Breaking News
Home / Biologia / Ruminantes

Ruminantes

PUBLICIDADE

Ruminantes – O que é

Um ruminante é um animal com um estômago que possui vários compartimentos, o que lhe permite extrair nutrição de gramíneas, feno e outros alimentos ricos em celulose que outros animais geralmente consideram indigestos.

Outra característica dos ruminantes é que regurgitam parcialmente a comida para ajudar no processo digestivo; esse alimento parcialmente quebrado é conhecido como “rum”, e esses animais costumam ter uma expressão pensativa no rosto enquanto mastigam. Isso explica a origem do nome, que é derivado do latim ruminare, a mesma raiz para a palavra “ruminar” como em “pensar”.

Quase todos os ruminantes estão na classe Ruminatia, embora camelídeos como lhamas e camelos também sejam ruminantes e sejam encontrados em uma classe biológica diferente.

Todos os ruminantes são animais com cascos e um número par de dedos, e muitos deles também têm chifres. Os animais evoluíram para a vida nas pastagens, comendo grandes volumes de comida por vez e depois digerindo-os no lazer. Essencialmente, um ruminante tem uma despensa de armazenamento de alimentos com bactérias que ajudam a quebrá-los para que os animais possam digeri-los quando estiverem prontos.

Algumas pessoas pensam erroneamente que os ruminantes têm vários estômagos. Este não é, de fato, o caso. Na verdade, os ruminantes têm apenas um estômago, mas ele é dividido em seções distintas, cada uma delas abrigando flora e fauna bacterianas distintas, que desempenham um papel importante no processo de digestão do ruminante hospedeiro. A maioria dos ruminantes tem quatro compartimentos; alguns, como os camelos, têm apenas três.

O primeiro compartimento do estômago é chamado de rúmen. Usando a fermentação bacteriana, o estômago começa a quebrar a celulose dura em ácidos graxos que podem ser digeridos.

O alimento é regurgitado do rúmen na forma de ruminação para permitir que o animal o mastigue, quebrando ainda mais a celulose antes de entrar no retículo, o que fermenta ainda mais o alimento.

Os dois estômagos finais, o omaso e o abomaso, funcionam mais como o estômago humano, dividindo a comida em partes utilizáveis e direcionando a nutrição por várias partes do corpo, enquanto envia resíduos pelo trato digestivo.

Curiosamente, muitos ruminantes têm apetite por alimentos inadequados, especialmente metais. Em alguns casos, o ruminante come coisas como latas porque se sente atraído por colas à base de trigo ou tinturas vegetais usadas na rotulagem.

Em outros casos, um ruminante pega pedaços de metal em sua forragem porque não os reconhece. Isso representa um grande problema, porque os fragmentos de metal podem rasgar o sistema digestivo do animal.

No gado, o problema foi resolvido com imãs de gado, imãs que prendem pedaços de metal para que não possam danificar a vaca.

Ruminantes – Mamíferos

Os ruminantes são mamíferos herbívoros que possuem vários compartimentos gástricos, por isso também denominados de poligástricos, que ao contrário dos monogástricos que possuem um só compartimento gástrico, o estômago, os ruminantes possuem quatro, o rúmen, retículo, omaso e abomaso.

O termo ruminantes advém do fato de estes animais ruminarem, isto é, depois de ingerirem rapidamente o alimento, entre os períodos de alimentação eles tornam a regurgitar o alimento para a boca, onde é de novo mastigado (ruminado) e deglutido.

Os ruminantes são mamíferos que são capazes de adquirir os nutrientes dos alimentos à base de plantas através da fermentação em um estômago especializado antes da digestão, principalmente através de ações bacterianas.

O processo geralmente requer regurgitação de ingesta (todos os alimentos introduzidos e trabalhados no tubo digestivo) fermentado (conhecido como ruminação), e mastigá-lo novamente.

Ruminantes
Ruminantes

O processo de ruminar divide mais a matéria vegetal e estimulam a digestão é chamado de “ruminação”.

A palavra “ruminante” vem do ruminare latim, que significa “para mastigar de novo”.

Existem cerca de 150 espécies de ruminantes, que incluem ambas as espécies domésticas e selvagens.

Mamíferos ruminando incluem gado, cabras, ovelhas, girafas, iaques, veados, camelos, lhamas e antílopes.

Sistema Digestivo dos Ruminantes

O que difere os ruminantes dos demais animais é o fato de serem poligástricos, ou seja, possuem quatro estômagos, chamados rúmen, retículo, omaso e abomaso.

Os ruminantes são mamíferos herbívoros que possuem vários compartimentos gástricos, por isso também denominados de poligástricos, que ao contrário dos monogástricos que possuem um só compartimento gástrico, o estômago, os ruminantes possuem quatro, o rúmen, retículo, omaso e abomaso.

Ruminantes
Estrutura dos quatro estômagos dos ruminantes

O tamanho de cada um varia no decorrer da vida do animal.

Na primeira mastigação ocorre a trituração dos alimentos e a ensalivação.

Em média, o bovino libera de 50 a 60 quilos de saliva por dia.

Quando os alimentos fornecidos são fluidos, a salivação torna-se fraca, o conteúdo do rúmen, então, torna-se viscoso e o gás resultante a digestão causa a aparição de espumas, surgindo a indigestão gasosa ou espumosa, característicos da meteorização.

Esses animais são altamente adaptados para a digestão de celulose, tornando-se completamente herbívoros quando adultos.

Os alimentos mastigados e engolidos são armazenados no retículo, onde ocorre sua maceração e trituração, para voltarem à boca e serem mastigados novamente, processo chamado de ruminação.

No rúmen há milhares de microorganismos, responsáveis pela digestão da celulose contida nos vegetais ingeridos e pela formação de ácidos voláteis. Percebe-se, que o aparelho digestivo dos ruminantes possui adaptações para tornar viável a sobrevivência desses microorganismos.

Portanto, qualquer variação na alimentação pode modificar a colônia de bactérias, alterando a digestão do animal e podendo leva-lo a ter alguma doença.

No folhoso a água do bolo alimentar é absorvida para que no coagulador ocorra o ataque do suco gástrico e a digestão propriamente dita. O suco gástrico é constituído principalmente por água, sais minerais, ácido clorídrico e pepsina ( uma proteína com ação enzimática).

A partir daí, a digestão ocorre como em qualquer outro animal, com a absorção das substâncias pelo intestino delgado e absorção de água pelo intestino grosso, com a produção das fezes ( resíduos alimentares não aproveitados).

Como os microorganismos residentes no estômago bovino estão constantemente reproduzindo-se e morrendo, eles também são digeridos.

Na passagem de uma cavidade digestiva para outra há barreiras que impedem a passagem de bactérias vivas, o que poderia causar alguma patologia grave no animal.

RuminantesSistema digestivo de uma vaca

Sistema Digestivo dos Ruminantes (exemplos: boi, cabra, carneiro, veado, girafa)

O sistema digestivo tem adaptações para o bom aproveitamento dos alimentos vegetais.

Além de um complexo estômago, com 4 câmaras, há um longo intestino, para garantir uma boa absorção dos alimentos, pois a digestão é demorada.

Enquanto que o intestino delgado do boi pode ter mais de 30 metros, nos carnívoros ele tem apenas umas cinco ou seis vezes o comprimento corporal.

É no abômaso que atua o suco gástrico, digerindo os alimentos e ainda uma boa quantidade das bactérias simbiônticas.

Além de garantirem a digestão da celulose pela enzima celulase que produzem, essas bactérias, quando digeridas, fornecem ainda substâncias que sintetizaram, especialmente aminoácidos, proteínas e vitamina B12.

Ruminantes – Resumo

Muitas espécies diferentes de animais ruminantes são encontradas em todo o mundo. Ruminantes incluem gado, ovelhas, cabras, búfalos, veados, alces, girafas e camelos. Todos esses animais têm um sistema digestivo diferente do nosso.

Em vez de um compartimento para o estômago, eles têm quatro. Dos quatro compartimentos o rúmen é a maior seção e o principal centro digestivo. O rúmen está cheio de bilhões de minúsculos microorganismos que são capazes de quebrar grama e outros vegetação que animais com um estômago (incluindo humanos, galinhas e porcos) não podem digerir.

Os animais ruminantes não mastigam completamente a grama ou a vegetação que comem. O parcialmente a grama mastigada vai para o grande rúmen, onde é armazenada e quebrada em bolas de “ruminação”.

Quando o animal tiver comido, descansará e “ruminará”. A comida é então engolido mais uma vez, onde passará para os próximos três compartimentos – o retículo, o omaso e o estômago verdadeiro, o abomaso.

Os bezerros leiteiros têm um estômago de quatro partes quando nascem. No entanto, eles funcionam principalmente como um animal monogástrico (de estômago simples) durante a primeira parte de suas vidas.

No nascimento, os três primeiros compartimentos do estômago de um bezerro – rúmen, retículo e omasum – são inativos e subdesenvolvidos. Conforme o bezerro cresce e começa a comer uma variedade de se alimenta, seus compartimentos estomacais também começam a crescer e mudar. O abomaso constitui quase 60 por cento do estômago do bezerro jovem, diminuindo para cerca de 8 por cento na vaca adulta.

O rúmen compreende cerca de 25 por cento dos bezerros jovens estômago, aumentando para 80 por cento na vaca adulta.

Muitas das plantas que crescem na Terra não podem ser usadas diretamente pelos humanos como alimento. Sobre 50 por cento da energia nas safras de cereais que são cultivadas para alimentação não são comestíveis para os humanos.

Os ruminantes têm a capacidade de converter essas plantas e resíduos em proteínas de alta qualidade na forma de carne e leite. Além disso, eles se alimentam de rejeitos e cortes de frutas e a horticultura e os subprodutos das fábricas de processamento de alimentos.

Fonte: www.geocities.com/www.criareplantar.com.br/www.cattle.ca

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.