Breaking News
Home / Biologia / Alelos

Alelos

Alelos – Definição

Os alelos é qualquer uma das várias formas de um gene, geralmente decorrentes de mutação, que são responsáveis pela variação hereditária.

Alelo é uma de duas ou mais sequências de DNA que ocorrem em um locus de gene específico. Normalmente, um alelo (sequência “normal” de DNA) é comum e outros alelos (mutações) são raros

Alelos – O que são

Os alelos são pares correspondentes de genes localizados em posições específicas nos cromossomos. Juntos, eles determinam o genótipo de seu organismo hospedeiro.

Por exemplo, os alelos para a cor dos olhos são encontrados nos cromossomos 15 e 19 e, dependendo de quais alguém tem, ele ou ela pode ter olhos azuis, castanhos, verdes, cinza ou avelã e, às vezes, uma mistura dessas características está presente.

Alelos que determinam algum aspecto do fenótipo, a aparência física de um organismo, são chamados de “alelos codificadores”, enquanto “alelos não codificantes” ou “DNA lixo” são aqueles que não parecem ter um impacto no fenótipo.

Existem inúmeras combinações de alelos, desde pares simples até relacionamentos complexos entre vários alelos que determinam a aparência de alguém. Quando ambos os alelos em um par são iguais, eles são chamados de “homozigotos”, enquanto se forem diferentes, a situação é descrita como “heterozigótica”. No caso de alelos homozigotos, a expressão do fenótipo é geralmente muito direta.

Em casos heterozigotos, no entanto, o fenótipo do organismo é determinado por qual deles é dominante, o que significa que um substitui o outro.

Os alelos são pares correspondentes de genes localizados nos cromossomos

No caso da cor dos olhos, se alguém herda um alelo azul e um marrom, seus olhos serão castanhos, pois o marrom é um traço genético dominante, exigindo apenas um alelo para expressão. No entanto, se essa pessoa tivesse um filho com alguém que também carregava um alelo azul e ambos os pais transmitissem a característica azul, a criança teria olhos azuis.

Isso explica por que crianças de olhos azuis às vezes surgem aleatoriamente em uma família de olhos castanhos: porque alguém na história genética da família tinha olhos azuis.

Os pesquisadores estão constantemente identificando novos alelos e desenvolvendo testes específicos para procurar alguns, especialmente aqueles ligados a condições genéticas ou predisposições genéticas a doenças.

Em testes genéticos para doenças como a doença de Huntington, um laboratório médico pode pesquisar o local específico no cromossomo quatro onde reside o alelo de Huntington. Infelizmente, a doença de Huntington é uma característica dominante, portanto, é necessário apenas um alelo para desenvolver a doença.

DNA

Os alelos também são usados em testes de DNA usados para estabelecer uma conexão entre uma amostra de DNA conhecida e uma amostra desconhecida. Os laboratórios criminais, por exemplo, testam evidências de DNA de cenas de crime contra bancos de dados de DNA conhecidos e suspeitos em potencial, e testes de DNA também são usados para testar a paternidade das crianças.

Esses testes costumam ser extremamente precisos, desde que as amostras sejam manuseadas de maneira adequada e sejam de boa qualidade.

Alelos – Genes

Os alelos são as diferenças, formas alternativas entre os genes, ou seja, os alelos são as diversas formas de um determinado gene, ocupando um loco, que é a posição do gene no cromossomo.

Um gene é um pedaço do DNA, que é capaz de gerar uma característica, devido ao processo de transcrição e tradução.Um gene é formado por várias partes e os alelos são tais partes.

Os genes são encontrados nos cromossomos, estes formados por uma cadeia longa de DNA. Em organismos diploides, como os humanos, os cromossomos provêm do pai e da mãe.

A maioria dos seres humanos apresenta 46 cromossomos.Cada cromossomo possui vários genes responsáveis por alguma característica no organismo.Para cada gene existem dois alelos, um herdado do pai e outro da mãe.Na espécie humana existem 23 pares de cromossomos, sendo 22 pares de cromossomos não sexuais (autossomos) e um par de cromossomos sexuais (XY em homens e XX mulheres).

Por exemplo, o gene A que determina a presença de chifres em determinado animal.Tal gene possui dois alelos, sendo A e a. O alelo A determina a presença de chifres e o alelo a determina a ausência de chifres.

Mesmo que no lócus exista um alelo A e outro a (Aa), o animal terá a característica que foi manifestada pelo alelo dominante.

A maioria das características observadas é controlada por vários genes e cada um com numerosos alelos.

Os alelos são sempre representados por letras, sendo representado por letra maiúscula quando é dominante e se expressa, por exemplo, AA ou Aa; ou por letra minúscula quando se expressa apenas aos pares (Ex.: aa).

Cromossomos homólogos: são cromossomos que possuem genes para a mesma característica.
Homozigoto: 
indivíduo que apresenta uma característica determinada por alelos iguais, por exemplo: AA ou aa.
Heterozigoto: 
indivíduo que possui uma determinada característica determinada por dois alelos diferentes, por exemplo, Aa.

PUBLICIDADE

Alelos

Um alelo é uma de duas ou mais versões de um gene. Um indivíduo herda dois alelos para cada gene, um de cada pai. Se os dois alelos forem iguais, o indivíduo é homozigoto para aquele gene.

Se os alelos forem diferentes, o indivíduo é heterozigoto. Embora o termo alelo tenha sido originalmente usado para descrever a variação entre os genes, agora também se refere à variação entre as sequências de DNA não codificantes.

Alelo” é a palavra que usamos para descrever a forma ou versões alternativas de um gene. As pessoas herdam um alelo para cada gene autossômico de cada pai, e tendemos a agrupar os alelos em categorias.

Normalmente, nós os chamamos de alelos normais ou de tipo selvagem, ou alelos anormais ou mutantes.

Os alelos podem ocorrer em pares ou pode haver vários alelos afetando a expressão (fenótipo) de uma característica específica. A combinação de alelos que um organismo carrega constitui seu genótipo.

Alelos – Genoma

Alelos

Um alelo é uma variação específica de um gene. As bactérias, por possuírem um único anel de DNA, possuem um alelo por gene por organismo. Em organismos que se reproduzem sexualmente, cada pai fornece um alelo para cada gene, dando à prole dois alelos por gene.

Como os alelos são apenas variantes de genes específicos, diferentes alelos são encontrados nos mesmos locais nos cromossomos de diferentes indivíduos. Isso é importante porque permite que os organismos sejam incrivelmente variados nas funções de seus vários alelos e, ao mesmo tempo, sejam capazes de se reproduzir.

Isso criar variedade causada por mutações em genes específicos dá origem a um grande número de alelos para qualquer característica em uma determinada população.

Algumas áreas do genoma são mais protegidas contra mutação do que outras áreas. Por exemplo, as extremidades dos cromossomos são frequentemente quebradas e alteradas quimicamente por causa das interações com o citosol circundante e as membranas com as quais ele pode entrar em contato.

Essa quebra ou dano exige reparo do DNA. Embora as enzimas que reparam o DNA sejam extremamente eficientes, às vezes cometem erros.

O reparo das moléculas de DNA é realizado por uma variedade de enzimas, uma das mais importantes é a DNA polimerase. A DNA polimerase usa bases de ácido nucléico flutuantes para “reconstruir” o DNA, um ácido nucléico de cada vez. Depois que o DNA é desenrolado por outra enzima, a helicase, a DNA polimerase passa a atuar em cada fita da molécula de DNA de duas fitas. Ao “ler” uma fita e adicionar bases de ácido nucléico, cria uma fita totalmente nova que pode se acoplar à primeira. As bases do DNA têm contrapartes que sempre andam juntas. Guanina (G) é o par de bases da citosina (C). Timina (T) é sempre o par de bases da adenina (A).

Como os genes e alelos são herdados?

Quando os humanos procriam, a criança recebe 23 cromossomos (longas fitas de DNA) de cada pai. Cada par de cromossomos correspondentes contém o mesmo conjunto de genes, com genes exclusivos localizados em certos pontos conhecidos como locus gênico.

Essa herança significa que os indivíduos têm duas cópias de genes para uma determinada característica, uma herdada de sua mãe e a outra de seu pai. Eles são conhecidos como alelos maternos e alelos paternos.

É como esses alelos interagem que são responsáveis por características únicas.

O que é um gene dominante e o que é um gene recessivo?

A totalidade dos genes codificados nos 46 cromossomos de um ser humano é conhecida como seu genótipo. Mas nem todas as variações genéticas serão expressas. Por exemplo, você pode ter um alelo para olhos castanhos e outro para olhos azuis, mas não terá, portanto, um olho azul e outro castanho.

Os indivíduos não apresentam as características codificadas em cada par de genes correspondentes. Em vez disso, os genes que são expressos resultam no fenótipo, que é como os genes são expressos em características observáveis.

Como o corpo sabe quais alelos expressar?

Isso se resume às propriedades dos alelos que estão emparelhados.

Cada indivíduo tem duas cópias, ou alelos, ou um único gene. Quando os alelos são iguais, eles são conhecidos como homozigotos. Quando são diferentes, são chamados de heterozigotos.

Os homozigotos codificam para o mesmo traço, por exemplo, olhos azuis. Se você tiver dois alelos de olhos azuis, seus olhos serão azuis. Mas se você tiver um alelo para olhos azuis e outro para olhos castanhos, a cor dos olhos será ditada por qualquer alelo dominante.

Um alelo dominante é aquele que sempre determina o fenótipo quando presente. Por outro lado, um alelo recessivo é aquele que não se expressa quando seu alelo emparelhado é dominante.

Com a cor dos olhos, o alelo do olho castanho é dominante sobre o alelo do olho azul. Isso significa que uma criança com um alelo azul de sua mãe e um alelo marrom de seu pai terá olhos castanhos.

Mas uma criança com dois alelos azuis exibirá o fenótipo de olhos azuis.

Alelos – Resumo

Quando os genes sofrem mutação, eles podem assumir várias formas, com cada forma diferindo ligeiramente na sequência de seu DNA de base. Essas variantes do gene ainda codificam para a mesma característica (ou seja, cor do cabelo), mas diferem na forma como a característica é expressa (ou seja, cabelo castanho versus louro). Versões diferentes do mesmo gene são chamadas de alelos.

Os genes podem ter dois ou mais alelos possíveis. Os humanos individuais têm dois alelos, ou versões, de cada gene. Como os humanos têm duas variantes genéticas para cada gene, somos conhecidos como organismos diplóides.

Quanto maior o número de alelos potenciais, mais diversidade em um determinado traço hereditário. Um número incrível de genes e formas gênicas está subjacente à diversidade genética humana, e eles são a razão pela qual não há duas pessoas exatamente iguais.

Como exemplo, vejamos a cor dos olhos. Em um modelo simplificado, assumiremos que existe apenas um gene que codifica para a cor dos olhos (embora haja vários genes envolvidos na maioria das características físicas). Olhos azuis, verdes, marrons e castanhos são codificados por alelos exclusivos do referido gene.

O par de alelos presentes nos cromossomos de um indivíduo determina a cor dos olhos que será expressa.

Fonte: Camila Correia/www.genome.gov/biologydictionary.net/www.wisegeek.org/www.technologynetworks.com/c8.alamy.com/www.scienceabc.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.