Breaking News
Home / Biologia / Extremófilos

Extremófilos

O que são Extremófilos?

PUBLICIDADE

Quando falamos em organismos extremófilos, estamos nos referindo a seres que vivem nos ambientes mais extremos do planeta, como arredores de um vulcões, em camadas de gelo, em locais  extremamente ácidos ou com hipersalinidade. São organismos microscópicos que apresentam uma adaptação metabólica e uma maquinaria molecular que permitem com que eles consigam sobreviver em condições extremas, as quais nenhum outro organismo conseguiria.

Por apresentarem essas características que permitem a sobrevivência nestes locais extremos, esses organismos extremófilos são foco de estudo da Astrobiologia, a ciência que estuda a origem, evolução, distribuição e o futuro da vida no Universo. Isso se deve ao fato de que, por possuírem características de resistência a ambientes hostis, esses organismos são possivelmente mais semelhantes às primeiras formas de vida surgidas no planeta Terra. Por isso são foco de estudo desta ciência, que utiliza esses seres ainda para gerar hipóteses acerca da vida em outros planetas e, inclusive, em outras condições.

Extremófilos - Endolito

Vale ressaltar que, além de serem utilizados no estudo da origem da vida, estes organismos podem ser usados na biotecnologia. Bactérias que vivem em altas temperaturas fornecem DNA polimerases (enzimas que sintetizam moléculas de DNA de desoxirribonucleótidos, os blocos de construção do DNA). Esses DNAs polimerases são essenciais para a técnica de PCR (reação em cadeia de polimerase, que é uma técnica utilizada desde experiências e procedimentos em biologia molecular à análise forense e diagnóstico médico).

Há variados tipos de extremófilos. Entre eles, podemos destacar:

– Termófilos: quando vivem em ambientes com temperaturas entre 70-120 º C;

– Acidófilos: sobrevivem em meios muito ácidos;

– Alcalófilos: em meios muito básicos;

– Psicrófilos: em temperaturas muito baixas;

– Halófilos: em salinas;

– Barófilos: em pressões muito elevadas.

Há ainda aqueles que conseguem combinar mais de um tipo de extremofilia, ou seja, podem estar em ambientes, por exemplo, extremamente salinos e temperaturas elevadas, entre outros.

Juliano Schiavo
Biólogo e mestre em Agricultura e Ambiente

Referências

LABISISMI. Extremófilos. Disponível em: <labisismi.fmrp.usp.br/index.php/br/extremofilos>. Acesso em 29/08/17

PILLING, S. Astrobiologia. Aula 16 – Extremófilos (tipos, propriedades, zona de habitabilidade extrema). Disponível em: <http://www1.univap.br/spilling/AB/Aula_16%20Extremofilos.pdf>. Acesso em 29/08/17

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Teste de Schilling

PUBLICIDADE Definição O teste de Schilling é uma investigação médica usada para pacientes com deficiência …

Prostaglandina

PUBLICIDADE Definição As prostaglandinas são um grupo de lipídios produzidos em locais de dano ou …

Células dendríticas

PUBLICIDADE Definição As células dendríticas, nomeadas por suas formas de sondagem, “tipo árvore” ou dendríticas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.