Breaking News
Home / Biologia / Meristema

Meristema

O que é Meristema

PUBLICIDADE

Por Meristema se compreende um tecido presente nas plantas, cujas células apresentam capacidade de se dividir e se tornar novas células, necessárias para o crescimento e desenvolvimentos dos vegetais. O tecido meristemático é formado por células totipotentes, que podem se transformar e especializar em qualquer tipo celular, além de apresentar capacidade de se multiplicar.

As células meristemáticas, comparadas com outras células vegetais, contam com poucos vacúolos, além de apresentarem parede delgada (mais fina), citoplasma denso, organelas dispersas e um núcleo mais proeminente. Tais características são encontradas em células que apresentam intensa atividade mitótica (ou seja, divisão celular).

Tipos

As plantas contam com dois tipos de meristemas: os primários e os secundários.

Os meristemas primários são encontrados no ápice do caule (meristema apical caulinar) e da raiz (meristema subapical radicular). Já os meristemas secundários se desenvolvem a partir do aumento dos tecidos vasculares, os quais se originam dos meristemas primários.

Tanto o caule, como a raiz, crescem em comprimento por conta destes meristemas. No caso do crescimento do caule, o meristema apical primário está localizado em seu ápice (na ponta). Assim, o meristema apical atua na formação de pequenos brotos, os quais recebem o nome de gemas apicais.

Vale lembrar que o meristema apical caulinar conta com um desenvolvimento mais complexo que o presente na raiz: ele atua na formação dos primórdios foliares e gemas axilares, os quais formam folhas, ramos e flores.

Já no caso das raízes, na ponta delas, há o meristema subapical caulinar. Como a raiz se desenvolve em substratos, o meristema pode ser danificado em seu desenvolvimento. Por isso, na ponta das raízes, protegendo o meristema subapical caulinar, há uma estrutura chamada coifa. A coifa serve como proteção das células meristemáticas primárias.

Além disso, as células da coifa apresentam capacidade de produzir uma secreção mucilaginosa. Esta secreção tem a função de atuar como uma espécie de lubrificante do meristema radicular. Assim, ela facilita a penetração da raiz através das partículas do substrato no qual a planta está se fixando.

Juliano Schiavo
Biólogo e mestre em Agricultura e Ambiente

Referências

APPEZZATO-DA-GLÓRIA, Beatriz (2006.). Anatomia Vegetal. Viçosa: 2ª ed. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa. pp. 438 p.

ARRUDA, E. Apostila: anatomia vegetal – aspectos ontogenético, ecológicos e evolutivos. Universidade Federal de Pernambuco. 2011. 114p.

Meristema

O meristema é um tecido formado por células com características embrionárias, isto é, não estão especializadas e têm grande capacidade de divisão, podendo dar origem a qualquer outro tipo de tecido (totipotente).

Divide-se em dois tipos:

Meristema apical ou primário.
Meristema lateral ou secundário.

Meristema primário ou apical

Meristema primário ou apical localizado na ponta do caule e da raiz, provoca o crescimento em comprimento da planta.

No caule,o meristema apical forma pequenos brotos,as gemas apicais(na ponta do caule) e as gemas laterais ou axilares(nas ramificações do caule).

Meristema apical caulinar de Elodea

Meristema apical caulinar de Elodea

Meristema apical radicular de Elodea

Meristema apical radicular de Elodea

O meristema da ponta da raiz é protegido por um “capacete” de células, a coifa.A parte inferior desse meristema repõe as células da coifa à medida que estas se desgastam.

O meristema apical divide-se em três regiões:

Protoderme ou protoderma: Origina o tecido protetor: a epiderme que reveste o vegetal.
Procâmbio:
Vai se diferenciar no tecidos vascular primário,localizados no interior da raiz e do caule.
Meristema fundamental:
Meristema produtor dos demais tecidos da planta, responsáveis pela sustentação, fotossíntese, armazenamento de substâncias e preenchimento.

Meristema secundário ou lateral

São aqueles que se originam por desdiferenciação. É o meristema responsável pelo crescimento em espessura do caule e da raiz. Exemplos: Felogênio e câmbio.

Felogênio

Localizado na parte mais externa do caule e da raiz. O crescimento interno resulta o feloderme (células de preenchimento e reserva) e o crescimento externo resulta na formação do súber (células de proteção) O conjunto formado pelo felogênio, feloderme e súber é chamado de periderme.

Câmbio

Localizado mais internamente no caule e na raiz,irá produzir novos vasos condutores de seiva,à medida que o vegetal aumenta de espessura.

As células dos meristemas, quando param de se dividir, passam por um processo de diferenciação, transformando-se em células de tecidos permanentes ou adultos, que ficam fazendo parte do corpo do vegetal.

Os tecidos adultos são classificados de acordo com as funções que passam a desempenhar:

Preenchimento
Revestimento
Secreção
Condução
Sustentação

Portal São Francisco

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Plastos

Plastos

PUBLICIDADE O que são plastos? Os plastos ou plastídeos são organelas de dupla membrana encontrados …

Plantas Tóxicas

Plantas Tóxicas

PUBLICIDADE O que são plantas tóxicas? As plantas tóxicas também chamadas de plantas venenosas contêm …

Plantas Carnívoras

Plantas Carnívoras

PUBLICIDADE O que são plantas carnívoras? As plantas carnívoras são definidas como plantas que atraem, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.