Breaking News
Home / Biologia / Líquens

Líquens

O que são Líquens

PUBLICIDADE

Por líquen se compreende um organismo simbionte, ou seja, um organismo formada por indivíduos de espécies diferentes que dependem um do outro para sobreviver. Sem esta relação, eles não conseguiriam obter certas vantagens. No caso dos líquens, eles são compostos por um fungo e por uma alga (em alguns casos, há associação de fungo com cianobactérias). Segundo estimativas, existem cerca de 13.500 espécies de fungos liquenizados. Deste total, 98% refere-se a fungos ascomicetos e o restante é formado por fungos basidiomicetos.

Algas

Quanto às algas, as mais comuns existentes nas associações com fungos são as algas clorofíceas, sendo que a espécie mais frequente é a Trebouxia (corresponde a cerca de 70% dos gêneros de líquens).  Já os fungos que formam liquens são, em sua grande maioria, ascomicetos (98%), sendo o restante, basidiomicetos.

Nesta relação entre dois indivíduos, fungo e alga, os fungos fornecem às algas um ambiente ideal para seu desenvolvimento, além de oferecerem uma proteção contra a desidratação. Outro benefício é que as hifas do fungo podem proteger as algas de uma luminosidade excessiva. Quanto às algas, quando em estado de líquen, elas têm a parede celular mais permeável, ocorrendo perda de carboidratos, que são utilizados pelo fungo.

Habitat

Os líquens podem se desenvolver em ambientes aquáticos ou bem úmidos. Eles também ocorrem de forma abundando em locais secos, sendo encontrados desde o nível do mar, até áreas elevadas. Dependendo do tipo de líquen, ele pode se desenvolver nas cascas de árvore, em folhas, rochas, entre outras superfícies.

Estrutura

Estes organismos não possuem folhas nem caule, sendo que seu corpo é chamado de talo. Os talos podem ser do tipo filamentoso, crostoso, folioso, entre outros, variando de centímetros e, em alguns casos, até mesmo a metros.

Vale ressaltar que os líquens, por conta de suas características, podem ser considerados bioindicadores, podendo indicar a qualidade do ar, ou até mesmo, a presença de metais pesados. Eles também produzem uma série de compostos que auxiliam a degradar rochas, ajudando na formação do solo. Por conta de suas características, eles são considerados organismos pioneiros (aqueles capazes de ocupar ambientes inóspitos).

Juliano Schiavo
Biólogo e mestre em Agricultura e Ambiente

Referências

HONDA, Neli Kika; VILEGAS, Wagner. A química dos liquens. Química Nova, p. 110-125, 1999.

Líquens

Os líquens são compostas de dois, e algumas vezes três, diferentes organismos de três reinos diferentes, que formam uma relação simbiótica com o outro para a sua sobrevivência mútua.

Líquens

O membro dominante é um fungo ascomiceto (Reino Fungi), que é capaz de fazer a sua própria comida. O fungo forma a porção visível do líquen dentro do qual, e protegida por eles, são células de uma alga (reino Protista) ou alguma vezes cianobactérias (Reino Monera), uma vez conhecida como algas azuis-verdes.

Alguns líquens pode consistir em todos os três organismos de uma só vez.

As algas fornecem nutrientes, como eles contêm o pigmento clorofila, que ele usa durante a fotossíntese para produzir carboidratos da mesma forma como as plantas verdes fazer.

Assim, o fungo obtém nutrientes das algas, o tecido fúngico, por sua vez proporciona abrigo para as algas que lhe permite crescer em condições adversas, tais como superfícies de rochas onde, de outro modo ser destruídos.

Reprodução

Fungos formadores de líquen pode se reproduzir sexualmente ou assexuadamente, portanto, eles têm um número de diferentes métodos de reprodução.

A reprodução assexuada

A maioria dos líquens são muito frágeis quando seco, alguns simplesmente esperam a quebra de do talo para produzir fragmentos que estão dispersos pelo vento, chuva ou insetos e pássaros.

Outros fazem pacotes de reprodução não-sexuais conhecidos como soredia (tufos de algumas células de algas embrulhadas em hifas ), ou isidia (cilíndricas, projeções semelhantes a dedos, a partir da superfície superior) ou lóbulos (lobos em miniatura em desenvolvimento ao longo das margens) que se quebram e são dispersos como descrito acima.

Reprodução Sexual

Líquens ascomycetous produzem corpos de frutificação chamados apothecia, que são tipicamente em forma de disco a partir do qual são produzidos esporos.

Estes são então dispersas pelo vento e pela chuva, etc.

Após a germinação do esporo eles precisam encontrar um novo parceiro para formar algas em líquen. Alguns são capazes de roubar-los de outros líquens.

Onde líquens crescem?

Os líquens são notáveis em que eles podem tolerar os ambientes mais extremos, assim, eles podem viver em lugares quentes e secos, bem como condições árticas e o mais chuvoso da floresta tropical. Embora possam tolerar ágil sal e imersão em água que não são aquáticas.

Líquens podem viver em solo, resíduos lenhosos, rochas, cascas de árvores, folhas de árvore, outros líquens, areia do deserto, ossos de animais, e de metal enferrujado.

Por esta razão eles são pioneiros da natureza. Já esteve primeiro a colonizar lugares mais inóspitos de lá eles começam o lento processo de criar as bases para outra habitação.

Como eles sobrevivem?

Para ajudar a sua sobrevivência em condições tão inóspitas, os liquens são capazes de desligar metabolicamente durante períodos de condições desfavoráveis, em seguida, com a quantidade adequada de luz e umidade, o ar puro e a liberdade de concorrência, líquens vão continuar a crescer. A maioria dos líquens crescem muito lentamente, muitas vezes, menos de um milímetro por ano.

Portal São Francisco

Veja também

Água de Reuso

Água de Reuso

PUBLICIDADE O que é a água de reuso? É grande a preocupação com a disponibilidade …

Torniquete

PUBLICIDADE Definição Um torniquete pode ser definido como um dispositivo de constrição ou compressão usado …

cetose

Cetose

PUBLICIDADE Definição Cetose é um estado metabólico caracterizado por níveis aumentados de corpos cetônicos nos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.