Breaking News
Home / Biologia / Bipedalismo

Bipedalismo

PUBLICIDADE

Bipedalismo – O que é

Em zoologia, é uma forma de locomoção terrestre, em que o ser vivo conta com a capacidade de se deslocar sobre dois membros posteriores ou pernas.

Um desses seres vivos capazes de se locomover sobre dois pés é o ser humano, considerado, portanto, um ser bípede, que significa “dois pés”.

A palavra bípede tem origem no latim, sendo bi, com significado de “dois” e ped, “pés”.

O movimento bípede, portanto, permite ao ser humano caminhar, correr, pular e, inclusive, favorece a manipulação de objetos com as mãos. Isso ocorre, pois ao se equilibrar sobre os dois membros, o ser humano consegue utilizar ferramentas.

Segundo algumas teorias, como a apresentada pelo professor de Ciências Biológicas e Antropologia na University of Southern Californ, Craig Stanford, o fato dos ancestrais comuns ao ser humano terem apresentado como característica o fato de serem bípedes, fez com que as relações dos hominídeos com o ambiente fossem alteradas.

Como o corpo humano, quando comparado a outros animais, é muito frágil (não temos pelos para nos proteger do frio, nem dentes afiados, garras, etc.), além de termos um potencial sensorial inferior aos demais animais (nosso olfato ou audição, por exemplo, nem se compara ao de um cachorro), uma das características que auxiliou na conquista terrestre foi a posição ereta, o que nos tornou bípedes, e favoreceu o uso de ferramentas.

BipedalismoBipedalismo ou Bipedismo

Outra hipótese defendida por Stanford é que a fala foi beneficiada ao se assumir o bipedalismo. Ao contrário de animais quadrúpedes, que respiram em sincronia com os passos, em animais bípedes isso não ocorre, uma vez que seria possível aos pulmões modular uma respiração de forma sutil – o que pode ter contribuído para a evolução da fala.

Vale ressaltar que, com o desenvolvimento do cérebro ao longo da evolução humana, somado a capacidade de ficar sobre dois pés e deixar os membros superiores livres para a manipulação de objetos e ferramentas, esses elementos foram de fundamental importância para que o ser humano conseguisse sobreviver no ambiente, pois dessa forma foi possível manipular o espaço e objetos para conseguir criar condições para a sobrevivência. Por isso, o bipedalismo é tão importante para a espécie humana.

A Hipótese do Bipedalismo na Evolução Humana

Bipedalismo ou Bipedismo

Uma das características mais óbvias mostradas pelos humanos e que não é compartilhada por muitas outras espécies animais na Terra é a capacidade de andar sobre dois pés em vez de quatro pés.

Este traço, denominado bipedalismo, parece desempenhar um grande papel no caminho da evolução humana. Não parece ter nada a ver com ser capaz de correr mais rápido, já que muitos animais de quatro patas podem correr mais rápido do que até mesmo o mais rápido dos humanos. É claro que os humanos não se preocupam muito com predadores, então deve haver outra razão para o bipedalismo ter sido escolhido pela seleção natural como a adaptação preferida.

Abaixo está uma lista de possíveis motivos pelos quais os humanos desenvolveram a capacidade de andar sobre dois pés.

A mais aceita das hipóteses do bipedismo é a ideia de que os humanos começaram a andar sobre dois pés em vez de quatro para liberar as mãos para fazer outras tarefas.

Os primatas já haviam adaptado o polegar opositor em seus membros anteriores antes que o bipedalismo acontecesse.

Isso permitiu aos primatas agarrar e segurar objetos menores que outros animais eram incapazes de agarrar com seus membros anteriores. Essa habilidade única pode ter levado as mães a carregar bebês ou a coletar e transportar alimentos.

Obviamente, usar as quatro patas para andar e correr limita esse tipo de atividade.

Carregar um bebê ou comida com os membros anteriores exigiria que os membros anteriores estivessem fora do chão por longos períodos de tempo. Como os primeiros ancestrais humanos migraram para novas áreas ao redor do globo, eles provavelmente andavam sobre dois pés enquanto carregavam seus pertences, comida ou entes queridos.

A invenção e descoberta de ferramentas também podem ter levado ao bipedismo nos ancestrais humanos. Os primatas não apenas desenvolveram o polegar opositor, mas seus cérebros e habilidades cognitivas também mudaram com o tempo.

Os ancestrais humanos começaram a resolver problemas de novas maneiras e isso levou ao uso de ferramentas para ajudar a tornar mais fáceis tarefas, como quebrar nozes ou afiar lanças para caça.

Fazer esse tipo de trabalho com ferramentas exigiria que os membros anteriores estivessem livres de outras tarefas, incluindo ajudar a caminhar ou correr.

bipedalismo permitiu que os ancestrais humanos mantivessem os membros anteriores livres para construir e usar as ferramentas. Eles podiam andar e carregar as ferramentas, ou mesmo usá-las, ao mesmo tempo.

Isso foi uma grande vantagem, pois eles migraram para longas distâncias e criaram novos habitats em novas áreas.

Outra hipótese de por que os humanos se adaptaram andando sobre dois pés em vez de quatro é para que pudessem ver sobre a grama alta. Os ancestrais humanos viviam em pastagens selvagens, onde a grama chegava a vários metros de altura. Esses indivíduos não conseguiam enxergar a distâncias muito longas por causa da densidade e da altura da grama. Talvez seja por isso que o bipedalismo evoluiu.

Por ficar em pé e andar apenas com 60 centímetros em vez de quatro, esses primeiros ancestrais quase dobraram de altura. A capacidade de ver por cima da grama alta à medida que caçavam, coletavam ou migravam tornou-se uma característica muito benéfica. Vendo o que estava à frente, à distância ajudou na direção e como eles poderiam encontrar novas fontes de comida e água.

Até mesmo os primeiros ancestrais humanos eram caçadores que perseguiam suas presas para alimentar suas famílias e amigos. Depois que descobriram como criar ferramentas, isso levou à criação de armas para caçar e se defender. Ter os membros anteriores livres para carregar e usar as armas a qualquer momento frequentemente significava a diferença entre a vida e a morte.

A caça tornou-se mais fácil e deu aos ancestrais humanos uma vantagem quando eles usavam ferramentas e armas. Ao criar lanças ou outros projéteis afiados, eles foram capazes de matar suas presas à distância em vez de pegar os animais geralmente mais rápidos. O bipedalismo liberou seus braços e mãos para usar as armas conforme necessário.

Essa nova habilidade aumentou o suprimento de comida e a sobrevivência.

Os primeiros ancestrais humanos não eram apenas caçadores, mas também coletores. Muito do que eles coletaram veio de árvores como frutas e nozes.

Como esse alimento não era alcançável pela boca se andassem sobre quatro patas, a evolução do bipedalismo permitiu que agora chegassem ao alimento. Ao ficar em pé e esticar os braços para cima, aumentava muito sua altura e lhes permitia alcançar e pegar nozes e frutas penduradas.

bipedalismo também permitiu que carregassem mais dos alimentos que coletaram para levar para suas famílias ou tribos. Também era possível descascar as frutas ou quebrar as nozes enquanto caminhavam, pois suas mãos estavam livres para fazer essas tarefas. Isso economizou tempo e permitiu que eles se alimentassem mais rapidamente do que se tivessem que transportar e preparar em um local diferente.

Fonte: Juliano Schiavo

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.