Breaking News
Home / Biologia / Cruzamento Cromossômico

Cruzamento Cromossômico

PUBLICIDADE

O que é cruzamento cromossômico?

Você já ouviu falar em cruzamento cromossômico ou crossing-over? Trata-se da troca de material genético existente nos cromossomos homólogos, ou seja, aqueles cromossomos que estão lado a lado, pareados entre si, semelhantes e que, juntos, formam um par.

Vale lembrar que, nas células, existem mecanismos que permitem que as sequências de DNA se mantenham as mesmas, caso contrário ocorreriam erros genéticos. Essas características são transmitidas hereditariamente, ou seja, de pais para filhos. Porém, muitas vezes, em determinadas situações, ocorre o cruzamento cromossômico.

Esse cruzamento ocorre na prófase I da meiose, que é o processo de divisão celular no qual uma célula tem o seu número de cromossomos reduzido pela metade, originando os gametas masculinos ou femininos.

Esse mecanismo é fundamental para a reprodução sexuada, pois durante a meiose, ocorre a troca de porções de informações genética entre os cromossomos homólogos, tanto os de origem materna, quanto paterna. Assim, são criadas novas combinações sequenciais de DNA nos cromossomos. Essas alterações, desta forma, são transmitidas à progênie.

Cruzamento Cromossômico

É importante ressaltar que o processo de crossing-over, no qual as cromátides não irmãs de cromossomos homólogos se sobrecruzam. Essa ligação entre os dois cromossomos recebe o nome de quiasmas, que podem ser consideradas como o ponto de encontro das cromátides homólogas. Vale ressaltar, ainda, que cada par de cromossomos homólogos tem capacidade de fazer várias trocas destes pedaços durante o processo de meiose.

O que isso tudo favorece? O crossing-over ou o cruzamento cromossômico faz com que surjam “cromossomos híbridos”, os quais trazem informações genéticas, tanto do pai, quanto da mãe. Assim, os gametas (tanto o espermatozoide, quanto os ovócitos) têm cromossomos que vem do pai e da mãe, porém há aqueles cromossomos que possuem pedaços maternos e paternos.

Isso favorece a variabilidade genética, ou seja, oferece diferentes alelos de um mesmo gene que variam entre si e, desta forma, auxiliam nos mecanismos evolutivos.

Juliano Schiavo
Escritor, jornalista, biólogo e mestre em Agricultura e Ambiente

Referências Bibliográficas

ALBERTS, Bruce et al. Biologia molecular da célula. Artmed Editora, 2010.

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Estrogênio

PUBLICIDADE Estrogênio – Definição O estrogênio é um dos dois principais hormônios sexuais das mulheres. O outro …

Axônio

PUBLICIDADE Definição de Axônio Um axônio é uma fibra longa de uma célula nervosa (um neurônio) que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.