários cientistas (sobretudo J. Moojen, em Minas gerais e Mato Grosso), não apareceu nenhum carrapato nem em casos em que a ave foi vista picando a pele de aminal.

Habitat

Vive em paisagens abertas com moitas e capões entre pastos e jardins; ao longo das rodovias costuma ser quase a única a vê que sempre se vê em pequenos grupos, como habitante mais comum das zonas de lavouras abandonadas.

Distribuição

Ocorre da Flórida à Argentina e em todo o Brasil.

Bibliografia

Ornitologia brasileira, Helmut Sick, 862 p., Editora Nova Fronteira – 1977 (pág. 388).
Aves Brasileiras, Johan Dalgas Frisch, 353 p., Editora Dalgas-Ecoltec Ecologia Técnica e Com. Ltda.(pág. 117).
Conhecendo Aves Silvestres Brasileiras, 165 p., Bianca L. Reinert, Marcos R. Baruscheia e Ricardo Belmnte-
Lopes, Grupo Ecológico Vida Verde de Cornélio Procópio, 2004 (pág. 58). Pantanal Guia de Aves, 248 p., Paulo de Tarso Zuquim Dantas, SESC Pantanal, (pág. 119). http://pt.wikipedia.org/wiki/Anu-preto

Pesquisa: Agenor Francisco Noronha
Foto: Thaís Regina Monteiro

Fonte: www.fundevap.org.br

Anu Preto

Anu Preto
Crotophaga ani

É uma das aves mais comuns nos campos, pastagens e culturas, anda sempre em bandos e pode ser identificado pela plumagem toda preta, bico alto e cauda longa.

Pode ser visto acompanhando o gado para capturar insetos (como gafanhoto, grilos e besouros), isso acontece quando o pasto é “pisado”pelo gado, com isso, esses insetos, se mexem, sendo por ele capturado.

Na ausência de animais domésticos ,os animais caminham juntos em semi-círculos até aparecer um inseto. Então, a ave mais próxima salta e o apanha.

Analisando essa técnica, o anu – preto é um excelente controlador de insetos, favorecendo toda a cadeia alimentar.

Constroem seus ninhos individuais ou coletivos, onde algumas fêmeas põem os ovos e compartilham, com machos e filhotes mais velhos, da tarefa de criar os filhotes.

Estudos afirmam sob sua área de atuação é bastante diversificada, foi observado por estudiosos no município de Iguatama,(MG)construido um ninho em uma região de cerrado. Vive também nas paisagens abertas e a beira de rodovias, pousa nos arbustos existentes nos pastos. Também pode ser observado nos fios de arame, ou rede elétrica.

Ao contrário do anu-branco, prefere locais mais úmidos (mata galeria), vegetação predominante em aréas perto de rios; caatinga, e próximas a ambientes aquáticos.

Muito comum na região sudeste, assim como todo o Brasil, sendo encontrado também em outros países, como dos Eua até Argentina. Atinge cerca de 34 cm, e seu peso varia entre 98 e 120 gramas.

Fonte: www.animalnet.com.br

Anu Preto

Anu Preto

Classe: Aves
Ordem: Cuculiformes
Família: Cuculidae
Nome científico: Crotophaga ani
Nome vulgar: Anu Preto

Esta espécie vive em grupos formados geralmente por 7 a 15 indivíduos; à noite os membros do bando dormem sob a folhagem densa de uma mesma árvore e mantêm um território bem definido, com duas áreas: uma para ninhos e pernoite e outra para alimentação.

Alimentação

artrópodes e pequenos vertebrados, saqueando ninhos de pequenos pássaros. Com freqüência capturam alimento no solo, ocasião em que adotam as técnicas “procuradora” e “senta e espera”.

Nidificação

O ninho, que é feito com pequenos ramos e folhas, mede cerca de 30 cm de diâmetros por 13 cm de profundidade e abriga ovos de várias fêmeas; cada uma põe de 4 a 7 ovos, podendo o total atingir 20 ovos. Cada um destes, azul-esverdeado e recoberto por uma crosta calcária, mede cerca de 35 x 25 mm, representando 14% do peso da ave adulta. A incubação dura de 13 a 16 dias e os filhotes deixam o ninho com 5 dias de idade; enquanto não voam, permanecem nas proximidades do ninho subindo pelos galhos com auxílio do bico e dos pés.

Hábitat

Campos, parques e jardins.

Tamanho

33,0 cm

Fonte: www.flickr.com

Anu Preto

Habitat

Vive nas paisagens abertas com moitas e capões entre pastos e jardins; ao longo das rodovias costuma ser quase a única que sempre se vê, como habitante mais comum de lavouras abandonadas. Prefere lugares úmidos. Voador fraco mal resiste à brisa, qualquer vento mais forte o leva para longe.

Distribuição

Ocorre da Flórida à Argentina e emtodo o Brasil.

Hábitos

Gostam de apanhar sol e banhar-se na poeira, ficando a plumagem às vezes fortemente tingida com a cor da terra do local ou de cinza e carvão, sobretudo se eles correrem antes pelo capim molhado, pois suas penas se tornam pegajosas. Pela manhã e após as chuvas pousam de asas abertas para enxugarem-se.

Anu Preto

À noite para se esquentar juntam-se em filas apertadas ou aglomeram-se em bandos desordenados; acontece de um correr sobre as costas dos outros, que formam a fila, para forçar a sua penetração entre os companheiros. Procuram moitas de taquara para pernoitar. Arrumam as suas plumagens reciprocamente.

Alimentação

São essencialmente carnívoros, comendo gafanhotos, percevejos, aranhas, miriápodes etc. Predam também lagartas peludas e urticantes, lagartixas e camudongos. Pescam na água rasa; periodicamente comem frutas, bagas, coquinhos e sementes, sobretudo na época seca quando há escassez de artrópodes.

O anu-preto alimenta-se sobretudo de ortópteros (gafanhotos) que apanha acompanhando o gado. Quando não há gado no pasto executa, às vezes, caçadas coletivas no campo, o bando espalha-se no chão, em um semicírculo, ficando afastados uns dos outros por dois ou três metros. Permanecem assim imóveis e atentos e quando aparece um inseto, a ave mais próxima salta e o apanha. De tempos em tempos o bando avança. Quando pousam sobre o dorso dos bois geralmente o fazem para ampliar seu campo visual. Às vezes apanha insetos em pleno vôo, capturando também pequenas cobras e rãs; seguem tratores que aram os campos.

Reprodução

Os ovos das fêmeas do anu-preto perfazem 14% do peso de seu corpo. É de cor azul-esverdeada, coberto por uma crosta calcárea, raspada sucessivamente pelo process de virar os ovos durante a incubação. A incubação é curta, dura de 13 a 16 dias. O anu-preto costuma trazer comida quando visita a fêmea no ninho.

O macho dança em torno da fêmea, no solo. As fêmeas, embora possuam ninhos individuais, se associam mais freqüentemente a um ou dois casais do seu bando para construir ninho coletivo, pôr ovos e criar a prole juntas, tendo a cooperação de machos e filhotes crescidos de posturas anteriores. Seus ninhos são grandes e profundos. Pode acontecer de um ninho ser ocupado por 6 ou 10 aves, e conter 10, 20 e até mais ovos. A postura de uma fêmea é calculada em 4 a 7 ovos.

A incubação é curta, dura de 13 a 16 dias, são criados com sucesso meia dúzia de filhotes por vez. A boca aberta vermelha do filhote do anu-preto é marcada por três sinais amarelos.

Quando os seus ninhos são abandonados, às vezes são aproveitados por outros pássaros, cobras e por pequenos mamíferos, sobretudo marsupiais.Os filhotes deixam o ninho antes de poder voar, com a cauda curta, e são alimentados ainda durante algumas semanas. Seus filhotes ainda pequenos são facilmente espantados e fogem para todos os lados sobre os galhos em torno do ninho, mas costumam regressar ao mesmo quando se sentem novamente seguros.

Fonte: olhares.aeiou.pt

Anu Preto

Anu Preto

Ave extremamente sociável, nunca vista solitária, anda sempre em bandos e pode ser identificada pela plumagem toda preta, bico alto e cauda longa.

Pode ser vista acompanhando o gado para capturar insetos (como gafanhoto, grilos e besouros), isso acontece quando o pasto é “pisado” pelo gado, com isso, esses insetos, se mexem, sendo por ela capturado.

Também têm o hábito de ir andando pelos gramados, de vez em quando dando pequenos pulos para pegar pequenas presas.

É bastante versátil em sua alimentação, comendo frutos, coquinhos, sementes, artrópodes, pequenas cobras e rãs e filhotes de outras aves saqueadas em seus ninhos.

Com freqüência capturam alimento no solo, ocasião em que adotam as técnicas “procuradora” e “senta e espera”.

Fazem grandes ninhos coletivos, que é feito com pequenos ramos e folhas, medindo cerca de 30cm de diâmetros por 13cm de profundidade e abriga ovos de várias fêmeas; cada uma põe de 4 a 7 ovos, podendo o total atingir 20 ovos.

excluir Cada um destes, azul-esverdeado e recoberto por uma crosta calcária, mede cerca de 35 x 25mm, representando 14% do peso da ave adulta.

A incubação dura de 13 a 16 dias e os filhotes deixam o ninho com 5 dias de idade; compartilham, com machos e filhotes mais velhos, da tarefa de criar os filhotes.

Enquanto não voam, permanecem nas proximidades do ninho subindo pelos galhos com auxílio do bico e dos pés.

Vive em grupos formados geralmente por 7 a 15 indivíduos; à noite os membros do bando dormem sob a folhagem densa de uma mesma árvore e mantêm um território bem definido, com duas áreas: uma para ninhos e pernoite e outra para alimentação.

O tamanho médio é de 33cm e seu peso varia de 98 a 120g.

Na ausência de animais domésticos, os animais caminham juntos em semi-círculos até aparecer um inseto.

Então, a ave mais próxima salta e o apanha.

Analisando essa técnica, o anu–preto é um excelente controlador de insetos, favorecendo toda a cadeia alimentar.

É uma das aves mais comuns nos campos, parques, jardins, pastagens e culturas, vive também nas paisagens abertas e a beira de rodovias, pousa nos arbustos existentes nos pastos.

Também pode ser observado nos fios de arame, ou rede elétrica.

Ao contrário do anu-branco, prefere locais mais úmidos (mata galeria), vegetação predominante em aréas perto de rios, caatinga, e próximas a ambientes aquáticos.

Muito comum na região sudeste, assim como todo o Brasil, sendo encontrado também em outros países, como dos EUA até Argentina.

Fonte: dimaserose.blogspot.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Leão

Leão, Animal, Características, Habitat, Família, Espécie, Reprodução, Classificação, Rei da Selva, Simba, Reino, Filo, Classe, Gênero, Dieta, Leão

Víboras, Calangos e Tartarugas

Víboras, Calangos E Tartarugas, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Víboras, Calangos E Tartarugas

Víbora

Víbora, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Vipera Latastei, Áspide, Inimigos, Gigante, Predadores, Crânio, Dentes, Animal, Réptil, Víbora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+