Breaking News
Home / Biologia / Anatomia Vegetal

Anatomia Vegetal

PUBLICIDADE

Definição – Anatomia Vegetal

A Anatomia Vegetal trata de temas relacionados à morfologia externa e principalmente interna. Ela pode ser utilizada como ferramenta para estudos ecológicos, econômicos e outras áreas tanto da Botânica quanto de outra ciência. A anatomia da planta reflete a situação ambiental, e pode ser algumas vezes um bioindicador.

Para ter todas essas ferramentas à mão é necessário conhecimento básico da estrutura interna e externa do vegetal.

A anatomia e morfologia das plantas estão intimamente ligadas ao metabolismo da planta, eficiência do uso da água, absorção de luz e outros processos fisiológicos.

Cada órgão da planta possui três tecidos presentes. O tecido mais externo é chamado de camada dérmica. Esta é a ‘pele’ da planta e é principalmente uma fonte de proteção. Um exemplo da camada dérmica é a casca de uma árvore. Nas folhas, a camada dérmica é recoberta por uma cutícula cerosa que impermeabiliza as folhas. Também presentes na camada dérmica das folhas estão estômatos, ou aberturas, que permitem que o dióxido de carbono entre e complete o Ciclo de Calvin da fotossíntese.

A camada mais interna de uma planta é chamada de tecido vascular. Este é composto pelo xilema, floema e câmbio vascular. O xilema transporta água e nutrientes absorvidos das raízes para o resto da planta.

O floema transporta energia na forma de glicose e outros elementos produzidos pela fotossíntese para o resto do organismo. Nas árvores, o floema contém seiva. O câmbio vascular é um meristema lateral que dá origem ao xilema e floema secundários.

A camada intermediária é chamada de tecido básico. O tecido básico é a camada de tecido que não faz parte do sistema vascular ou da camada dérmica. Nas folhas, o tecido básico é o mesofilo que contém as células fotossintéticas.

A maioria das plantas contém três membros básicos.

Esses membros incluem as raízes, caule e folhas.

As raízes absorvem a água e os nutrientes do solo e os transportam para a estela para serem absorvidos pelo xilema para que o resto do organismo os use. Nas árvores, o sistema radicular também fornece suporte, especialmente por meio da raiz principal, ou raiz principal da árvore.

O caule funciona para suporte e transferência. Nas árvores, essa parte do organismo é lenhosa e é chamada de tronco.

As folhas funcionam para fotossintetizar e alimentar a planta com nutrientes. Nas coníferas, as folhas são em forma de agulha e são compostas pela lâmina e pecíolo.

O que é anatomia vegetal?

anatomia vegetal é o estudo da estrutura física das plantas.

É também conhecido como fitoanatomia, sendo o praticante dessa disciplina científica conhecido como fitoanatomista.

Assim como na anatomia animal, o objetivo é aprender mais sobre como os organismos são formados e funcionam, com essas informações sendo utilizadas para obter um conhecimento mais profundo sobre como cuidar das plantas e como lidar com as doenças que as afetam.

Os fitoanatomistas trabalham em diversos ambientes, incluindo museus de história natural, arboretos e laboratórios que desenvolvem novas plantas para agricultura e paisagismo.

Os fitoanatomistas podem estudar plantas em um nível microscópico examinando células vegetais

Os fitoanatomistas estudam a estrutura das plantas como um todo e as dissecam para aprender sobre suas partes componentes.

Também pode ocorrer no nível microscópico, com o anatomista examinando células vegetais para aprender mais sobre sua função e para diferenciar entre os vários tipos de células vegetais.

Os anatomistas vegetais também estão interessados no desenvolvimento das plantas, desde seus primeiros estágios como sementes, passando pela maturidade até a idade adulta.

Uma planta crescendo

Ao dissecar e estudar as plantas, os pesquisadores podem aprender sobre as diferenças entre as várias plantas, o que é uma parte importante da taxonomia das plantas.

Duas plantas podem parecer muito semelhantes na superfície, por exemplo, mas ser radicalmente diferentes quando são dissecadas e vistas ao microscópio.

Essas diferenças podem ser usadas para descrever e categorizar as plantas para que possam ser colocadas dentro de um sistema taxonômico.

anatomia vegetal também pode envolver o estudo cuidadoso de plantas recém-descobertas para confirmar se são únicas e reunir dados sobre elas que podem ser usados para categorizá-las.

Cada vez mais, as pessoas estão separando a anatomia e a morfologia das plantas, com a anatomia se preocupando com a estrutura interna das plantas, enquanto a morfologia envolve a aparência externa de uma planta. Existem algumas sobreposições entre os campos, no entanto. Uma flor, por exemplo, pode ser examinada por um morfologista e um anatomista, ambos estando interessados nas estruturas externas e internas da flor para saber mais sobre ela.

Pessoas que trabalham como anatomistas de plantas geralmente fazem cursos universitários de botânica, biologia e tópicos relacionados. Eles podem escolher focar em tipos específicos de plantas, como plantas tropicais, plantações de alimentos e assim por diante, ou podem trabalhar como anatomistas gerais em instalações como museus de história natural, catalogando novas aquisições e gerenciando coleções existentes para que possam ser facilmente navegado e usado como um recurso pelos visitantes.

Eles também podem trabalhar em sites como laboratórios de pesquisa farmacêutica, estudando plantas com propriedades medicinais.

Anatomia Vegetal – Estudo

anatomia vegetal é o estudo dos tecidos e células vegetais para aprender mais sobre a forma como esses organismos são construídos e funcionam.

Esses estudos são muito importantes porque permitem uma melhor compreensão de como cuidar das plantas e combater as doenças das plantas. A anatomia vegetal também é conhecida como fitotomia.

Uma planta é uma estrutura complexa que consiste em várias partes que constituem a planta inteira:

A flor

Nem todas as plantas florescem, mas muitas plantas das quais os óleos essenciais são extraídos são plantas com flores; por exemplo, alfazema (Lavandula angustifolia), rosa (Rosa damascena) e alecrim (Rosmarinus officinalis).

A flor de uma planta é uma estrutura complexa.

Estas são as várias partes que constituem a flor de uma planta:

As pétalas (compostas pela corola)
O cálice (as folhas externas, ou verdes)
O estame (contendo o pólen pelo qual os insetos e pássaros são atraídos)
O pistilo (contendo o ovário, o estilete e o estigma da flor).

As frutas e sementes

Folha

semente de uma planta contém o núcleo; uma nova planta cresce a partir da semente, desde que as condições de crescimento sejam adequadas para isso.

As plantas também contêm frutos que podem ser descritos de uma das seguintes maneiras:

Folículo
Leguminosa (vagem)
Drupa
Aquênio
Cariopse
Cremocarpo
Noz
Baga
Sâmara
Pome
Pepo
Sílica
Cápsula
Cone

As plantas que possuem frutos dos quais um óleo essencial é extraído incluem limão (Citrus limon) e laranja doce (Citrus sinensis).

As folhas

Folha

As folhas crescem na parte do caule chamada pecíolo. As folhas podem ser curtas, grossas, longas, finas, peludas, curvas, recortadas, finas ou qualquer outra forma, texturas e cores.

Os vários tipos de folhas de uma planta são botanicamente identificados da seguinte forma:

Lanceolate
Cuneiforme
Sagitar
Ovate
Cordate
Pinnate
Pectinato
Runcinate
Lyrate
Palmate
Pedate
Obovate
Reniforme
Hastate
Serrate
Peltado
Dentado
Crenate
Sinuate

As plantas que produzem um óleo essencial de folha incluem canela (Cinnamomum zeylanicum) e petitgrain (Citrus aurantium var. Amara).

O caule

Esquema de caule em corte transversal

Os caules são encontrados em todas as plantas com flores e gravitam em torno da luz e do ar, longe da raiz. Algumas plantas podem parecer sem caule, mas na verdade têm o caule abaixo do solo ou o caule é extremamente curto.

O tronco de uma árvore é mais conhecido como tronco. As ervas têm caules que morrem após a floração. Os óleos essenciais são extraídos de todos esses tipos de plantas.

O cravo (Syzygium aromaticum) produz um óleo essencial do caule, embora o botão do cravo seja sempre o óleo essencial mais preferido pelos aromaterapeutas, pois é muito menos irritante para a pele.

As raízes

Esquema de raiz em corte transversal

raiz de uma planta geralmente está localizada no solo abaixo da planta. Ele atua como uma âncora para a planta.

Os tipos de raízes incluem:

Raiz fusiforme – a raiz afunila para cima e para baixo, por exemplo, um rabanete (Rhapanus sativus)
Raiz fasciculada – as fibras ou ramos estão espessados
Raiz tuberífera – alguns dos ramos da raiz tornam-se botões arredondados, como em uma batata (Solanum tuberosum) e às vezes culminam em um ramo conhecido como raiz palmada
Raiz aérea – a raiz realmente cresce ao ar livre, como no milho indiano
Raiz cônica – a raiz diminui regularmente da coroa ao ápice da planta, por exemplo, uma cenoura (Daucus carota)
Raiz napiforme – a raiz é inchada na base e se estende mais horizontalmente do que verticalmente, como em um nabo (Brassica napa)
Raiz do rizoma – raiz espessa e espalhada, como no gengibre (Zingiber officinale)

O gengibre (Zingiber officinale) produz um óleo essencial das raízes da planta.

Quais são algumas diferenças entre células vegetais e animais?

Células animais e vegetais têm algumas semelhanças importantes e diferenças notáveis.

Compreender a estrutura celular básica ajuda a entender como as células diferem umas das outras, e elas diferem de maneiras importantes, pois as células vegetais fornecem funções diferentes para a planta do que as células animais fornecem para o corpo.

Ambos os tipos de células têm alguns elementos estruturais semelhantes. Primeiro, ambos são eucarióticos, o que significa que têm um núcleo definido. O núcleo contém cromossomos.

É protegido e circundado pelo citoplasma, que é um líquido aquoso ou gelatinoso. Além disso, ambos os tipos de células têm uma membrana celular que envolve a célula. Isso permite que a célula exerça controle, na maioria dos casos, sobre o que pode ou não penetrar na célula.

Uma das principais diferenças entre as células animais e vegetais é que elas têm uma parede celular composta de celulose. Isso ajuda a célula a permitir que a alta pressão se acumule dentro dela, sem estourar.

Uma célula vegetal deve ser capaz de aceitar grandes quantidades de líquido por osmose, sem ser destruída. Uma célula animal não possui essa parede celular. Se você começar a encher a célula animal com muita água destilada ou outro fluido, ela eventualmente estourará.

As células vegetais também são diferentes porque usam a fotossíntese para converter a luz solar em alimento necessário para a planta. Eles têm cloroplastos, que têm seu próprio DNA, essencialmente direcionando o trabalho dos cloroplastos.

Além disso, as células vegetais, quando vistas ao microscópio, parecem muito diferentes das células animais devido à presença de um grande vacúolo, que existe no citoplasma da célula.

Geralmente ocupa a maior parte do espaço da célula, e a membrana da célula o circunda. Ele contém resíduos, água e nutrientes que podem ser usados ou secretados conforme necessário.

As células animais, por outro lado, têm pequenos vacúolos e podem ter vários. Eles nunca têm o grande vacúolo único que ocupa a maior parte do espaço nas células vegetais.

As células vegetais costumam ter uma forma mais regular quando vistas ao microscópio, enquanto as células animais tendem a variar muito em aparência.

As diferenças entre essas células são mais complexas, mas as principais diferenças existem nas formas mencionadas acima.

Para resumir, os dois tipos de células têm um núcleo, um citoplasma e uma membrana celular.

Uma célula de uma planta tem um vacúolo de célula grande, cloroplastos, uma parede celular e uma forma regular. Vacúolos pequenos, sem parede celular, formas variadas e a ausência de cloroplastos caracterizam as versões animais.

Fonte: www.cb.ufrn.br/www.longdom.org/botany101.jstor.org/www.appstate.edu/www2.estrellamountain.edu/www.wisegeek.org/ms.chichestersd.org/bioweb.uwlax.edu/www.ncbi.nlm.nih.gov

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Carragenina

PUBLICIDADE Definição de Carragenina A carragenina é um aditivo alimentar comum extraído de algas vermelhas, usada principalmente …

Algas Vermelhas

PUBLICIDADE Definição de Algas Vermelhas Todas as algas marinhas podem ser amplamente divididas em três …

Algas Verdes

PUBLICIDADE O que são Algas verdes? As “algas verdes” são o grupo de algas mais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.