Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Complexo De Golgi  Voltar

COMPLEXO DE GOLGI

O é um sistema de cisternas achatadas e ligeiramente curvas, que se situam entre o RE e a Membrana Plasmática (MP). O CG possui uma facecis (convexa), voltada para o núcleo, e uma facetrans (côncava), voltada para a membrana plasmática. Entre elas estão as cisternas medianas. As moléculas protéicas chegam ao CG pela incorporação de vesículas de transporte, advindas do RER, na face cis. Daí migram, também através de vesículas transportadoras, para as cisternas medianas e, finalmente para a cisterna trans, de onde serão endereçadas à MP, aos lisossomas, ao RE ou ao próprio Golgi.

O CG modifica as proteínas produzidas pelo RER, alterando seu padrão de glicosilação, fosforilação, sulfatação e hidroxilação. Além disso, enzimas associadas à membrana do CG concentram e endereçam -- bioquimicamente -- estas proteínas para os diferentes compartimentos membranares. Assim, vesículas contendo as hidrolases ácidas, que formarão os lisossomas, expressarão em suas membranas o receptor de manose-6-fosfato.

As vesículas brotam do Complexo de Golgi recobertas por clatrina ou outras proteínas que se conectam com o domínio citosólico das proteínas transmembranares características de cada vesícula (por ex.: manose-6-fosfato na membrana de lisossomas). Os triesquelions de clatrina (complexo protéico constituído de três cadeias pesadas e três cadeias leves) se autoconstroem, induzindo, na face citosólica da membrana do CG, a força mecânica que provoca a sua invaginação. Inicialmente forma-se uma fosseta, que em seguida se converte em uma vesícula, que destaca e é liberada no citosol.


Fotomicrografia eletrônica de transmissão de célula folicular de ovário de S. spilopleura. Ver Complexo de Golgi e cisternas do Retículo Endoplasmático Rugoso dilatadas.

Sinais relacionados ao Complexo de Golgi

As proteínas depois de endereçadas e encapsuladas em vesículas, podem seguir os seguintes caminhos:

1 Inserir-se à MP, se contiverem proteínas (ou lípides) com domínios de ancoragem na  membrana plasmática.
2 Fundir-se à MP e promover a exocitose do seu conteúdo, se contiverem proteínas destinadas ao meio extracelular.
3 Acomodar-se no citoplasma, como grânulos de secreção, para posteriormente serem exocitados.
4 Formar  lisossomas que poderão se fundir com endossomas.
5 Voltar às Cisternas Cis do CG.
6 Fundir-se ao RE, tranferindo a este proteínas processadas no CG.

Desta forma, os mecanismos de secreção celular podem ser classificados em duas vias distintas:

A Via Secretória Regulada controla o transporte de proteínas destinadas aos lisossomas(4) e para vesículas secretoras(3). A liberação destas proteínas depende da ordenação de uma substância indutora.

A Via Secretória Constitutiva, ou Padrão, não tem um processo regulador próprio, as moléculas são secretadas automaticamente. É seguida pelas proteínas destinadas à MP(1) e ao meio extra-celular(2).

Fonte: www.icb.ufmg.br

voltar 12345avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal