Breaking News
Home / Biologia / Timócitos

Timócitos

PUBLICIDADE

O que é

Os timócitos são células que vivem no timo, um órgão do sistema imunológico.

Biólogos categorizam essas células como células progenitoras hematopoiéticas, o que significa que elas são capazes de se diferenciar em outras células do sangue.

Dentro do timo, os timócitos entram em um processo de seleção e maturação chamado timopoiese e se transformam em linfócitos T ou células T, células importantes para o sistema imunológico.

Durante os três estágios da timopoise, as células ou células defeituosas que são prejudiciais ao corpo são filtradas e eliminadas.

Se um timócito passa pelos três estágios, ele entra na circulação sanguínea normal do corpo como uma célula T madura.

As células progenitoras hematopoiéticas na medula óssea que viajam através do sangue e atingem naturalmente o timo automaticamente se tornam timócitos.

No primeiro estágio da timopoiese, o processo de seleção beta, um timócito inicial tenta criar um receptor de célula T cortando o DNA e ligando seus diferentes fragmentos de genes. Dessa forma, cada célula T possui um receptor de célula T diferente que pode reconhecer e defender uma ampla variedade de bactérias e vírus.

O corpo elimina todos os timócitos que não são capazes de mostrar com sucesso seus receptores de células T em suas superfícies celulares.

No segundo estágio da timopoese, o processo de seleção positiva, um timócito deve provar que seu receptor de célula T pode se ligar a uma molécula do complexo principal de histocompatibilidade (MHC).

Quando essas moléculas têm proteínas em suas superfícies celulares, uma célula T deve se ligar a elas para determinar se a proteína é segura ou perigosa para o corpo.

Quaisquer timócitos com receptores de células T incapazes de se ligarem a moléculas de MHC sofrem apoptose, morte celular.

Alguns timócitos em risco de apoptose podem se salvar criando novos receptores de células T durante esse estágio.

A timopoese termina quando os timócitos passam pelo processo de seleção negativa, durante o qual o corpo elimina qualquer timócito que seja capaz de se ligar a proteínas próprias.

As auto-proteínas são proteínas inofensivas produzidas pelo organismo e as células T que se ligam a proteínas próprias podem acidentalmente ativar respostas imunológicas.

Depois de passar com sucesso a timopoese, as células entram na corrente sanguínea como células T maduras e participam como membros do sistema imunológico.

Algumas células T podem passar pelo processo de seleção negativa, embora possam se ligar a proteínas próprias, mas essas células geralmente são suprimidas ou eliminadas por células reguladoras.

Se essas células reguladoras falharem, a pessoa pode desenvolver uma doença auto – imune na qual as células atacam o corpo

O que é a glândula do timo?

O timo é um órgão na cavidade torácica superior que processa os linfócitos, um tipo de glóbulo branco que combate infecções no corpo.

Este órgão faz parte do sistema linfático, que constitui uma parte importante do sistema imunológico, e do sistema endócrino, que inclui todas as glândulas que produzem hormônios.

O timo é mais importante em crianças e adultos jovens, quando programa linfócitos para atacar antígenos, como vírus. Pessoas que não têm essa glândula, ou em quem ela não funciona corretamente, geralmente apresentam comprometimento do sistema imunológico e dificuldade em combater doenças.

Anatomia e Função

Duas partes de formato irregular formam o timo, localizado logo abaixo da garganta, atrás do esterno.

A glândula libera um hormônio que estimula a produção de um certo tipo de glóbulo branco na medula óssea; estas células, chamadas timócitos, são transportadas pela corrente sanguínea para o timo.

Lá, o órgão “programa” as células para atacar antígenos que invadem o corpo e não atacam as células normais do próprio corpo.

Uma vez amadurecidos, esses linfócitos T, ou células T, circulam pela corrente sanguínea e se acumulam nos órgãos linfáticos – o baço e os gânglios linfáticos – para uso futuro.

As células T são acionadas para combater vírus, células tumorais e outros invasores para ajudar o corpo a combater doenças. Eles também ajudam no desenvolvimento de outras células brancas do sangue, incluindo células B, que se desenvolvem na medula óssea, e macrófagos, que “engolem” células estranhas.

A maioria da produção de linfócitos acontece no início da vida, então o timo encolhe com a idade.

É aproximadamente do tamanho de uma maçã em crianças logo antes da puberdade, mas pode dificilmente ser discernível a partir dos tecidos adiposos circundantes em idosos.

Acredita-se que os hormônios sexuais liberados durante a adolescência desencadeiam o órgão a começar a se desligar. Por ser menor e menos ativa em adultos, pouco se sabe sobre o timo até a década de 1960, e os cientistas ainda estudam exatamente como ele está relacionado a várias doenças e condições.

Complicações e Doenças

Se o timo é removido na infância ou se desenvolve de forma inadequada, o sistema imunológico pode estar comprometido.

Grande parte do desenvolvimento do sistema imunológico do corpo acontece antes do nascimento, portanto, a remoção do órgão, mesmo em uma criança pequena, não causará necessariamente danos extremos à imunidade da criança. Quando o timo não se desenvolve corretamente, no entanto, pode causar deficiência imunológica, tornando a pessoa muito mais suscetível a infecções.

O câncer é raro nesta parte do corpo, mas tumores podem se desenvolver no timo.

Chamados de timoma, estes tumores ocorrem mais frequentemente em pessoas com outras condições médicas, incluindo miastenia gravis e algumas doenças auto-imunes.

Os sintomas incluem tosse, chiado no peito e dor no peito, e o tratamento pode incluir cirurgia para remover o tumor junto com radiação ou terapia hormonal.

O prognóstico do timoma depende principalmente do quanto o câncer progrediu.

Acredita-se que o timo desempenhe um papel no desenvolvimento da miastenia grave, uma condição na qual as células T atacam os nervos onde se conectam com os músculos. A remoção do órgão, chamada de timectomia, é frequentemente realizada para aliviar os sintomas relacionados a essa condição.

Papel na prevenção de doenças

Pesquisas estão sendo conduzidas para determinar se a regeneração do timo ou a prevenção de sua deterioração podem ou não melhorar a imunidade em pessoas mais velhas.

Os cientistas questionam se o órgão pode desempenhar um papel no combate ao câncer e ao HIV/AIDS, que ataca diretamente as células T.

Numerosas doenças auto-imunes, como esclerose múltipla, lúpus e diabetes, também podem ser gerenciadas de forma mais eficaz, através de uma melhor compreensão da função da glândula.

Fonte: Colégio São Francisco

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Teste de Schilling

PUBLICIDADE Definição O teste de Schilling é uma investigação médica usada para pacientes com deficiência …

Prostaglandina

PUBLICIDADE Definição As prostaglandinas são um grupo de lipídios produzidos em locais de dano ou …

Células dendríticas

PUBLICIDADE Definição As células dendríticas, nomeadas por suas formas de sondagem, “tipo árvore” ou dendríticas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.