Breaking News
Home / Biologia / Envelhecimento

Envelhecimento

PUBLICIDADE

Envelhecimento – O que é

Envelhecimento é o processo de se tornar mais velho.

No sentido mais amplo, o envelhecimento pode se referir a células únicas dentro de um organismo que cessaram de se dividir (senescência celular) ou à população de uma espécie (envelhecimento da população).

Nos seres humanos, o envelhecimento representa o acúmulo de mudanças em um ser humano ao longo do tempo, englobando mudanças físicas, psicológicas e sociais. O tempo de reação, por exemplo, pode diminuir com a idade, enquanto o conhecimento dos eventos mundiais e da sabedoria pode se expandir.

O envelhecimento está entre os maiores fatores de risco conhecidos para a maioria das doenças humanas: das cerca de 150.000 pessoas que morrem a cada dia em todo o mundo, cerca de dois terços morrem de causas relacionadas à idade.

As causas do envelhecimento são incertas; teorias atuais são atribuídas ao conceito de dano, pelo qual o acúmulo de danos (como a oxidação do DNA) pode causar falha nos sistemas biológicos, ou ao conceito de envelhecimento programado, pelo qual processos internos (como metilação do DNA ) podem causar envelhecimento.

envelhecimento programado não deve ser confundido com morte celular programada ( apoptose).

A descoberta, em 1934, de que a restrição calórica pode prolongar o tempo de vida em 50% em ratos motivou a pesquisa em retardar e prevenir o envelhecimento.

Envelhecimento
Envelhecimento

Efeitos do envelhecimento

Um número de sintomas característicos de envelhecimento são experimentados pela maioria ou por uma proporção significativa de seres humanos durante suas vidas.

Os adolescentes perdem a capacidade da criança pequena de ouvir sons de alta frequência acima de 20 kHz.

Em meados dos anos 20, o declínio cognitivo começa.

As rugas se desenvolvem principalmente devido ao fotoenvelhecimento, afetando particularmente as áreas expostas ao sol (face).

Após um pico em meados dos anos 20, a fertilidade feminina declina.

Pessoas com mais de 35 anos correm risco de desenvolver presbiopia e a maioria das pessoas utilizam óculos entre 45 e 50 anos.  A causa é o endurecimento da lente pela diminuição dos níveis de a- cristalina, um processo que pode ser acelerado por temperaturas mais altas.

Por volta dos 50 anos, o cabelo fica branco.  A perda de cabelo padrão aos 50 anos afeta cerca de 30% -50% dos homens e um quarto das mulheres.

A menopausa geralmente ocorre entre os 49 e os 52 anos de idade.

Na coorte etária entre 60 e 64 anos, a incidência de osteoartrite aumenta para 53%. Apenas 20%, no entanto, relatam a osteoartrite incapacitante nesta idade.

Quase metade das pessoas com mais de 75 anos tem perda de audição (presbiacusia) inibindo a comunicação falada. Muitos vertebrados, como peixes, pássaros e anfíbios, não sofrem presbiacusia na velhice, pois são capazes de regenerar suas células sensoriais cocleares, enquanto mamíferos, incluindo humanos, perderam geneticamente essa capacidade.

Aos 80 anos, mais da metade de todos os americanos têm catarata ou cirurgia de catarata.

A fragilidade, definida como perda de massa muscular e mobilidade, afeta 25% das pessoas com mais de 85 anos.

A aterosclerose é classificada como uma doença do envelhecimento. Isso leva a doenças cardiovasculares (por exemplo, acidente vascular cerebral e ataque cardíaco ), que globalmente é a causa mais comum de morte.

A demência se torna mais comum com a idade.  Cerca de 3% das pessoas com idades entre 65 e 74 anos, 19% entre 75 e 84 anos e quase metade das pessoas com mais de 85 anos de idade têm demência.

As gamas do espectro de comprometimento cognitivo leve para as doenças neurodegenerativas, de doença de Alzheimer, doença cerebrovascular, doença de Parkinson e doença de Lou Gehrig. Além disso, muitos tipos de memória diminuem com o envelhecimento, mas não a memória semântica ou o conhecimento geral, como as definições de vocabulário, que normalmente aumentam ou permanecem estáveis ??até o final da idade adulta.

A inteligência diminui com a idade, embora a taxa varie dependendo do tipo e possa, de fato, permanecer estável durante a maior parte da vida, caindo de repente apenas como pessoas próximas ao fim de suas vidas.

Variações individuais na taxa de declínio cognitivo podem, portanto, ser explicadas em termos de pessoas com diferentes graus de vida.

Há mudanças no cérebro: após os 20 anos de idade, há uma redução de 10% a cada década no comprimento total dos axônios mielinizados do cérebro.

A idade pode resultar em deficiência visual, pelo que a comunicação não verbal é reduzida, o que pode levar ao isolamento e possível depressão. A degeneração macular causa perda de visão e aumenta com a idade, afetando quase 12% das pessoas com mais de 80 anos.  Essa degeneração é causada por alterações sistêmicas na circulação de produtos residuais e pelo crescimento de vasos anormais ao redor da retina.

Pode-se fazer uma distinção entre “envelhecimento proximal” (efeitos baseados na idade que surgem devido a fatores do passado recente) e “envelhecimento distal” (diferenças baseadas na idade que podem ser atribuídas a uma causa no início da vida, como poliomielite infantil ).

envelhecimento está entre os maiores fatores de risco conhecidos para a maioria das doenças humanas. Das cerca de 150.000 pessoas que morrem a cada dia em todo o mundo, cerca de dois terços – 100.000 por dia – morrem de causas relacionadas à idade. Nos países industrializados, a proporção é maior, chegando a 90%.

Envelhecimento – Processo

À medida que os seres humanos envelhecem, eles passam por diferentes fases ou fases da vida. É útil entender o envelhecimento no contexto dessas fases. Um curso de vida é o período do nascimento à morte, incluindo uma sequência de eventos de vida previsíveis, como a maturação física. Cada fase vem com responsabilidades e expectativas diferentes, que obviamente variam de acordo com o indivíduo e a cultura.

As crianças adoram brincar e aprender, ansiosas por se tornarem pré-adolescentes. À medida que os pré-adolescentes começam a testar sua independência, ficam ansiosos para se tornarem adolescentes.

Os adolescentes antecipam as promessas e os desafios da vida adulta. Os adultos concentram-se em criar famílias, construir carreiras e experimentar o mundo como pessoas independentes. Por fim, muitos adultos anseiam pela velhice como uma época maravilhosa para aproveitar a vida sem tanta pressão do trabalho e da vida familiar. Na velhice, os avós podem proporcionar muitas das alegrias da paternidade sem todo o trabalho árduo que a paternidade implica. E, à medida que as responsabilidades no trabalho diminuem, a velhice pode ser um momento para explorar hobbies e atividades para os quais não havia tempo no início da vida. Mas, para outras pessoas, a velhice não é uma fase pela qual anseiam.

Algumas pessoas temem a velhice e fazem de tudo para “evitá-la”, buscando soluções médicas e cosméticas para os efeitos naturais da idade.

Essas visões divergentes sobre o curso de vida são o resultado dos valores e normas culturais em que as pessoas são socializadas, mas na maioria das culturas, a idade é um status de mestre que influencia o autoconceito, bem como os papéis sociais e as interações.

Ao longo das fases do curso de vida, os níveis de dependência e independência mudam. Ao nascer, os recém-nascidos dependem de cuidadores para tudo.

À medida que os bebês se tornam crianças e as crianças se tornam adolescentes e depois adolescentes, eles afirmam sua independência cada vez mais. Gradualmente, as crianças passam a ser consideradas adultos, responsáveis por suas próprias vidas, embora o ponto em que isso ocorre seja muito variado entre indivíduos, famílias e culturas.

Envelhecimento

O processo de envelhecimento é uma realidade biológica e tem uma dinâmica própria, que foge ao controle humano e, claro, sua definição difere de uma sociedade para outra.

No mundo desenvolvido, o tempo cronológico é um indicador da velhice, e da idade da 60-65 anos é a idade de aposentadoria e o início da velhice.

Em muitas outras partes do mundo, o tempo cronológico tem pouca ou nenhuma importância no significado da velhice.

Outros fatores determinam a velhice, tais como: capacidade de fazer as obras que lhes são atribuídas, o que significa que a velhice se inicia no momento em que a contribuição ativa não é mais possível

Em síntese: envelhecimento são as alterações fisiológicas progressivas em um organismo que levam à senescência ou ao declínio das funções biológicas e da capacidade do organismo de se adaptar ao estresse metabólico.

envelhecimento ocorre em uma célula, órgão ou organismo total com o passar do tempo.

A gerontologia, o estudo do processo de envelhecimento, se dedica à compreensão e controle de todos os fatores que contribuem para a finitude da vida individual.

Do ponto de vista biológico, o que é envelhecimento?

O envelhecimento é um processo inevitável e irreversível, mas não necessariamente negativo.

O envelhecimento não pode ser definido exatamente, mas a ideia mais aceita é que é apenas uma parte do ciclo de vida: ou seja, uma pessoa nasce, passa pela infância, adolescência e idade adulta e, em determinado momento, começa a envelhecer. Mas o processo de envelhecimento não começa ao mesmo tempo para todos, e nem mesmo todos os órgãos da mesma pessoa envelhecem no mesmo ritmo.

É difícil definir envelhecimento; envolve uma perda de faculdades, mas também pode trazer benefícios.

Falamos do envelhecimento como um fenômeno abrangente: é um processo físico, mas também psicológico, social e assim por diante. À medida que envelhecemos, adquirimos valores positivos como conhecimento e experiência. Do ponto de vista estritamente biológico, nossos órgãos começam a perder sua capacidade de funcionar.

Mas, novamente, não devemos generalizar: devemos olhar para cada indivíduo em seus próprios méritos.

Algumas pessoas envelhecem mais rapidamente e outras mais lentamente.

Qual é a diferença entre idade cronológica e biológica?

Nossa idade cronológica é aquela que aparece em nossos passaportes: o número de anos que vivemos. É a única medida objetiva. Nossa idade biológica, por outro lado, é a idade que aparentamos ter.

Por exemplo, há pessoas com noventa anos que parecem vinte anos mais novas. Essas pessoas estão mais em forma do que a maioria das pessoas de sua idade e, de fato, existem maneiras de quantificar isso (por exemplo, medindo os níveis de testosterona que geram). Mas é difícil fazer isso sistematicamente, porque podemos encontrar alguém que tem a mesma capacidade renal aos 80 anos de idade e aos 50, mas anda devagar ou é socialmente inativo. Em qualquer caso, é muito difícil atribuir uma idade biológica, porque as pessoas podem não ser tão jovens quanto sua aparência sugere.

Fonte: Colégio São Francisco

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.