Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biologia / Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

PUBLICIDADE

Pulverizadores automotrizes ou pulverizadores autopropulsados são máquinas utilizadas em operações de aplicação de defensivos agrícolas cujas características principais são o alto rendimento operacional e a alta tecnologia em eletrônica de bordo para o preciso e total controle da pulverização.

Pulverizadores Autopropelidos
Self-Propelled Sprayer (USA)

Pulverizadores Autopropelidos
Pulvérisateur Automoteur (FR)

Pulverizadores Autopropelidos
Polverizzatori Semoventi (ITA)

Pulverizadores Autopropelidos
High Clearance Sprayer (USA)

São máquinas muito rápidas, de alto desempenho, conseguindo desenvolver velocidades operacionais entre 15 e 30 km/h durante a aplicação de agroquímicos.

Em situações extremamente favoráveis, é possível com esses equipamentos conseguir alcançar velocidades em aplicações de defensivos agrícolas próximas dos 40 km/h.

Pulverizadores Autopropelidos

A mais avançada tecnologia em eletrônica de bordo equipa esses equipamentos. Controles eletrônicos de pulverização e tecnologia GPS (navegação satelital – balizamento eletrônico) conferem a esses equipamentos a possibilidade de aplicar o defensivo agrícola no momento certo e rápido com a máxima precisão, objetivando o maior efeito biológico com o mínimo de poluição ambiental.

Componentes do Controle Eletrônico de Pulverização

Pulverizadores Autopropelidos
1-
Controle eletrônico de pulverização
2-
Controle de velocidade e taxa de aplicação
3-
Controle de radar e velocidade
4-
Radar de velocidade
5-
Sistema de injeção de agroquímico
6-
Sistema de controle de válvulas
7-
Fluxômetro (Medidor de Fluxo)

Sistemas eletrônicos de navegação satelital GPS (Global Positioning System) e computadores de bordo coletores de dados possibilitam aos pulverizadores autopropelidos a condição de aplicar agroquímicos 24 horas por dia com a máxima precisão, monitorando e mapeando toda a operação de aplicação, criando um banco de informações digitalizadas que serão processadas e analisadas posteriormente a cada aplicação.

Foto abaixo: Aplicações noturnas de agroquímicos são eficientemente realizadas pelos pulverizadores autopropelidos. O GPS em conexão com os sistemas eletrônicos de controle da pulverização possibilita um aumento expressivo na janela de aplicação noturna, quando o equipamento encontrará as mais perfeitas condições climáticas para a aplicação de agroquímicos.

Pulverizadores Autopropelidos

A cabine é hermeticamente fechada (pressurizada), sendo que a aeração é feita através de filtro de carvão ativado (filtragem tripla) proporcionando total segurança ao operador.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

Visibilidade, espaço, conforto e facilidade no controle dos sistemas eletrônicos são as palavras-chave para esses equipamentos.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

Uma característica observada e necessária nesses equipamentos é a grande distância do “vão livre” do solo (Ground Clearance), em que na maioria dos pulverizadores autopropelidos é acima de 140 cm, possibilitando realizar aplicações durante todo o ciclo das culturas, até a fase final das aplicações sem provocar danos.

Os pulverizadores autopropelidos nas fotos abaixo apresentam até 185,5 cm de vão livre do solo.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

Algumas empresas fabricantes já estão desenvolvendo sistemas hidráulicos de controle da altura do vão livre, para equipar seus pulverizadores possibilitando o aumento na altura do equipamento, acompanhando a altura das plantas.

O Pulverizador abaixo é um dos poucos equipamentos no mundo com essa tecnologia.

Pulverizadores Autopropelidos

O Chassi desses pulverizadores tem estrutura leve e muito resistente.

O chassi deve ser o mais flexível possível objetivando suportar e superar as extremas adversidades de terreno.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

A bitola nesses equipamentos têm ajuste hidráulico, geralmente a cada 5 ou 10 cm e deve ser acionada facilmente da cabine.

A bitola possui variação de largura entre 2,80 a 4,30 m.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

As barras de pulverização possuem total acionamento hidráulico com sistema auto-nivelante e medem entre 15 até 43 metros de comprimento.

Nos equipamentos mais avançados as barras de pulverização são feitas de alumínio.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

As barras de pulverização podem ser instaladas na parte traseira ou na parte frontal dos pulverizadores autopropelidos.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

O pulverizador autopropelido abaixo é equipado com barras de até 43 metros de comprimento.

Pulverizadores Autopropelidos

As barras de pulverização são equipadas com corpos de bicos múltiplos com capacidade para até cinco tipos de pontas de pulverização.

Essas pontas com tecnologia de deriva reduzida produzem gotas de diferentes tamanhos, possibilitando ao pulverizador autopropelido aplicar defensivos agrícolas, 24 horas por dia nas mais adversas condições climáticas de temperatura alta, umidade relativa do ar baixa, e fortes rajadas de vento.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

Existem no mundo pulverizadores autopropelidos equipados com tanques de diferentes capacidades de carga: 1.100, 1.200, 1.500, 1.800, 2.000, 2.500, 3.000, 4.000 e 5.000 litros.

Pulverizadores Autopropelidos
2000 – 3000 litros

Pulverizadores Autopropelidos
3000 – 4000 litros

Pulverizadores Autopropelidos
5000 litros

Também são equipados com indutores de defensivos agrícolas que possibilitam a tríplice lavagem das embalagens, que além de ser equipamento obrigatório por lei, facilita muito o trabalho de reabastecimento dos agroquímicos, diminuindo muito o risco de contaminação humana e ambiental.

Acessórios como o protetor de plantas, ou “abre plantas”, pode equipar os pulverizadores autopropelidos, facilitando o deslocamento em culturas muito adensadas. Esses acessórios protegem as plantas contra possíveis danos na cultura provocados pelos pneus. São facilmente instalados e muito resistentes.

Pulverizadores Autopropelidos

Pulverizadores Autopropelidos

Sensores para detecção de plantas daninhas

Pulverizadores Autopropelidos
1- Plantas daninhas
2- Cultura não alvo
3- Bicos com injetores de agroquímicos
4- Controle da injeção direta de agroquímicos
5- Computador central do sitema
6- Sentido da operação
7- Radar de velocidade
8- Câmeras de detecção

Pulverizadores Autopropelidos
Sensores para aplicação de nitrogênio

Pulverizadores Autopropelidos
Sensores para controle da altura da barra

Pulverizadores Autopropelidos
Seleção eletrônica de pontas de pulverização

Estima-se que o mercado potencial no Brasil para pulverizadores autopropelidos seja de 10.000 unidades. Atualmente no Brasil existem cerca de 4.000 pulverizadores autopropelidos em operação. Esses pulverizadores são encontrados operando nos Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Paraná e São Paulo.

Desse mercado potencial, estima-se que 40% deverão desenvolver operações de aplicação no Estado do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, 15% nas extensivas lavouras de algodão e soja dos Estados que fazem parte do “Corredor Norte de Exportação” (Sul do Maranhão, Norte do Tocantins, Sul do Piauí e Sul do Pará) e 10% na Bahia (Região de Barreiras) em extensivas lavouras de algodão e soja. O restante provavelmente vai ser distribuído para as áreas irrigadas, mais precisamente nas áreas irrigadas nos municípios de Unaí, Paracatu e Patos de Minas em Minas Gerais.

Os números mencionados acima estão atrelados a áreas extensivas dos Estados.

Essa estimativa de equipamentos operando nesses Estados vai depender de variáveis como:

1. A exploração de mais áreas agricultáveis em Mato Grosso (atualmente 30% dessa área é explorada) e nos outros Estados;
2.
A concorrência de outras novas empresas fabricantes e importadoras que pretendem comercializar seus equipamentos no País.

A “Aplicação Terceirizada de Defensivos Agrícolas” é um grande mercado potencial para os pulverizadores autopropelidos e está em fase de grande desenvolvimento nas extensivas áreas de soja e algodão no cerrado brasileiro.

Nos Estados Unidos cerca de 50% dos defensivos agrícolas são aplicados por empresas terceirizadas. Na Argentina essa porcentagem sobe para 70%. Nos Estados Unidos as empresas aplicadoras, em sua grande maioria, são os próprios produtores que nos intervalos de suas aplicações prestam esse serviço a outros produtores. Na Argentina, 80% das aplicadoras são empresas de fato, criadas para esse fim.

A aplicação terceirizada de agroquímicos oferece muitas vantagens para os produtores, dentre elas podemos citar:

1- As empresas utilizam sempre equipamentos atualizados com as mais avançadas tecnologias para as aplicações;
2-
Possibilita aos produtores transformar os custos fixos em custos variáveis;
3-
Os trabalhos são monitorados e prestados por especialistas na área de tecnologia de aplicação de agroquímicos;
4-
Minimização do risco de contaminação humana e ambiental pelos agroquímicos em função do alto nível de conhecimento técnico sobre aplicação de toda equipe operacional;
5-
Minimização de perdas pelo conhecimento de toda equipe sobre a prática de aplicação em condições meteorológicas adversas e uso de equipamentos de agricultura de precisão;
6-
O produtor não precisa estocar os defensivos agrícolas em sua propriedade e nem se preocupa com o descarte das embalagens.

Nos países onde os serviços de aplicação são mais expressivos, os pulverizadores autopropelidos são geralmente transportados em carretas. Essas carretas são preparadas para prover todas as necessidades em defensivos agrícolas, água, óleo e ferramentas para a manutenção objetivando o perfeito funcionamento dos pulverizadores durante as aplicações.

Pulverizadores Autopropelidos

Considerações Particulares: As empresas fabricantes que deverão prevalecer e permanecer nesse mercado serão aquelas que agregarem valores à venda dos equipamentos.

Alguns destes valores são:

1- Assistência técnica e treinamentos técnico-operacionais sobre o equipamento;
2-
Estoque de peças para rápida reposição quando apresentarem problemas;
OBS:
Já aconteceram casos de devolução de pulverizadores autopropelidos importados pela demora na solução dos problemas pela equipe de técnicos da empresa e também pela demora na reposição de peças, ocasionada pelo complicado processo de importação.
3-
Desenvolvimento da logística da aplicação e da tecnologia de aplicação para os equipamentos, em função das características de cada região de trabalho.
4-
Realizar inspeções periódicas nos pulverizadores, assegurando seu perfeito funcionamento, objetivando manter sempre a melhor qualidade das pulverizações.
5-
Manter sempre contato com os clientes, informando e atualizando os equipamentos com novas tecnologias. Desenvolver um bom relacionamento e promover através desses clientes o bom nome da empresa. Deve-se observar que, estatisticamente, os produtores trocam os pulverizadores autopropelidos a cada 5 anos em média. O pós-venda e a assistência técnica periódica vão determinar a fidelidade do cliente-produtor ao equipamento.

Fonte: www.pulverizador.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Terra Primitiva

Terra Primitiva

PUBLICIDADE O que é terra primitiva? A história da Terra diz respeito ao desenvolvimento do …

Respiração Branquial

Respiração Branquial

PUBLICIDADE O que é respiração branquial? As brânquias ou guelras são órgãos da respiração, são …

Mecanismos de Feedback

Mecanismos de Feedback

PUBLICIDADE O que são mecanismos de feedback? Um mecanismo de feedback é um processo que usa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+