Breaking News
Home / Biologia / Fisiologia Vegetal

Fisiologia Vegetal

Fisiologia Vegetal – O que é

PUBLICIDADE

fisiologia vegetal é uma subdisciplina da botânica que se preocupa com o funcionamento físico, químico e biológico das plantas.

O campo da fisiologia vegetal inclui o estudo de todos os processos químicos e físicos das plantas, desde as interações em nível molecular da fotossíntese e a difusão de água, minerais e nutrientes dentro da planta, até os processos em larga escala de crescimento da planta, dormência e reprodução.

A fisiologia vegetal se concentra no estudo das atividades internas das plantas, incluindo pesquisas sobre as interações moleculares da fotossíntese e a difusão interna da água, minerais e nutrientes.

Também estão incluídas investigações sobre os processos de desenvolvimento da planta, sazonalidade, dormência e controle reprodutivo.

A fisiologia vegetal também enfoca vários aspectos, incluindo fitoquímica; interações dentro de uma planta entre células, problemas e órgãos; maneiras pelas quais as plantas regulam suas funções internas; e como as plantas respondem às condições e variações do ambiente.

Dadas as crises ambientais causadas pela poluição e mudanças climáticas, esta é uma área de estudo particularmente vital, uma vez que o estresse da perda de água, mudanças na química do ar ou aglomeração por outras plantas podem levar a mudanças na maneira como uma planta funciona.

Fisiologia Vegetal – Transpiração

A transpiração é a eliminação de água na forma de vapor que ocorre nos vegetais e animais por uma necessidade fisiológica, sendo controlada por mecanismos físicos, morfológicos, anatômicos e fisiológicos.

Nos vegetais a transpiração ocorre principalmente através das folhas, que é a principal superfície de contato do vegetal com o ambiente.

A transpiração é um fenômeno que ocorre nos animais e vegetais.

É a eliminação de água na forma de vapor que nos vegetais ocorre através dos estômatos. A transpiração é importante no controle da temperatura e na ascensão de água no corpo do vegetal.

A taxa de transpiração é comandada por mecanismos fotoativos e hidroativos, podendo ser considerada a somatória da transpiração estomática e a transpiração cuticular.

A é uma subdivisão da botânica relacionada com o funcionamento e a fisiologia das plantas.

Os campos interrelacionados incluem morfologia vegetal (estrutura das plantas), ecologia vegetal (interações com o meio ambiente), fitoquímica (bioquímica das plantas), biologia celular, genética, biofísica e biologia molecular.

A disciplina fisiologia vegetal debruça-se sobre o estudo de vários processos e temas fundamentais tais como:

Os Processos Físicos da Célula e as relações hídricas das células;
Função dos estomas e transpiração (relações hídricas);
Fotossíntese;
Respiração celular;
Nutrição vegetal;
Hormônio vegetal;
Tropismos;
Nastismos;
Fotoperiodismo;
Fotomorfogénese;
Ritmos circadianos;
Fisiologia do estresse;
Germinação de sementes;
Dormência.

A Fisiologia Vegetal tem relação com várias ciências:

Fisiologia Vegetal

Os processos físicos são essenciais para compreender tanto os sistemas vivos quanto o mundo abiótico.

Movimentos moleculares são governados por dois processos: o fluxo em massa e a difusão. No caso da água, deve também ser considerado um tipo especial de movimento conhecido como osmose.

Esses movimentos obedecem a leis físicas.

Entre eles:

Potencial de pressão (ou pressão hidrostática) geralmente constitui a força que dirigi o movimento de fluxo em massa. Consiste no movimento concertado de grupos de moléculas, em massa, em resposta à aplicação de uma força exterior tal como a gravidade ou pressão;
Potencial químico que está geralmente relacionado ao movimento por difusão. Sendo assim, e ao contrário do fluxo em massa, a força que dirige a difusão da água é dependente do gradiente de concentração do soluto. A difusão é o movimento de moléculas devido a diferença de concentração, elas se movem do meio menos concentrado para o mais concentrado.
Potencial de água que expressa a capacidade das moléculas de água em executar um trabalho ou movimento. Teoricamente, estabeleceu-se o valor zero, para a condição máxima da água de realizar trabalho, ou seja, quando ela está pura, sem qualquer soluto e não submetida à pressão. Componentes do potencial de água: Potencial de pressão, potencial osmótico e potencial gravitacional.

A água penetra nas raízes mais prontamente na porção apical radicular, que inclui a zona de pelos absorventes.

A movimentação da água na raiz pode ter 3 vias:

Apoplástica: por fora das células;
Simplástica: entre a celula e a parde celular;
Transcelular: entre as células.

Fisiologia Vegetal – Botânica

Fisiologia Vegetal
Fotossíntese e respiração

A fisiologia vegetal é um ramo de estudo da botânica que trata dos processos fisiológicos ou funções das plantas. Precisamente, é um estudo descritivo da variação e estrutura das plantas a nível molecular e celular, resultando em aspectos ecológicos, fisiológicos e bioquímicos relacionados com a exploração vegetal.

Com a evolução das plantas terrestres, técnicas e procedimentos especiais foram necessários para sua sobrevivência, com uma distinção entre água e dióxido de carbono.

A fisiologia vegetal lida com diferentes estruturas vegetais e seu funcionamento. Ele permite a análise de processos em plantas, nomeadamente – fotossíntese, nutrição mineral, respiração, transporte e, em última análise, o desenvolvimento e crescimento da planta, que são características apresentadas por entidades vivas.

Fisiologia de partes de plantas

Folhas: As folhas são um órgão importante da planta. Eles podem crescer em uma variedade de formas e tamanhos. Eles são o centro primário da fotossíntese.
Caule: 
O caule fornece suporte e estrutura à planta. Eles desempenham muitas funções importantes, como o crescimento da planta, competem e sobrevivem em diferentes ambientes, etc. A estrutura do caule difere em diferentes espécies.
Raízes: 
As raízes são uma parte subterrânea da planta que absorve água e nutrientes do solo. É por isso que eles são uma parte importante da planta.
Xilema e floema: 
Estes formam os tecidos vasculares da planta. Eles também são conhecidos como seiva. Eles transportam água, açúcares e outras substâncias importantes entre as raízes, caule e folhas.

Funções da planta

As plantas têm um sistema vascular distinto (xilema e floema) que ajuda no transporte de nutrientes e água das raízes para todas as partes da planta por meio da translocação.

O transporte de água e nutrientes em plantas enraizadas é unidirecional ou multidirecional. Os meios de transporte podem ser passivos, que ocorrem por difusão, difusão facilitada para ser mais preciso, ou podem ser por meio do modo ativo realizado por proteínas de membrana específicas, chamadas bombas.

A água desempenha um papel fundamental na realização de atividades fisiológicas, portanto, é essencial compreender a importância das relações planta-água.

O conceito de potencial hídrico ajuda a compreender o movimento da água por meio de termos como potencial de soluto e potencial de pressão.

No nível celular, a osmose ocorre nas plantas, o que permite o movimento das moléculas para dentro e para fora das células.

A transpiração é outro aspecto crucial no ciclo de vida das plantas.

Fonte: www.routledge.com/www.nature.com/www.scitechnol.com/www.myerscough.ac.uk

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.