Breaking News
Home / Biologia / Ciclos da Natureza

Ciclos da Natureza

PUBLICIDADE

Ciclos da natureza têm a ver com a forma como a terra se renova. As coisas vivas dentro de um ecossistema interagem uns com os outros e também com o seu ambiente não vivo, para formar uma unidade ecológica, que é em grande parte auto-suficiente. Às vezes, esse processo de renovação é gradual e suave. Às vezes é violento e destrutivo. No entanto, os ecossistemas contêm dentro de si os recursos para regenerar-se.

A vida na Terra se desenvolve através de uma reciclagem constante. Os elementos são continuamente recriados a partir dos átomos que circulam em cadeias biogeoquímicas. Morte, destruição e decomposição são partes de um ciclo que possibilita novas estruturações.

Entre os mais importantes ciclos da natureza estão: o da Água, do Carbono e do Nitrogênio, sendo que a Cadeia Alimentar pode ser entendida como um Ciclo de Energia.

Ciclos químicos

O equilíbrio é essencial para a terra. Ciclos químicos mantem a quantidade de elementos na Terra em um equilíbrio perfeito.

Ciclo de oxigênio

A quantidade de oxigênio dentro e ao redor da Terra é fixo. Mas esse oxigênio é alimentado uma e outra vez, através de sistemas de vida do mundo em um círculo interminável chamado de ciclo de oxigênio. Nossas necessidades são apenas parte deste ciclo. O ciclo inclui uma bolsa contínua de gases entre o ar e de animais e plantas. Em um processo chamado de respiração, os animais e as plantas absorvem oxigénio do ar e devolver o dióxido de carbono. Em um processo chamado fotossíntese, as plantas absorvem o dióxido de carbono do ar e da água e devolver oxigênio. Respiração e fotossíntese são processos efetivamente opostas. A respiração é uma reacção de oxidação, o que leva o oxigénio do ar ou da água. A fotossíntese é uma reacção de redução. Acrescenta gás oxigénio para o ar. Enormes quantidades de oxigénio são retirados pelas plantas e os animais diariamente, e grandes quantidades de oxigénio são devolvidos ao ar pelas plantas. Estes quantidade exatamente equilibrar de modo que em geral a quantidade de oxigênio no ar permanece o mesmo.

Ciclo do Carbono

O carbono é essencial para os processos químicos que suportam a vida. Ela desempenha um papel tão importante na vida que às vezes dizemos que a vida é “baseada em carbono”. Mas há apenas uma quantidade limitada de carbono na terra. Assim, o carbono é sempre de bicicleta ao redor da terra, transformando-se em um monte de diferentes formas e lugares. As reações que se movem em torno de carbono formam uma teia gigante chamado ciclo do carbono.

Plantas obter carbono, tendo o dióxido de carbono do ar. Eles utilizam o dióxido de carbono e a energia da luz solar para fazer o alimento. Animais obter seu carbono por comer essas plantas ou comer animais que comeram as plantas. Quando os organismos respirar, eles levam o oxigênio do ar. Durante a respiração, o oxigénio reage com os alimentos para fornecer energia. Respiração produz dióxido de carbono que é liberado para a atmosfera.

As erupções vulcânicas são uma fonte de carbono. Quando um vulcão entra em erupção, ele libera enormes quantidades de dióxido de carbono.

Mas lembre-se – a Terra precisa dele elementos para ficar em equilíbrio. Assim, o efeito dos vulcões é em relação ao intemperismo, que é uma reação química entre a água da chuva e as rochas que absorve dióxido de carbono do ar para criar rochas minerais de carbonato. Deixados a si mesmos, esses processos naturais estão em perfeito equilíbrio. Mas as atividades humanas podem perturbar o ciclo e aumentar a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera. Isso pode causar problemas no futuro, porque o dióxido de carbono é vital para controlar o clima do mundo.

Ciclo do Nitrogênio

Os átomos de azoto estão constantemente em movimento em círculo gigante do ar, através do solo, no interior dos corpos das plantas e dos animais e, eventualmente, voltar para o ar. Todo este processo é chamado o ciclo de azoto. Todos os seres vivos precisam de nitrogênio para se desenvolver e crescer.

Mesmo que a atmosfera da Terra é composta por 78% de nitrogênio, as plantas e os animais não pode usá-lo desta forma porque os átomos de nitrogênio são muito firmemente unidos em moléculas. Assim, as plantas devem chamar a sua nitrogênio a partir de compostos de nitrogênio dissolvidos no solo, animais e obter o seu nitrogênio pela ingestão de plantas ou comendo outros animais que comem plantas.

O nitrogênio entra no solo em um par de maneiras diferentes. Uma pequena quantidade de azoto encontrados no solo por meio de um raio. Relâmpago muda o nitrogênio atmosférico em dióxido de nitrogênio, que é solúvel em água. Os óxidos de azoto dissolvem na água da chuva para formar o ácido nítrico, que é absorvida pelo solo. O resto do azoto no solo vem a partir de bactérias. As bactérias são os únicos seres vivos capazes de obter nitrogênio diretamente do ar.

Isto é chamado de “fixação”. O processo é iniciado por certos tipos de bactérias do solo, que pode extrair o azoto do ar. Em seguida, outras bactérias converter o azoto em compostos de azoto chamados nitratos, Este processo é denominado nitrificação. As plantas absorvem os nitratos e os transformam em compostos nitrogenados mais complexos. As bactérias também ajudar a devolver o azoto ao ar. Bactérias no solo decompõem resíduos animais e restos de animais mortos e plantas e produzir amônia. Bactérias nitrificantes transformar a amônia em nitratos. Outras bactérias, chamadas de bactérias desnitrificantes, converter alguns dos nitratos de volta em gás nitrogênio, que é liberado no ar. Todos estes passos diferentes formam um ciclo maciça. O efeito é que, ao longo do tempo, as bactérias no solo regressar quase a mesma quantidade de azoto para o ar como outras bactérias tomar a partir do ar. Isso mantém o teor de nitrogênio da terra e sua atmosfera em um equilíbrio perfeito.

Infelizmente, os seres humanos estão interferindo com o equilíbrio natural quando uso excessivo produzido artificialmente nitratos como fertilizantes agrícolas.

Antes destes nitratos podem ser convertidos em azoto atmosférico, são frequentemente realizadas fora do solo pela chuva ou irrigação. Esses nitratos dissolvidos são levados para córregos e rios e até mesmo infiltrar-se às águas subterrâneas. Em algumas partes do mundo, a água para os seres humanos e animais tais contém altas concentrações de nitratos que não é seguro para consumo. Estes quantidade excessiva de nitratos, quando atingem rios e lagos, causar muita algas a crescer. Este excesso de abundância de algas consome muito do oxigênio na água. Quando os níveis de oxigênio caem, outras formas de vida na água morrem.

Fonte: www.uen.org

Ciclos da Natureza

A vida na Terra se desenvolve através de uma reciclagem constante. Os elementos são continuamente recriados a partir dos átomos que circulam em cadeias biogeoquímicas. Morte, destruição e decomposição são partes de um ciclo que possibilita novas estruturações.

Entre os mais importantes ciclos da natureza estão o da Água, doCarbono e do Nitrogênio, sendo que a Cadeia Alimentar pode ser entendida como um Ciclo de Energia.

Cadeia Alimentar    

Relações: Produtor Ciclos da Natureza Consumidor Ciclos da Natureza Decompositor

Os diferentes elementos que compõem um ecossistema cumprem papéis específicos quantoa transferência de matéria e energia, em um processo nutritivo que chamamos de Cadeia Alimentar.

Classificamos os organismos responsáveis por este processo da seguinte forma:

Produtores (P) – São as plantas verdes que, acionadas pela luz do Sol, absorvem os compostos inorgânicos presentes na atmosfera e no solo e os transformam em compostos orgânicos, processo conhecido por fotossíntese.

Consumidores – São os animais herbívoros (C1) que se alimentam das plantas (os produtores) e que, por sua vez, servem de alimento para os animais carnívoros (C2, C3), ou predadores.

Decompositores (D) – Completam o ciclo vital: decompõem a matéria orgânica presente nos dejetos animais e plantas mortas, transformando-os nos compostos inorgânicos que alimentam as plantas.

O equilíbrio do ecossistema depende da realização de cada um desses organismos da cadeia alimentar. A drástica redução dos animais predadores, por exemplo, pode resultar na proliferação dos animais herbívoros e, com isso, na escassez ou extinção de algumas espécies vegetais.

Cadeia Alimentar
Cadeia Alimentar

Ciclo da Água

O Ciclo da Água pode ser dividido em dois, um curto ou pequeno e outro mais longo ou grande.

No pequeno ciclo estão contidas as águas dos mares, rios, lagos e as que estão misturadas ao solo que evaporam pelo calor do ambiente, se condensando em nuvens que trazem a água de volta em forma de chuva.

No grande ciclo estão envolvidos também os seres vivos: as plantas absorvem a água do solo, se utilizando dela para a fotossíntese, liberando-a pela transpiração e respiração; Os animais consomem água na alimentação e a liberam pela transpiração, respiração e excreção. Parte da água fica retida na biomassa que só depois da morte volta para a terra.

Ciclo da Água
Ciclo da Água

Ciclo do Carbono

No Ciclo do Carbono as plantas e algas retiram da atmosfera o carbono realizando a fotossíntese.

Os átomos do carbono ficam nas moléculas destes produtores que serão ingeridos por herbívoros, e posteriormente por carnívoros, indo para a terra, através de excrementos e cadáveres, onde serão decompostos em combustíveis que retornarão ao ar pela combustão.

Os seres vivos também devolvem para a atmosfera o carbono pela respiração.

Ciclo do Carbono
Ciclo do Carbono

Ciclo do Nitrogênio

No Ciclo do Nitrogênio, ao contrario do carbono, que pode se fixar na terra durante anos antes de voltar para a atmosfera por combustão, o nitrogênio realiza trocas rápidas entre o ar, o solo e os seres vivos. Certas bactérias ou as algas azuis microscópicas o retêm em sua biomassa, enriquecendo o solo quando morrem. O nitrogênio pode se alojar em raízes de plantas por meio de bactérias nitrificantes que o fixam transformando-o em nitratos. Estes elementos passam a fazer parte da molécula dos vegetais, que servem de alimento para os herbívoros e depois aos carnívoros. Que o devolvem a terra por excreção de resíduos nitrogenados, amônia, e transformados em nitritos. Através da ação de bactérias denitrifiantes podem voltar a atmosfera em forma de gás nitrogênio.

Ciclo do Nitrogênio
Ciclo do Nitrogênio

Fonte: www.profotos.com.br

Ciclos da Natureza

Ciclos da natureza: os dias e as noites

Dia e noite, estações do ano, perídos de chuvas e seca, ventos, correntes marítimas e marés são alguns dos fenômenos cíclicos da natureza que marcam e muitas vezes determinam a rotina de vida os seres vivos.A maioria das nossas atividades diárias, como ir a escola, trabalhae e brincar, é de alguma maneira influenciada por esses fenômenos.

Antigamente havia-se uma influência maior desses fenômenos, principalmente no que se referia ao dia e a noite. A descoberta da eletricidade e a distribuição de energia elétrica possibilitou a alteração de algumas rotinas que eram apenas diúrnas. Como por exemplo estudar, sair, etc.

Ainda hoje alguns animais apresentam seus hábitos relacionados com o dia e a noite. Alguns possuem o hábito diúrno, ou seja, de noite dormem e de dia procuram os seus alimentos, como o caso da galinha, do Teiú, entre outros. Outors por sua vez, possuem o hábito noturno, ou seja, durante o dia dormem e a noite saem a procura de seus alimentos, como o caso do morcego, da onça, do tigre,do Urutau.

1. O Sol nasce e se põe – nascente e poente:

Ao longo do dia podemos perceber que o céu passa por constantes alterações. Durante o dia podemos ver as núvens, os pássaros, insetos, aviõe e o Sol. Ao anoitecer, o céu fica escuro e podemos observar as estrelas e a Lua, quando o céu está limpo. Essas diferenças são determinadas pela presença ou não da luz solar. Chamamos de nascente e poente, respectivamente, o local onde o sol aparece pela manhã e se põe ao fim da tarde.

2. Orientando-se com a ajuda do céu:

A. Orientando-se durante o dia:

A posição do Sol no céu durante o dia não é sempre a mesma, isso é resultando do movimento aparente do Sol. Costuma-se dizer que o Sol nasce sempre a Leste e se põe sempre a Oeste, mas na verade não é bem assim que acontece.

O Sol nasce exatamente a Leste e se põe exatamente a Oeste em apenas 2 dias do ano: dia 21 de março (equinócio de outono) e 23 de setembro(equinócio de primavera), aqui no Brasil. Salineto que Equinócio é o período do ano em que o número de horas de claridade e de escuridão são IGUAIS

B. Orientando-se durante a noite:

No céu noturno usamos as constelações para nos orientarmos. É sabido que as constelações observadas no hemisfério sul não são as mesmas observadas no hemisfério norte. No hemisfério sul é comum usarmos como ponto de referência a constelação do Cruzeiro do Sul, e no hemisfério Norte a estrela polar.

3. Marcando o Tempo:

Nosso dia está dividido em horas, minutos e segundos. Cada hora tem 60 minutos e cada minuto tem 60 segundos. Um dia inteiro tem, por convenção 24 horas.

Essa divisão teve início com os sumérios e foi aperfeiçoada a partir da Idade Média.

O desenvolvimento da agricultura e as constantes necessidades dessa prática implusionou a criação de equipamentos mais precisos para a marcação do tempo.

Fazia-se necessário saber o período mais adequado para o plantio e a colheita e os prováveis períodos de seca e de chuva, uma vez que contribui para se obter melhores resultados da plantação.Assim surgiram os primeiros marcadores de tempo, como a Gnômon, a Clepsidra, o Relógio de Sol e a Ampulheta.

O Gnômon Instrumento usado em 3000aC na Mesopotâmia. A marcação das horas ao longo do dia era feita observando-se a sombra produzida pela vareta que ficava no seu centro.

A Clepsidra Era um relógio de água desenvolvido pelos chineses há mais de 4000 anos. A água caia de um recipiente em outor de forma regular.

O Relógio de Sol Aperfeiçoamento do Gnômon, os primeiros registros datam do ano 600 aC, na Babilônia.

A Ampulheta Trata-se de 2 recipientes cônicos de vidro que se comunicam através de um pequeno orifício, por onde uma fina areia escorre de um recipiente a outro.

Fonte: larissacoltri.blogspot.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Progestina

PUBLICIDADE O termo progestina geralmente se refere a uma forma sintética do hormônio feminino progesterona, …

Pleiotropia

Pleiotropia

PUBLICIDADE O que é pleiotropia? A pleiotropia ocorre quando um gene influencia duas ou mais características …

Pinheirais

Pinheirais

PUBLICIDADE O que são pinheirais? Os pinheiros (gênero Pinus) são espécies de coníferas da família …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.