Breaking News
Home / Biologia / Vitamina P – Rutina

Vitamina P – Rutina

PUBLICIDADE

Vitamina P – Rutina – O que é

vitamina P, mais corretamente chamada de flavonoides ou bioflavonoides, é uma classe de substâncias que são usadas para muitos fins diferentes nas plantas e são importantes para a saúde humana.

Pode ser encontrada em vários alimentos e ervas, variando de pimentão vermelho a chá.

Embora o termo “vitamina P” tenha sido usado para descrever essas substâncias entre os anos 1930 e 1950, ele agora está desatualizado.

A vitamina P (Bioflavonoides) é uma vitamina solúvel em água e composta de citrina, rutina e hesperidina, assim como flavonas e flavonoides.

Importante para a perfeita absorção e funcionamento da vitamina C no organismo, assim como para aumentar a resistência dos vasos capilares e regular a absorção.

vitamina P é um termo que já foi usado para um grupo de compostos vegetais chamados flavonoides. No entanto, esses compostos não são realmente vitaminas.

Existem vários tipos de flavonoides encontrados em frutas, vegetais, chá, cacau e vinho. Eles dão a certos alimentos sua cor, fornecem às plantas proteção contra os raios ultravioleta (UV) e infecções e podem oferecer benefícios à saúde.

Vitamina P – Tipos e fontes

Vitamina P

Existem mais de 6.000 tipos diferentes de flavonoides, que geralmente são categorizados por sua estrutura química. Algumas das categorias mais comumente usadas em suplementos nutricionais são flavonas, isoflavonas, antrocianinas e flavonóis. Eles são encontrados em todo o mundo em muitos tipos diferentes de plantas, incluindo muitas daquelas comidas por humanos.

Algumas das melhores fontes de vitamina P incluem groselha preta, alcaçuz, frutas cítricas, feijão, alho e chocolate preto. Eles também são encontrados na maioria dos vinhos e chás.

Vitamina P – Benefícios para a saúde

Os principais benefícios da vitamina P vêm de sua função como antioxidante. Pode neutralizar e combater os efeitos da oxidação e dos radicais livres no corpo, ambos associados ao envelhecimento, danos celulares e doenças como câncer, doença de Parkinson, asma, úlceras, alergias, entre outras. Também ajuda a prevenir resfriados, reduz a inflamação e promove a saúde capilar e circulatória. Além disso, acredita-se que os flavonoides aumentem e regulem a concentração de outro antioxidante, a glutationa, e tenham uma relação de trabalho simbiótica com a vitamina C, na qual cada substância aumenta o efeito da outra.

Embora os estudos estejam em andamento, eles parecem ter um efeito antiviral também e podem ajudar com o herpes e certos retrovírus.

Vitamina P – Dosagem e efeitos colaterais

Não há recomendações de dosagem específicas para a vitamina P, mas a maioria dos suplementos diários contém entre 500 e 1.000 mg.

A maioria das pessoas pode obter flavonoides suficientes de uma dieta que inclui muitas frutas e vegetais, mas é importante perceber que cozinhar e processar alimentos pode diminuir muito a concentração dessas substâncias, então aqueles que tentam obter toda a vitamina P dos alimentos devem considerar comer mais alimentos crus ou levemente cozidos. Nenhum efeito colateral foi amplamente relatado para essas substâncias, mesmo quando ingeridas em doses muito altas, embora algumas pessoas relatem ter diarreia e possam ter alergias individuais a certos tipos de bioflavonoides.

Vitamina P – Papel nas Plantas

Vitamina P

Como nos humanos, a vitamina P desempenha muitas funções diferentes nas plantas, incluindo ajudar no desenvolvimento de sementes e frutas e proteger as folhas dos raios ultravioleta (UV). Eles também são usados como moléculas de sinal entre as células vegetais e ajudam a proteger as plantas de bactérias, fungos e pragas. Além disso, eles desempenham um grande papel na atração de polinizadores para as plantas para ajudá-los a se reproduzir, afetando a cor, o sabor e o cheiro das plantas.

Vitamina P – Benefícios

Evita que a vitamina C seja destruída pela oxidação.
Fortalece as paredes dos vasos capilares, evitando as equimoses.
Aumenta a resistência às infecções.
Previne e cura sangramento de gengivas.
Aumenta a eficácia da vitamina C.
Auxilia no tratamento de edemas e tonturas resultantes de alterações no ouvido interno.

Vitamina P – Fontes Naturais

A pele branca que envolve os gomos das frutas cítricas – limão, laranja, pomelo (grapefruit). E também em abricó, trigo sarraceno, amoras silvestres, cereja, fruto da roseira.

BIOFLAVONOIDES

Vitamina P

Nos vegetais, existem substâncias denominadas flavonoides, anteriormente conhecidas com vitaminas P. Os flavonoides não são mais incluídos entre as vitaminas.

Existem mais de 5000 substâncias identificadas e derivadas de plantas que são reconhecidas como flavonoides. Flavus, em latim, significa amarelo e, por terem uma cor amarelada quando isoladas, essas substâncias têm essa denominação. Nos vegetais seriam os responsáveis pela sua cor e teriam a função de proteger a planta da ação do oxigênio da atmosfera. Por analogia, espera-se uma ação semelhante no organismo humano, ao proteger as células do corpo humano, principalmente as dos vasos, das agressões e degenerações decorrentes da ação dos radicais ácidos sobre os tecidos.

Principais funções: proteger o endotélio vascular das agressões dos radicais ácidos e também diminuir a adesividade das plaquetas, diminuindo o risco da formação de trombos e conseqüente obstrução de artérias que poderiam resultar em infartos.

Principais fontes: os vegetais e, nestes, são encontrados, principalmente, nas cascas. Muito comentados são os bioflavonóides do chocolate, dos vinhos, dos sucos de uvas e de outros produtos derivados de plantas, mesmo os industrializados. As indústrias jogam pesado na difusão desses conceitos que salientam o valor dessas substâncias. Entretanto, do ponto de vista nutricional, as frutas contêm muito mais flavonoides do que os produtos industrializados. Já a produção do vinho, por ser uma fermentação anaeróbia conserva melhor os flavonoides.

Rutina – O que é

rutina é um bioflavonoide, ou pigmento vegetal, encontrado em vários alimentos, como trigo sarraceno e frutas cítricas. Na planta nativa, a rutina ajuda a dar cor às plantas.

Em sua forma pura, sua cor pode variar do amarelo ao amarelo esverdeado. Para humanos e animais, às vezes é usado para tratamentos anti-inflamatórios e para reparar vasos sanguíneos enfraquecidos.

Rutina foi descoberto por causa de sua aparente capacidade de fortalecer os vasos sanguíneos.

Albert Szent-Gyorgyi, um bioquímico da Hungria, relatou durante os anos 1930 que algo nas frutas cítricas estava ajudando a fortalecer os vasos sanguíneos enfraquecidos.

Originalmente, pensava-se que a vitamina C era o componente de fortalecimento, mas a pesquisa de Szent-Gyorgyi eliminou o composto comum como candidato.

Demorou vários anos e vários outros grupos de pesquisa para finalmente identificar o composto responsável pelo fortalecimento das paredes capilares.

Apesar do trabalho com os vasos sanguíneos, não há pesquisas suficientes para saber com certeza que a rutina pode ser usada como uma droga eficaz por si só.

Alguns estudos iniciais mostraram que o bioflavonoide pode ser identificado como um suplemento definitivo para tratar certas doenças.

Rutina às vezes é usado para tratar doenças como hemorroidas e hemorragias internas gerais. Em um indivíduo saudável, pode funcionar como uma ferramenta preventiva para interromper hematomas e derrames hemorrágicos causados pelo rompimento de vasos sanguíneos dentro do cérebro.

Alguns estudos com rutina mostraram que o composto possui propriedades anti-inflamatórias. Por esse motivo, pode ser misturado a certos coquetéis de drogas para ajudar nas formas de artrite, como a osteoartrite.

Alguns testes iniciais mostraram que a rutina também pode ter alguns efeitos preventivos em certos tipos de câncer, além de ajudar a tratar alguns dos efeitos colaterais inflamatórios dos tratamentos contra o câncer.

Outros estudos mostraram que a rutina pode ajudar a controlar o quilotórax em gatos. O quilotórax é um derrame pleural, o que significa que é um acúmulo de fluidos ao redor dos pulmões.

Esse acúmulo de fluidos pode prejudicar a respiração.

A ingestão de rutina tende a não ter efeitos colaterais. Se aparecerem, normalmente são leves. Eles podem incluir dores de cabeça, dores de estômago e erupções na pele.

As fontes do bioflavonoide incluem trigo sarraceno, laranjas, maçãs, erva de São João, flores de sabugueiro, arruda, ginkgo biloba e as folhas de plantas como eucalipto e espinheiro.

Embora não sejam tecnicamente vitaminas, a rutina e outros flavonoides às vezes são chamados de vitamina P ou citrina. A rutina também é comumente chamada de rutosídeo.

Tipos de flavonoides e fontes alimentares

Os flavonoides, também conhecidos como bioflavonoides, são uma família de compostos polifenóis de plantas com seis subclasses. Existem atualmente mais de 6.000 flavonoides conhecidos.

Quando extraídas de uma laranja pelos cientistas em 1930, elas eram consideradas um novo tipo de vitamina e, portanto, batizadas de vitamina P. Esse nome não é mais usado, pois os flavonóides não são vitaminas.

Os flavonoides existem nas plantas para ajudar a prevenir infecções, proteger contra o sol e estresses ambientais e atrair insetos para a polinização. Eles também são responsáveis pela cor de muitas frutas e vegetais de cores profundas, como frutas vermelhas, cerejas e tomates.

Aqui estão as principais classes de flavonoides e suas fontes alimentares:

Flavonols: A fonte mais abundante de flavonoides na dieta, os flavonóis incluem caempferol, quercetina, miricetina e fisetina. Esses compostos são encontrados no azeite de oliva, frutas vermelhas, cebolas, couve, uvas, tomates, vinho tinto e chás.
Flavones: Eles também estão amplamente presentes no abastecimento de alimentos. Eles existem na salsa, tomilho, hortelã, aipo e camomila.
Flavanóis e flavan-3-ols: Esta subclasse inclui catequinas, como epicatequina e epigalocatequina, que são encontradas em altas concentrações no chá preto, verde e oolong. Flavonóis também estão presentes no cacau, maçãs, uvas e vinhos tintos.
Flavanones: Encontrados em frutas cítricas, os flavonoides são responsáveis pelo sabor amargo da laranja, limão e outras cascas de frutas cítricas. Os exemplos incluem hesperitina, naringenina e eriodictiol.
Isoflavonas: As isoflavonas mais conhecidas são a genistina e a daidzina, que são encontradas na soja e em seus derivados.
Antocianidinas: A maioria das frutas e vegetais vermelhos, azuis ou roxos obtém sua cor das antocianidinas. Compostos como cianidina, delfinidina e peonidina estão presentes em cranberries, morangos, mirtilos, amoras, uvas e vinho tinto.

Fonte: www.fisioquality.com.br/www.healthline.com/www.thehealingsole.com/www.wisegeek.com/www.thehealingsole.com/breakingmuscle.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.