Breaking News
Home / Biologia / Células-Tronco

Células-Tronco

PUBLICIDADE

Células-Tronco – Definição

Uma célula-tronco é uma célula mestra do corpo humano com a capacidade única de de se transformar em qualquer um dos mais de 200 tipos de células do corpo

As células-tronco servem como um sistema de reparo para o corpo.

As células-tronco são células não especializadas (indiferenciadas) que são caracteristicamente do mesmo tipo de família (linhagem).

As células-tronco retêm a capacidade de se dividir ao longo da vida e dão origem a células que podem se tornar altamente especializadas e tomar o lugar de células que morrem ou se perdem.

As células-tronco contribuem para a capacidade do corpo de renovar e reparar seus tecidos. Ao contrário das células maduras, que estão permanentemente comprometidas com seu destino, as células-tronco podem se renovar e criar novas células de qualquer tecido a que pertençam (e de outros tecidos).

As células-tronco da medula óssea, por exemplo, são as células mais primitivas da medula. Deles, todos os vários tipos de células sanguíneas descendem. As transfusões (ou transplantes) de células-tronco da medula óssea foram originalmente administradas para substituir vários tipos de células sanguíneas.

No futuro, eles podem ser usados para substituir células e tecidos que foram danificados ou perdidos devido a doenças.

As células-tronco são células primitivas que têm o potencial de se diferenciar ou se desenvolver em uma variedade de tipos específicos de células.

Existem diferentes tipos de células-tronco com base em sua origem e capacidade de diferenciação.

O transplante de medula óssea é um exemplo de terapia com células-tronco amplamente utilizada.

A pesquisa está em andamento para determinar se a terapia com células-tronco pode ser útil no tratamento de uma ampla variedade de condições, incluindo diabetes, doenças cardíacas, doença de Parkinson e lesão da medula espinhal.

O que são células-tronco?

As células-tronco são células especiais em organismos multicelulares que são capazes de se diferenciar em uma ampla gama de outras células, conforme necessário.

Em outras palavras, as células em si não são especializadas, como células sanguíneas, células nervosas e assim por diante, mas podem fazer células especializadas para formar um embrião ou reparar danos a um organismo adulto.

Esta propriedade sugere que eles podem ser extremamente úteis no tratamento médico, e muitos países estabeleceram financiamento de células-tronco para explorar a possibilidade de pesquisa e desenvolvimento.


Células-tronco e os tipos de células que podem se tornar

Todos os organismos multicelulares, na verdade, começam como um agrupamento de células-tronco. À medida que se dividem e se multiplicam, eles se diferenciam para formar órgãos, músculos, ossos e assim por diante, até que um embrião completo seja formado. Os adultos também possuem células-tronco, embora sua origem precisa não seja totalmente compreendida.

Essas células adultas são desencadeadas em resposta a lesões graves para substituir os tecidos danificados.

Existem três tipos de células-tronco. As células-tronco embrionárias são retiradas de um embrião. As células-tronco do sangue do cordão vêm do cordão umbilical, que é rico nessas células por ser de origem fetal.

As células-tronco adultas também são conhecidas como células-tronco somáticas e são encontradas em vários locais ao redor do corpo adulto.

A ciência exata e a distribuição das células adultas ainda são um tópico de intensa pesquisa.

Para ser considerada uma célula-tronco, uma célula deve possuir duas propriedades. A primeira é que não deve ser especializado para uma ação específica, mas deve ser capaz de gerar células especializadas.

Além disso, eles podem se replicar inúmeras vezes com erros, um processo conhecido como proliferação. A pesquisa está focada em explorar esta propriedade única, e os cientistas esperam um dia poder explorá-la, estimulando as células a desenvolverem órgãos para as pessoas que deles precisam, por exemplo.

A pesquisa com células-tronco é controversa em algumas partes do mundo. As células-tronco embrionárias só poderiam ser colhidas com a destruição de um embrião até 2006, quando os cientistas começaram a provar que as linhagens poderiam ser criadas sem esse sacrifício. Uma vez que algumas pessoas se sentem desconfortáveis com a ideia de matar um embrião, essa questão gerou grande preocupação em muitas comunidades. Outros críticos estão preocupados que a pesquisa com células-tronco possa cair no reino da clonagem, e muitas comunidades se opõem à clonagem de seres humanos por uma série de razões. A maioria dos governos se concentrou em criar uma legislação clara e compreensível sobre a pesquisa com células-tronco, na esperança de aproveitar seu imenso potencial sem causar polêmica.

Células-Tronco – Corpo humano

Nosso corpo, assim como de todos os outros seres vivos, é formado por células. Quando analisamos o corpo humano, por exemplo, são diversos órgãos existentes e, cada um, possui determinados tipos de célula.

Uma célula do tecido muscular é diferente de uma célula nervosa, embora ambas tenham o mesmo código genético.

Mas e a célula-tronco, o que é afinal?

Por células-tronco se compreendem células que são indiferenciadas, ou seja, ainda não são especializadas como uma célula muscular ou nervosa. Para facilitar o entendimento, imagine uma série de quadros.

Alguns quadros já estão pintados. Alguns, por sua vez, estão brancos, sem nenhum tipo de pintura. Células especializadas são quadros pintados, enquanto que células-tronco são quadros em brancos, que podem vir a se transformar num quadro pintado.

Desta forma, células-tronco têm potencial de dar origem a células especializadas.

Porém, essa capacidade depende da linhagem da célula-tronco, que se divide em quatro grupos: totipotentes (podem dar origem a um indivíduo completo); pluripotentes (podem originar 216 diferentes tipos de tecidos que formam o corpo humano); multipotentes (são limitadas a apenas alguns tipos celulares) e onipotentes (só pode gerar um tipo de célula).

As células-tronco, quanto à sua origem, podem ser embrionárias ou adultas. As embrionárias são isoladas de embriões. Quanto mais jovem o embrião, maior a capacidade de diferenciação das células.

Já as células-tronco adultas são células multipotentes (podem dar origem apenas a alguns tipos celulares), estando presente na medula óssea, sangue de cordão umbilical, sangue periférico, alguns órgãos, como pâncreas e fígado e diversos outros tecidos.

POLÊMICA DAS CÉLULAS-TRONCO EMBRIONÁRIAS

As células-tronco são como curingas: podem se transformar em qualquer tipo de célula, desde que elas sejam totipotentes. Tal capacidade pode ser utilizada pela ciência para a cura de doenças, bem como no avanço de pesquisas científicas. Porém, as células-tronco embrionárias tem origem em embriões. Por conta disso, existe uma discussão entre a religião e a ciência.

Como as células-tronco embrionárias utilizam o embrião, grupos religiosos e antiaborto são contra o uso destas células, por defenderem que a vida começa na concepção e, portanto, ao se utilizar de embriões para se isolar as células-tronco, uma vida estaria sendo eliminada. Portanto, existe uma discussão ética sobre o uso destas células.

Por que as células-tronco são importantes?

As células-tronco representam uma área estimulante na medicina devido ao seu potencial para regenerar e reparar tecidos danificados. Algumas terapias atuais, como o transplante de medula óssea, já fazem uso de células-tronco e seu potencial de regeneração de tecidos danificados.

Tipos de células-tronco

As células-tronco são divididas em 2 formas principais.

Eles são: células-tronco embrionárias e células-tronco adultas.

Células-tronco embrionárias: As células-tronco embrionárias usadas na pesquisa hoje vêm de embriões não usados. Resultam de um procedimento de fertilização in vitro. Eles são doados à ciência. Essas células-tronco embrionárias são pluripotentes. Isso significa que eles podem se transformar em mais de um tipo de célula.

Células-tronco adultas: Existem 2 tipos de células-tronco adultas. Um tipo vem de tecidos totalmente desenvolvidos, como cérebro, pele e medula óssea. Existem apenas um pequeno número de células-tronco nesses tecidos. É mais provável que gerem apenas certos tipos de células. Por exemplo, uma célula-tronco proveniente do fígado produzirá apenas mais células hepáticas.

Fonte: Juliano Schiavo/medlineplus.gov/www.www.yourgenome.org/spinecenteratlanta.com/wisegeek.org/www.stanfordchildrens.org/www.urmc.rochester.edu

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.