Breaking News
Home / Biologia / Experimentos de Fox

Experimentos de Fox

PUBLICIDADE

 Desafiado pelo dilema acima, os evolucionistas começaram a inventar cenários irrealistas baseadas neste “problema da água”, que assim definitivamente suas teorias foam refutadas.

Sydney Fox foi um dos mais conhecidos desses pesquisadores.

Fox propôs uma teoria avançada resolver o problema.

De acordo com ele, os primeiros aminoácidos deveriam ter sido transportados para alguns penhascos perto de um vulcão logo após sua formação no oceano primordial.

A água contida nessa mistura, que incluía os aminoácidos deve ter evaporado quando a temperatura foi aumentada acima do ponto de ebulição na falésia.

Os aminoácidos combinaram-se para formar as proteínas.

No entanto, esta “complicada” saída não foi aceito por muitas pessoas no campo, porque os aminoácidos não poderiam ter suportado tais altas temperaturas. A pesquisa confirmou que os aminoácidos são imediatamente destruídas a temperaturas muito altas.

Mas Fox não desistiu.

Ele combinou os aminoácidos purificados em laboratório, “em condições muito especiais”, aquecendo-os em um ambiente seco. Os aminoácidos combinados, porém não foram obtidas as proteínas. O que ele realmente terminou foi laços simples e desordenadas de aminoácidos, arbitrariamente combinados uns com os outros, e estes laços estavam longe de ser parecido com qualquer proteína vida. Além disso, se a Fox manteve os aminoácidos, a uma temperatura constante, em seguida, esses laços inúteis também se desintegraram.

Experimentos de Fox

Experimentos de Fox
FOX “proteinóides”

Sydney Fox, foi influenciado pelo cenário de Miller, formaram as moléculas acima, que ele chamou de “proteinóides”, juntando-se aminoácidos.

No entanto, estas cadeias de aminoácidos não funcionantes não tinham nenhuma semelhança com as proteínas reais que compõem os corpos de seres vivos. Na verdade, todos esses esforços mostraram não só que a vida não surgiu por acaso, mas também que não poderia ser reproduzida em laboratório.

Outro ponto que anulou a experiência foi que a Fox não usou os produtos finais inúteis obtidos no experimento de Miller; em vez disso, ele usou aminoácidos puros a partir de organismos vivos. Esta experiência, no entanto, que se destinava a ser uma continuação do experimento de Miller, deve ter começado a partir dos resultados obtidos por Miller. No entanto, nem Fox, nem qualquer outro pesquisador, utilizou os aminoácidos inúteis que Miller produziu.

O experimento de Fox não estava mesmo bem-vinda nos círculos evolucionistas, porque estava claro que as cadeias de aminoácidos sem sentido que ele obteve (que ele chamou de “proteinóides”) não poderia ter se formado em condições naturais. Além disso, as proteínas, as unidades básicas de vida, ainda não puderam ser produzidos. O problema da origem de proteínas continua sem solução.

Em um artigo na revista científica popular, Chemical Engineering News, que surgiu na década de 1970, o experimento de Fox foi mencionado como segue:

Sydney Fox e os outros pesquisadores conseguiu unir os aminoácidos em forma de “proteinóides” usando técnicas de aquecimento muito especiais, em condições que, de fato, não existia nada nos estágios primordiais da Terra. Além disso, eles não são em tudo semelhante ao das proteínas muito regulares presentes nos seres vivos. Eles não são nada, mas inútil, manchas químicas irregulares. Foi explicado que, mesmo que essas moléculas se formou no início dos tempos, eles com certeza gostaria de ser destruído.

Com efeito, os proteinóides Fox obtidos eram completamente diferentes das proteínas reais, tanto na sua estrutura e função. A diferença entre as proteínas e estas proteinóides era tão grande quanto a diferença entre uma peça de equipamento de alta tecnologia e um monte de ferro não processado.

Além disso, não havia nenhuma possibilidade de que mesmo essas cadeias de aminoácidos irregulares poderia ter sobrevivido na atmosfera primordial.

Efeitos físicos e químicos nocivos e destrutivos causados pela exposição excessiva à luz ultravioleta e outras condições naturais instáveis teriam causado esses proteinóides a se desintegrar, também era impossível para os aminoácidos combinaren debaixo d’água.

Fonte: www.darwinismrefuted.com

Experimentos de Fox

Sidney Fox testou a etapa seguinte, a formação abiótica de polímeros a partir dos monômeros.

Dado que a concentração de monômeros nos oceanos primitivos deveria ser baixa e que as reações de polimerização são reações de desidratação, estas não seriam fáceis de obter em condições naturais.

Assim, foi proposto que as polimerizações teriam ocorrido apenas em condições especiais, que aumentavam artificialmente a concentração de monômeros e catalisavam as reações.

É sabido que as argilas são rochas formadas por camadas aluminossilicatos hidratados com grande quantidade de cargas positivas e negativas. Por este motivo estas rochas captam moléculas carregadas com grande facilidade pelo processo de adsorsão. Este poderia ser um meio de facilitar a polimerização, tal como a congelação, evaporação, calor, etc.

Fox testou esta possibilidade aquecendo a 200ºC misturas de aminoácidos obtidos abioticamente sobre pedaços de rocha. Obteve cadeias polipeptídicas, que designou proteinóides, e que podiam ser usadas como alimento por bactérias e podiam apresentar capacidade catalítica (uma pré-enzima).

Com estes proteinóides, Fox obteve ainda o passo seguinte da teoria de Oparin, a formação de coacervados, estruturas que Fox designou microsferas, por aquecimento á ebulição seguido de arrefecimento.

As microsferas aparentavam ter propriedades osmóticas através da sua membrana de moléculas de água, comportando-se como uma pré-célula.

Fonte: curlygirl.no.sapo.pt

Experimentos de Fox

Em 1957, o pesquisador norte-americano Sidney Fox aqueceu uma mistura de proteínas em água levemente salgada, e obteve a formação de esferas microscopias que ele chamou de microsferas.

Ele propôs que essas moléculas esféricas podem ter-se aglomerado e mantido a sua organização por algum tempo. Depois esses aglomerados cresceram e se reproduziram, dando o salto definitivo para o surgimento da vida.

Conceitos

Experimento de Fox: Sidney Fox, baseado no experimento de Miller submeteu a aquecimento prolongado uma mistura seca de aminoácidos e constatou que haviam se formado moléculas mais complexas resultado da união de vários aminoácidos. O composto era muito semelhante às proteínas.

Experiência de Redi – 1668: O rganismos vivos surgiram inseminação por ovos.

Experimentos de Fox

Experimentos de Fox

Fonte: www.juliobattisti.com.br

Experimentos de Fox

Sidney Fox realizou um experimento basendo-se na teoria de Oparin (que diziaque a água da Terra primitiva continha vários aminoácidos e era levada pelas chuvaspara a superfície das rochas quentes, e esse calor provocava a união dessasmoléculas).

Inicialmente ele preparou uma solução líquida contendo aminoácidos e colocouessa solução em uma suprefície seca e aquecida.

Em seguida, adicionou água salgadaao sistema, simulando a água do mar que molhava as rochas. Após observar a solução no microscópio, ele percebeu a formação de pequenasesferas com a propriedade de aumentar seu tamanho e se dividirem em esferasmenores.

Essas esferas eram formadas por proteínas em seu interior, resultantes dasligações entre os aminoácidos, e ao seu redor haviam pequenas bolsas formadas por moléculas de água, assim como os coacervatos: as proteínas se aglomeram e ao redorse forma uma película composta de água, transfomando o coacervato em um sistemaisolado.

Em 1958, Sidney W. Fox (1912-1998) aqueceu aminoácidos em uma superfície seca, e em seguida adicionou água levemente salgada:

Observou em microscópio a presença de pequenas esferas que podiam aumentar de tamanho e se partir em esferas menores: microsferas:

Bolsas delimitadas por membranas protéicas formadas pela união dos aminoácidos.

Podem ter sido importantes no processo de formação dos primeiros seres vivos.

Hipótese de Oparin

Na opinião de Oparin, as moléculas orgânicas que se acumulavam nos oceanos primitivos, teriam formado agregados que, devido a tensão superficial da água, tenderiam a desenvolver uma membrana. Esse composto, denominado de coacervados, teriam se unido formando compostos complexos e especializados, originando possivelmente a vida.

Hipótese da paspermia cósmica

Acreditava que a vida teria se originado no Universo chegando a Terra através de meteoros.

Fonte: slideshare.net

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Plastos

Plastos

PUBLICIDADE O que são plastos? Os plastos ou plastídeos são organelas de dupla membrana encontrados …

Plantas Tóxicas

Plantas Tóxicas

PUBLICIDADE O que são plantas tóxicas? As plantas tóxicas também chamadas de plantas venenosas contêm …

Plantas Carnívoras

Plantas Carnívoras

PUBLICIDADE O que são plantas carnívoras? As plantas carnívoras são definidas como plantas que atraem, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.