Breaking News
Home / Biologia / Respiração Pulmonar

Respiração Pulmonar

PUBLICIDADE

 

O que é a respiração pulmonar?

A respiração através dos pulmões é chamado de respiração pulmonar.

O mecanismo da respiração pulmonar: Inclui o movimento de respiração, a troca de gases, nos pulmões, o transporte de gases pelo sangue e troca de gase por tecido.

Movimento da Respiração

A cavidade torácica é uma câmara de ar comprimido que é fechado pela coluna vertebral dorsal, ventralmente pelo esterno, lateralmente pelas costelas, anteriormente pelo pescoço e posteriormente pelo diafragma. Diafragma é uma partição em forma de cúpula do músculo esquelético entre cavidade torácica ea cavidade abdominal.

A Respiração inclui dois processos de inspiração e expiração.

Inspiração é um processo de entrada de ar para os pulmões. É um processo ativo. Quando os músculos intercostais externos contrair a diafragma torna-se plana e espaço no interior aumenta cavidade torácica. Simultaneamente, o ar de alta pressão de fora corre para os pulmões.

Expiração é um processo de expulsão de ar dos pulmões.

Neste processo, o contrato intercostais internos e músculos diphragam torna originais em forma de cúpula e diminui o espaço dentro da cavidade torácica, os pulmões são comprimidos e ar é expelido para fora. Portanto, costelas desempenham papel importante na mulher enquanto diafragma no sexo masculino.

Volume pulmonar

A recodificação de volume de circulação de ar para dentro e para fora dos pulmões é chamado espirometria e é medida com a ajuda de espirômetro.

O volume de ar inalado pelos animais e exalada com cada respiração é chamado de volume corrente. A média é de cerca de 500 ml em humanos.

O volume máximo de ar que pode ser inalado e exalado durante a respiração forçada é denominado capacidade vital. É cerca de 3,5-4,5 litros.

A capacidade vital é maior em atletas, habitantes das montanhas e as mulheres mais baixas, por velhice, e pessoas fumantes.

O volume de ar é deixado nos pulmões após a expiração forçada chamado volume residual.

Trata-se de 1200ml. o volume de ar que não podem ser inspiradas, acima do volume corrente normal é chamado inspiratório do volume de reserva, ou IRS (3000ml).

A quantidade de ar que não pode ser expirado com força além da expiração corrente normal é chamado de volume de reserva expiratório. Fica a cerca de 1100 ml.

O espaço morto é o volume de ar (150 ml) em nasofaringe, traquéia, brônquios, que não disponível para a troca gasosa.

Taxa de respiração

A taxa de respiração em seres humanos é de 15-25 por minuto. Em bebês, é de 35 por minuto.

O controle da respiração

Nossos centros respiratórios estão localizados em duas regiões do cérebro-bulbo (com centro inspiratória e expiratória centro) e ponte varolii (com centro pneumotaxic).

O Centro inspiratório estimula músculos inspiratórios (diafragma) para controlar o ritmo da respiração. O Centro expiratório permanece inativo durante a respiração normal, mas ele controla tanto a expiração e inspiração durante o exercício.

Centro Pneumotaxic controla o desligamento do ponto da respiração enviando um sinal para o centro inspiratório.

O centro de controlo de medula detecta o baixo pH do fluido de tecido, durante a formação de mais ácidos carbónicos, o centro aumenta a taxa de respiração para eliminar o excesso de CO2.

A concentração de O2 tem pouco efeito sobre os centros respiratórios.

No entanto, quando o nível de O2 é severamente deprimidos, sensores de O2 na aorta e artérias carótidas enviar sinais para respirar centro de controle para aumentar a taxa de respiração.

Taxas pulmonar de Gases (respiração externa)

A Respiração externa ocorre entre o sangue nos capilares alveolares e ar alveolar.

A pressão parcial de O2 (PO2) no ar alveolar é de 100 mm de Hg e no sangue venoso tem 40mm de Hg.

Assim, o oxigênio do ar alveolar difunde-se no sangue venoso e no pulmões, a pressão parcial de CO2 ou PCO2 no sangue venoso é 46 milímetros Hg e no ar alveolar é de 40 mm de Hg.

Portanto, o CO2 se difunde a partir de sangue venoso de ar alveolar nos pulmões.

No entanto, N2 é fisiologicamente inerte em relação à respiração.

Fonte: www.preservearticles.com

Respiração Pulmonar

É a respiração que permitiu a existência de animais grandes em ambiente terrestre. O ar entre por algum orifício no ser e vai para o pulmão, um órgão extremamente vascularizado e com uma incrível superfície de contato.

A função da respiração é essencial à vida e pode ser definida, de um modo simplificado, como a troca de gases (O2 e CO2) entre as células do organismo e a atmosfera.

A respiração pulmonar é representada pela ventilação (processo mecânico de entrada e saída de ar dos pulmões) e a troca gasosa.

Respiração Pulmonar – é a troca de gases (O2 e CO2) nos pulmões (Ventilação).

O ar ambiente é levado e permutado pelo ar presente nos pulmões através do processo da ventilação pulmonar.

Definição

A respiração pulmonar é o processo pelo qual o ar entra nos pulmões e sa i em seguida. É um acontecimento repetitivo que envolve todo o conjunt o de órgãos do sistema respiratório.

Circulação Pulmonar

A circulação sanguínea pulmonar é peculiar no sentido de que esta ocorre sob pressões relativamente mais baixas que aquelas das arteríolas sistêmicas.

Os vasos sanguíneos pulmonares, especialmente os capilares e vênulas, são constituídos de paredes muito finas e flexíveis. Diferentemente dos capilares sistêmicos, os capilares pulmonares aumentam de diâmetro.

Os capilares pulmonares dentro das paredes alveolares separam alvéolos adjacentes com aumentos na pressão sanguínea ou decréscimos na pressão alveolar.

O escoamento de sangue no pulmão é, portanto, significativamente influenciado pela deformação elástica. Embora a circulação pulmonar não seja significativamente afetada por controles neuronais e químicos, esta responde prontamente à condição de hipóxia. Há, também, um sistema de circulação de sangue sistêmico a altas pressões em torno dos brônquios que é completamente independente da circulação pulmonar de baixa pressão (~3330 N/m 2 ) em indivíduos saudáveis.

A Respiração Humana

Na espécie humana os gases percorrem uma série de orgãos que constituem o Tubo Respiratório.

Obdecendo a sequência de: Cavidades Nasais, Faringe, Laringe, Traquéia, Brônquios, Pulmões.

Inspiração e Expiração

Respiração Pulmonar
Inspiração

Respiração Pulmonar
Expiração

A inspiração compreende a penetração do ar atmosférico até os alvéolos pulmonares. Já a expiração consiste na eliminação do ar contido nos pulmões para o meio externo. Nesses mecanismos, é fundamental a participação do diafragma – um músculo achatado que separa a cavidade tóracica da cavidade abdominal – e dos músculos intercostais externos – que ficam localizados entre as costelas.

Ventilação Pulmonar

Respiração Pulmonar
Ventilação Pulmonar

É o processo de conduzir o ar atmosférico até os alvéolos.

O ar penetra pelo nariz e boca e flui para porção condutiva do sistema

Ajustado à temperatura corporal, filtrado e umedecido ao passar na traquéia

O condicionamento do ar continua a medida que penetra nos dois brônquios (conduz p/ os pulmões)

Brônquios subdividem-se em numerosos bronquíolos (conduz para ductos alveolares)

Ramos terminais do ducto são circundados completamente por alvéolos (pequenas bolsas agrupadas em torno dos bronquíolos respiratórios, cuja forma e distribuição lembram uma colméia).

Pulmões

Principal função é a troca gasosa

Transferem o O2 do ar para o sangue venoso e transferem o CO2 desse sangue para as câmaras alveolares (vital para a permuta gasosa – surfactante– poros de Kohn)

Volume médio de 4 a 6 L…

Fonte: www.graduacao.univasf.edu.br

Respiração Pulmonar

Sistema Respiratório Pulmonar

É responsável pelas trocas gasosas entre o organismo e o meio ambiente, processo conhecido como respiração pulmonar.

É nos pulmões que ocorrem as trocas com os capilares sanguíneos, através de milhões de alvéolos pulmonares.

Essas trocas(denominadas hematose: entrada de oxigênio e saída de gás carbônico) são efetuadas por difusão: o gás oxigênio passa dos alvéolos para as células do sangue.

Respiração Pulmonar: os pulmões são especíes de bolsas de ar localizadas no inteior do corpo de alguns seres vivos, nas quais o ar entra e saí num processo de ventilação pulmonar. Neles são realizadas as trocas gasosas e o oxigênio é levado para todo o corpo através do sangue ou da hemolinfa, havendo uma relação com o sistema circulatório.

Respiração Pulmonar: consiste em trocas gasosas entre o ar e o sangue. O nome desse processo é hematose, e ele ocorre nos alvéolos pulmonares. Neste caso, os gases respiratórios são o O2, utilizado no processo de respiração celular, e o CO2, resultante deste mesmo processo.

Ventilação pulmonar

A inspiração, que promove a entrada de ar nos pulmões, dá-se pela contração da musculatura do diafragma e dos músculos intercostais. O diafragma abaixa e as costelas elevam-se, promovendo o aumento da caixa torácica, com conseqüente redução da pressão interna (em relação à externa), forçando o ar a entrar nos pulmões.

A expiração, que promove a saída de ar dos pulmões, dá-se pelo relaxamento da musculatura do diafragma e dos músculos intercostais. O diafragma eleva-se e as costelas abaixam, o que diminui o volume da caixa torácica, com conseqüente aumento da pressão interna, forçando o ar a sair dos pulmões.

VENTILAÇÃO PULMONAR

Nossas células necessitam, enquanto vivas e desempenhando suas funções, de um suprimento contínuo de oxigênio para que, num processo químico de respiração celular, possam gerar a energia necessária para seu perfeito funcionamento e produção de trabalho.

Da mesma forma que um motor de automóvel necessita, para produzir seu trabalho mecânico, além da fonte de energia orgânica fornecida pelo combustível (gasolina, álcool ou diesel), de fornecimento constante de oxigênio; da mesma forma que uma chama num palito de fósforo, para permanecer acesa necessita, além da matéria orgânica presente na madeira do palito, também de oxigênio, nossas células também, para manterem seu perfeito funcionamento necessitam, além da fonte de energia proporcionada pelos diversos alimentos, de um fornecimento constante de oxigênio.

O oxigênio existe em abundância em nossa atmosfera. E para captá-lo necessitamos de nosso aparelho respiratório. Através deste, parte do oxigênio da atmosfera se difunde através de uma membrana respiratória e atinge a nossa corrente sanguínea, é transportado pelo nosso sangue e levado às diversas células presentes nos diversos tecidos. As células, após utilizarem o oxigênio, liberam gás carbônico que, após ser transportado pela mesma corrente sanguínea, é eliminado na atmosfera também pelo mesmo aparelho respiratório.

Para que seja possível uma adequada difusão de gases através da membrana respiratória, oxigênio passando do interior dos alvéolos para o sangue presente nos capilares pulmonares e o gás carbônico se difundindo em sentido contrário, é necessário um processo constante de ventilação pulmonar.

A ventilação pulmonar consiste numa renovação contínua do ar presente no interior dos alvéolos. Para que isso ocorra é necessário que, durante o tempo todo, ocorram movimentos que proporcionem insuflação e desinsuflação de todos ou quase todos os alvéolos. Isso provoca, no interior dos alvéolos, uma pressão ligeiramente, ora mais negativa, ora mais positiva do que aquela presente na atmosfera.

Durante a inspiração, devido a uma pressão intra-alveolar de aproximadamente 3 mmHg. mais negativa do que a atmosférica, uma certa quantidade de ar atmosférico é inalado pelo aparelho respiratório; durante a expiração, devido a uma pressão intra-alveolar de aproximadamente 3 mmHg. mais positiva do que a atmosférica, a mesma quantidade de ar é devolvida para a atmosfera.

Para que possamos insuflar e desinsuflar nossos alvéolos, devemos inflar e desinflar nossos pulmões. Isso é possível através de movimentos que acarretem aumento e redução do volume no interior da nossa caixa torácica, onde nossos pulmões estão localizados.

Podemos expandir o volume de nossa caixa torácica levantando nossas costelas e contraindo o nosso músculo diafragma.

Para retrairmos o volume da caixa torácica fazemos exatamente o contrário: rebaixamos nossas costelas enquanto relaxamos o nosso diafragma.

Portanto temos diversos músculos que nos são bastante importantes durante nossa respiração:

Músculos utilizados na inspiração: diafragma, esternocleidomastoideos, intercostais externos, escalenos, serráteis anteriores.
Músculos utilizados na expiração: intercostais internos, retos abdominais e demais músculos localizados na parede anterior do abdomen.

Durante a inspiração e durante a expiração, o ar passa por diversos e diferentes segmentos que fazem parte do aparelho respiratório:

Nariz: É o primeiro segmento por onde, de preferência, passa o ar durante a inspiração. Ao passar pelo nariz, o ar é filtrado, umidificado e aquecido. Na impossibilidade eventual da passagem do ar pelo nariz, tal passagem pode acontecer por um atalho, a boca. Mas infelizmente, quando isso acontece, o ar não sofre as importantes modificações descritas acima.
Faringe: Após a passagem pelo nariz, antes de atingir a laringe, o ar deve passar pela faringe, segmento que também serve de passagem para os alimentos.
Laringe: Normalmente permite apenas a passagem de ar. Durante a deglutição de algum alimento, uma pequena membrana (epigloge) obstrui a abertura da laringe, o que dificulta a passagem fragmentos que não sejam ar para as vias respiratórias inferiores. Na laringe localizam-se também as cordas vocais, responsáveis para produção de nossa voz.
Traquéia: Pequeno tubo cartilaginoso que liga as vias respiratórias superiores às inferiores, logo abaixo.
Brônquios: São numerosos e ramificam-se também numerosamente, como galhos de árvore. Permitem a passagem do ar em direção aos alvéolos.
Bronquíolos: Mais delgados, estão entre os brônquios e os sacos alveolares, de onde saem os alvéolos.

Por toda a mucosa respiratória, desde o nariz até os bronquíolos, existem numerosas células ciliadas, com cílios móveis, e grande produção de muco. Tudo isso ajuda bastante na constante limpeza do ar que flui através das vias respiratórias.

Os alvéolos apresentam uma certa tendência ao colabamento. Tal colabamento somente não ocorre normalmente devido à pressão mais negativa presente no espaço pleulra, o que força os pulmões a se manterem expandidos. O grande fator responsável pela tendência de colabamento dos alvéolos é um fenômeno chamado Tensão Superficial.

A Tensão Superficial ocorre no interior dos alvéolos devido a grande quantidade de moléculas de água ali presente e revestindo, inclusive, toda a parede interna dos alvéolos. A Tensão Superficial no interior dos alvéolos certamente seria bem maior do que já o é se não fosse a presença, nos líquidos que revestem os alvéolos, de uma substância chamada surfactante pulmonar. O surfactante pulmonar é formado basicamente de fosfolipídeos (dipalmitoil lecitina) por células presentes no epitélio alveolar. A grande importância do surfactante pulmonar é sua capacidade de reduzir significativamente a tensão superficial dos líquidos que revestem o interior dos aléolos e demais vias respiratórias.

Fonte: www.slideshare.net/www.sogab.com.br

Veja também

Água de Reuso

Água de Reuso

PUBLICIDADE O que é a água de reuso? É grande a preocupação com a disponibilidade …

Torniquete

PUBLICIDADE Definição Um torniquete pode ser definido como um dispositivo de constrição ou compressão usado …

cetose

Cetose

PUBLICIDADE Definição Cetose é um estado metabólico caracterizado por níveis aumentados de corpos cetônicos nos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.