Breaking News
Home / Biologia / Proteínas

Proteínas

PUBLICIDADE

Definição de Proteína

proteína é um macronutriente essencial para a construção de massa muscular. É comumente encontrada em produtos de origem animal, embora também esteja presente em outras fontes, como nozes e leguminosas.

Existem três macronutrientes: proteínas, gorduras e carboidratos.

Os macronutrientes fornecem calorias ou energia. O corpo requer grandes quantidades de macronutrientes para sustentar a vida, daí o termo “macro”. Cada grama de proteína contém 4 calorias.

A proteína representa cerca de 15 por cento do peso corporal de uma pessoa.

Quimicamente, a proteína é composta de aminoácidos, que são compostos orgânicos feitos de carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio ou enxofre.

Os aminoácidos são os blocos de construção das proteínas, e as proteínas são os blocos de construção da massa muscular.

O que são proteínas?

proteína é encontrada em todo o corpo – nos músculos, ossos, pele, cabelo e praticamente todas as outras partes ou tecidos do corpo.

Ele compõe as enzimas que acionam muitas reações químicas e a hemoglobina, que transporta o oxigênio no sangue. Pelo menos 10.000 proteínas diferentes fazem de você o que você é e o mantêm assim.

As proteínas são moléculas grandes e complexas que desempenham muitas funções críticas no corpo. Eles fazem a maior parte do trabalho nas células e são necessários para a estrutura, função e regulação dos tecidos e órgãos do corpo.

As proteínas são compostas por centenas ou milhares de unidades menores chamadas aminoácidos, que estão ligadas umas às outras em longas cadeias.

Existem 20 tipos diferentes de aminoácidos que podem ser combinados para formar uma proteína. A sequência de aminoácidos determina a estrutura tridimensional única de cada proteína e sua função específica.

A proteína é feita de mais de vinte blocos básicos de construção chamados aminoácidos. Como não armazenamos aminoácidos, nossos corpos os produzem de duas maneiras diferentes: do zero ou modificando outros.

Nove aminoácidos – histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano e valina – conhecidos como aminoácidos essenciais, devem vir dos alimentos.

A proteína é uma das três principais classes de alimentos. As proteínas são feitas de aminoácidos, que funcionam como “blocos de construção” da célula. As células precisam de proteína para crescer e se curar.

A proteína é encontrada em muitos alimentos, como carnes, peixes, aves, ovos, legumes e laticínios.

Nosso corpo precisa de proteína dietética para fornecer aminoácidos para o crescimento e manutenção de nossas células e tecidos. Nossa necessidade de proteína na dieta muda ao longo da vida.

As Autoridades de Saúde recomendam que os adultos consumam pelo menos 0,83 g de proteína por kg de peso corporal por dia (por exemplo, 58 g/dia para um adulto de 70 kg).

Proteínas vegetais e de origem animal variam em qualidade e digestibilidade, mas isso geralmente não é uma preocupação para a maioria das pessoas se a proteína total atender às suas necessidades.

Devemos ter como objetivo consumir proteínas de uma variedade de fontes que beneficiem tanto nossa saúde quanto os planetas.

As proteínas são uma classe importante de moléculas encontradas em todas as células vivas.

Uma proteína é composta por uma ou mais longas cadeias de aminoácidos, cuja sequência corresponde à sequência de DNA do gene que a codifica.

As proteínas desempenham uma variedade de funções na célula, incluindo estrutural (citoesqueleto), mecânica (músculo), bioquímica (enzimas) e sinalização celular (hormônios).

As proteínas também são uma parte essencial da dieta.

Quais são os benefícios da proteína para a saúde?

Quando comemos alimentos que contêm proteínas, o corpo as decompõe em aminoácidos.

Esses aminoácidos são necessários para construir músculos e sangue. Existem 20 aminoácidos padrão, que são divididos em duas categorias, incluindo aminoácidos essenciais e aminoácidos não essenciais.

O corpo pode produzir alguns dos ácidos essenciais por conta própria, mas certos aminoácidos devem vir da ingestão de alimentos que contêm proteínas.

A proteína tem muitos benefícios para a saúde. Comer proteína suficiente é essencial para manter um corpo saudável. Se o corpo sofre uma lesão, como um corte, a proteína ajuda na reparação do tecido.

Junto com os carboidratos, a proteína fornece energia para o corpo que ajuda a evitar que fiquemos cansados.

Outro dos benefícios da proteína é ajudar o corpo a combater doenças e enfermidades e manter o sistema imunológico funcionando adequadamente.

Os músculos do nosso corpo são parcialmente constituídos por proteínas. Uma das vantagens da proteína é manter os músculos saudáveis. A proteína também ajuda a construir a pele, cabelo, unhas e cartilagem.

Como o corpo não armazena proteínas, é importante comer proteínas saudáveis todos os dias.

 As fontes mais comuns de proteínas completas são produtos de origem animal

As proteínas são consideradas proteínas incompletas ou completas.

As proteínas completas contêm todos os aminoácidos essenciais, enquanto as proteínas incompletas não.

Boas fontes de proteínas completas vêm de animais. Por exemplo, ovos, leite, frango e peixe contêm proteínas completas.

As escolhas alimentares saudáveis para proteínas incompletas incluem nozes, como amêndoas, feijão e grãos inteiros.

Para obter os benefícios adequados da proteína para a saúde, a maioria das pessoas precisa de cerca de 0,8 grama de proteína por quilograma de peso corporal por dia.

Quando demandas adicionais são feitas ao corpo, como na gravidez ou durante a recuperação de uma lesão, mais proteína é necessária para ajudar o corpo.

Crianças e adolescentes também precisam de proteína adicional para ajudar no crescimento.

Sem proteína, o corpo não seria capaz de funcionar adequadamente. Várias condições podem se desenvolver, como anemia e hipotensão. Também poderiam ocorrer problemas de circulação e cura de uma lesão.

Como a proteína ajuda os músculos, sem ela a massa muscular pode diminuir e pode ocorrer fraqueza.

Embora haja benefícios da proteína, muito de uma coisa boa pode ser ruim. Comer uma dieta rica em proteínas pode causar problemas se poucos carboidratos forem ingeridos.

Quando altos níveis de proteína são ingeridos em combinação com poucos carboidratos, o corpo pode formar cetonas e liberá-los no sangue. Isso causa cetose, o que pode causar fadiga e náuseas.

Proteínas – Macromoléculas Oorgânicas

Ao se falar em proteínas, estamos falando nas macromoléculas orgânicas mais abundantes nas células vivas, ocorrendo em todos os tipos de células. Além de constituírem as células, elas são responsáveis pela diversidade das funções biológicas. Elas são extremamente importantes, tanto é que seu nome, proteína, vem do grego “proto”, que significa “a primeira” ou “a mais importante”.

São inúmeras proteínas, com tamanhos e funções diferentes. Elas são formadas por combinações dos 20 aminoácidos existentes, sendo parte deles sintetizados pelo próprio organismo ou outros obtidos via alimentação, chamados aminoácidos essenciais.

As células, por meio do código genético, conseguem produzir uma série de proteínas utilizando os aminoácidos, que são agrupados e combinados em sequências variadas. Desta forma, os organismos conseguem sintetizar uma série de produtos: cabelo, unha, anticorpos, penas das aves, escamas, músculos, enfim, as proteínas são essências para a formação dos organismos, bem como o desenvolvimento de funções biológicas as quais, sem as proteínas, não poderiam ocorrer.

Molécula de Proteína

Proteínas

Importância das proteínas na alimentação

Quem pratica musculação, ou faz uma dieta, sempre acaba ouvindo a palavra proteína.

Mas para que serve a tal “proteína” para a saúde humana?

Como nosso organismo é constituído por elas, além de regularem as funções biológicas, as proteínas são essenciais para nossa sobrevivência.

No caso de quem pratica musculação para ganhar músculos, ou seja, massa magra, surge uma demanda maior por proteínas. Isso ocorre pois, para que o músculo “cresça”, após ser trabalhado no exercício, é preciso do constituinte dele: as proteínas. Elas são como tijolos, que formam os músculos. Por isso elas acabam por ser aliadas na alimentação e, assim, há suplementos de proteína.

Mas é de extrema importância lembrar que, mesmo os suplementos de proteína, devem ser tomados sob um acompanhamento médico. Como nosso organismo regula tudo, o excesso de proteínas pode fazer mal, em especial para os rins: quando a proteína não é utilizada, ela é eliminada, sobrecarregando os rins. Por isso, para quem faz musculação ou dieta, é importante sempre buscar um especialista para acompanhar a saúde, buscando uma boa qualidade de vida.

O que é deficiência de proteína?

Proteínas

deficiência de proteína é um estado de desnutrição em que quantidades insuficientes de proteína são ingeridas para o corpo utilizar a fim de produzir energia. Essa condição é amplamente responsável pela alta incidência de fome e doenças em muitos países do Terceiro Mundo, causando a morte de milhões de pessoas a cada ano. Infelizmente, muitas crianças com menos de cinco anos constituem a maioria das vítimas. No entanto, a deficiência de proteína também ocorre em países desenvolvidos, principalmente devido à pobreza.

Certos indivíduos também podem se tornar propensos à deficiência de proteína, como dieters radicais e vegetarianos que negligenciam o equilíbrio adequado de sua dieta.

proteína é necessária para que o corpo sintetize 13 aminoácidos e quebre as moléculas de polipeptídeos em nove aminoácidos essenciais que o corpo não pode fabricar por conta própria. Coletivamente, esses ácidos trabalham constantemente para reabastecer os tecidos do corpo, de modo que desempenham um papel importante na manutenção de ossos, músculos e órgãos saudáveis.

O corpo também usa proteínas para produzir hemoglobina nas células vermelhas do sangue, o veículo pelo qual o oxigênio é transportado para os músculos e órgãos. Além disso, sem proteína suficiente, os pulmões e o sistema imunológico deixariam de funcionar adequadamente.

O corpo interpreta um estado de deficiência de proteína como um sinal para entrar no modo de fome. Como resultado, o corpo tenta compensar a deficiência retirando os estoques de proteínas do corpo para reciclagem. A primeira fonte que o corpo recorrerá para fazer uma retirada de proteína são os músculos, o que leva a uma condição conhecida como perda de massa muscular. Na verdade, a fraqueza resultante da perda de massa muscular é um dos primeiros sintomas da deficiência protéica.

Outros sintomas de deficiência de proteína incluem perda de peso, diarreia e acúmulo de líquidos (edema) nas pernas e no abdômen. Os sinais externos iniciais incluem perda de cabelo, pele escamosa e letargia devido à falta de energia. Se a deficiência continuar, os órgãos começarão a funcionar mal. Por exemplo, uma vez que a utilização de proteínas está envolvida no transporte de lipoproteínas e colesterol, a falta deles levará à esteatose, hepatite ou doença do fígado gorduroso. Além disso, o corpo será incapaz de manter os níveis normais de leucócitos, deixando o corpo deficiente em glóbulos brancos e o sistema imunológico incapaz de combater infecções.

De modo geral, as crianças precisam de 0,5 gramas de proteína para cada libra (0,5 quilogramas) de peso corporal e os adultos um total de aproximadamente 60 gramas de proteína por dia. No entanto, mulheres grávidas ou amamentando podem exigir mais. Além de carne, ovos e laticínios, fontes particularmente boas de proteína incluem grãos inteiros, feijão, nozes, sementes de girassol, arroz integral, batata, espinafre e brócolis.

Fonte: Juliano Schiavo/medlineplus.gov/www.eufic.org/www.rchsd.org/cdn1.sph.harvard.edu/openoregon.pressbooks.pub/www.genome.gov/www.wisegeek.org/www.hsph.harvard.edu

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.