Breaking News
Home / Biologia / Parasitoses

Parasitoses

PUBLICIDADE

Parasitoses – O que é

As Parasitoses são doenças causadas por agentes patogênicos, como vírus, bactérias, protozoários, fungos e vermes.

Podem ocorrer por contato direto, ou indireto, através de vetores.

Temos os ectoparasitos e os endoparasitos.

Doenças parasitárias pode ser adquirido através de alimentos ou água contaminados (como fasciolose ou tênia ), pela picada de um inseto (como a malária ou a doença do sono ) ou contato sexual (como caranguejos ) e pode causar qualquer coisa, desde um leve desconforto até a morte.

Parasitoses

Vírus

Tipos de doenças parasitárias

Viroses

São doenças causadas por vírus.

São considerados seres vivos por apresentarem capacidade de auto-reprodução.

São parasitas intracelulares obrigatórios, pois só apresentam atividade vital no interior da célula hospedeira.

Formado basicamente por proteínas e ácidos nucléicos.

Algumas viroses:

Aids
Catapora
Caxumba
Dengue
Febre amarela
Gripe
Herpes
Poliomielite
Raiva
Resfriado
Rubéola
Sarampo
Varíola

Vírus da Gripe

Parasitoses
Vírus da Gripe

Vírus da Aids

Parasitoses
Vírus da Aids

Bacteriófago

Parasitoses
Vetor da dengue e Febre Amarela- Aedes aegypti

Reino Monera

Bactérias

Parasitoses
Bactéria causadora do botulismo

Seres procariontes

Unicelulares

Reprodução sexuada e assexuada

Aeróbio e anaeróbios, autótrofos ou heterótrofos

Diversas formas: cocos, diplococos, estafilococos, estreptococos,bacilos, vibriões e espiroquetas

Bacilos

Parasitoses
Esquema de uma bactéria e E. coli

Reino Protista e protozooses

Todos unicelulares
Eucariontes
Autótrofos ou heterótrofos

Protistas heterótrofos dividem-se em:

Amebóides: movimentam-se por pseudópodos.
Flagelados: 
deslocam-se por flagelos.
Ciliados:
 deslocamento por cílios.
Esporozoários:
 não possui estrutura de locomoção.

Protozoários flagelados

Leishmania brasiliensis

Causador da Leishimaniose ou Úlcera de Bauru

Transmissão: picada do mosquito palha ou birigui, contaminado pelo parasita.

Característica da infecção: ulcerações graves na pele

Profilaxia: combate ao vetor e tratamento dos doentes

Trichomonas vaginalis

Parasitoses

Causador da tricomoníase

Transmissão: contato sexual com portadores desse flagelado, uso de sanitários sem condições de higiene e uso de toalhas úmidas contaminadas com o protozoário.

Característica da infecção: afeta o sistema genital, mau cheiro.

Profilaxia: usar camisinha nas relações sexuais, cuidados na utilização de toalhas e sanitários, tratar os doentes.

Toxoplasma gondii

Parasitoses
Causador da toxoplasmose

Transmissão: ingestão de cistos do parasita, ingestão de carne crua ou mal cozida contaminada pelo parasita e pela placenta.

Característica da infecção: geralmente assintomática, podendo causar cegueira. Grave em gestantes, pois se passar para o feto, afeta seu sistema nervoso.

Profilaxia: adotar medidas higiênicas básicas e cuidados especiais para evitar a contaminação ao lidar com animais, principalmente gatos e pombos, e ingerir carnes bem cozidas.

Giardia lamblia

Parasitoses
Causadora da giardíase

Transmissão: por contágio direto, através da água e de alimentos contaminados. Instala-se no jejuno-íleo (intestino delgado)

Características da infecção: provoca diarréias e cólicas.

Profilaxia: saneamento básico e medidas de higiene, tratar os doentes.

Tryopanossoma cruzi

Parasitoses
Causador da Doença de Chagas

Transmissão: tem como vetor o barbeiro ou chupança, que ao picar a pessoa, defeca e, nas fezes, estão as formas infectantes do parasita.

Ao coçar o local, facilita a penetração do parasita pela pele ou contamina suas mãos, e ao levá-las à boca ou aos olhos propicia a entrada do parasita através desses órgãos.Também ocorre transmissão pela transfusão de sangue.

Características da infecção: hipertrofia dos órgãos afetados, principalmente o coração.

Profilaxia: tratar os doentes, impedir a proliferação do barbeiro, usar telas em portas e janelas e mosquiteiro nas camas, principalmente em áreas endêmicas e exigir cuidados nas transfusões de sangue.

Vetor da Doença de Chagas – Barbeiro

Parasitoses
Causadora da Amebíase

Transmissão: ingestão de alimentos ou de água contaminada por fezes contendo cistos do parasita

Características da infecção: diarreias intensas, com muco e sangue

Profilaxia: saneamento básico, além de medidas de higiene pessoal, como beber água filtrada e/ou fervida e lavar bem frutas e verduras antes de ingeri-las. Tratar os doentes.

Parasitoses
Protozoários esporozoários Plasmodium sp.

Causador da malária

Transmissão: se dá pela picada da fêmea do mosquito do gênero Anopheles.

Características da infecção: dependendo da espécie do plamódio, terá acessos febris cíclicos, variando de 48 em 48 horas, de 72 em 72 horas ou acessos febris irregulares de 36 a 48 horas.

Profilaxia: eliminação de criadouros do mosquito, combate ao mosquito, proteger portas e janelas com telas, utilizar repelentes de insetos e tratamento aos doentes.

Parasitoses
Fêmea do Mosquito Anopheles

Verminoses Brasileiras

Dentre os vermes causadores de doenças, temos representantes do filo Platyhelmintos (vermes achatados), como o Schistossoma mansoni e Taenia sp., e representantes do filo Aschelminthes, como o Ascaris lumbricoides, Ancilostoma duodenales, Necator americanus, Enterobius vermiculares e Wuchereria bancrofti.

Platelmintos

Esquistossomose

Tem o homem como hospedeiro definitivo e o caramujo do gênero Biomphalaria como hospedeiro intermediário.

Na fase adulta o esquistossomo habita as veias que ligam o intestino ao fígado.

Como profilaxia, destaca-se o saneamento básico e o combate ao caramujo, além de se evitar nadar em águas suspeitas, lagos e lagoas que contenham o caramujo.

Parasitoses
Schistossoma mansoni

Parasitoses
Caramujo Biomphalaria e larva cercária (furocercária)

Teníase

Corpo em forma de fita alongada e achatada, podendo atingir vários metros de comprimento.

Constitui-se de escólex (cabeça), colo (pescoço) e estróbilo (sucessão de segmentos denominados proglotes).As proglotes são hermafroditas.

Temos a Taenia solium, cujo hospedeiro intermediário é o porco e a Taenia saginata, que tem como hospedeiro intermediário o boi.

Transmissão: ingestão de carne mal passada ou mal cozida de porco ou de boi que esteja contaminada com o cisticerco.

Profilaxia: saneamento básico, inspeção sanitária de matadouros e não ingerir carne mal cozida ou mal passada.

Esquema de escólex de T. solium e T. sagina

Parasitoses
Esquema de escólex na T. solium e T. saginata

Taenia solium

Escólex com ganchos para a aderência.

Comprimento: até 7 metros

Hospedeiro intermediário: porco

Localização dos cisticercos no hospedeiro intermediário: coração, diafragma, cérebro, língua e músculos mastigadores

Escólex com ventosas para a aderência

Comprimento: até 12 metros

Hospedeiro intermediário: bovinos

Localização dos cisticercos no hospedeiro intermediário: músculos.

ParasitosesTênia

Nematelmintos

Ascaridíase ou lombriga

Parasita do intestino delgado do homem. Como sintomas temos manchas esbranquiçadas na pele, cólicas intestinais, náuseas e obstrução intestinal (quando em grande número).

Ovos do verme são eliminados pelas fezes, podendo contaminar o solo e a água.

Os ovos ingeridos, através da água ou alimentos contaminados, eclodem liberando larvas. Tornam-se adultos no intestino.

Profilaxia: beber água somente tratada ou fervida. Utilizar instalações sanitárias e lavar bem os alimentos crus com água tratada. Tratamento aos doentes.

Parasitoses
Ascaris lumbricoides

Ancilostomose ou Amarelão

Causados pelo Ancilostoma duodenales ou Necator americanus. Ambos parasitam o intestino delgado do homem.

Causa profunda anemia, pois estes vermes possuem dentículos ou lâminas cortantes, com as quais dilaceram a parede do intestino do hospedeiro, provocando sangramentos.

O contágio se dá pela pele dos pés, em pessoas que andam descalças em solo contaminados pelos ovos desses vermes.

Profilaxia: andar calçado nos lugares onde se suspeita existir a doença.

Empregar condições de higiene adequadas, isto é, instalações sanitárias para a defecação.

Contaminação por Ancilostoma

Filariose ou Elefantíase

Verminose extra intestinal.A larva da Wuchereria bancrofti (filária), parasita os vasos linfáticos do homem, causando o vazamento de linfa para os tecidos adjacentes, ocasionando inchaços na área afetada.

É uma verminose de contágio indireto, pois tem como vetor o mosquito do gênero Culex.

Profilaxia: Combate ao mosquito e utilização de telas de proteção nas portas e janelas da casa.

Vetor da Filariose: Mosquito Culex

Parasitoses – Humanas

Parasitoses são doenças contagiosas causadas por organismos parasitas.

Após entrar e se instalar no corpo humano ou de outro animal, estes parasitas desenvolvem doenças, podendo provocar uma série de danos ao organismo e até mesmo a morte, caso não haja o tratamento devido.

Estes parasitas podem ser vermes, bactérias, vírus ou protozoários.

As parasitoses humanas podem ser apresentadas de várias formas:

Intestinais
Hematólogicas
Ou em órgaos diversos, como cérebro, fígado, etc.

A prevalência de parasitoses no mundo, indica percentual em torno de 70% da população.

Os meios através dos quais se contrai uma parasitose são:

Alimentos contaminados
Água contaminada
A poeira, pela flutuação dos ovos
Ou transmissão direta entre as pessoas.

O uso de antiparasitários segue o princípio de primeiro identificar o tipo de parasita para posteriormente erradicá-lo.

Sem saber qual o causador da infestação, seria arriscado medicar alguém, mesmo porque o medicamento poderia nao ser o indicado.

Sinais de anemia ou perda do apetite podem ser indícios de uma parasitose – verminose.

Portanto, os meios preventivos para evitar as parasitoses seguem principalmente os cuidados higiênicos pessoais e com alimentos, além é claro da infra-estrutura de saneamento básico.

Fonte: Luis Antônio Tofolo Júnior

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.