Breaking News
Home / Biologia / Animais híbridos

Animais híbridos

PUBLICIDADE

O que são animais híbridos?

Quando falamos em animais híbridos, nos referimos a seres vivos que são oriundos do cruzamento genético entre espécies diferentes, mas que pertencem ao mesmo gênero.

De forma mais simples: são animais distintos que cruzam e dão origem a um novo animal. Geralmente esse novo ser vivo é estéril, ou seja, não é capaz de se reproduzir.

hibridação é um fenômeno que pode ocorrer naturalmente e também de forma artificial, tanto em animais, quanto em plantas.

A hibridação também envolver tanto o cruzamento entre linhagens dentro de uma mesma espécie, o que recebe o nome de híbridos intraespecíficos, como também entre indivíduos de espécies diferentes, chamados de híbridos interespecíficos.

Vale lembrar que estudos apontam que, nos peixes, a hibridação natural ocorre com mais frequência, quando comparado a outros grupos de vertebrados.

Outro ponto a ser destacado é que a hibridação é mais comum em peixes de água doce do que em peixe marinhos. Entre os fatores que podem interferir nesse aspecto, pode-se destacar a competição por habitat de desova, fertilização externa, entre outras.

Animais híbridosTigre

De acordo com pesquisas, a hibridação interespecífica (ou seja, algo que ocorre entre indivíduos de espécies diferentes), ocorre entre 6 a 10% das espécies animais. Os descendentes desses cruzamentos, que recebem o nome de híbridos, são considerados, por conta de sua constituição genética, ineficientes do ponto de vista reprodutivo, ecológico, bioquímico, fisiológico ou comportamental.

Alguns trabalhos relacionam a hibridação como um fator muito importante para a evolução, uma vez que possibilita o surgimento de genótipos diferentes, os quais podem se estabelecer ao longo do processo evolutivo, dando origem novas linhagens.

E por falar em híbridos, alguns deles são mais conhecidos, como a mula, fruto do cruzamento entre uma égua e um jumento; o zebralo, oriundo do cruzamento entre uma zebra e um cavalo; o javaporco, que é fruto do cruzamento do porco doméstico com o javali; o tigre, resultado do cruzamento entre uma tigresa e um leão, entre outros.

O mundo confuso de animais híbridos

O acasalamento entre duas espécies pode produzir descendentes com novas cores, formas e comportamentos

Se um zoológico mantiver um leão e uma tigresa no mesmo recinto,
pode resultar em um ligre. Tem uma mistura das características de seus pais

Nas profundezas da floresta amazônica vivem dois pássaros verdes. O manakin coberto de neve tem uma mancha branca na cabeça. O manakin com coroa de opala é muito semelhante.

Mas a coroa desta espécie pode ser branca, azul ou vermelha dependendo da luz. É “como um arco-íris”

Há milhares de anos, essas duas espécies de pássaros começaram a acasalar. A prole inicialmente tinha coroas cinza-esbranquiçadas opacas, suspeita Barrera-Guzmán. Mas nas gerações posteriores, alguns pássaros desenvolveram penas amarelas. Essa cor brilhante tornava os machos mais atraentes para as fêmeas.

Essas fêmeas podem ter preferido acasalar com machos de capa amarela em vez de machos de capa de neve ou opala.

Eventualmente, esses pássaros se separaram o suficiente das duas espécies originais para serem suas próprias espécies distintas: o manakin de coroa dourada.

É o primeiro caso conhecido de uma espécie de ave híbrida na Amazônia, diz ele.

Normalmente, espécies diferentes não acasalam. Mas quando o fizerem, seus descendentes serão os chamados híbridos.

As moléculas de DNA em cada uma das células de um animal contêm instruções. Eles orientam a aparência de um animal, como ele se comporta e os sons que faz. Quando os animais acasalam, seus filhotes recebem uma mistura do DNA dos pais. E eles podem acabar com uma mistura das características dos pais.

Se os pais forem da mesma espécie, seu DNA será muito semelhante. Mas o DNA de diferentes espécies ou grupos de espécies terá mais variações. A descendência híbrida obtém mais variedade no DNA que herda.

Então, o que acontece quando o DNA de dois grupos de animais se mistura em um híbrido?

Existem muitos resultados possíveis. Às vezes, o híbrido é mais fraco que os pais ou nem mesmo sobrevive. Às vezes é mais forte. Às vezes, ele se comporta mais como uma espécie progenitora do que como outra. E às vezes seu comportamento fica entre o de cada um dos pais.

Animais híbridos – Biologia

Em biologia, híbrido tem dois significados.

primeiro significado é o resultado do cruzamento entre dois animais ou plantas de taxa diferentes.

Híbridos entre diferentes espécies dentro do mesmo gênero são às vezes conhecidos como híbridos interespecíficos ou cruzamentos.

Híbridos entre diferentes subespécies dentro de uma espécie são conhecidos como híbridos intra-específicos.

Híbridos entre gêneros diferentes são às vezes conhecidos como híbridos intergenéricos.

Foi conhecida a ocorrência de híbridos interfamiliares extremamente raros (como os híbridos de galinha-d’angola).

segundo significado de “híbrido” é o cruzamento entre populações, raças ou cultivares de uma única espécie.

Este segundo significado é freqüentemente usado na criação de plantas e animais.

Um exemplo de um híbrido intraespecífico é um híbrido entre um tigre de Bengala e um tigre de Amur (siberiano).

Híbridos interespecíficos são criados pelo acasalamento de duas espécies, normalmente de dentro do mesmo gênero.

A prole exibe traços e características de ambos os pais.

Os descendentes de um cruzamento interespecífico muitas vezes são estéreis, esta esterilidade híbrida impede a movimentação de genes de uma espécie para outra, mantendo ambas as espécies distintas.

A esterilidade é frequentemente atribuída ao número diferente de cromossomos que as duas espécies têm, por exemplo, os burros têm 62 cromossomos, enquanto os cavalos têm 64 cromossomos e as mulas e os hinnies têm 63 cromossomos.

Mulas, hinnies e outros híbridos interespecíficos normalmente estéreis não podem produzir gametas viáveis porque o cromossomo extra não pode fazer um par homólogo na meiose, a meiose é interrompida e espermatozoides e óvulos viáveis não são formados.

No entanto, a fertilidade em mulas fêmeas foi relatada com um burro como pai.

Na maioria das vezes, outros mecanismos são usados por plantas e animais para manter o isolamento gamético e a distinção de espécies.

As espécies costumam ter padrões ou comportamentos de acasalamento ou cortejo diferentes, as estações de acasalamento podem ser distintas e, mesmo que o acasalamento ocorra, as reações antigênicas ao esperma de outras espécies impedem a fertilização ou o desenvolvimento do embrião.

A mosca Lonicera é a primeira espécie animal conhecida que resultou da hibridização natural.

Até a descoberta da mosca Lonicera, esse processo era conhecido por ocorrer na natureza apenas entre as plantas.

Híbrido – Genética

Híbrido, prole de pais que diferem em características geneticamente determinadas. Os pais podem ser de diferentes espécies, gêneros ou (raramente) famílias.

O termo híbrido, portanto, tem uma aplicação mais ampla do que os termos mestiço ou mestiço, que geralmente se referem a animais ou plantas resultantes de um cruzamento entre duas raças, raças, linhagens ou variedades da mesma espécie.

Existem muitas espécies híbridas na natureza (em patos, carvalhos, amoras silvestres, etc.) e, embora híbridos de ocorrência natural entre dois gêneros tenham sido observados, a maioria destes últimos resulta da intervenção humana.

Por causa de incompatibilidades biológicas básicas, híbridos estéreis (aqueles incapazes de produzir filhotes vivos) como a mula (um híbrido entre um asno e uma égua) comumente resultam de cruzamentos entre espécies. Alguns híbridos interespecíficos, entretanto, são férteis e reprodutores verdadeiros. Esses híbridos podem ser fontes para a formação de novas espécies.

Muitas plantas cultivadas economicamente ou esteticamente importantes (banana, café, amendoim, dálias, rosas, pão integral, alfafa, etc.) foram originadas por hibridação natural ou hibridização induzida por meios químicos, mudanças de temperatura ou irradiação.

O processo de hibridização é importante biologicamente porque aumenta a variedade genética (número de combinações diferentes de genes) dentro de uma espécie, que é necessária para que a evolução ocorra.

Se as condições climáticas ou de habitat mudarem, indivíduos com certas combinações podem ser eliminados, mas outros com combinações diferentes sobreviverão. Dessa forma, a aparência ou o comportamento de uma espécie podem ser alterados gradativamente. Essa hibridação natural, que é generalizada entre certas espécies, torna a identificação e enumeração de espécies muito difícil.

Fonte: Juliano Schiavo/www.sciencenewsforstudents.org/www.boredpanda.com/www.sciencedaily.com/a-z-animals.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.