Breaking News
Home / Biologia / Menstruação

Menstruação

PUBLICIDADE


Menstruação

O que é

A menstruação é a descamação da mucosa uterina (endométrio).

A menstruação ou o período começa durante a puberdade. Durante os dois primeiros anos os ciclos podem ser irregulares. Isto acontece porque o corpo ainda se está a acostumar às alterações hormonais e é possível que a ovulação não ocorra todos os meses. Não deverá preocupar-se com isso.

Após os dois primeiros anos, a menstruação torna-se, geralmente, mais regular. Praticamente todos os meses, o ovário da mulher liberta um óvulo ou célula. Este viaja pela trompa de Falópio até ao útero.

O útero encontra-se em fase de preparação, pelo que o seu revestimento interno, chamado endométrio, aumenta de espessura e dispõe-se, como se de um colchão se tratasse, para o caso de receber um embrião. Se o óvulo não é fecundado, ou se este não consegue aderir às paredes do útero, começa então a menstruação. O endométrio perde a sua camada da superfície, que é eliminada na forma de sangue. Normalmente, a expulsão deste tecido dura três a sete dias, podendo durar até nove. É a menstruação.

A menstruação é regulada pela ação das hormonas, sendo que a secreção destas varia consideravelmente nas diferentes etapas da vida da mulher, pelo que também os ciclos são diferentes em cada etapa.

O processo menstrual ou ciclo completo dura 28 dias. Não obstante, algumas mulheres têm ciclos que duram até 40 dias, ou ciclos curtos de 20 dias.

A quantidade e duração da menstruação também poderá variar, e a dor que pode trazer associada, a dismenorreia, é diferente de uma mulher para a outra, e ao longo da vida. Alterações como períodos dolorosos ou irregulares ou hemorragia excessiva não significam que algo funcione mal.

A menstruação dura alguns dias (normalmente de 3 a 5 dias, mas em qualquer lugar de 2 a 7 dias é considerado normal).

A média de perda de sangue durante a menstruação é de 35 ml com 10-80 mL considerados normais; muitas mulheres também notar derramamento do revestimento do endométrio que aparece como tecido misturado com o sangue.

Muitas mulheres experimentam cólicas uterinas, também conhecidos como dismenorréia, durante este tempo, causada em grande parte pelas contrações do músculo uterino, uma vez que expulsa o sangue endometrial do corpo da mulher. A grande indústria tem crescido a fornecer medicamentos para ajudar na estas cãibras, bem como produtos de higiene para ajudar a gerenciar a menstruação.

A menstruação é a fase mais visível do ciclo menstrual. Os ciclos menstruais são contados a partir do primeiro dia da hemorragia menstrual, porque o início da menstruação corresponde estreitamente com o ciclo hormonal.

Durante a gravidez e durante algum tempo após o parto, a menstruação é normalmente suspensa; este estado é conhecido como amenorreia, ou seja, ausência do ciclo menstrual.

Fonte: www.lactacyd.pt

Menstruação

Para que serve a menstruação? Já parou para pensar nisso?

Antes de responder, é bom saber, que a menstruação é um sinal de saúde para a mulher. No entanto, falar desse assunto, normalmente gera constrangimento, pricipalmente se tiver algum homem participando do assunto. Menstruar é um fenômeno natural e saudável, assim como, ter fome, sede, vontade de urinar, evacuar, sono.

Por que falar sobre isso é constrangedor?

Porque envolve a sexualidade! Ao longo da nossa história, aprendemos que não se deve falar sobre questões relacionadas a sexo. Que bobagem, não é? Vamos mudar essa mentalidade. Temos que falar sobre sexo sim, e de modo natural e expontâneo!

Olha como a natureza é maravilhosa. Se a mulher engravida, ela não menstrua, pois esse sague é necessário no processo de desenvolvimento do bebê. Se não está grávida, o organismo elimina esse sangue que não terá utilidade para o organismo.

Entenda agora, com detalhes como funciona esse ciclo:

Já na puberdade, a glândula hipófise que está no seu cérebro secreta o hormônio folículo (FSH), no qual vai estimular o crescimento dos folículos dos ovários.

No sexo masculino, esse hormônio vai promover o crescimento dos espermatozóides. Uma vez por mês, esse hormônio (FSH) prepara alguns óvulos do seu ovário para começarem a amadurecer, dentro de umas bolsas cheias de um fluído que se chamam folículos. Esses folículos produzem o hormônio chamado estrogênio. Esse hormônio produzido começa a ativar o desenvolvimento de uma camada espessa do útero chamada endométrio. Se você estiver grávida, esta camada se torna uma fonte de alimento para o embrião.

Duas semanas mais tarde, a sua glândula hipófise secreta o hormônio luteinizante (LH), no qual uma de suas funções é fazer com que o óvulo mais maduro do seu ovário se desprenda do folículo. (Algumas vezes, dois ou mais óvulos se desprendem. Se ambos fertilizarem, você poderá ter mais de um bebê.)

O folículo estimulante age em conjunto com o hormônio LH e começarão a produzir os hormônios progesterona e estrogênio, ambos garantem o crescimento da camada espessa no útero que é rica em nutrientes que irá alimentar o embrião.

As fímbrias da trompa de Falópio encaminham o óvulo liberado pela trompa para dentro do útero. Se o óvulo se encontrar com o espermatozóide, ele poderá ser fertilizado. Então, ele se dirige ao útero, onde começa a desenvolvimento do embrião.

O óvulo sobrevive 24 horas no corpo da mulher, o espermatozóide pode ficar vivo até 72 horas dentro da mulher. É por isso que você pode ficar grávida, tendo relação alguns dias antes ou depois da ovulação.

Se o óvulo não é fertilizado, ele se desintegra, e a produção de estrogênio e progesterona cai. Isto provoca o descamamento dessa camada espessa do útero, que serviria de alimento para o embrião, e sai o seu corpo na forma de menstruação.

Claudecy de Souza

Fonte: www.manualpaisefilhos.com.br

Menstruação

Descamação do endométrio (membrana que reveste a cavidade do útero acompanhada de saída de sangue.

Isto ocorre porque os ovários reduzem muito a secreção de hormônios, e estes, por vários mecanismos, reduzem o estímulo ao endométrio, cujas células morrem e descamam.

O primeiro dia do ciclo menstrual é o dia de início da menstruação, não importando quantos dias ela dure.

Hormônios do ciclo menstrual

FSH: faz crescer na superfície do ovário um folículo que contém o óvulo.
LH:
age no folículo do ovário rompendo o mesmo e liberando o óvulo. O folículo se transforma em Corpo Lúteo que produz Progesterona.
Progesterona:
Estimula as células do endométrio a se proliferarem e garante com que o embrião se fixe no cório para a formação da placenta. Dá da gravidez pois evita a descamação do endométrio, que ocasionaria um aborto.
Estrogênio:
inibe secreções da pituitária , inibindo a secreção do FSH e LH, e após o 10º dia do ciclo permite a atividade.

Ainda enquanto o endométrio descama, o hormônio FSH começa a ser secretado em maior quantidade pela hipófise… fazendo com que se desenvolvam os folículos ovarianos.

Folículo ovariano

São agregações esféricas de células encontradas no ovário. Constituído de célula germinativa(ovócito), envolta pelas células foliculares, que são células derivadas do estroma do ovário.

Perto do 7º dia do ciclo, o FSH começa a diminuir e, com a falta desse hormônio, alguns folículos param de crescer e morrem.

Por isso, em cada ciclo menstrual, de todos aqueles folículos recrutados (que começam a crescer), apenas um (raramente dois) se desenvolve até o fim e vai ovular.

Muito do LH secretado é retirado pelos rins e sai na urina.

Por isso, a medida de LH na urina pode ser utilizada para detectar um período muito próximo da ovulação.

Em média, a ovulação ocorre no décimo quarto dia do ciclo menstrual (mas pode ocorrer antes ou depois).

A temperatura do corpo aumenta em até meio grau centígrado. Este aumento pode acontecer, aproximadamente, de dois dias antes até dois dias depois da ovulação.

Após a ovulação, o folículo se transforma numa estrutura chamada corpo lúteo, e passa a fabricar o hormônio progesterona.

Este, vai terminar o preparo do endométrio para a implantação do embrião.

SE HOUVER FECUNDAÇÃO…

O embrião percorre a tuba em 4-5 dias e se instala no endométrio – NIDAÇÃO.

Quadro hormonal : FSH e estrógenos muito baixos… LH também reduz.

Podemos, então, dividir o ciclo menstrual em 4 fases:

Fase menstrual: corresponde aos dias de menstruação e dura cerca de 3 a 7 dias, geralmente.
Fase proliferativa ou estrogênica:
período de secreção de estrógeno pelo folículo ovariano, que se encontra em maturação.
Fase secretora ou lútea:
é marcado pela ovulação. Essa fase é caracterizada pela intensa ação do corpo lúteo.
Fase pré-menstrual ou isquêmica:
período de queda das concentrações dos hormônios ovarianos, quando a camada superficial do endométrio perde seu suprimento sangüíneo normal e a mulher está prestes a menstruar.

Fonte: www.upvix.com.br

Menstruação

A menstruação assinala as mudanças do corpo feminino, indicando a passagem de uma fase para outra. A idade que ela pode ocorrer pela primeira vez varia muito e não existe uma idade exata. Por isso, não se desespere se sua menstruação não chegou ainda, como a da sua amiga ou se ela chegou antes de suas amigas. Cada um tem seu tempo certo!

Após a primeira menstruação (chamada de menarca), o corpo biologicamente já está preparado para gerar filhos. A primeira menstruação é um acontecimento importante na vida de uma menina e mostra que ela está se tornando uma mulher. Após a chegada da primeira menstruação, em geral, a garota a terá durante todos os meses. Assim, todos os meses o corpo será preparado, por meio de hormônios, para uma possível gravidez, através da preparação do útero e da liberação do óvulo (que fica no ovário) para o útero. Essa ovulação, em geral, ocorre na metade do ciclo de cada mulher.

Quando esse útero está preparado para uma possível gravidez, significa que ele foi “arrumado” internamente por um tecido (endométrio) que prepara para receber o embrião (óvulo fecundado pelo espermatozóide). Se o óvulo for fertilizado por um espermatozóide (que fica no esperma) nesse período de ovulação, a mulher engravida. É importante ressaltar que o período de ovulação não compreende unicamente a data da metade do ciclo menstrual. Se o óvulo (ovo) não for fertilizado, ele começa vir abaixo, promovendo a liberação do endométrio, através da menstruação e sendo eliminado peloórgão genital feminino. Esse processo caracteriza-se como a menstruação. Isso ocorrerá todo mês até que se ocorra uma gravidez ou então que se chegue ao período da menopausa.

O ciclo menstrual dura a partir do primeiro dia de um período (a partir do momento que a menstruação desce, como dizem) até o primeiro dia do próximo. O período varia de mulher para mulher. Normalmente, o período é de 28 dias. Porém, há mulheres que tem esse tempo maior ou menor. Além disso, em geral, os primeiros anos após o começo da menstruação, a menina pode ter ciclos irregulares até que naturalmente se normalize. Muitas mudanças vem junto com a primeira menstruação na vida de uma garota, como a própria existência da TPM em algumas.

A menstruação é controlada pelos hormônios que são regulados pelo hipotálamo e pela hipófise (glândulas). O hormônio estrogênio estimula a formação do endométrio e a progesterona estimula a preservação do endométrio (para uma possível gravidez). Alterações de humor, fortes emoções, desequilíbrios hormonais e, até algumas doenças, podem alterar o ciclo menstrual, fazendo com que a menstruação adiante ou atrase. Por isso tudo é sempre bom ficar atento durante a relação sexual e se proteger com os métodos contraceptivos.

É importante ressaltar que o “movimento” de descamação do endométrio pode provocar cólica. Em geral, ocorre nos dois primeiros dias da menstruação. Há mulheres que sentem até mesmo antes um pouco antes disso. Depende de cada um. Porém, se as cólicas forem muito agudas, durarem vários dias sem cessar a ponto de impedir  de realizar suas tarefas é necessário procurar um médico para verificar. Há quem utilize métodos caseiros para acabar com  a cólica, como chá de camomila.

Depois da primeira menstruação, toda garota precisa ir ao ginecologista com a freqüência de no mínimo uma vez por ano para fazer consulta de rotina, mesmo se ela for virgem. Conhecer o próprio corpo contribui para desvendar muitos mitos.

Fonte: www.mulherdigital.com

Menstruação

Dores menstruais

Introdução

A maioria das mulheres sofre algum tipo de dor menstrual durante a sua vida. O termo médico para as dores menstruais é dismenorreia. A dor causada pela menstruação pode ser sentida na região inferior do abdómen, mas também pode espalhar-se para as costas e coxas.

A dor menstrual é um problema muito comum. Alguns estudos sugerem que cerca de 75% das jovens e 25 – 50% das mulheres adultas sofrem dores e desconforto durante a menstruação. Para até 20% das mulheres, a dor é tão forte que as impede de executarem as suas atividades do dia-a-dia.

Na maioria dos casos, a dor menstrual é um efeito secundário do processo natural de menstruação do organismo. No entanto, em alguns casos, as dores menstruais podem ser o resultado de um problema médico.

As dores menstruais podem geralmente ser tratadas em casa. No entanto, no caso de dores fortes, a mulher poderá ter d e consultar o médico de família.

Sintomas

Os principais sintomas das dores menstruais são cãibras musculares dolorosas na região inferior do abdómen. Às vezes a dor aparece em espasmos intensos, outras vezes, pode ser continuada e mais constante.

As dores menstruais podem espalhar-se para a região lombar e para as coxas. Também poderá notar que a dor varia com cada menstruação.

Para além das dores no abdómen, também poderá ter outros sintomas, como dores de cabeça, náuseas, cansaço, sensação de desmaio, tonturas e diarreia.

Normalmente as dores menstruais começam quando começa o sangramento, embora algumas mulheres sintam dor muitos dias antes de começar a menstruação.

As dores menstruais duram cerca de 12 a 24 horas, embora em casos severos possam durar vários dias. A dor normalmente piora quando o sangramento é maior.

Estes sintomas tendem a aliviar com a idade. Muitas mulheres também notam melhorias depois de terem filhos.

Causas

A maioria das dores menstruais é um efeito secundário do processo menstrual natural do organismo.

As dores menstruais ocorrem com a contração da parede muscular do útero.

Durante a menstruação, a parede do útero contrai vigorosamente, para encorajar a descamação do revestimento do útero, como parte do ciclo menstrual mensal.

Este processo pode levar o organismo a libertar químicos de desencadeiam a dor.

Durante a menstruação, o organismo também produz outros químicos, as prostaglandinas, que encorajam a contração dos músculos do útero, aumentando a dor.

Existem dois tipos de dor menstrual: a dismenorreia primária, que é um efeito secundário natural da menstruação. e a disnemorreia secundária, causada por outros problemas.

Alguns dos problemas que podem casuar a dismenorreia secundária incluem a endometriose (quando as células que normalmente revestem o útero começam a desenvolver-se fora do útero), fibróides (tumores não cancerígenos no útero) e a doença inflamatória pélvica (uma infecção dos órgãos reprodutores internos).

Os dispositivos intrauterinos (uma forma de contracepção que se encaixa dentro do útero) também podem causar dores menstruais.

Diagnóstico

A maioria das mulheres que sofre dores menstruais considera que estas são ligeiras e podem ser tratadas em casa. No entanto, deve contactar o seu médico de família se a sua menstruação causar dores severas.

Embora na maioria dos casos a dor não seja causada por outras doenças, o médico de família poderá achar necessário executar um exame físico que permita detectar ou eliminar a possibilidade de outras doenças.

Se as dores menstruais parecerem não reagir à medicação, ou se o médico de família achar que estas podem ser causadas por outros problemas, poderá ser encaminhada para um especialista, normalmente um ginecologista.

O ginecologista irá executar uma série de análises para determinar a causa das suas dores menstruais.

Estes testes podem incluir uma ecografia pélvica (onde se utilizam ondas sonoras para produzir uma imagem dos órgãos reprodutores internos ou uma laparoscopia (onde se insere um pequeno microscópio por uma incisão no abdómen). Também poderá precisar de uma histeroscopia (onde se insere um fino telescópio pela órgão genital feminino para observar o útero).

Tratamento

As dores menstruais geralmente são tratadas em casa. Embora possa não conseguir eliminar totalmente a dor, existem medidas para a aliviar ou reduzir. Exercício, aplicação de calor no abdómen e banhos quentes podem ajudar a diminuir a dor. Massagens e técnicas de relaxamento também podem ajudar.

Na maioria dos casos de dores menstruais, o médico de família aconselhá-la-á a tomar anti-inflamatórios não esteróides como o ibuprofeno. Estes medicamentos são eficazes em cerca de 70% das mulheres com dores menstruais. Se não funcionarem para si, poderá ser-lhe receitado um analgésico mais poderoso.

Os anti-inflamatórios não esteróides não são adequados para pessoas com asma, com problemas de estômago, rins ou fígado e para mulheres grávidas ou a amamentar. Não se deve dar aspirina a crianças com menos de 16 anos.

Se precisar de um contraceptivo, poderá ser-lhe receitada a pílula contraceptiva combinada. Para além de ajudar a evitar a gravidez, este tipo de pílula também ajuda a aliviar as dores menstruais.

Se as suas dores menstruais forem causadas por outros problemas, o tratamento dependerá do problema que causa a dor.

Fonte: www.nhs.uk

Menstruação

A menstruação é uma descamação do endométrio (membrana que reveste a cavidade do útero, em vermelho na figura), acompanhada de saída de sangue. Isto ocorre porque os ovários reduzem muito a secreção de hormônios, e estes, por vários mecanismos, reduzem o estímulo ao endométrio, cujas células morrem e descamam. O primeiro dia do ciclo menstrual é o dia em que a menstruação se inicia.

Enquanto o endométrio descama, o hormônio FSH (folículo estimulante) começa a ser secretado em maior quantidade pela hipófise (glândula situada no cérebro), fazendo com que se desenvolvam os folículos ovarianos (bolsas de líquido que contém os óvulos ou oócitos). Perto do 7º dia do ciclo, o FSH começa a diminuir e, com a falta desse hormônio, alguns folículos param de crescer e morrem. Por isso, em cada ciclo menstrual, de todos aqueles folículos que começam a crescer, apenas um se desenvolve e vai ovular.

Durante seu crescimento, o folículo ovariano produz quantidades de estradiol, hormônio feminino, cada vez maiores. Esse hormônio produz aumento da espessura do endométrio, preparando-o para receber o embrião. Também favorece a secreção do muco cervical (“clara de ôvo”), que às vezes flui pela órgão genital feminino.

Quando a quantidade de estradiol atinge seu máximo, é estimulada a liberação de grande quantidade de hormônio luteinizante (LH) pela hipófise. Algumas horas após, ocorre a ovulação. Como o LH é secretado pelos rins e sai na urina, sua medida na urina pode ser útil para determinar a proximidade da ovulação.

Após a ovulação, o folículo se transforma numa estrutura chamada corpo lúteo, e passa a fabricar, além do estradiol, o hormônio progesterona, que prepara do endométrio para a implantação do embrião. Se a concentração deste hormônio no sangue for baixa, o endométrio pode ser não receptivo ao embrião e não ocorre gravidez..

Ainda não se conhece com toda a precisão o dia da implantação do embrião: parece acontecer de cinco a dez dias após a ovulação. Se não ocorre implantação, a progesterona e o estradiol param de ser fabricados pelo corpo lúteo, seu nível diminue no sangue e se inicia outra menstruação.

Estou ovulando?

Algumas formas de conhecer o intervalo de dias dentro do qual acontece a ovulação estão descritos abaixo. A precisão e simplicidade de cada um varia, não existindo uma forma de determinar a ovulação com precisão absoluta. A ovulação acontece cerca de 14 dias antes da próxima menstruação. Assim, se os ciclos menstruais tiverem sempre mesma duração (o que é difícil), então será possível prever aproximadamente um período em que a ovulação possa ocorrer.

Dor no baixo abdomen: dentre as muitas causas de dor, uma delas é a ovulação, especialmente se a dor acontecer mais ou menos 14 dias antes da próxima menstruação.
Secreção de muco cervical:
é a saída, pela órgão genital feminino, de uma secreção que parece com clara de ovo. Isto acontece, aproximadamente, entre um dia antes até um dia depois da ovulação.
Temperatura do corpo:
perto da ovulação, a temperatura do corpo aumenta em até meio grau centígrado. É preciso, então, tirar a temperatura todos os dias (de preferência antes de levantar-se, pela manhã, colocando o termômetro sob a língua), para saber o dia do aumento. Este aumento pode acontecer, aproximadamente, de dois dias antes até dois dias depois da ovulação.
Testes de hormônios:
existem testes desenvolvidos para detectar, na urina, o aumento do hormônio LH, que precede de mais ou menos um dia a ovulação.

Fonte: www.unifesp.br

Menstruação

Dores Menstruais

Dismenorréia

As dores menstruais são comuns entre adolescentes e mulheres em idade fértil. Podem ser apenas desconfortáveis ou esconder um problema de saúde sério.

Um termo estranho, uma situação comum

A maioria das mulheres pode não conhecer o termo “dismenorréia” mas conhece bem os seus sintomas: trata-se das dores abdominais que antecedem ou coincidem com o início de cada período menstrual.

Para muitas mulheres estas dores são apenas desconfortáveis e passageiras, enquanto para algumas podem ser tão intensas que interferem no seu modo de vida.

Mês após mês manifestam-se com duração e intensidades diferentes, e podem ser sinal de doença.

Por detrás das dores

Quando é originada por uma doença existente no aparelho reprodutor como endometriose (crescimento do tecido uterino fora do útero), cistos no ovário, mioma (tumor benigno do útero) ou infecções, diz-se dismenorréia secundária.

Mais comum é a dismenorréia primária. Afeta adolescentes, mulheres jovens, nulíparas (mulheres que ainda não têm filhos), fumantes, com depressão ou ansiedade ou com história familiar de dismenorréia.

Não se conhecem em rigor as causas, mas tudo indica que se deve à oscilação hormonal característica das jovens e que esteja relacionada com a liberação de prostaglandinas pelo útero, substâncias semelhantes a hormônios que provocam contrações uterinas. São essas contrações que são sentidas como dor na região inferior do abdômen.

As dores menstruais podem iniciar-se antes da menstruação, durar apenas um dia ou prolongar-se por dois a três dias, mantendo-se localizadas no abdômen ou irradiando-se para as costas ou para a região superior das pernas. A sua intensidade pode oscilar mês a mês.

Se a mulher usa dispositivo intrauterino é também provável que as dores sejam mais intensas.

Além das dores pode ainda surgir: cansaço, náuseas, vômitos, tonturas, diarréia e dor de cabeça.

Aliviar o desconforto

As dores menstruais tendem a diminuir de intensidade com a idade – uma vez que os níveis hormonais vão se regularizando – e depois de uma gravidez.

Até lá, o desconforto deve ser aliviado, o que se consegue através de alguns gestos de autocuidado e/ou medicação:

Quando a dor é ligeira, pode ser suficiente tomar um banho com água morna ou colocar um saco de água quente sobre a região inferior do abdômen
O exercício físico regular estimula a produção de endorfinas, o “analgésico” natural do organismo
Relaxar é igualmente útil, pois um corpo repousado é menos vulnerável a dor
Quando a dor é intensa, podem ser necessários medicamentos com ação analgésica e antiinflamatória

Em mulheres que não pretendem engravidar a utilização de contraceptivos orais torna a menstruação menos dolorosa

Se a dor se mantiver apesar de todas as medidas procure um médico para a prescrição de medicamentos e identificação de uma eventual condição mais séria. O tratamento depende da causa ser identificada.

Fonte: www.anhembi.br

Menstruação

O que é menstruação?

A menstruação é a eliminação do revestimento interno do útero num ciclo em que não houve fecundação. Ela é percebida através de um sangramento pela órgão genital feminino, que se repete regularmente a cada 4 semanas, mas ou menos. A quantidade de sangramento varia de mulher para mulher e, em geral, dura de 3 a 5 dias.

Por que ocorre a menstruação?

A menstruação ocorre devido à ação dos hormônios ovarianos sobre o revestimento interno da parede do útero (endométrio). Esses hormônios produzem a multiplicação das células do endométrio, fazendo com que ele cresça e se torne mais espesso. Tudo isso para receber o óvulo fecundado (ovo). Quando a fecundação não acontece ou o ovo não consegue se fixar no endométrio, esse processo é interrompido. A produção de hormônios cai abaixo de determinada quantidade e o endométrio (agora maior) perde seus mecanismos de sustentação e desprende-se do útero.

Este tecido é eliminado, junto com pequena quantidade de sangue, pela órgão genital feminino : é o fluxo menstrual.

Durante a menstruação, a mulher perde muito sangue?

Durante os 4 dias aproximadamente em que ocorre o fluxo menstrual, há uma perda de cerca de 30 ml de sangue puro (cerca de 3 colheres de sopa), apesar de o volume eliminado corresponder a 200 ou 300 ml (cerca de 2 xícaras), pois, além de sangue, a menstruação contém também restos de tecidos da parede do útero. Quando a mulher está em condições normais de saúde, essa perda é facilmente reposta pelo organismo, sem qualquer conseqüência negativa.

O que é a ovulação e quando ocorre?

A ovulação é o processo de liberação, por um dos ovários, de um óvulo (célula reprodutora feminina). Esse óvulo contém o material genético da mulher, acompanhado de elementos nutritivos, que permitirão o desenvolvimento inicial do ovo, caso haja fecundação. A ovulação ocorre mais ou menos no meio dos 28 dias do ciclo menstrual (perto do 14º dia do ciclo).

Quais são as conseqüências da ovulação ?

OVULAÇÃO

A ovulação pode ter duas conseqüências:

A primeira é que o ovário passa a produzir progesterona, que é o hormônio que prepara o endométrio para receber o ovo em caso de haver fecundação.

A segunda conseqüência é a possibilidade de fecundação. Havendo relações sexuais, o espermatozóide pode penetrar no interior do óvulo e fecundá-lo. O novo ser origina-se pela junção desse material genético (masculino e feminino). Nesse momento, ele é chamado de ovo ou zigoto.

Como se dá o desenvolvimento do ovo?

O ovo começa a se desenvolver multiplicando suas células. Assim, ele vai crescendo até formar o embrião. Esse ovo, que foi fecundado nas trompas, se desloca para aderindo à sua parede interna, onde se forma a placenta. O ovo também produz um hormônio próprio para estimular o ovário a continuar produzindo progesterona além das duas semanas programadas. Esse hormônio produzido pelo ovo se chama “gonadotrofina coriônica”.

Como a mulher percebe que está grávida?

A existência do hormônio gonadotrofina coriônica no sangue ou na urina da mulher indica que ocorreu a fertilização. Quando a mulher faz os testes de gravidez e o resultado é positivo, isso significa que esse hormônio está presente em seu corpo.

Outro sinal é a ausência de menstruação (a mulher percebe que já passou o momento em que o fluxo deveria ocorrer). Como o ovário continua produzindo progesterona, o endométrio, que deveria ser eliminado na menstruação, permanece no útero, desempenhando importante papel no desenvolvimento do embrião.

O organismo da mulher tem as mesmas reações durante todo o ciclo menstrual?

Para definir melhor o ciclo menstrual, devemos dividi-lo em duas fases de duração semelhante (aproximadamente 15 dias cada). A primeira é a fase pré-ovulatória, chamada também de fase proliferativa; a segunda é a fase pós-ovulatória, também chamada de fase secretora. A mulher, geralmente, percebe essas fases por sensações próprias, bem características.

A fase pré-ovulatória começa com a menstruação, seguida por dias em que o colo do útero produz um muco. A órgão genital feminino fica mais úmida, provocando na mulher uma sensação de lubrificação.

Conforme vai se aproximando o dia da ovulação, a sensação de umidade é máxima: a mulher apresenta uma secreção do órgão genital feminino abundante, transparente e elástica, semelhante à clara de ovo crua.

Na fase pós-ovulatória, essa umidade diminui progressivamente. A produção de hormônios é modificada nesse período e, em conseqüência, o útero passa a ter contrações musculares, sentidas pela mulher como cólicas fracas, que geralmente não chegam a ser dolorosas ou desagradáveis. Inicia-se uma nova menstruação, o que define o começo de um novo ciclo. Assim, o primeiro dia de menstruação é considerado como o primeiro dia do ciclo menstrual.

Fonte: www.fmu.br

Menstruação

CICLO MENSTRUAL E MÉTODO DA TABELINHA

Definição de ciclo menstrual

Período, em mulher ou fêmea primata com ovulação, que vai desde o início até a próxima hemorragia menstrual (menstruação). A menstruação é uma descamação do endométrio (membrana que reveste a cavidade do útero) acompanhada de saída de sangue. Isto ocorre porque os ovários reduzem muito a secreção de hormônios, e estes, por vários mecanismos, reduzem o estímulo ao endométrio, cujas células morrem e descamam. O primeiro dia do ciclo menstrual é o dia de início da menstruação, não importando quantos dias ela dure. Este ciclo é regulado por interações endócrinas entre hipotálamo, hipófise, ovários e trato genital. O ciclo menstrual é dividido pela ovulação em duas fases. Com base no status endócrino do ovário, há a fase folicular e a fase lútea e baseando-se na resposta do endométrio, o ciclo menstrual pode ser dividido nas fases proliferativa e secretória .

Fase folicular: período do ciclo menstrual que representa o crescimento folicular, aumento da produção de estrogênio nos ovários e a proliferação epitelial do endométrio. A fase folicular começa com o início da menstruação e termina com a ovulação

Fase lútea: período do ciclo menstrual que segue a ovulação, caracterizado pelo desenvolvimento do corpo lúteo, aumento da produção de progesterona pelo ovário e da secreção pelo epitélio glandular do endométrio. A fase luteal começa com a ovulação e termina com o início da menstruação.

Um pouco mais sobre o ciclo menstrual

Ainda enquanto o endométrio descama (menstruação), o hormônio FSH (folículo estimulante) começa a ser secretado em maior quantidade pela hipófise (glândula situada no cérebro), fazendo com que se desenvolvam os folículos ovarianos (bolsas de líquido que contém os óvulos ou oócitos). Perto do 7º dia do ciclo, o FSH começa a diminuir e, com a falta desse hormônio, alguns folículos param de crescer e morrem. Por isso, em cada ciclo menstrual, de todos aqueles folículos recrutados (que começam a crescer), apenas um (raramente dois) se desenvolve até o fim e vai ovular.

O folículo começa a crescer mais ou menos a partir do sétimo dia do ciclo. Durante seu crescimento, secreta quantidades cada vez maiores de estradiol, que é um hormônio feminino.

Este hormônio produz as seguintes alterações na mulher:

Estimula o crescimento do endométrio: depois da menstruação, o endométrio é muito fino. Conforme a secreção de estradiol vai aumentando, começa a se tornar espesso e se preparar para a implantação do embrião.
Estimula a secreção de muco pelo canal cervical: quanto mais estradiol é secretado, mais o muco tende a ficar receptivo ao espermatozóide.

Quando a quantidade de estradiol no sangue é máxima, o endométrio atinge também o máximo crescimento e o muco se torna ótimo para ser penetrado pelo espermatozóide.

Nessa ocasião, é estimulada a secreção de um hormônio da hipófise: o hormônio luteinizante (LH). O LH aumenta muito depressa no sangue e atinge o máximo (pico de LH). Algumas horas após, ocorre a ovulação. Muito do LH secretado é retirado pelos rins e sai na urina. Por isso, a medida de LH na urina pode ser utilizada para detectar um período muito próximo da ovulação. Em média, a ovulação ocorre no décimo quarto dia do ciclo menstrual (mas pode ocorrer antes ou depois, sem que isso impeça a gravidez).

Após a ovulação, o folículo se transforma numa estrutura chamada corpo lúteo, e passa a fabricar, além do estradiol, o hormônio progesterona, que vai terminar o preparo do endométrio para a implantação do embrião. Mais ou menos entre o sexto e o oitavo dias após a ovulação, o nível de progesterona no sangue atinge o máximo, e a medida deste hormônio no sangue, se for baixa, é causa de infertilidade.

Ainda não se conhece com toda a precisão o dia da implantação do embrião: parece acontecer de cinco a dez dias após a ovulação. Se não ocorre implantação, então a progesterona e o estradiol param de ser fabricados pelo corpo lúteo, seu nível diminue no sangue e se inicia outra menstruação.

O que são métodos anticoncepcionais naturais? A tabelinha se enquadra nesse tipo de método?

Métodos anticoncepcionais naturais são aqueles na qual a abstinência sexual é praticada em alguns dias antes e após a ovulação, durante a fase fértil. Os métodos para determinar o período fértil ou a detecção da ovulação são baseados em vários indicadores fisiológicos, como hormônios circulantes, alterações no muco cervical (muco cervical) e a temperatura corporal basal. O método da tabelinha é um exemplo desse tipo de método.

Algumas formas de conhecer o intervalo de dias dentro do qual acontece a ovulação estão descritos abaixo. A precisão e simplicidade de cada um varia, não existindo uma forma de determinar a ovulação com precisão absoluta.

Dor no baixo abdomen: dentre as muitas causas de dor, uma delas é a ovulação, especialmente se a dor acontecer mais ou menos 14 dias antes da próxima menstruação.
Secreção de muco cervical: é a saída, pela órgão reprodutor feminino, de uma secreção que parece com clara de ovo. Isto acontece, aproximadamente, entre um dia antes até um dia depois da ovulação.
Temperatura do corpo: perto da ovulação, a temperatura do corpo aumenta em até meio grau centígrado. É preciso, então, tirar a temperatura todos os dias (de preferência antes de levantar-se, pela manhã, colocando o termômetro sob a língua), para saber o dia do aumento. Este aumento pode acontecer, aproximadamente, de dois dias antes até dois dias depois da ovulação.
Testes de hormônios: existem testes desenvolvidos para detectar, na urina, o aumento do hormônio LH, que precede de mais ou menos um dia a ovulação.

Como funciona o método da tabelinha?

Tabelinha é um método baseado em cálculos sobre a possibilidade da mulher engravidar em épocas diferentes do Ciclo Menstrual. Teoricamente a mulher é fértil no meio do seu ciclo. Ou seja, nos ciclos mais comuns de 28 a 30 dias a fertilidade máxima seria entre o 12° 13º 14º e 15º dia, contando o primeiro dia da menstruação como dia 1º.

Fonte: www.icb.ufmg.br

Veja também

Água de Reuso

Água de Reuso

PUBLICIDADE O que é a água de reuso? É grande a preocupação com a disponibilidade …

Torniquete

PUBLICIDADE Definição Um torniquete pode ser definido como um dispositivo de constrição ou compressão usado …

cetose

Cetose

PUBLICIDADE Definição Cetose é um estado metabólico caracterizado por níveis aumentados de corpos cetônicos nos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.