Breaking News
Home / Biologia / Conceito de Espécie

Conceito de Espécie

PUBLICIDADE

Conceito de Espécie – O que é

conceito de espécie tem vindo a evoluir, desde o séc. XVII, na qual a espécie era considerada como sendo um conjunto de indivíduos idênticos entre si e que dão origem, através da reprodução, a novos indivíduos semelhantes a eles próprios., e no sécu XVIII, século de Lineu, para quem uma espécie se trata de um conjunto de indivíduos que possui características mofológicas idênticas.

No entanto, o conceito de Lineu apresenta várias limitações, na medida em que espécies diferentes podem apresentar-se semelhantes, e indivíduos da mesma espécies podem apresentar-se diferentes – polimorfismo.

É de salientar a importância da metamorfose, que faz com que indivíduos que possuam ceratas características morfológicas numa fase da vida não as apresentem noutra.

No século XIX, após o surgir das ideias evolucionistas, é sugerido um novo conceito de espécie por Mayr, onde já são incluídos conceitos de genética.

espécie seria então uma população ou grupo de populações naturais cujos indivíduos têm capacidade de se cruzar entre si, originando descendentes férteis e estando isolados reprodutivamente de outros grupos da Natureza. No entanto, para fazer frente a este conceito, comprovou-se que na Natureza, em certos casos, indivíduos de espécies diferentes se cruzam dando origem a descendentes estéreis. Assim, também o conceito de Mayr não estava totalmente correcto pois, além de ser inadequado para espécies extintas, ou aquelas presentes no fósseis, não pode ser aplicada a indivíduos que se reproduzam assexuadamente, nem a populações isoladas ou fora do seu ambiente natural.

Hoje em dia os conceitos de espécies já envolvem critérios bioquímicos e comportamentais.

Pode assim concluir-se que não existe um único conceito de espécie, visto ser um conceito multidimensiona, pois varia conforme os organismos considerados. No entanto, para os indivíduos que se reproduzam sexuadamente utiliza-se o conceito biológico segundo o qual espécie trata-se de um conjunto de uma ou mais populações que partilham o mesmo fundo genético e se podem cruzar em condições naturais, produzindo descendents férteis, e estando isolados reprodutivamente dos indivíduos de outras espécies.

Para que haja o aparecimento de novas espécies é necessário que haja isolamento reprodutivo entre populações.

Conceitos de espécie e a definição de “Espécies”

Conceito de Espécie

As espécies são frequentemente definidas como um grupo de indivíduos com características semelhantes, onde podem cruzar para produzir descendentes férteis.

1) conceito biológico de espécie: Espécies são grupos de efetiva ou potencialmente cruzamento populações naturais, que são reprodutivamente isolados de outros grupos (Mayr, 1940).

Conceito espécie biológica: Uma espécie é uma comunidade de reprodução de populações (reprodutivamente isolados de outros) que ocupa um nicho específico em natureza (Mayr, 1982).
Conceito biológico de espécie:
 Espécies são os membros, no total, de um grupo de populações que se reproduzem ou potencialmente cruzam uns com os outros em condições naturais (Futuyma, 1986).

2) conceito de espécie cladística: A espécie é um conjunto de organismos (uma linhagem evolutiva) entre dois pontos de ramificação ou entre um ponto de ramificação e um evento de extinção ou uma população moderna (Ridley, 1993).

3) conceito de espécie de Coesão: A espécie é o grupo mais abrangente de organismos que têm o potencial para a permutabilidade genético e/ou demográfica. (Templeton, 1989)

4) conceito de espécie Competição: Espécies são as unidades mais amplas na economia natural, que a concorrência reprodutiva ocorre entre suas partes (Ghiselin, 1974).

5) conceito de espécie Ecológica: A espécie é um conjunto de organismos explorando (ou adaptado a) um único nicho (Ridley, 1993).

Conceito espécies ecológico: Uma espécie é:

1) uma linhagem que ocupa uma zona de adaptação minimamente diferente da de qualquer outra linhagem da sua gama, e que se desenvolve a partir de todas as linhagens em separado fora do seu alcance, ou
2) um grupo estreitamente relacionado de linhagens que ocupam uma zona adaptativa minimamente diferente da de qualquer outra linhagem na sua gama e que evoluem separadamente das outras linhagens fora do seu alcance (tradução de Van Valen, 1975).

Conceito espécies ecológico: Uma espécie é uma linhagem ou um conjunto estreitamente relacionado de linhagens, o que ocupa uma zona de adaptação minimamente diferente da de qualquer outra linhagem da sua gama e que se desenvolve a partir de todas as linhagens em separado fora do seu alcance (Van Valen, 1976).

6) conceito de espécie Evolutiva: Uma espécie é uma linhagem (uma seqüência ancestral-descendente de populações) evoluindo separadamente dos outros e com os seus próprios papéis evolutivos unitários e tendências (Simpson, 1961).

Conceito de espécie Evolutiva: Uma espécie é uma linhagem única de populações ancestrais-descendentes que mantêm a sua identidade a partir de outros tais linhagens e que tem o seu próprio tendências evolutivas e destino histórico (Wiley, 1981).

Conceito de espécie Evolutiva: A espécie é uma população ou grupo de populações que partilha um destino comum evolutivo ao longo do tempo (Templeton, 1989).

7) conceito espécies Isolamento: Espécie são sistemas de populações: a troca de genes entre estes sistemas é limitado ou impedido por um mecanismo de isolamento reprodutivo ou talvez por uma combinação de vários de tais mecanismos. (Como definido por Dobzhansky 1970; no Templeton, 1989)

8) conceito espécies fenética: Uma espécie é um conjunto de organismos que se assemelham uns com os outros e distinto de outros conjuntos (Ridley, 1993).

9) conceito de espécie filogenética: A espécie é o menor agrupamento diagnosticável de organismos individuais dentro do qual existe um padrão familiar de ascendência e descendência (Cracraft 1983).

Conceito de espécie filogenética: A espécie é um (basal) conjunto irredutível de organismos, diagnosably distintas de outros tais grupos, e dentro do qual existe um padrão familiar de ascendência e descendência (Cracraft 1989).

10) conceito de espécie de Reconhecimento: A espécie é a população mais abrangente de organismos biparentais individuais que compartilham um sistema de fertilização comum. (Como definido por Paterson, 1985; no Templeton, 1989).

11) conceito de espécie Tipológico: A espécie é um grupo de organismos em conformidade com um plano morfológico comum, enfatizando as espécies como um conjunto essencialmente estática, não variável. De acordo com este conceito a diversidade observada do universo reflecte a existência de um número limitado de “universais” subjacentes ou tipos (eidos de Plato). Os indivíduos não estão em qualquer relação especial entre si, sendo meramente expressões do mesmo tipo. A variação é o resultado de manifestações imperfeitas da ideia implícita em cada uma das espécies (Mayr 1969,. Lincoln et al 1982).

Termos Adicionais Associado com “Espécies”

Agamospecies: Espécie de uniparentais (assexuadas) Organismos (Simpson, 1961).
Morfoespécies: estabelecido pela semelhança morfológica independentemente de outras considerações; ou “espécies morfológicas” (Simpson, 1961).
Paleospecies: espécies temporalmente sucessivos numa única linhagem; uma espécie que está representada em mais de um horizonte de tempo geológico; aka “cronoespécies”, “espécie de sucessão” ou “espécies alocrônico” (Simpson, 1961; Wiley, 1981).

Darwin já resumia a situação: “Eu vejo o termo espécie como arbitrariamente designado por conveniência para um conjunto de indivíduos semelhantes entre si, e ele não essencialmente difere do termo variedade que é designado para formas menos distintas e mais flutuantes.” (Darwin 1859)

Aparentemente, a única propriedade exclusiva das espécies é o binômio em latim. Assim, espécies são classes definidas por um conjunto de características e representadas por um binômio em latim, válido conforme o código de nomenclatura em vigência (Rapini 2000).

Segundo essa definição, a Categoria Espécie é uma classe de classes, enquanto as espécies seriam classes de indivíduos. Essa distinção entre categoria e táxon pode, classe de classes e classe de indivíduos, respectivamente, pode ser ampliada para toda classificação. Essa definição é monística, mas permite um conceito teórico pluralista.

O Conceito Taxonômico de Espécie não soluciona o problema da espécie como unidade biológica, mas certamente alerta para o equívoco que se comete ao tratar táxons como unidades evolutivamente significativas.

Essa propriedade das espécies é muito bem apontada na frase: “…espécies são equivalentes apenas pela designação e não em virtude da natureza ou extensão de suas diferenciações evolutivas.” (Davis & Heywood 1963).

Conceito de Espécie – Biologia

Espécie é a unidade básica da biologia.

O esperado, portanto, seria um conceito objetivo como as medidas da física ou os elementos da química.

A natureza e a definição de espécie, no entanto, continuam entre os assuntos mais discutidos e controversos da sistemática. Existem vários livros debatendo o tema e aparentemente não existe um consenso.

Existem essencialmente cinco posições sobre o Conceito de Espécie:

1)  Todos os conceitos fazem parte de um único conceito
2)
 Todos os conceitos são subsidiários ou variações de um único conceito
3) 
O conceito de espécie difere conforme o grupo em questão (pluralista)
4)
 Uma espécie deve preencher apenas alguns dos critérios de Espécie (politética)
5)
 A maioria, no entanto, acha que controvérsias teóricas não interferem na prática taxonômica.

Duas questões aparecem no âmago das discussões sobre conceito de espécie:

1) Espécies é especial? Ou seja, existe alguma diferença entre espécies e táxons caracterizados em outros níveis taxonômicos, como gênero, família, etc.?

Darwin, por exemplo, dizia que os limites eram arbitrários: Eu vejo o termo espécie como arbitrariamente designado por conveniência para um conjunto de indivíduos semelhantes entre si, e ele não essencialmente difere do termo variedade que é designado para formas menos distintas e mais flutuantes. (Darwin 1859)

Atualmente, no entanto, a maioria das pessoas acha que as espécie diferem sim dos táxons classificados nas demais categorias taxonômicas: Nós assumimos que espécies são entidades biológicas reaisâ…(Rieseberg & Broulillet 1994).

Então vem a segunda questão:

2) Espécies são entidades reais?

Inicialmente, é necessário estabelecer dois conceitos filosóficos importantes. O conceito de Classes e o de Indivíduos; não confundir Classe com o nível taxonômico Classe, nem indivíduo com organismo.

Uma Classe é um conceito atemporal; ela é composta por membros e definida pelas características compartilhadas por esses membros.

A definição de uma classe é a sua intenção e seus membros são a extensão dessa intenção. A classe é portanto abstrata. Por exemplo, masculino. Os indivíduos, por outro lado, existem no tempo e no espaço, são compostos por partes e recebem um nome por batismo. Um indivíduo é real, não pode ser definido, mas sim caracterizado. Por exemplo, a UEFS é um indivíduo, ela existe no tempo e no espaço, tem um começo e um fim; os funcionários fazem parte dela.

É preciso distinguir também espécie enquanto Categoria Taxonômica (A Espécie) e espécie enquanto Táxon (uma espécie).

Categoria Taxonômica é um dos níveis de classificação lineana no qual reconhecemos os táxons. Drosophila melanogaster, por exemplo, é uma espécie, táxon tratado no nível de Espécie.

Ninguém discorda que a Espécie (Categoria Taxonômica) é uma classe. As controvérsias se referem às espécies.

Seriam esses táxons distintos dos demais? Seriam eles realidades ou abstrações?

A definição da categoria taxonômica Espécie deve apresentar as propriedades comuns e exclusivas a todos os seus membros, ou seja, à todas as espécies.

Voltamos então ao ponto nevrálgico porque aparentemente, não existe uma propriedade comum a todas e quaisquer espécies. Esse impasse me surgiu alguns anos atrás, quando eu conclui que espécies não existiam, pelo menos não da maneira que geralmente nos fazem acreditar. Foi então que eu procurei explorar o tema.

Atualmente eu defendo o Conceito Taxonômico de Espécie, também conhecido como Conceito Nominalista de Espécie.

Esse conceito é freqüentemente confundido, o que me levou a propor uma definição mais explícita: espécies são classes definidas por um conjunto de características e representadas por um binômio em latim válido conforme o código de nomenclatura. Segundo essa definição, portanto, as espécies são classes de indivíduos e a Espécie é uma classe de classes cuja única propriedade comum reside no nome.

Fica mais claro entender então a celebre frase de Davis & Heywood (1963): … ¦espécies são equivalentes apenas pela designação e não em virtude da natureza ou extensão de suas diferenciações evolutivas.

Essa conclusão pode ser expandida para as demais categorias taxonômicas: táxons, independentes do nível de inclusão, são classes estabelecidas por convenção.

Portanto, táxons são unidades não comparáveis biologicamente. A definiçaõ do Conceito Taxonômico de Espécie expõe esse fato claramente, amenizando um problema ainda maior que a arbitrariedade biológica dos táxons, que é ignorar essa arbitrariedade.

Fonte: science.kennesaw.edu/www.geocities.com/www.uefs.br/academic.oup.com/www.uefs.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.