Breaking News
Home / Biologia / Defensivos Agrícolas

Defensivos Agrícolas

PUBLICIDADE

O que são pesticidas?

O termo pesticida é utilizada para descrever todos os tipos de produtos que controlam pragas. Estes vão desde produtos químicos sintéticos que são venenosas para as ervas daninhas, para produtos químicos naturais como piretro derivados de crisântemos usados para repelir insetos ou animais maiores.

Exemplos de pesticidas incluem:

Inseticidas químicos (que matam as pragas de insetos).
Herbicidas que matam plantas ou ervas daninhas.
Slug pastilhas que contenham substâncias químicas, tais como metaldeído.
Veneno de rato (varfarina).

Porque os pesticidas são selecionados por sua capacidade de matar seres vivos, seja inseto, planta ou animal, não é surpreendente que eles também podem prejudicar as metas não intencionais, como pessoas, animais selvagens e, em geral, o meio ambiente. Eles têm sido associados com reivindicações de diversos problemas de saúde de câncer e infertilidade a síndrome da Guerra do Golfo e anomalias oculares. Em muitos casos não há evidência para apoiar tais preocupações.

Por esta razão, alguns países proibiram o uso de certos pesticidas, especialmente se houver um risco de que eles poderiam entrar na cadeia alimentar e os níveis de segurança foram criados para os outros que são considerados para proteger o público.

No entanto, o júri é ainda para fora sobre o risco de exposição a pesticidas muitas em uma base de longo prazo.

Como são usados pesticidas?

Os pesticidas são usados tanto em casa como em jardins privados, bem como pela maioria dos agricultores que, sob pressão para fornecer alimentos a preços baixos, muitas vezes dependem de pesticidas para maximizar a sua colheita. O uso de pesticidas na agricultura, muitas vezes se baseia no fato de que os níveis usados para matar insetos são geralmente baixos o suficiente para não afetar os seres humanos.

Mas algumas pessoas podem ser susceptíveis a estes pesticidas ainda que a dose só é baixa, ou podem ser expostas a níveis mais elevados em certas situações.

E pode haver outros potenciais danos para a cadeia alimentar.

Disruptores hormonais

Um número de pesticidas que são comumente encontrados em nossa alimentação, incluindo alguns descritos acima, foram identificados pela União Europeia como susceptíveis de causar perturbação aos hormônios naturais em nossos corpos. Estes “disruptores hormonais” ou “perturbadores endócrinos podem afetar o comportamento, o desenvolvimento do cérebro e desenvolvimento de órgãos reprodutivos. Eles também têm sido associados a tais como contagem de espermatozóides caindo e meninas que entram na puberdade mais cedo.

Disruptores hormonais podem causar problemas, em doses muito baixas. Alguns blocos do corpo hormônios naturais de trabalho, enquanto outros imitar a ação de hormônios naturais. Embora tenha havido ligações definitivas para anomalias reprodutivas em animais que vivem em áreas onde houve vazamentos acidentais de tais compostos, ainda é difícil tirar diretos relações causais entre os disruptores endócrinos e taxas de doença em seres humanos.

Existe um risco para as crianças dos pesticidas?

Alguns cientistas acreditam que a exposição a pesticidas no útero pode ser o culpado para o crescimento de distúrbios de comportamento entre crianças em países industrializados, mas há pouca evidência duro para mostrar um link direto. Eles também suspeitam que o dano sutil feito para o cérebro no início da vida não pode tornar-se evidente até muito mais tarde.

Alguns pesticidas foram encontrados para enfraquecer o sistema imunológico, e preocupação sequer foi levantada de que a exposição a pesticidas no útero poderia tornar os indivíduos mais vulneráveis aos seus efeitos tóxicos como adultos.

O medo de saúde principal associado com pesticidas não é que alguém vai comer uma maçã pulverizado e ter câncer, mas que os resíduos vão construir ao longo dos anos e causar doença se desenvolva lentamente.

Quais são as recomendações para a exposição a pesticidas?

Porque o acúmulo residual de um pesticida é tão longo prazo, é difícil provar isso está acontecendo, mas muitas pessoas preferem não arriscar a exposição a pesticidas e optar por alimentos que foram cultivados em condições aprovadas e orgânicos ou livres de pesticidas.

O governo estabelece um limite máximo de resíduos (LMR), o que chama de nível um “uso autorizado” de um pesticida – essencialmente um limite de segurança de quanto pode fazer o seu caminho para a cadeia alimentar.

No entanto, o nível de utilização aprovado é estabelecido para adultos, potencialmente colocando as crianças em risco.

Defensivos Agrícolas – Pesticidas

Defensivos Agrícolas
Defensivos Agrícolas

O que é um pesticida?

O termo “pesticida” é um termo geral utilizado para descrever uma substância (ou mistura) que destrói uma praga ou previne ou reduz os danos que podem causar pragas. Pragas podem ser insetos, ratos e outros animais, plantas indesejáveis (ervas daninhas), fungos, bactérias ou vírus.

Os pesticidas podem também incluir qualquer substância utilizada para modificar o crescimento de uma planta (controlador), causar a queda de folhas de uma planta (desfolhante) ou atuar como um agente de secagem (secagem do agente). Os pesticidas são normalmente produtos químicos, mas também podem ser feitos a partir de materiais naturais, tais como animais, plantas ou bactérias.

Quais são os agrotóxicos mais comuns?

Pesticidas incluem uma ampla gama de produtos – você pode estar usando muitos todos os dias. A tabela seguinte lista alguns pesticidas comuns, a sua utilização e os produtos em que são normalmente encontradas.

Existem muitos tipos de pesticidas que não aqueles listados abaixo:

Tipos de pesticidas comuns
Categoria Usar Exemplos
Inseticidas Destruir ou repelir insetos, carrapatos e ácaros.
  • inseto
  • iscas para baratas e ratos
  • pó ou spray líquido para o jardim
  • produtos comerciais para pulverizar fazendas / pomares
  • shampoo contra pulgas, colares contra pulgas e carrapatos
  • naftalina
Herbicidas Destruir as ervas daninhas ou plantas indesejáveis.
  • herbicidas ou herbicidas
  • gramado cuidados produtos (fertilizantes e herbicidas)
  • tratamentos para a haste / poda ferida
Fungicidas Destrua mofo, bolor e outros fungos.
  • calda de rosas e flores
  • produtos comerciais para pulverizar fazendas / pomares
  • grãos tratados
  • aditivos para tintas
Rodenticidas Destruição de roedores, como ratos e camundongos.
  • estações de isco para ratos e camundongos
Desinfetantes Destruir bactérias, mofo e bolor.
  • alvejante
  • amônia
  • detergentes para cozinhas e banheiros
  • detergentes piscina e spa
Conservantes de madeira Proteger a madeira contra insetos e fungos.
  • madeira tratada pressão

Como pesticidas funciona?

Defensivos são agrupados em “famílias” porque compartilham propriedades químicas semelhantes ou porque agem sobre pragas de forma semelhante. Um ingrediente ativo como pesticida, podem conter a partir de mais de uma família química.

Aqui estão algumas famílias comuns de pesticidas:

Organofosforados

Característica

Existem vários tipos de pesticidas da família organofosforado, tal como determinado pelos químicos exatos utilizados.

Eles são geralmente derivados de ácido fosfórico.
A maioria dos organofosforados são inseticidas. Eles controlam pragas, agindo sobre o sistema nervoso. (Por exemplo, o pesticida interrompe a transmissão de impulsos nervosos por desestabilizar a enzima [colinesterase] que regula a acetilcolina [neurotransmissor].)
Com poucas exceções, a maioria são altamente tóxicos.
Os organofosforados são usados porque eles são menos persistentes (decompor mais rapidamente) em alimentos, solo ou alimentos para animais de outras famílias de pesticidas, como organoclorados.

Exemplos

azinphos-metil (phasing out)
clorpirifós
diazinon
dimetoato
fentião
malathion
nalede
paration
forato
temephos
triclorfom

Compostos organoclorados (hidrocarbonetos clorados)

Característica

Eles controlar as pragas por perturbar a transmissão dos impulsos nervosos. (Eles interromper o fluxo de íons no axônio / a sinapse.)
Eles são geralmente persistente na comida do solo, e no corpo de seres humanos e animais. (Eles não quebram facilmente.)
Eles podem acumular no tecido adiposo.
Eles são tradicionalmente usado contra insetos e ácaros, mas compostos organoclorados muitos não são mais utilizados porque eles persistem por muito tempo no ambiente sem quebrar.

Exemplos

aldrin
clordano
dieldrin
endosulfan
endrina
lindano
metoxicloro
DDT

Carbamatos e tiocarbamatos

Característica

Eles são derivados do ácido carbâmico.
Eles controlam pragas, agindo sobre o sistema nervoso. (Eles interromper a transmissão de impulsos nervosos por desestabilizar a enzima [colinesterase] que regula a acetilcolina [neurotransmissor].)
Em geral, eles são menos persistentes no ambiente que os organoclorados da família.
Eles incluem inseticidas, herbicidas e fungicidas.
Os riscos para a saúde de seres humanos e animais são moderados, no caso de herbicidas e fungicidas, mas são maiores no caso de inseticidas.

Exemplos

Inseticidas

carbaril
propoxur
metomil
carbofuran
tiodicarbe

Herbicidas

barbana
TCPS
profame
trialato

Fungicidas

manebe
Nabam

Piretróides sintéticos

Característica

Eles interromper a transmissão dos impulsos nervosos (que aumentam o fluxo de iões de sódio no axónio), que estimula as células nervosas e, eventualmente, causa paralisia.
Eles são estáveis à luz do sol. (Eles não se decompõem rapidamente.)

Exemplos

cialotrina
cipermetrina
deltametrina
esfenvalerato
Permetrina

Quais são as diferentes formas de pesticidas?

Os pesticidas são formulados (preparado) no estado líquido, sólido ou gasoso.

As formulações líquidas incluem suspensões (por exemplo, concentrados de suspensão), soluções, concentrados emulsionáveis, suspensões microencapsuladas e aerossóis.
As preparações sólidas incluem pós, partículas, grânulos, pastilhas, grânulos solúveis, pós solúveis, iscos, pastilhas, comprimidos, composições escorregáveis secos e os pós molháveis.
Os pesticidas são geralmente fumigantes gasosos (que pode ser vendida como um líquido ou gás).

Na etiqueta de pesticidas, as abreviações codificados são muitas vezes acompanhadas por o nome comercial para indicar o tipo de formulação pesticida.

Exemplos de abreviaturas e seus significados codificados encontrados na etiqueta para indicar o tipo de formulação em questão.

D – O pó ou pó
DF – fluido seco
E ou CE – Concentrado emulsionável
F – Suspensão de concentrado
GR – Granule
P – Pastille
SN – Solução
SC – spray concentrado
SP – Pó Solúvel
WDG – granulado solúvel
WP – Pó molhável
WS – Solúvel em água

Adaptado do livro ” Grower Pesticide Manual Curso de Segurança, capitel 5 – Formulações pesticidas “Programa de Educação de pesticidas Ontário, Universidade de Guelph, Ridgetown Campus, 2009, p. 63

É importante saber a forma em que o pesticida porque pode afetar o risco que o produto químico.

Por exemplo, a pele absorve líquidos mais facilmente do que os pós. Em alguns casos, as formulações, tais como os concentrados emulsionáveis podem ser mais facilmente absorvidos do que as soluções aquosas.

Além disso, o adjuvante (um produto químico adicionado a um pesticida para aumentar os seus efeitos) pode ser adicionado a uma solução de pulverização.

Alguns adjuvantes podem aumentar a quantidade de pesticida que se espalha sobre a pele, a qual adere à pele ou é absorvido pela pele.

O que é um ingrediente inerte?

Uma formulação compreendendo um ou mais ingredientes ativos – chamado ingredientes ativos e ingredientes – “inerte” (material sem ação pesticida).

Ingredientes inertes são usados por muitas razões, inclusive fazendo um pesticida mais fácil de usar, ou para melhorar a sua eficácia. Embora estes ingredientes inertes são encontrados em quantidades maiores (por exemplo percentagem), eles não são sempre listados na etiqueta.

NOTA: A palavra “inerte” não significa que o ingrediente é seguro. Um ingrediente inerte pode estar em maior risco para os trabalhadores do que o ingrediente ativo (pesticida) em si. Você pode encontrar informações sobre ingredientes perigosos em uma formulação pesticida na folha de dados (MSDS).

Defensivos Agrícolas – Produtos

Defensivos Agrícolas também chamados de agroquímicos, pesticidas, agrotóxicos ou produtos fitossanitários, quando aplicados de maneira correta, não fazem mal ao homem nem ao meio ambiente. Os agroquímicos são diretamente responsáveis pela produtividade da safra brasileira dobrar na ultima década mantendo a mesma área cultivada e, por causa deles, somos os maiores produtores de soja e algodão do mundo.

Para se ter uma idéia da importância dos agroquímicos na produção agrícola, somente na cultura do algodão, por todo o planeta, 56 tipos diferentes de pragas, doenças e plantas daninhas podem interferir no desenvolvimento dessa cultura e limitar sua produtividade. É impossível, na atualidade, produzir soja, algodão e outras culturas extensivas sem fazer uso dos agroquímicos no controle fitossanitário.

Levando-se em consideração as perspectivas de que a expansão das áreas cultivadas fornecerá somente 20% da necessidade de comida no ano de 2020, o defensivo agrícola aparece como a mais imprescindível ferramenta de produção agrícola com condições reais para reverter esse possível quadro catastrófico.

História

A história registra há cerca de 3.000 anos atrás o uso de produtos químicos, como o Cobre e o Enxofre, no controle de doenças e pragas.

Até antes da 2A Grande Guerra eram insignificantes as quantidades desses produtos utilizadas no mundo todo e os equipamentos de aplicação eram extremamente rústicos.

Defensivos Agrícolas
1916

Defensivos Agrícolas
1930

Durante a Segunda Guerra Mundial começaram as pesquisas de desenvolvimento de armas químicas. Com o fim da Segunda Guerra Mundial alguns países tomaram conhecimento de todo o desenvolvimento dessa tecnologia, modificaram e utilizaram os produtos químicos para o controle de doenças e plantas daninhas na proteção de culturas.

O grande desenvolvimento da agricultura nos Estados Unidos, após o final da Segunda Guerra e a grande quantidade de produtos químicos fabricados, favoreceu para que muitos pilotos de aviões-caça desempregados tornarem-se pilotos agrícolas. Nessa época aconteceu a explosão da aviação agrícola nos Estados Unidos. Os aviões de treinamento e combate foram modificados para aviões pulverizadores. Rústicas adaptações de tambores e mangueiras instaladas nos aviões eram os equipamentos com que realizavam as pulverizações.

Defensivos Agrícolas

Defensivos Agrícolas

Durante a guerra do Vietnã os agroquímicos foram bastante utilizados como herbicidas desfolhantes quando foram aplicados nas florestas onde os inimigos se camuflavam. Esses agroquímicos eram conhecidos como “Agente Laranja”.

Os herbicidas que compunham o agente laranja eram o 2,4-D e o 2,4,5-T. O herbicida 2,4,5-T acompanhado da dioxina, foi o mais ativo composto causador de deformações em recém-nascidos que se conhece (tetranogênico).

Defensivos Agrícolas
Aplicação do “Agente Laranja” – Vietnã

Tecnologia de aplicação nessa época praticamente não existia e os agroquímicos eram usados de maneira indiscriminada. No Brasil, no final dos anos 40 o produto químico DDT começou a ser substituído pelos inseticidas fosforados nas pulverizações.

Para se ter uma idéia sobre a falta de informação sobre a periculosidade desses produtos, no processo de preparo da calda do DDT era recomendado que se misturasse o produto com água em um recipiente e mexesse a calda com o braço e com a mão aberta, para facilitar a mistura da solução. Essa recomendação para o DDT somente iria causar problemas na saúde do agricultor 20 ou 30 anos após o contato com a pele, pois o DDT precisa ser bastante absorvido pelo organismo para causar mal à saúde pelo fato do produto ter dose letal alta.

No caso dos inseticidas fosforados, que possuem dose letal baixa, ou seja, precisa pouco produto para fazer mal à saúde humana, quando o agricultor realizava o preparo da calda como fazia antes com o DDT, caía morto instantaneamente, sem tempo para socorro médico. Nos anos 70 aconteceu a explosão da aviação agrícola no Brasil e com o desenvolvimento das aplicações aéreas os agroquímicos passaram a ser utilizados como ferramentas mais técnicas e precisas para o controle fitossanitário.

Nos anos 80 e 90 a evolução dos produtos químicos foi bastante rápida. Nessas duas décadas apareceram os produtos de segunda geração como os Fosforados Sistêmicos, Carbamatos Sistêmicos, Sulforados e Piretróides, os produtos de terceira geração como os Microbianos Metharhizium, Bacillus e Baculovirus, os produtos de quarta e quinta geração como os Hormônios Juvenis e Anti-Hormônios, respectivamente.

A evolução dos agroquímicos tem sido constante, procurando sempre minimizar os riscos da contaminação dos seres humanos e do meio ambiente. Se analisarmos a evolução das doses de recomendação dos defensivos agrícolas atuais comparando com os defensivos utilizados nos anos 60 e 70, podemos constatar uma redução das doses de aplicação em cerca de 80%.

Podemos observar nas recomendações do defensivo agrícola abaixo o alto nível da tecnologia de aplicação que deve ser empregada para a correta aplicação do produto sobre a cultura.

Segundo a empresa fabricante do produto, a recomendação para pulverizações aéreas é aplicar um volume de 20 a 40 litros de calda por hectare com dose de 2 (duas) gramas de ingrediente ativo por hectare.

O avião agrícola com uma velocidade operacional de quase 200 Km/h deverá distribuir 20 litros de calda, onde estão diluídos as duas gramas do produto ativo responsável pelo efeito biológico, em 10.000 metros quadrados. Por esse exemplo podemos observar a grande responsabilidade técnica do pessoal operacional que manuseia os defensivos agrícolas, pois a tecnologia de aplicação que vai equipar o avião agrícola deve acompanhar a avançada tecnologia de formulação do produto a ser aplicado objetivando o maior efeito biológico possível.

Recomendações Técnicas sobre Defensivos Agrícolas

1 – Uso exclusivamente agrícola;
2 – Evite comer, beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto;
3 – Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado;
4 – Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos;
5 – Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração de animais;
6 – Mantenha a embalagem longe do fogo;
7 – Manuseie o produto em local arejado;
8 – Não manipule e/ou carregue embalagens danificadas;
9 – Não distribua o produto com as mãos desprotegidas; use luvas impermeáveis;
10 – Utilize equipamentos de proteção individual.
11 – Verifique se estão danificados e/ou defeituosos;
12 – Distribua o produto da própria embalagem, sem contato manual e evite sobras;
13 – Evite derrames ou a contaminação do equipamento durante o seu abastecimento;
14 – Não utilize equipamentos de aplicação com vazamento;
15 – Não desentupa bicos, orifícios, válvulas e tubulações com a boca;
16 – Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes do dia;
17 – Aplique somente as doses recomendadas pelo fabricante;
18 – Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água, levando as embalagens ou aparelhagem aplicadora, bem como, lançando-lhes seus restos;
19 – Se a embalagem for totalmente esgotada, lave-a por três vezes (tríplice lavagem) e jogue as caldas resultantes no próprio tanque de pulverização, antes da aplicação do produto na lavoura;
20 – Não reutilize embalagens vazias;
21 – Após o uso e esgotamento, certifique-se de que as embalagens foram lavadas três vezes (tríplice lavagem); inutilize-as e dê destino adequado às mesmas;
22 – Após o término do trabalho, remova as roupas protetoras e tome banho;
23 – Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação;
24 – Mantenha afastadas das áreas de aplicação, crianças, animais domésticos e pessoas desprotegida.

Defensivos Agrícolas – Alimentos

Aqui está uma refeição típica, aparência saudável e equilibrada. Infelizmente, ela está contaminada com resíduos múltiplos pesticidas invisíveis.

Defensivos Agrícolas

Mais de 23% destes alimentos vegetais podem conter resíduos de pesticidas múltiplos, até 8 diferente!

Há também os resíduos de pesticidas na água que você bebe algum suco de fruta e vinho. Existem ainda alguns resíduos de pesticidas em peixes (salmão, atum ..) em mariscos (mexilhões, ostras …) e, por vezes, em carne ou leite!

É bem dezenas de pesticidas diferentes que você ingere todos os dias de sua dieta e vem contaminar o seu corpo.

1. Saladas e resíduos de pesticidas

As saladas estão entre os alimentos mais contaminados com resíduos de pesticidas.

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em saladas e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Clorotalonil Possível carcinógeno
Iprodione Cancerígeno e disruptor endócrino
Procimidona Provável carcinogênico e disruptor endócrino
Vinclozolina Tóxico cancerígeno, possível disruptor endócrino e reprodutivo provável
Deltametrina Disruptor endócrino
Propizamida Provável carcinogênico e tóxico para a reprodução suspeita

2. MORANGOS e resíduos de pesticidas

Defensivos Agrícolas

As frutas são tratadas com pesticidas e morangos são muitas vezes forçadas em estufas tratadas com fungicidas muitos (para matar fungos).

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em morangos e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Ciproconazole Provável carcinogênico e tóxicas para a reprodução
Procimidona Provável carcinogênico e disruptor endócrino
Hexythiazox Possível carcinógeno
Carbendazim Mutagênico e disruptor endócrino suspeita

3. MAÇÃS e resíduos de pesticidas

Defensivos Agrícolas

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em maçãs e seus efeitos na saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Captan Provável cancerígeno
Propargite Provável cancerígeno
Fosalona Inibidor neurotóxico (acetycholinesterase)

4. LATICÍNIOS e resíduos de pesticidas

Defensivos Agrícolas

Leite às vezes é contaminado com pesticidas clorados que persistem muito tempo no ambiente (DDT, lindano ..).

Mais recentemente, em 2004, o inseticida foi encontrado no leite de vaca! Sr. Bernard Fau, o advogado da Associação de Vítimas de defensivos agrícolas, revelou a presença de vestígios de fipronil, a molécula ativa de inseticida Regent TS em uma amostra de leite de uma fazenda em Vendée (análise encomendada pelo juiz Jean investigar Guary Saint-Gaudens, e confiada à análise central do CNRS em Lyon).

Aqui estão algumas das moléculas mais frequentemente detectados no leite e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
DDT Carcinógeno provável, disruptor endócrino e é suspeita de Desenvolvimento tóxico
Fipronil Cancerígeno e disruptor endócrino
Lindano Cancerígeno possível e disruptor endócrino pode

5. PÃO e pesticidas

Defensivos Agrícolas

Trigo pode ser tratada com muita freqüência: até 9 tratamentos sobre o trigo média Picardia, em 2001 (fonte Agreste n º 137). Mais cereais são tratados com inseticidas em silos de armazenamento após a colheita, o que aumenta o desperdício.

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em trigo e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Clorpirifos-metilo Inibidor neurotóxico (acetycholinesterase)
Delthamétrine Desreguladores endócrinos
Diclorvos Cancerígeno possível e neurotoxina (acetycholinesterase inibidor)
Malathion Possível cancerígeno, neurotóxico disruptor endócrino possível
Pirimifos-metilo / Inibidor neurotóxico (acetycholinesterase)

6. VINHOS e resíduos de pesticidas

Defensivos Agrícolas

95% dos vinhos de cultura “tradicional” (isto é, a agricultura química convencional) têm resíduos de pesticidas.

Aqui estão alguns dos compostos mais tóxicos freqüentemente detectada em vinhos e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Carbaril Cancerígeno possível e disruptor endócrino
Carbendazim Mutagênico e desreguladores endócrinos suspeitos
Pyrimétanil Possível carcinógeno
Tebuconazole Cancerígeno e tóxico para a reprodução
Tiofanato-metilo Suspeito mutagênico e carcinogênico

7. ÁGUA POTÁVEL E RESÍDUOS

9,0% da população francesa em 2003 foi impulsionada por uma água de torneira, cuja qualidade tem sido, pelo menos, uma vez por vis-à-vis pesticidas ou desconformes 5,1 milhões de pessoas.

332 dos 369 pesticidas procurados foram detectados na água disponível para distribuição durante o período de 2001 a 2003.

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em distribuição de água entre 2001 e 2003 e os seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Alacloro Disruptor endócrino
Atrazina Disruptor endócrino
Diuron Possível carcinógeno (EUA) e de Desenvolvimento tóxico (EUA)
Malathion Possível cancerígeno, neurotóxico disruptor endócrino possível
Prométhrine Disruptor endócrino pode
Trifularine Cancerígeno possível e disruptor endócrino pode

8. RESÍDUOS peixes, crustáceos e pesticidas

Conseqüência da contaminação da água de superfície por cerca de 80 000 toneladas de pesticidas utilizados anualmente na França, as águas dos rios e das águas costeiras, portanto, também contaminados por agrotóxicos. Os pesticidas mais persistentes contaminar o meio ambiente global, concentram-se na cadeia alimentar e contaminar moluscos e peixes gordurosos (salmão, atum …).

Em 2004, o Comitê de Resíduos de Pesticidas (RPC – Inglaterra) realizaram análises de vários alimentos. Ele analisou 28 amostras de salmão e truta em 20 amostras das quais 11 pesticidas organoclorados foram encontrados em 47 de 48 amostras testadas!

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em mexilhões e peixes e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Alfa HCH Cancerígeno possível e disruptor endócrino pode
DDT Carcinógeno provável, disruptor endócrino e é suspeita de Desenvolvimento tóxico
Lindano Cancerígeno possível e disruptor endócrino pode

9. BATATAS e resíduos de pesticidas

Batata estão entre os vegetais mais frequentemente tratadas na cultura, eles também são tratadas com fungicidas anti-germinativas.

Aqui estão algumas das moléculas mais perigosos frequentemente detectadas em batata e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Tiabendazol Possível carcinógeno

10. ERVAS e resíduos de pesticidas

Mesmo ervas são altamente processados e contêm resíduos de pesticidas!

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em ervas e seus efeitos na saúde:

Moléculas Alimentícios Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Clorotalonil Manjericão Possível carcinógeno
Iprodione Manjericão Cancerígeno e disruptor endócrino
Carbendazim Manjericão Mutagênico e disruptor endócrino suspeita
Procimidona Salsa Provável carcinogênico e disruptor endócrino
Triadimenol Estragão Cancerígeno e disruptor hormonal
Difenoconazole Estragão Possível carcinógeno

11. TOMATES e resíduos de pesticidas

Defensivos Agrícolas

Tomates importados da Espanha, consumido e analisados na Suíça conter resíduos em 81% dos casos e 7% acima dos Limites Máximos de Resíduos (LMR)!

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectadas em tomate e seus efeitos nocivos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Carbendazim Mutagênico e disruptor endócrino suspeita
Clorotalonil Cancerígeno
Iprodione Cancerígeno e disruptor endócrino
Procimidona Provável carcinogênico e disruptor endócrino
Pirimetanil Possível carcinógeno

12. PIMENTÃO e resíduos de pesticidas

Defensivos Agrícolas

Deve notar-se que, de acordo com um estudo DG SANCO 2001, endosulfan foi encontrado em 31,7% das pimentas testados! methamidofos

E em 20,7% dos casos, nos limites máximos de resíduos (LMR) são excedidos em 18,7% das amostras …!

Aqui estão alguns dos compostos mais frequentemente detectados em pimentões e seus efeitos sobre a saúde:

Moléculas Os efeitos na saúde (fonte dos EUA EPA, IARC e UE)
Clorotalonil Possível carcinógeno
Clorpirifós Inibidor neurotóxico (acetycholinesterase)
Cipermetrina Possível carcinógeno
Deltametrina Disruptor endócrino
Endosulfan Disruptor endócrino pode
Iprodione Disruptor endócrino e cancerígeno pode
Methamidofos Inibidor neurotóxico (acetycholinesterase)
Procimidona Disruptor endócrino e provável carcinogênico

Fonte: www.bbc.co.uk/www.pulverizador.com.br/www.cchst.ca

Veja também

Algas Dinophytas

Algas Dinophytas

PUBLICIDADE O que são algas dinophytas? As algas dinófitas, pertencem ao Filo Dinophyta e a …

Endoderma

PUBLICIDADE Definição de endoderma Endoderma ou Endoderme é a mais interna das três camadas germinativas, …

Alelos Múltiplos

PUBLICIDADE O que são alelos múltiplos? Os alelos múltiplos ou polialelia são casos em que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.