Breaking News
Home / Biologia / Helmintologia

Helmintologia

PUBLICIDADE

Helmintologia – O que é

Helmintologia é o capítulo da zoologia que estuda os helmintos (vermes) em geral e especialmente os que são parasitas, capazes de causar doenças em pessoas.

Helmintologia é o conjunto de conhecimentos sobre animais endoparasitas que recebem a denominação geral de helmintos. Estes pertencem a vários grupos zoológicos

Um parasita é um organismo causador de doenças que vive em ou em um humano ou outro animal e obtém sua nutrição de seu hospedeiro.

O termo helminto, apesar de intensamente utilizado, não faz parte da nômina técnica, que do ponto de vista taxonômico é representa do pelos filos Platyhelminthes e Nematelmintos.

Os helmintos são responsáveis pelas helmintoses, e dividem-se em dois filos de interesse: platelmintos (trematoda e cestoda) e nematelmintos.

Helmintos são vermes parasitas que se alimentam de um hospedeiro vivo para obter nutrição e proteção, enquanto causam má absorção de nutrientes, fraqueza e doenças no hospedeiro.

Eles são os agentes infecciosos mais comuns em humanos nos países em desenvolvimento e produzem uma carga global de doenças que excede as condições mais conhecidas, incluindo malária e tuberculose.

Esses vermes e larvas vivem no intestino delgado e são chamados de parasitas intestinais.

Todos os helmintos são invertebrados eucarióticos multicelulares com corpos semelhantes a tubos ou achatados exibindo simetria bilateral. Eles são triploblásticos (com tecidos endo, meso e ecto-dérmicos), mas os vermes achatados são acelomados (não possuem cavidades corporais), enquanto os vermes redondos são pseudocelomados (com cavidades corporais não delimitadas pelo mesoderma). Em contraste, anelídeos segmentados (como minhocas) são coelomados (com cavidades corporais fechadas por mesoderme).

Muitos helmintos são organismos de vida livre em ambientes aquáticos e terrestres, enquanto outros ocorrem como parasitas na maioria dos animais e em algumas plantas.

Helmintos parasitas são uma característica quase universal dos animais vertebrados; a maioria das espécies tem vermes em algum lugar.

parasitismo acarreta evolução por vezes complexa, mas sempre, de algum modo, semelhante nos diversos grupos. Os helmintos podem ou não parasitar durante a vida larvar, mas quase sempre o fazem no período de maturidade sexual. As exceções que se conhecem são a dos Gordiacea e a dos Mermithidae que só parasitam na fase larvar.

Animais que comprometem a vida do hospedeiro, portanto do meio em que vivem, para perpetuar a espécie são dotados de capacidade de multiplicação espantosa, constituindo um dos fatos mais notáveis em biologia o desperdício de energia representado pela intensa disseminação de elementos reprodutores.

Schistosoma mansoni é um parasita significativo do homem,
um trematódeo que é um dos principais agentes da esquistossomose

Características dos helmintos

Todos os helmintos compartilham uma morfologia semelhante e são organismos multicelulares visíveis a olho nu.

Os vermes são normalmente apanhados ao pisar em solo contaminado em países quentes e húmidos com más condições de saneamento e higiene.

Se uma pessoa ou animal infectado defecou no solo, os ovos de helmintos presentes em suas fezes contaminam o solo.

Esses ovos amadurecem e eclodem para produzir larvas que se transformam em vermes adultos de até 13 mm de comprimento. Esses vermes adultos podem penetrar na pele humana, o que pode acontecer se uma pessoa caminhar em solo contaminado. Os vermes então entram na corrente sanguínea e migram em direção aos pulmões e também à garganta, onde são engolidos e transportados para o intestino.

Algumas das características dos diferentes grupos de helmintos incluem:

Os trematódeos ou platelmintos são achatados, em forma de folha e não segmentados. Eles são hermafroditas, o que significa que têm órgãos reprodutivos associados a homens e mulheres.
Os nemátodos são cilíndricos e possuem lábios, dentes e placas dentárias. Os vermes são machos ou fêmeas.
cestóide ou tênia é segmentado e hermafrodita. Eles têm uma ventosa e um rostelo em forma de gancho e saliente.

Helmintologia – Parasita

Parasita

Um parasita é um organismo que vive em outro organismo, chamado de hospedeiro, e freqüentemente o prejudica. Depende de seu hospedeiro para sobreviver.

Sem um hospedeiro, um parasita não pode viver, crescer e se multiplicar. Por esse motivo, raramente mata o hospedeiro, mas pode espalhar doenças, e algumas delas podem ser fatais.

Parasitas, ao contrário de predadores, são geralmente muito menores que seu hospedeiro e se reproduzem em um ritmo mais rápido.

Existem três classes principais de parasitas que podem causar doenças em humanos: protozoários, helmintos e ectoparasitas.

Protozoários

Protozoários são organismos microscópicos unicelulares que podem ser de vida livre ou parasitários por natureza. Eles são capazes de se multiplicar em humanos, o que contribui para sua sobrevivência e também permite o desenvolvimento de infecções graves a partir de um único organismo.

A transmissão de protozoários que vivem no intestino de um ser humano para outro humano ocorre normalmente por meio de uma via fecal-oral (por exemplo, alimentos ou água contaminados ou contato pessoa a pessoa). Os protozoários que vivem no sangue ou tecido de humanos são transmitidos a outros humanos por um vetor artrópode (por exemplo, através da picada de um mosquito ou mosca da areia).

Os protozoários que são infecciosos para humanos podem ser classificados em quatro grupos com base em seu modo de movimento:

Sarcodina – a ameba, por exemplo, Entamoeba
Mastigophora – os flagelados, por exemplo, Giardia, Leishmania
Ciliophora – os ciliados, por exemplo, Balantidium
Características organismos cujo estágio adulto não é móvel, por exemplo, Plasmodium, Cryptosporidium

Helmintos

Helmintos são organismos grandes e multicelulares, geralmente visíveis a olho nu na fase adulta. Como os protozoários, os helmintos podem ser de vida livre ou parasitários por natureza. Em sua forma adulta, os helmintos não podem se multiplicar em humanos.

Existem três grupos principais de helmintos (derivados da palavra grega para vermes) que são parasitas humanos:

Platyhelminthes – estes incluem os trematódeos (vermes) e cestodes (tênias).
Vermes de cabeça espinhosa (acantocefalinas) –
 as formas adultas desses vermes residem no trato gastrointestinal. Os acantocéfalos são considerados intermediários entre os cestóides e os nematóides.
Lombrigas (nematóides) –
 as formas adultas desses vermes podem residir no trato gastrointestinal, sangue, sistema linfático ou tecidos subcutâneos. Alternativamente, os estados imaturos (larvais) podem causar doenças por meio da infecção de vários tecidos do corpo. Alguns consideram que os helmintos também incluem os vermes segmentados (anelídeos) – os únicos importantes do ponto de vista médico são as sanguessugas. É importante notar que esses organismos não são normalmente considerados parasitas.

Ectoparasitas

Embora o termo ectoparasitas possa incluir artrópodes sugadores de sangue, como mosquitos (porque eles dependem de uma refeição de sangue de um hospedeiro humano para sua sobrevivência), este termo é geralmente usado de forma mais restrita para se referir a organismos como carrapatos, pulgas, piolhos e ácaros que se fixam ou penetram na pele e permanecem lá por períodos de tempo relativamente longos (por exemplo, semanas a meses). Os artrópodes são importantes por causar doenças por si só, mas são ainda mais importantes como vetores ou transmissores de muitos patógenos diferentes que, por sua vez, causam uma tremenda morbidade e mortalidade pelas doenças que causam.

Infecções parasitárias

As infecções parasitárias causam uma enorme carga de doenças nos trópicos e subtrópicos, bem como em climas mais temperados. De todas as doenças parasitárias, a malária é a causa da maioria das mortes em todo o mundo. A malária mata mais de 400.000 pessoas a cada ano, a maioria delas crianças na África Subsaariana.

As Doenças Tropicais Negligenciadas (DTNs), que sofreram com a falta de atenção da comunidade de saúde pública, incluem doenças parasitárias como filariose linfática, oncocercose e doença do verme da Guiné.

As DTNs afetam mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo, principalmente em áreas rurais de países de baixa renda. Essas doenças cobram um grande tributo às populações endêmicas, incluindo a perda de capacidade de frequentar a escola ou o trabalho, retardo no crescimento das crianças, comprometimento das habilidades cognitivas e do desenvolvimento em crianças pequenas e a séria carga econômica colocada em países inteiros.

Fonte: www.cdc.gov/www.news-medical.net/www.yourgenome.org/parasite.org.au

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.