Breaking News
Home / Biologia / Biologia Forense

Biologia Forense

PUBLICIDADE

Biologia Forense – Definição

Biologia Forense é a aplicação de métodos analíticos biológicos às investigações jurídicas. Envolve o exame de itens comprobatórios e/ou cenas de crimes por diferentes fluidos corporais, cabelos, fibras, etc., que podem ligar certos indivíduos a esses itens ou locais.

Existem vários tipos de fluidos corporais que podem ser encontrados na cena do crime ou na roupa da vítima de um crime, que têm potencial para ser analisados e usados para ajudar a identificar o autor do crime.

Os fluidos corporais caem em duas categorias, nomeadamente fluidos excretados, e. fezes, vômito, bile e sebo (óleo da pele) e fluidos segregados, por ex. sangue, sêmen, ejaculação feminina, saliva e urina.

O que é biologia forense?

biologia forense é uma das diversas áreas das Ciências Biológicas, que compreende o uso de conceitos e atitudes procedimentais, em um contexto criminal, como o auxílio na elucidação de crimes contra a pessoa.

Biólogos forenses analisam amostras celulares e de tecidos, além de fluídos fisiológicos, bem como insetos, restos de plantas e animais presentes no local do óbito, que são importantes nesta investigação.

Os principais são o sangue, esperma, pelos e o tradicional DNA.

O trabalho envolve a coleta de materiais importantes para identificar principalmente tempo e causa da morte. Usando o suporte tecnológico de laboratórios, as evidências coletadas em roupas, armas, superfície corporal e outras superfícies, são analisadas. Os profissionais mantêm um registro detalhado em relatórios e fotografias sobre tudo que encontram, cada detalhe pode ser crucial para desvendar alguma situação, e um erro mínimo pode fazer uma evidência importante não ir para tribunal, já que os profissionais forenses são quase sempre testemunhas em tribunais.

Biologia Forense

Os profissionais da biologia forense podem se tornar especialistas em áreas como análise de DNA, antropologia forense, patologia forense, química biológica, botânica forense, entomologia forense, entre outros.

As condições de trabalho de um biólogo forense não é a melhor do mundo. Trabalhar com material biológico, inclui fluído humano, com odor desagradável, cenas de crime, até mesmo buscar evidências em lixo.

A outra parte, o trabalho no laboratório pode ser repetitiva e tediosa. Mas no Brasil, por ser um campo ainda em crescimento, existem alguns concursos que a remuneração é alta.

Para chegar a ser um biólogo forense, a maioria das pessoas se forma em uma faculdade de biologia, bioquímica, entre outras, e faz um mestrado ou pós graduação em ciência forense. Apesar de terem outros caminhos, esse é o mais comum.

O que faz um biólogo forense?

Um biólogo forense aplica os princípios da biologia às aplicações policiais.

Os biólogos forenses podem trabalhar no laboratório e no campo com uma ampla variedade de substâncias e amostras, desde evidências de DNA que precisam ser identificadas até animais que precisam ser necropsiados como parte de uma investigação.

Os biólogos forenses são formados em ciência forense, ou em biologia com concentração em ciência forense, e podem trabalhar para agências governamentais, laboratórios privados, universidades e empresas de consultoria.

Biólogos criminais forenses analisam evidências de cenas de crime e trabalham lado a lado com as agências de aplicação da lei nos níveis local, estadual e federal. Eles estudam os fundamentos do DNA, impressões digitais e outras evidências biológicas para oferecer assistência na condenação dos culpados e exoneração dos inocentes.

Uma série de disciplinas no campo da biologia podem ser aplicadas à ciência forense. Um botânico forense, por exemplo, lida com evidências de plantas, que vão desde amostras de material vegetal encontradas em uma vítima que pode levar os investigadores à cena do crime até o rastreamento de árvores que podem mostrar há quanto tempo um esqueleto está enterrado em uma cova rasa. Os botânicos forenses trabalham com amostras de pólen, flores e folhas no campo e no laboratório.

Um biólogo forense investiga o cabelo, os dentes e a pele da vítima
e pode até fazer uma análise de DNA

Entomologistas forenses trabalham com insetos. A entomologia forense é um campo relativamente novo, que usa informações sobre os ciclos de vida dos insetos para coletar dados sobre crimes.

Um biólogo forense especializado em entomologia pode ajudar os investigadores a determinar a hora da morte e onde um corpo pode ter sido localizado. Eles também podem contribuir com outras coisas úteis para a equipe; por exemplo, os insetos coletados de um corpo podem ser examinados em busca de toxinas para verificar se há sinais de toxinas que possam estar no corpo quando os insetos começaram a se alimentar.

Um biólogo forense não está interessado apenas em ajudar a solucionar crimes contra humanos. Alguns se especializam em tarefas como identificar partes de espécies ameaçadas de extinção, trabalhando com agências de segurança pública para interromper o comércio de ossos, pele, pelo e penas de animais ameaçados. Os biólogos forenses também podem investigar suspeitas de crimes, como envenenamento e abuso de animais, coleta de evidências do animal e da cena do crime, e podem estar envolvidos na investigação de suspeitas de surtos de doenças em populações de animais que possam ameaçar a saúde humana ou animal.

Evidências biológicas, como amostras de pele, cabelo, dentes e sangue, podem ser examinadas por um biólogo forense para coletar informações sobre a vítima. Como os químicos forenses, os biólogos forenses podem conduzir análises de DNA.

Um biólogo forense também pode participar ou conduzir autópsias com o objetivo de coletar informações sobre a maneira e a hora da morte de alguém que morreu, e esses profissionais forenses podem supervisionar a coleta de evidências biológicas de pessoas com interesse em um crime.

Por que escolher a biologia forense?

Este campo fascinante usa técnicas e ferramentas investigativas para explorar muitas aplicações de análise de evidências biológicas.

Os biólogos forenses nos ajudam a encontrar pistas para eventos que ocorreram no passado recente ou distante.

Eles desempenham um papel importante em reunir as pistas para dar aos promotores as provas corroborativas necessárias para tirar os criminosos das ruas.

Eles também são essenciais para nos ajudar a identificar os restos orgânicos que são essenciais para rastrear a história humana por meio da antropologia, as origens e evolução da vida vegetal por meio da botânica ou o caminho de surtos de doenças infecciosas por meio de patologia ou entomologia.

Fonte: Ana Rosa Calheiro/www.forensicequity.com/www.chc.edu/www1.wne.edu/www.wisegeek.com/explorehealthcareers.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.