Breaking News
Home / Biologia / Biogênese

Biogênese

PUBLICIDADE

Biogênese – Definição

A vida só se origina de outra forma preexistente e não de um “Principio ativo” que segundo Aristóteles, poderia ser um objeto inanimado.

As experiências do médico e biólogo italiano Francesco Redi e Louis Pasteur sepultaram definitivamente a teoria da abiogênese.

biogênese se refere ao processo pelo qual uma coisa viva vem de outra coisa viva, particularmente do mesmo tipo.

biogênese não era amplamente aceita antes.

O que era amplamente popular era a teoria da geração espontânea, que pressupõe que a vida pode vir de objetos inanimados ou coisas não vivas.

As pessoas costumavam acreditar que larvas podiam emergir espontaneamente de carne apodrecida – que um organismo vivo tão complexo quanto ratos poderia ser produzido a partir de matéria inanimada.

biogênese é a produção de novos organismos vivos ou organelas. A lei da biogênese, atribuída a Louis Pasteur, é a observação de que os seres vivos vêm apenas de outros seres vivos, por reprodução. Ou seja, a vida não surge de matéria inanimada, que era a posição ocupada pela geração espontânea.

O termo biogênese foi cunhado por Henry Charlton Bastian para significar a geração de uma forma de vida a partir de materiais não vivos.

No entanto, Thomas Henry Huxley escolheu o termo abiogênese e redefiniu a biogênese para a vida surgida de vida preexistente. A geração de vida a partir de material não vivo é chamada de abiogênese, e é hipotetizado que ocorreu pelo menos uma vez na história da Terra, ou na história do Universo, quando a vida surgiu pela primeira vez.

O termo biogênese também pode se referir a processos bioquímicos de produção em organismos vivos.

O que é Biogênese?

Biogênese é a produção de vida.

Em latim, bio significa vida, e gênese significa o início ou origem.

Ao longo da história, a humanidade pensou que biogênese muitas vezes ocorreu por geração espontânea a partir de terra ou matéria vegetal, ao lado de reprodução, que agora sabemos que é a única maneira que a biogênese nunca acontece.

Anaxímenes e Anaxágoras, pré-Aristóteles filósofos naturais gregos acreditavam que a biogênese poderia ocorrer a partir da ação do Sol sobre lodo terrestre primordial, uma combinação de água e da terra.

A ideia relacionada é Xenogenesis, que argumenta que um tipo de forma de vida pode surgir a partir de outro, formas de vida completamente diferente.

Por volta de 343 aC, Aristóteles escreveu o livro História dos Animais, que estabeleceu a teoria da geração espontânea biogênese que permaneceria dominante há mais de 2000 anos.

Além de incluir longas descrições de inúmeras espécies de peixes, crustáceos e outros animais, o livro também apresenta a teoria de como os animais vêm a ser, em primeiro lugar.

Aristóteles acreditava que diferentes animais poderiam surgir espontaneamente a partir de diferentes formas de matéria inanimada – moluscos e vieiras, ostras na areia em lama, e a craca ea lapa nas cavidades das rochas. No entanto, ninguém parecia afirmar que os seres humanos poderiam emergir da geração espontânea, sendo as criaturas mais elevadas que só aparentemente pode ser produzido através da reprodução direta por outros seres humanos.

Já em 1668, o médico italiano Francesco Redi propôs que as formas superiores de vida (micróbios) não surgiram espontaneamente, ea idéia ficou mais popular, mas os defensores da geração espontânea ainda sustentava que micróbios surgiram através destes meios.

Em 1745, John Needham, um biólogo Inglês e padre católico romano, acrescentou caldo de galinha para um frasco fechado, cozidos que, esperou, então observou o crescimento microbiano, apontando este como um exemplo de geração espontânea.

Em 1768, Lazzaro Spallanzani repetiu essa mesma experiência, mas removido todo o ar do frasco, e os micróbios não cresceram dentro dele.

Este deve ter sido um dos mais antigos experimentos para refutar conclusivamente a geração espontânea, mas a idéia de que a geração espontânea era falsa não se espalhou na época.

Passando para 1859, o biólogo francês Louis Pasteur finalmente refutada a geração espontânea para o bem. Ele ferveu caldo de carne em uma garrafa de pescoço de ganso. O pescoço de ganso permitido no ar, mas não, como o raciocínio foi, minúsculas partículas do ar. A experiência mostrou que o crescimento microbiano não ocorreu no balão até que o balão foi girado para que as partículas poderiam cair das curvas, em que o ponto de água tornou-se rapidamente turva, indicando a presença de microorganismos.

Depois de 2000 anos, a teoria da a geração espontânea biogênese foi finalmente trazido para descansar. Hoje em dia, tem sido substituído pela biologia celular e a biologia de reprodução.

Biogênese – Teoria

teoria da Abiogênese foi posta em causa pelo físico italiano Francesco Redi, no séc. XVII (1668) e pelo cientista italiano Lazzaro Spallanzani no séc. XVIII (1776), que propuseram a teoria da Biogênese, que dizia que qualquer forma de vida só podia provir de outra pré-existente, tendo esta sido aceite e defendida por nomes ilustres, como Descartes, Newton, William Harvey e Van Helmont e mantido a sua grande aceitação até meados do séc. XIX.

Só em 1862, quando o químico Francês Lois Pasteur realizou experiências que provaram a não existência de geração espontânea é que a Teoria da Abiogênese foi ultrapassada a favor da Teoria da Biogênese defendida por Redi.

Lei da biogênese

Pasteur mostrou que o ar é uma fonte de microorganismos. Trabalhou com balões esterilizados onde colocou um caldo nutritivo.

Posteriormente, aqueceu o gargalo do balão, dando-lhe várias curvaturas. Ferveu então o liquido nutritivo. Ao arrefecer, os vapores de água condensaram-se nas curvaturas do balão em pescoço de cisne, impedindo a entrada de poeiras e micróbios. Verificou depois que nos balões não aparecia vida. Partiu então os tubos de alguns balões e verificou que passadas 24 horas o caldo nutritivo estava coberto de germes, enquanto que nos balões intactos continuava a não aparecer vida.

Pasteur mostrou que o ar é uma fonte de microorganismos.

Trabalhou com balões esterilizados onde colocou um caldo nutritivo.

Posteriormente, aqueceu o gargalo do balão, dando-lhe várias curvaturas. Ferveu então o liquido nutritivo.

Ao arrefecer, os vapores de água condensaram-se nas curvaturas do balão em pescoço de cisne, impedindo a entrada de poeiras e micróbios. Verificou depois que nos balões não aparecia vida. Partiu então os tubos de alguns balões e verificou que passadas 24 horas o caldo nutritivo estava coberto de germes, enquanto que nos balões intactos continuava a não aparecer vida.

Com esta experiência foi definitivamente “imposta” a teoria da biogênese e deitadas por terra as criticas que os defensores da abiogênese faziam, dizendo que ao ferver o caldo nutritivo, o seu princípio ativo era destruído.”

Biogênese – Conceitos

A noção popular costumava ser a geração espontânea. Pessoas, incluindo pensadores científicos proeminentes, como Aristóteles, acreditavam que os ratos poderiam surgir de grãos armazenados e na ausência de qualquer pai biológico. Aristóteles escreveu em seu livro, História dos Animais, que alguns animais podem surgir de seus pais e outros podem crescer espontaneamente e não do mesmo tipo. Conseqüentemente, o animal pode vir de terra em putrefação ou matéria vegetal.

O princípio da geração espontânea afirma que objetos inanimados podem produzir coisas vivas. Isso às vezes é chamado de abiogênese. Esta teoria não é mais amplamente suportada até hoje.

Com o advento de ferramentas de laboratório e técnicas microbianas, experimentos científicos como o de Louis Pasteur provaram que os seres vivos não podiam ser gerados espontaneamente a partir de objetos inanimados. Somente coisas vivas são capazes de reproduzir outra vida.

Assim, a teoria da geração espontânea tornou-se obsoleta e a teoria da biogênese tornou-se mais amplamente aceita.

No entanto, a abiogênese obsoleta parece ter o mesmo princípio fundador da hipótese moderna da abiogênese (origem da vida).

Os dois diferem de uma maneira que a hipótese moderna da abiogênese permanece aceita até hoje. Na verdade, é uma das teorias amplamente aceitas que retratam a história da vida. Conseqüentemente, a Terra primordial foi um refúgio para as primeiras formas de vida que surgiram de matéria não viva, como os compostos orgânicos.

Essas entidades de vida primitivas não eram tão elaboradas quanto as coisas vivas que conhecemos hoje. Eles são menos elaborados em forma, estrutura e função.

O surgimento de entidades vivas de entidades não vivas ocorreu gradual e lentamente, levando milhões de anos. À medida que os seres vivos continuam a se diversificar, eles eventualmente se tornam mais elaborados em termos de atributos físicos e genéticos. Assim, enquanto a hipótese moderna de abiogênese implica milhões de anos para ocorrer, a geração espontânea descreveu um processo que envolve um período de tempo relativamente mais curto (por exemplo, minutos, horas, dias ou anos).

A biogênese se refere ao processo em que a vida surge de formas de vida semelhantes. O princípio da biogênese é oposto ao da geração espontânea.

A pessoa que primeiro surgiu com o termo biogênese foi Henry Charlton Bastian 1837-1915. Ele propôs usar o termo biogênese no lugar de geração espontânea. Mais tarde, Thomas Henry Huxley 1825-1895 propôs que o termo abiogênese fosse usado para referir-se ao processo de geração espontânea e o termo biogênese fosse usado para o processo em que a vida surge de uma vida semelhante.

Essas definições prevaleceram. A biogênese, portanto, é o oposto da geração espontânea. Afirma que as coisas vivas só podem ser produzidas por outra coisa viva, e não por uma coisa não viva.

Outro conceito importante a ser observado é a geração unívoca, que pertence ao processo pelo qual uma prole vem de pais da mesma espécie. Isso está em contraste com a geração equívoca, que pertence ao processo em que uma espécie é produzida a partir de uma espécie não aparentada, não necessariamente envolvendo a reprodução sexuada. Por exemplo, uma vez se acreditou que uma tênia foi produzida por seu hospedeiro.

Biogênese – Resumo

Louis Pasteur, 1822-1895 – Geração espontânea

Insatisfeitos com a teoria da abiogênese, cientistas realizaram experiências que foram passo a passo, minando a teoria da abiogênese.

Francesco Redi (1626-1697), cientista italiano elaborou uma experiência a fim de derrubar a teoria da abiogênese.

Esses foram os passos da sua experiência:

Colocou pedaços de carne em vários frascos;
Alguns frascos foram deixados abertos e outros fechados.

Depois de vários dias, Redi observou que a carne que estava nos frascos apodreceu, eisso atraiu as moscas, que entravam e saíam continuamente nos frascos abertos, pois nosfrascos fechados a mosca não tinha acesso.

Daí Redi observou que no frasco que as moscastiveram acesso (abertos) os frascos estavam cheios devermes, enquanto nos frascos fechados os vermes nãoapareciam. Redi descobriu então que aqueles vermes naverdade eram larvas das moscas que tiveram contato com ofrasco aberto com carne, e conseguiu comprovar suaexperiência que a carne apodrecia nã era capaz de gerarvida, pois o que surgiu(vermes) eram originados dasmoscas(que já existiam). Isso gerou um forte abalo na teoriada abiogênese.

Defensores importantes da Biogênese:

Francesco Redi.
Joblot
Spallanzani.
Pasteur.

Fonte: www.wisegeek.com/www.simonsen.br/www.psiqweb.med.br/www.biologyonline.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.