Breaking News
Home / Biologia / Complexo de Golgi

Complexo de Golgi

PUBLICIDADE

Definição de Complexo de Golgi

O complexo de Golgi, ou aparelho de Golgi ou auxilia no transporte de lipídios em torno das células e produção de lisossomas.

Eles ajudam na transformação de proteínas que são geradas no retículo endoplasmático.

Eles também são conhecidos como corpos de Golgi.

O complexo de Golgi, ou aparelho de Golgi é uma pilha de pequenos sacos planos formados por membranas dentro do citoplasma da célula (fluido semelhante a gel).

O complexo de Golgi prepara proteínas e moléculas de lipídios (gordura) para uso em outros lugares dentro e fora da célula. O complexo de Golgi é uma organela celular.

Um corpo de Golgi, também conhecido como aparelho de Golgi, é uma organela celular que ajuda a processar e embalar proteínas e moléculas de lipídios, especialmente proteínas destinadas a serem exportadas da célula.

Foi identificado em 1897 pelo médico italiano Camillo Golgi e batizado em sua homenagem em 1898.

Nomeado após seu descobridor, Camillo Golgi, o corpo de Golgi aparece como uma série de membranas empilhadas.

Também chamado de aparelho de Golgi e corpo de Golgi.

O que é o Complexo de Golgi?

O complexo de Golgi, ou aparelho de Golgi, é uma estrutura celular encontrada nas células de todos os animais.

O principal objetivo do complexo de Golgi é empacotar moléculas como proteínas e gorduras que são sintetizadas pelo retículo endoplasmático.

As proteínas e gorduras que passam pelo Golgi são armazenadas para uso posterior, levadas para a membrana celular, onde são liberadas para fora da célula, ou se tornam parte da membrana celular.

complexo de Golgi é composto de cinco a oito sacos de membrana achatados, que são chamados de cisternas. As membranas achatadas, que têm cerca de um micrômetro de diâmetro, ficam uma sobre a outra e são conectadas. Existem cinco regiões funcionais na pilha da cisterna que empacotam ou liberam proteínas para outras regiões de uma célula.

Para que o complexo de Golgi armazene ou envie proteínas e gorduras, o retículo endoplasmático liso arranca vesículas, que são pequenas bolhas de líquido, que são captadas pelo Golgi.

Uma região funcional chamada rede cis-Gogli se funde com o trans-Golgi para ocupar a vesícula.

À medida que as proteínas passam pelo complexo de Golgi, as enzimas alteram o tamanho e a forma das proteínas na vesícula, adicionando ou removendo partes de uma proteína.

Essas enzimas são capazes de converter proteínas em outras moléculas importantes para a saúde, como a insulina. Depois que as enzimas fazem alterações em algumas proteínas e gorduras dentro da vesícula, uma nova vesícula chamada vesícula secretora é formada e liberada para a célula. Uma vez que a vesícula secretora é liberada para dentro da célula, as moléculas recém-formadas, como a insulina, podem permanecer na vesícula até serem necessárias, ou ser excretadas para fora da célula e levadas para outras regiões do corpo, ou se tornar parte da célula membrana.

Quando moléculas, como hormônios, são liberadas de uma vesícula secretora, as moléculas são retiradas da célula por um processo conhecido como exocitose.

A exocitose é um processo de transporte ativo que ajuda a remover partículas da vesícula secretora para serem liberadas para fora da parede celular.

Algumas das partículas que não são liberadas para fora da célula podem se tornar parte da membrana celular. Nesse caso, as partículas poderão auxiliar nas funções de transporte ou auto-reconhecimento de outras moléculas.

O aparelho de Golgi

Complexo de Golgi

Complexo de Golgi

O aparelho de Golgi, ou complexo de Golgi, funciona como uma fábrica em que proteínas recebidos do Retículo Endoplasmático são posteriormente tratados e classificados para transporte para as suas eventuais destinos: lisossomas, a membrana plasmática, ou secreção.

Além disso, como observado anteriormente, glicolípidos e esfingomielina são sintetizadas dentro do Golgi.

Nas células vegetais, o aparelho de Golgi serve ainda como o local no qual os polissacarídeos complexos da parede celular são sintetizados.

aparelho de Golgi é então envolvida no processamento de uma ampla gama de constituintes celulares que se deslocam ao longo da via secretora.

Localização do Complexo de Golgi

Próximo ao núcleo entre RE e a membrana plasmática.

Organização morfológica

Assim como o retículo endoplasmático, geralmente existe apenas um complexo de Golgi por célula.

Diferente do retículo endoplasmático, com sua rede contínua de túbulos, o complexo de Golgi é formado por lamelas (ou cisternas) que não são contínuas.

No conjunto, elas se arranjam como uma pilha de pratos ou, comparação ainda melhor, como vários pães árabes empilhados.

Olhando mais atentamente, há perfurações nas lamelas, como se os pães tivessem buracos não alinhados. De cada lado da pilha há uma rede de túbulos.

Todas essas informações decorrem da observação em microscopia eletrônica de transmissão de muitos cortes da organela e reconstrução tridimensional a partir desses cortes.

O Aparelho de Golgi

Complexo de GolgiComplexo de Golgi

Função Aparelho de Golgi

O Golgi têm várias funções em um órgão. Essas organelas são responsáveis; processamento de proteínas gerados no retículo endoplasmático e embalá-los, o transporte de lípidos em torno da célula, e a criação de lisossomos entre outras várias funções.

O aparelho de Golgi é composta de sacos em forma de taça que se assemelham balões vazios.

É reponsável para o processamento final de proteínas e de lípidos dentro da célula.

A função principal do complexo de Golgi é realizar o processamento de proteínas gerados no retículo endoplasmático. Ela também ajuda no transporte de lípidos em torno das células e na criação dos lisossomas.

O complexo de Golgi tem três funções principais:

a) realizar a glicosilação, isto é, adicionar açúcares a proteínas e lipídeos que foram sintetizados no retículo endoplasmático, assim modifi cando-os
b) 
adicionar grupamentos sulfato a proteínas, participando da síntese de proteoglicanas
c) distribuir as macromoléculas provenientes do retículo endo- plasmático e que percorreram o complexo de Golgi entre três possíveis destinos:

1. a membrana plasmática, onde tais moléculas se incorporarão ou serão secretadas
2.
 vesículas de secreção que se acumulam no citoplasma esperando um sinal para exocitarem seu conteúdo
3. 
lisossomos, onde formarão a própria membrana da organela ou terão papel na digestão intracelular

Um pouco de História

complexo de Golgi foi descrito pela primeira vez por Camillo Golgi em 1898, graças a um novo tipo de coloração histológica para neurônios usando metais pesados que ele havia criado. No trabalho original, o complexo de Golgi está esquematizado como uma rede dentro de um terminal nervoso.

Camillo Golgi e Ramón-Cajal, dois neuroanatomistas, ganharam o prêmio Nobel em 1906 pela criação desse método de coloração, conhecido como método de Cajal, que permitiu mostrar que o sistema nervoso central é formado por células individualizadas e não por uma rede contínua.

A própria existência do complexo de Golgi foi considerada duvidosa até 1954, quando sua organização foi descrita por microscopia eletrônica. Alguns detalhes desta organização são desconhecidos até hoje.

Fonte: www.ncbi.nlm.nih.gov/www.icb.ufmg.br/www.softschools.com/www.uniprot.org/www.wisegeek.org/www.geocities.com/www.cancer.gov

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.