Breaking News
Home / Biologia / Endorfina

Endorfina

PUBLICIDADE

Endorfina – O que é

Uma endorfina é um analgésico natural produzido pelo corpo em resposta a uma série de fatores. Ele liga-se às partes do sistema nervoso que se ligam a morfina, o alívio da dor e, frequentemente, a produção de um elevado natural. Em contraste com os efeitos de drogas, endorfina atividade não é aditivo. Uma alta do corredor é uma resposta que é pensado ser devido aos efeitos de endorfinas.

Há um número de endorfinas produzidas pelo homem. Eles são neurotransmissores, o que significa que transmitem sinais ao longo do sistema nervoso e são encontrados no cérebro – especificamente na glândula pituitária. Um receptor é uma molécula, que transmite os sinais, e uma endorfina se liga a um receptor que a morfina e de outros opiáceos gravitam para.

É conhecido como um receptor de opiáceo.

As endorfinas são liberadas quando um sinal de dor atinge a medula espinhal. Ela impede que mais sinais de dor seja liberado a partir das células nervosas.

Embora a atividade primária de endorfinas é aliviar a dor, eles também podem provocar sensações de euforia, tais como a libertação de hormonas sexuais.

Muitas coisas podem causar uma resposta endorfina. Coisas agradáveis como sexo, massagem e acupuntura pode desencadear a produção de endorfinas.

O stress e os baixos níveis de dor pode também causar uma resposta endorfina.

O composto ativo do pimentão pimentas estimula essa resposta também, e é usado como um analgésico tópico. Algumas pessoas comem pimentas muito quentes para obter uma sensação de prazer, como as pimentas mais fortes causar mais endorfinas a ser produzido. Parece que a alta do corredor obtido após intensa atividade, prolongado é devido, pelo menos em parte, à atividade de endorfinas, embora tenha havido alguma controvérsia sobre isso. Não pode haver uma desvantagem para estes exercícios endorfinas que reduzem a dor percebida, porque algumas pessoas empurrar passado o seu nível de resistência, e pode ferir-se durante o exercício ou esporte.

Durante a gravidez, uma parte do tecido placentário excreta endorfinas no sangue da mãe. Após o nascimento, a amamentação pode estimular a produção de endorfina.

O último processo é pensada para ajudar a evitar a depressão pós-parto.

O termo endorfina vem a partir de uma combinação de a palavra endógena, ou seja, ‘a partir de dentro do organismo,’ e Orphin, derivados de morfina. ‘ Há um número de endorfinas, mas todos eles se ligam a um receptor opióide. Os principais tipos de endorfinas são beta-endorfina, que se encontra na glândula pituitária, e a dinorfina e encefalina, os quais são encontrados em todo o sistema nervoso.

As endorfinas são peptídeos, que são pequenas cadeias de aminoácidos. Tecnicamente, eles são conhecidos como polipeptídeos opióides endógenos. Os polipéptidos são péptidos ligeiramente maiores, e muitos deles são biologicamente ativos.

Endorfina – Hormônio

Endorfina é um hormônio produzido pelo cérebro. O nome endorfina vem da palavra endomorfina. Endo significa interno, e morfina é um analgésico. Os cientistas não entendiam por que a morfina é um analgésico.

A palavra endorfina vem da junção das palavras “endógeno”, que significa de dentro do corpo, e “morfina”, que é um analgésico opiáceo. Em outras palavras, as endorfinas têm esse nome porque são analgésicos naturais.

Por que a morfina elimina a dor?

Endorfina

Se você a injetar no músculo ela não faz efeito. Mas se a morfina for injetada na veia, no sangue, a dor desaparece, porque então ela vai para o cérebro, e é lá que ela age. Assim, os cientistas desconfiaram que as células do cérebro deviam ter uma estrutura chamada receptor, que pudesse receber a morfina e introduzi-la no interior de tais células, impedindo-as de sentir dor.

Ao isolarem células cerebrais, descobriram que realmente existe um receptor para a morfina, o que significa que o nosso corpo deve produzir uma morfina interna. E ao prosseguirem nas pesquisas, descobriram a morfina interna, a qual chamaram de endorfina.

Há casos em que um soldado, ferido numa batalha, precisa sofrer uma grande intervenção cirúrgica. Geralmente uma grande operação requer muitas injeções de morfina após a cirurgia. Mas muitas vezes, no campo de batalha, um soldado não requer muita morfina, por estranho que pareça.

Sabe o que descobriram?

Que o soldado sabe que pelo fato de estar ferido, irá para casa. E isto o enche de esperança.

Por outro lado, soldados que recebem ferimentos leves, e sabem que terão de voltar para o campo de batalha alguns dias depois, precisam de muita morfina. Em tempo de paz, um soldado levemente ferido não precisa de morfina. Mas no campo de batalha isto acontece. É muito doloroso, e é psicológico. Por isso é que um jogador de futebol às vezes fica contundido e nem percebe.

Ele está se esforçando tanto, e produzindo endorfinas, que não sente a dor. Mas depois do jogo a dor se manifesta.

Assim, a dor tem íntima relação com as emoções. Tem a ver com a quantidade de endorfina produzida. Então os cientistas descobriram que a endorfina, além de agir como a morfina, aliviando a dor física, também alivia a dor emocional. E mais tarde descobriram que a endorfina fortalece os linfócitos T, do sistema imunológico. Em outras palavras, a paz e a alegria produzem endorfinas, e desta maneira fortalecem o sistema imunológico.

Por outro lado, a ingestão excessiva de carne, chocolate e alimentos com elevado te or de gorduras, interfere no suprimento de oxigênio para o cérebro, porque a gordura dos alimentos engrossa o sangue, e impedem os glóbulos vermelhos de transportar oxigênio para o cérebro. E quando escasseia o oxigênio no cérebro, este sempre produz o hormônio da ira – a adrenalina – em quantidade maior do que endorfina.

Mas se você faz exercício e ingere alimentos com baixo teor de gorduras, o exercício aumenta a circulação do sangue e o suprimento de oxigênio para o cérebro.

Então o cérebro produz bastante endorfina. Esta é a razão por que o exercício também fortalece o sistema imunológico. Assim sendo se quiser ter seu sistema imunológico forte e um corpo cheio de saúde, faça exercício físico regularmente, evite carnes, chocolate, gorduras, frituras e queijos.

Procure estar sempre alegre, com espírito de gratidão, e não se esqueça: utilize frutas em abundância.

Endorfina – Cérebro

endorfina é um hormônio que faz parte do sistema endócrino do nosso organismo. O sistema endócrino ajuda a integrar e controlar as funções corporais e, dessa forma, proporciona estabilidade ou homeostasia no meio interno. Os hormônios afetam quase todos os aspectos da função humana, regula o crescimento, desenvolvimento e produção, ampliam a capacidade corporal de lidar com os estressantes físicos e psicológicos.

As endorfinas são substâncias que aliviam a dor e possuem uma estrutura química similar à da morfina ( e é por causa desta semelhança que apresentam um efeito analgésico ).

Em 1973, descobriu-se que a morfina atuava em locais específicos no encéfalo, na medula espinhal e em outras terminações nervosas.

Tal descoberta levou a uma identificação de pequenas moléculas protéicas produzidas por células do corpo que foram denominadas endorfinas.

Desde sua descoberta, as endorfinas tem sido encontradas não somente no sistema nervoso, mas também em outras partes do corpo ( inclusive no pâncreas e nos testículos ).

Estão sendo realizadas pesquisas para determinar a gama completa de suas funções. Além do seu efeito analgésico, acredita-se que as endorfinas controlem a reação do corpo à tensão, regulando as contrações da parede intestinal e determinando o humor. Elas podem também regular a liberação de outros hormônios.

Provavelmente parte da capacidade da acupuntura em aliviar a dor seja devida ao estímulo da liberação de endorfinas.

Os estudos sobres as endorfinas já apresentam alguns benefícios que devemos relacionar com a realização de atividades físicas.

A concentração desse hormônio aumenta durante o exercício e que esta resposta é facilitada pelo treinamento.

Existe alguma evidência recente de que a ativação induzida pelo exercício pode agir no sentido de regular a secreção de vários hormônios durante e após os exercícios.

Podemos exemplificar através da influência sobre a adrenalina. Esta, por sua vez, quando estimulada, aumenta a glicose sangüínea (ganho de energia), acelera o desempenho cardíaco (maior eficiência nas atividades), entre outras.

Portanto, apenas com esse pequeno exemplo, podemos entender que as endorfinas são de grande importância para a manutenção de algumas funções que desempenhamos em nosso dia a dia.

As informações mostradas aqui, não podem ser conclusivas, já que pesquisas estão acontecendo.

Contudo, para os que se beneficiam de atividades físicas, buscando saúde e/ou performance, torna-se justificável a manutenção das mesmas, devido também às sensações que experimentamos, como por exemplo: quando as pessoas gastam energia somente de uma maneira ” intelectual “, acabam estressadas. Por outro lado, quando as pessoas conseguem direcionar suas atividades cotidianas com gastos energéticos na parte psicológica e física, encontram equilíbrio. O potencial na utilização dos hormônios durante as atividades físicas, é compreensível. Quando você, que freqüentemente faz atividade física, por algum motivo não consegue, tem a sensação de perda (alguma coisa está faltando!!!), provavelmente deixou de estimular seu organismo para que todos os sistemas, inclusive hormonais, trabalhassem a seu favor.

Sendo assim, fica uma sugestão: potencialize-se através do movimento.

Endorfina – Descoberta

As endorfinas foram descobertas em 1975.

Foram encontradas 20 tipos diferentes de endorfinas no sistema nervoso, sendo a beta-Endorfina a mais eficiente pois é a qual dá o efeito mais eufórico ao cérebro.

Ela é composta de 31 aminoácidos.

A palavra endorfina, é a forma abreviada de ?morfina endógena? que significa morfina produzida naturalmente pelo corpo.

endorfina é conhecida mundialmente como um hormônio antiestresse e que alivia as dores naturalmente. Isso ocorre porque ela é secretada quando sentimos estresse ou dor, ou seja, ela bloqueia os sinais de dor que vão para o sistema nervoso. Isto tem sido um efeito que tem aliviado a dor e causado euforia.

Infelizmente, as endorfinas não podem trabalhar por muito tempo pois existem enzimas no nosso corpo, chamadas endorfinases, que ?mastigam? as endorfinas.

A endorfina, que é o hormônio que tem o efeito mais positivo entre os hormônios produzidos no cérebro, torna vários órgãos mais saudáveis. Conforme esse hormônio é secretado e distribuído pelo corpo, ele o torna mais saudável. Em suma, Endorfina é o presente mais valioso que a natureza deu aos homens.

Endorfina – Benefícios ao organismo

Endorfina

Descoberta nos anos 70, quando foram identificados cerca de 20 tipos diferentes de endorfinas, a substância ainda não foi suficientemente estudada.

endorfina é um assunto controverso por ainda causar muitas discussões e apresentar poucas comprovações científicas.

Acredita-se, porém, que a endorfina traga uma série de benefícios ao organismo, ajudando a melhorar a memória e o estado de espírito, além de aliviar as dores e aumentar a resistência dos praticantes dos mais variados esportes. Parece ser tão benéfica à saúde que muitos médicos costumam receitar ginástica para quem sofre de depressão ou de insônia.

Fonte: www.wisegeek.com/www.ativo.com/www.geocities.com/runners.ouest-france.fr/www.medicalnewstoday.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.