Breaking News
Home / Biologia / Metamorfose

Metamorfose

PUBLICIDADE

Metamorfose – O que é

Quando se fala em Metamorfose, uma das primeiras coisas que vem à cabeça é a transformação que um organismo sofre, mudando radicalmente sua forma. Um exemplo fácil de ser lembrado é o das borboletas.

Em sua fase larval, elas são seres que apenas se locomovem vagarosamente e tem formas desajeitadas, recebendo o nome de lagartas.

Após se alimentarem, estocarem energia e, ao se estarem aptas a se transformar, passam para a fase de pupa e, por fim, se transformam em seres completamente diferentes das lagartas: em borboletas.

Mas quem esteve envolvido neste processo?

Basicamente, a lagarta passou pelo processo de metamorfose.

No caso dos insetos, seu processo ontogênico (histórico do desenvolvimento do ovo ao ser adulto), está relacionado a diversas transformações. Os insetos, de forma geral, passam por diversas mudanças em suas formas, com suas estruturas internas e externas sendo transformadas.

É importante ressaltar que existem insetos ametábolos, hemimetábolos e holometábolos.

Por ametábolos se compreendem os insetos mais primitivos, que eclodem dos ovos à imagem e semelhança dos adultos e vão apenas crescendo. Eles, portanto, não sofrem metamorfose. Exemplo disso são as traças.

Já os hemimetábolos, são aqueles insetos que, ao eclodirem do ovo, nascem diferentes dos adultos, porém ao longo de seu desenvolvimento sofrem transformações na forma e fisiologia.

Um exemplo de inseto hemimetábolo é o grilo.

Metamorfose
Metamorfose – Borboletas

Por sua vez, temos os insetos hemimetábolos: aqueles que ao eclodirem dos ovos são completamente diferentes dos adultos. Eles, portanto, apresentam metamorfose completa durante o seu desenvolvimento.

Exemplo desses insetos: borboletas, abelhas, joaninhas, besouros, entre outros. Eles começam como ovos que, ao eclodirem, se transformam em larvas que, após estarem aptas, se transformam em crisálidas. Por fim, elas se metamorfoseiam em insetos adultos.

Anfíbios

Não são apenas os insetos que sofrem metamorfose. Os anfíbios, como os sapos, rãs, pererecas, salamandras e cecílias também passam por transformações. Nas salamandras e cecílias (as famosas cobras-cegas), a metamorfose é menos visível que nos anuros (sapos, rãs e pererecas), pois suas larvas são parecidas com miniaturas dos adultos.

Já os anuros, por sua vez, sofrem grandes modificações: ao eclodirem dos ovos, são girinos – completamente diferentes dos adultos.  Conforme vão passando por estágios, vão se metamorfoseando até se transformarem completamente.

Metamorfose – Processo

Metamorfose é um processo usado por certos artrópodes, anfíbios, moluscos, cnidários, equinodermos e tunicados para se desenvolver de um estágio larval juvenil para um estágio adulto.

A larva pode se assemelhar a versões em miniatura do adulto ou parecer totalmente diferente, mas na maioria dos casos tem fisiologia fundamentalmente diferente, incluindo órgãos especiais.

Uma das concepções mais populares de metamorfose é a transformação de uma lagarta em borboleta. Há muito tempo isso é visto culturalmente como uma metáfora para transformação e renascimento, o surgimento de uma linda borboleta de uma lagarta feia. Antes de entrar em metamorfose, a lagarta se envolve em uma bainha conhecida como casulo. Os casulos podem ter valor comercial – os casulos dos bichos-da-seda, por exemplo, são usados para fazer seda. Nenhuma reprodução precisa de seda ainda foi criada no laboratório.

Metamorfose é um processo usado por certos artrópodes, anfíbios, moluscos, cnidários, equinodermos e tunicados para se desenvolver de um estágio larval juvenil para um estágio adulto.

A larva pode se assemelhar a versões em miniatura do adulto ou parecer totalmente diferente, mas na maioria dos casos tem fisiologia fundamentalmente diferente, incluindo órgãos especiais.

Metamorfose – Borboletas

Uma das concepções mais populares de metamorfose é a transformação de uma lagarta em borboleta. Há muito tempo isso é visto culturalmente como uma metáfora para transformação e renascimento, o surgimento de uma linda borboleta de uma lagarta feia. Antes de entrar em metamorfose, a lagarta se envolve em uma bainha conhecida como casulo. Os casulos podem ter valor comercial – os casulos dos bichos-da-seda, por exemplo, são usados para fazer seda. Nenhuma reprodução precisa de seda ainda foi criada no laboratório.

metamorfose pode alterar permanentemente as capacidades do organismo. Por exemplo, girinos, a forma larval dos anfíbios, são puramente aquáticos, mas depois que se metamorfizam, se transformam em salamandras, salamandras, sapos ou rãs e ganham a capacidade de viajar por terra. Sapos, um tipo de sapo adaptado para evitar que sequem, podem até passar horas em terra sem exposição à água e sobreviver apenas com a umidade de se enterrar na terra.

metamorfose pode alterar permanentemente as capacidades do organismo. Por exemplo, girinos, a forma larval dos anfíbios, são puramente aquáticos, mas depois que se metamorfizam, se transformam em salamandras, salamandras, sapos ou rãs e ganham a capacidade de viajar por terra. Sapos, um tipo de sapo adaptado para evitar que sequem, podem até passar horas em terra sem exposição à água e sobreviver apenas com a umidade de se enterrar na terra.

Às vezes, a diferença entre a forma larval e adulta é tão extrema que as características mais fundamentais, como um notocord (uma espécie de espinha dorsal primitiva), estão presentes no estágio larval, mas não nos adultos, como no caso dos tunicados. Pensa-se que os vertebrados podem ter de fato evoluído da forma larval de animais estacionários, como os tunicados.

Em uma demonstração de um fenômeno conhecido como neotonia, todos os vertebrados podem ser versões extravagantes de larvas de tunicado de longa vida.

Todos os insetos sofrem metamorfose.

Existem dois tipos principais: metamorfose incompleta e metamorfose completa. No caso de metamorfose incompleta, cada ínstar (estágio de eliminação do exoesqueleto) muda apenas ligeiramente em relação ao anterior, e o organismo nunca entra em um casulo selado, também conhecido como pupa. Na metamorfose completa, o inseto inteiro se fecha em uma pupa e muda consideravelmente sua forma corporal. Um exemplo seria um verme se transformando em uma mosca. Existem muitos outros exemplos de metamorfose, em vários filos de animais muito grandes. O fenômeno da metamorfose foi aparentemente perdido após os anfíbios, em vez de ser substituído por mais crescimento dentro do útero.

Fonte: Juliano Schiavo (Biólogo e mestre em Agricultura e Ambiente)

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.