Breaking News
Home / Biologia / Vitamina B9 – Ácido Fólico

Vitamina B9 – Ácido Fólico

PUBLICIDADE

Vitamina B9 – Ácido Fólico – O que é

vitamina B9, também chamada de folato ou ácido fólico, é uma das 8 vitaminas B. Todas as vitaminas B ajudam o corpo a converter alimentos (carboidratos) em combustível (glicose), que é usado para produzir energia. Essas vitaminas B, geralmente chamadas de vitaminas do complexo B, também ajudam o corpo a usar gorduras e proteínas.

As vitaminas do complexo B são necessárias para um fígado saudável e pele, cabelo e olhos saudáveis. Eles também ajudam o sistema nervoso a funcionar adequadamente.

ácido fólico é a forma sintética do B9, encontrado em suplementos e alimentos fortificados, enquanto o folato ocorre naturalmente nos alimentos.

Todas as vitaminas B são solúveis em água, o que significa que o corpo não as armazena.

ácido fólico é crucial para o funcionamento adequado do cérebro e desempenha um papel importante na saúde mental e emocional. Ajuda na produção de DNA e RNA, o material genético do corpo, e é especialmente importante quando as células e os tecidos estão crescendo rapidamente, como na infância, adolescência e gravidez.

ácido fólico também trabalha em estreita colaboração com a vitamina B12 para ajudar a produzir glóbulos vermelhos e ajudar o ferro a funcionar adequadamente no corpo.

vitamina B9 funciona com as vitaminas B6 e B12 e outros nutrientes para controlar os níveis sanguíneos do aminoácido homocisteína. Altos níveis de homocisteína estão associados a doenças cardíacas, mas os pesquisadores não têm certeza se a homocisteína é uma causa de doenças cardíacas ou apenas um marcador que indica que alguém pode ter doenças cardíacas.

É bastante comum ter níveis baixos de ácido fólico.

Alcoolismo, doença inflamatória intestinal (DII) e doença celíaca podem causar deficiência de ácido fólico. Além disso, certos medicamentos podem reduzir os níveis de ácido fólico no corpo.

A deficiência de ácido fólico pode causar:

Fraco crescimento
Inflamação da língua
Gengivite
Perda de apetite
Falta de ar
Diarreia
Irritabilidade
Esquecimento
Lentidão mental

As mulheres grávidas precisam de mais ácido fólico para reduzir o risco de defeitos congênitos do tubo neural, incluindo fenda palatina, espinha bífida e danos cerebrais.

Defeitos do tubo neural são defeitos de nascença causados pelo desenvolvimento anormal do tubo neural, uma estrutura que eventualmente dá origem ao cérebro e à medula espinhal.

Vitamina B9 ou ácido fólico

Vitamina B9

ácido fólico ou vitamina B9 desempenha um papel essencial na produção de material genético (DNA, RNA) e dos aminoácidos necessários ao crescimento celular, o que explica por que é essencial nas diferentes fases da vida.

Desempenha um papel importante na formação dos glóbulos vermelhos e no funcionamento do sistema nervoso (síntese de neuromediadores) e do sistema imunológico.

É necessário para a produção de novas células, o que o torna particularmente importante durante períodos intensos de atividade metabólica, como infância, adolescência e gravidez (desenvolvimento do feto).

vitamina B9 é encontrada em uma ampla variedade de alimentos, as fontes mais ricas são fígado, vegetais de folhas verdes escuras, feijão, germe de trigo e fermento.

É importante que tenhamos uma ingestão suficiente de vitamina B9 – na forma de folato e ácido fólico, pois ajuda a produzir ácidos nucleicos (como DNA), formar células do sangue na medula óssea para garantir o rápido crescimento celular na infância, adolescência e gravidez e também controla os níveis sanguíneos.

ácido fólico pode ser adicionado a uma variedade de alimentos, como farinha, sal, cereais matinais, bem como bebidas, refrigerantes e produtos de nutrição infantil.

Vitamina B9 – Folato

Vitamina B9

Seu nome é derivado da palavra latina “folium”, que significa folha.

Na verdade, os vegetais folhosos estão entre as melhores fontes dietéticas de folato.

folato é a forma natural da vitamina B9, solúvel em água e encontrada naturalmente em muitos alimentos. Também é adicionado a alimentos e vendido como suplemento na forma de ácido fólico; essa forma é, na verdade, melhor absorvida do que a partir de fontes alimentares – 85% contra 50%, respectivamente.

folato ajuda a formar DNA e RNA e está envolvido no metabolismo das proteínas.

Ele desempenha um papel fundamental na degradação da homocisteína, um aminoácido que pode exercer efeitos nocivos no corpo se estiver presente em grandes quantidades.

folato também é necessário para produzir glóbulos vermelhos saudáveis e é crítico durante os períodos de rápido crescimento, como durante a gravidez e o desenvolvimento fetal.

Quais são os sintomas de deficiência de ácido fólico?

deficiência de ácido fólico é uma falta de ácido fólico ou folato, uma das vitaminas B. Esta vitamina desempenha um papel em vários processos dentro do corpo. Se não for tratada, a deficiência de ácido fólico progredirá para anemia de ácido fólico, também conhecida como anemia de folato, uma forma de anemia megaloblástica.

Os sintomas comuns de deficiência de ácido fólico podem incluir perda de apetite, fraqueza e fadiga, irritabilidade e dificuldade de concentração.

Existem várias medidas que as pessoas podem tomar para reduzir os riscos de desenvolver esses sintomas de deficiência de ácido fólico.

Pessoas com risco de deficiência de ácido fólico incluem pessoas que não seguem uma dieta balanceada ou que têm uma condição médica que interfere na absorção de nutrientes, como alcoolismo ou distúrbio de má absorção.

Certos medicamentos podem levar a deficiências porque interferem na maneira como o corpo processa os nutrientes, e as pessoas em diálise renal correm o risco de deficiência de ácido fólico porque o ácido fólico é expresso em uma taxa mais elevada. A idade é outro fator de risco.

Quando as pessoas ouvem as palavras “ácido fólico“, muitas vezes pensam em gravidez, porque as mulheres grávidas são aconselhadas a tomar suplementos de ácido fólico. Isso se deve ao fato de que o corpo utiliza o ácido fólico em maior taxa durante a gravidez e também durante a amamentação, colocando as mulheres em risco de deficiência de ácido fólico. Além disso, bebês nascidos de mães com deficiência de ácido fólico têm maior probabilidade de serem prematuros e podem ter defeitos do tubo neural.

Os sintomas de deficiência de ácido fólico podem ser muito sutis no início, e isso pode dificultar o diagnóstico dessa deficiência de vitamina, a menos que um paciente e um médico estejam especificamente procurando por ela. Alguns sinais precoces podem incluir fadiga, língua dolorida, dores de cabeça, irritabilidade, fezes amolecidas, confusão e dificuldade de concentração. Com o tempo, a condição resultará em anemia, o que aumentará a intensidade desses sintomas.

deficiência de ácido fólico geralmente pode ser corrigida aumentando a ingestão de ácido fólico. As pessoas podem determinar se são deficientes nesse nutriente fazendo um exame de sangue.

O sangue será analisado para determinar sua composição e procurar especificamente por níveis anormalmente baixos de nutrientes específicos que devem estar presentes. Se a causa da deficiência de ácido fólico não for conhecida, o tratamento também deve incluir determinar a causa e tratá-la. Alguém que está grávida, por exemplo, saberia por que tem deficiência de folato, enquanto alguém sem problemas de saúde conhecidos que desenvolvesse sintomas de deficiência de ácido fólico deveria ser examinado para saber mais sobre o que está acontecendo dentro do corpo.

Vitamina B9 – Suplementação

ácido fólico está disponível em preparações orais, isolado ou em combinação com outras vitaminas e minerais (p.ex. ferro), e como solução aquosa para injeções.

Como o ácido é apenas fracamente hidrossolúvel, são utilizados os sais de folato para preparar fórmulas de dose líquida.

ácido folínico (também conhecido como leucovorina ou fator citrovorum) é um derivado do ácido fólico administrado por injecção intramuscular para contrariar a acção dos inibidores da reductase de di-hidrofolato, tais como o metotrexato. Para além disso, não é indicado para a prevenção e tratamento da deficiência de ácido fólico.

Vitamina B9 – História

Vitamina B9 - Ácido FólicoVitamina B9

1931: Lucy Wills observa na Índia os efeitos de extractos de fígado e levedura na anemia macrocítica tropical e conclui que esta doença deve ser devida a uma deficiência na dieta alimentar. Ela reconhece que a levedura contém um agente curativo igual em potência àquele do fígado.

1938: Day e os seus colaboradores encontram um factor de anti-anemia para os macacos na levadura e designaram-no “vitamina M”. Na mesma altura Stokstad e Manning descobrem um factor de crescimento para os frangos, ao qual chamam “Factor U”.

1939: Hogan e Parrott identificam um factor anti-anemia para os frangos em extractos de fígado, ao qual chamam “Vitamina BC”.

1940: São descobertos factores de crescimento para o Lactobacillus casei e Streptococcus lactis. Snell e Peterson dão-lhe o nome de “factor norite-eluído”.

1941: Mitchell, Snell e Williams (EUA) sugerem o nome ácido fólico ( = folium, do latim para folha) para o factor responsável pela estimulação de crescimento do Streptococcus lactis que eles isolaram do espinafre e ao qual eles suspeitam conter propriedades semelhantes às de uma vitamina para os animais.

1945: Angier e os seus colaboradores (EUA) relatam a síntese de um composto idêntico ao factor L. Casei isolado do fígado. Descrevem posteriormente as estruturas químicas dos compostos básico e relacionados.

1945: Spies demonstra que o ácido fólico cura a anemia megaloblástica da gravidez.

1962: Herbert (EUA) consome uma dieta deficiente em folatos durante vários meses e relata o desenvolvimento de sintomas de deficiência. As suas descobertas estabelecem o critério para o diagnóstico de uma deficiência de folatos. No mesmo ano, Herbert estima as necessidades de ácido fólico para os adultos, as quais ainda servem como uma base para muitas DDRs.

1991: Wald (RU) estabelece que a suplementação de ácido fólico reduz o risco de deficiência do canal neural em 70% entre as mulheres que já deram à luz uma criança com esta deficiência.

1992: Butterworth (EUA) descobre que níveis séricos de ácido fólico mais elevados do que o normal estão associados com uma diminuição do risco de cancro cervical em mulheres infectadas com o vírus do papiloma humano. Para alem disso Czeizel (Hungria) demonstra que a primeira ocorrência de deficiência do canal neural pode ser largamente eliminada com um multivitamínico que contenha ácido fólico tomado no período pós-concepcional.

1993: O Serviço de Saúde Pública americano recomenda que todas as mulheres em idade fértil consumam 0,4 mg (400 mg) de folatos diariamente de modo a reduzir o risco de malformações do feto, tais como a espinha bífida e outros defeitos do canal neural.

Fonte: www.mountsinai.org/www.anses.fr/www.roche.pt/www.fisioquality.com.br/www.vitaminas.bayer.pt/www.hsph.harvard.edu

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.