Breaking News
Home / Biologia / Apoptose

Apoptose

PUBLICIDADE

Apoptose” é uma palavra engraçada derivada do latim que significa “cair”, como uma folha cai de uma árvore. E uma folha cai de uma árvore quando ela está morta.

E a apoptose se refere a um processo chamado de morte celular programada, em que a célula está, na verdade, de uma forma estranha, cometendo suicídio. E quando isso acontece, há uma coreografia inteira de caminhos e proteínas dentro de uma célula que são ativados para realmente matar a célula e sem fazer muita bagunça. E isso acontece normalmente durante o desenvolvimento, por exemplo, no desenvolvimento da mão, que normalmente para começar, a mão se parece muito com um pé de remo de pato e as teias entre os dedos. Essas células apoptose, dando a você os dedos.

Existem condições humanas em que isso cessa para onde a apoptose simplesmente não acontece e as pessoas nascem com pés em teia.

apoptose normalmente ocorre em células que estiveram no corpo por tempo suficiente para ficarem desgastadas e, portanto, precisam abrir caminho para novas células novas e agradáveis. Quando isso não acontece, é câncer. E assim a apoptose pode ser normal e, na ausência de apoptose, isso pode levar ao câncer.

O excesso de apoptose em um ser humano normal resultará em uma série das chamadas doenças neurodegenerativas, em que as células morrem quando não deveriam. E eles recebem mensagens de algum lugar, a maioria das quais nós não entendemos, para dizer a eles para morrerem, então em uma certa parte da parte inferior do cérebro, é isso que causa o mal de Parkinson.

Isso também caracteriza a doença de Huntington e a doença de Alzheimer.

O que é apoptose?

Apoptose é o termo usado para descrever a morte geralmente normal da célula em organismos vivos. Como as novas células se regeneram, a morte celular é um processo normal e constante no corpo.

Os embriões humanos, por exemplo, têm muito mais células do que os humanos adultos. À medida que o embrião se desenvolve, certas células são selecionadas para execução de modo que o desenvolvimento normal ocorra. Quando essas células não passam por apoptose, podem causar deformidade no embrião em crescimento.

A apoptose é a morte natural de células em
organismos vivos, incluindo humanos

Este termo não deve ser confundido com necrose, morte celular por doença ou infecção. A apoptose faz parte da função da célula no organismo. Quando os processos estão incompletos, isso pode levar ao desenvolvimento de tumores benignos e malignos, por exemplo.

apoptose tem vários estágios distintos.

No primeiro estágio, a célula começa a ficar redonda como resultado da proteína na célula ser ingerida por enzimas que se tornam ativas.

Em seguida, o DNA no núcleo começa a se desfazer e encolher.

A membrana que envolve o núcleo começa a se degradar e, por fim, não forma mais a camada usual.

Como o núcleo da célula não está mais protegido, o DNA da célula se quebra em fragmentos desiguais. O núcleo agora está dividido em muitos corpos com quantidades desiguais de DNA.

A própria célula passa por um processo denominado bolha, onde partes da célula começam a se quebrar. Finalmente, a célula é completamente quebrada em pedaços e consumida por pequenas células que são chamadas de fagócitos.

Há perigo se esta etapa final da digestão fagocítica na apoptose não for concluída.

Fragmentos de células não digeridas podem se acumular no corpo e foram mostrados para causar a morte em embriões de camundongos e recém-nascidos de camundongos.

apoptose pode ocorrer por causa de sinais dentro da célula (intrínsecos) ou sinais fora da célula (extrínsecos). Quando causada por sinais intrínsecos, pode ser resultado de falta de nutrição suficiente para a célula ou dano ao DNA no núcleo. A apoptose extrínseca pode ocorrer em resposta a um vírus ou em tratamentos como a quimioterapia. Às vezes, uma célula inicia o processo na tentativa de combater um vírus, como o HIV.

O estudo da apoptose tornou-se bastante importante, e a maior parte do nosso conhecimento atual sobre a morte celular é resultado de estudos realizados na década de 1990 e nos dias atuais.

Ser capaz de induzir a morte celular é desejável, por exemplo, ao tentar matar o tecido tumoral. Além disso, entender como o processo funciona favorece as pesquisas sobre o estudo das células-tronco e suas possíveis aplicações na medicina.

Apoptose – Processo

Apoptose

apoptose é o processo de morte celular programada.

Tipo de morte celular em que uma série de etapas moleculares em uma célula leva à sua morte. Este é um método que o corpo usa para se livrar de células desnecessárias ou anormais.

processo de apoptose pode ser bloqueado nas células cancerosas. Também chamada de morte celular programada.

É usado durante o desenvolvimento inicial para eliminar células indesejadas; por exemplo, aqueles entre os dedos de uma mão em desenvolvimento.

Em adultos, a apoptose é usada para livrar o corpo das células que foram danificadas e não podem ser reparadas. A apoptose também desempenha um papel na prevenção do câncer.

Se a apoptose for evitada por algum motivo, ela pode levar à divisão celular descontrolada e ao subsequente desenvolvimento de um tumor.

Apoptose – Importância

Apoptose

Os filósofos passaram muitos séculos procurando o significado da vida, mas nas últimas décadas os biólogos celulares ficaram ainda mais fascinados pelo significado da morte.

apoptose descreve o colapso orquestrado de uma célula caracterizada por bolhas na membrana, encolhimento celular, condensação da cromatina e fragmentação do DNA seguido por rápido envolvimento do cadáver por células vizinhas. Distingue-se da morte por necrose pela ausência de uma resposta inflamatória associada.

Essas observações foram feitas por Kerr et al já em 1972, mas sua importância foi subestimada por muitos anos.

Hoje, no entanto, a apoptose está implicada em processos biológicos que vão da embriogênese ao envelhecimento, da homeostase do tecido normal a muitas doenças humanas, e se tornou um dos campos mais quentes da pesquisa biomédica.

Mecanismos biológicos

O termo apoptose é freqüentemente usado como sinônimo de morte celular programada.

No sentido mais estrito, a morte celular programada pode ser aplicada a outras formas de morte celular que requerem expressão gênica sem preencher alguns ou todos os critérios morfológicos da apoptose.

Qualquer que seja a definição, os estudos mostram claramente que a apoptose é regulada geneticamente.

Em seu modelo mais simples, os estágios de apoptose podem ser considerados como iniciação, regulação genética e mecanismos efetores. Os iniciadores da apoptose incluem drogas anticâncer, radiação gama e ultravioleta, privação de fatores de sobrevivência, como interleucina-1 e vários outras citocinas que ativam “receptores de morte”, como Fas e receptores de fator de necrose tumoral.

Por meio de uma variedade de vias, esses estímulos, por sua vez, geram um padrão característico de expressão gênica.

A família de genes bcl-2 é a mais bem estudada e inclui pelo menos 20 membros; alguns são pró-apoptóticos ou “genes de morte” e alguns são anti-apoptóticos ou “genes de sobrevivência”, incluindo o próprio bcl-2.

O gene supressor de tumor p53 também é um agente apoptótico bem caracterizado. Os principais efetores são uma família de proteases denominadas caspases.

Papel fisiológico

O primeiro papel da apoptose é durante o desenvolvimento intrauterino. Ajuda a esculpir a forma do órgão e a esculpir as teias interdigitais dos dedos das mãos e dos pés.

Os mecanismos apoptóticos são determinantes importantes das anomalias fetais; experimentos mostraram que embriões de camundongo p53 de tipo selvagem abortam prontamente após a teratogênese induzida por radiação, enquanto embriões nulos de p53 não. Tanto o sistema nervoso quanto o sistema imunológico surgem através da superprodução de células seguida pela morte apoptótica daqueles que não conseguem estabelecer o funcionamento conexões sinápticas ou especificidades de antígenos produtivos.

Tal massacre ou comportamento altruísta requer um sistema rigidamente regulado.

Na idade adulta, cerca de 10 bilhões de células morrem todos os dias simplesmente para manter o equilíbrio com o número de novas células que surgem das populações de células-tronco do corpo.

Essa homeostase normal não é apenas um processo passivo, mas regulado por meio da apoptose. Os mesmos mecanismos servem para “limpar” as células danificadas.

Com o envelhecimento, as respostas apoptóticas aos danos ao DNA podem ser menos rigidamente controladas e exageradas, contribuindo para doenças degenerativas. Alternativamente, as respostas apoptóticas podem mostrar sensibilidade reduzida, contribuindo para a suscetibilidade ao câncer.

Fonte: www.saudegeriatrica.com.br/www.ncbi.nlm.nih.gov/www.wisegeek.org/www.genome.gov/www.cancer.gov/www.cureffi.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.