Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Classe Mammalia  Voltar

Classe Mammalia

 

Classe Mammalia

Classe Mammalia consiste de todos os mamíferos, um grupo extremamente diversificado e muito avançado no reino animal com certas características distintivas.

Os mamíferos são endotérmicos e com uma alta taxa de metabolismo, assim como classe Aves.

Mamíferos (Mammalia) são um grupo de tetrápodes que têm cabelo, um coração de quatro câmaras, um diafragma, e glândulas mamárias.

Mamíferos apareceram pela primeira vez cerca de 200 milhões de anos atrás, durante o período jurássico.

Os Mamíferos são vertebrados de sangue quente, cujos glóbulos sangüíneos não tem núcleo; o corpo é coberto de pêlos; após a fase embrional segue-se a da lactação.

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Homeotérmicos temperatura do corpo constante. São independentes do clima em que vivem.

Tegumento

A pele além dos pêlos, apresenta glândulas mamárias, sebáceas sudoríparas e odoríferas.

Língua móvel

Aparelho digestivo completo: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, reto e orifício retal.
Anexos do aparelho digestivo:
Fígado, Pâncreas e Glândulas Salivares.

Quatro membros

Cada um com 5 dedos. Nas baleias e peixe-boi, os membros são rudimentares.
Coração dividido em 4 câmaras ( 2 aurículas e 2 ventrículos ) , aorta para a esquerda, glóbulos vermelhos anucleados, circulação fechada, dupla e completa.

Presença de bexiga urinária

Os excretas nitrogenados ( uréia ) são eliminados dissolvidos em água.

Respiração pulmonar

Laringe com cordas vocais, músculo diafragma separando a cavidade torácida da abdominal.

Esqueleto

Ósseo e cartilaginoso.

Aparelho auditivo

Consistindo de ouvido interno, médio e esterno, presença de 3 ossículos no ouvido médio. Fecundação interna - vivíparos, com falo nos machos, ovos pequenos e sem casca, com córion, alantóide, amnion e plascenta. Esta última fixa o embrião ao útero para a respiração e nutrição.

Olhos e olfato

Bem desenvolvidos.

Podem ser: Carnívoros, Frutívoros, Insetívoros, Herbívoros, Onívoros.

A classe mammalia

A classe mammalia reúne os animais mais evoluídos do Filo Chordata, os mamíferos, com ampla diversidade de espécies, formas, tamanhos e hábitos, ocupando os mais variados ambientes (terrestre, aéreo e aquático).

Entre as características que mais se destacam nessa classe de organismos estão:

A fundamental presença de duas glândulas mamárias nos machos e nas fêmeas
Arcada dentária heterodontes (com dentes diferenciados – incisivos, caninos, pré-molares e molares)
Pêlos recobrindo parcialmente ou totalmente o corpo, cuja função está relacionada com a proteção e controle térmico. Este anexo derivou de escamas epidermáticas de répteis
E a presença de uma membrana muscular, o diafragma, separando a cavidade torácica da abdominal, auxiliando o sistema respiratório e circulatório.

Os mamíferos surgiram já na era mesozóica, há cerca de 200 milhões de anos, correspondendo aproximadamente ao mesmo período que também apareceram os grandes répteis, os dinossauros. Durante o domínio dos dinossauros, os mamíferos constituíam um restrito grupo de animais.

Esse grupo evolutivamente se diversificou, e atualmente é classificado em três ordens: prototérios (aplacentários), metatérios (placenta rudimentar) e os eutérios (placentários).

Os mamíferos

Os mamíferos constituem os grupo "mais desenvolvido" do Reino Animal. Incluem as toupeiras, morcegos, roedores, gatos, macacos, baleias, cavalos, veados, o home e outras formas vivas, alem de muitas espécies e ordens extintas. Todos são mais ou menos cobertos com pelos e são de sangue quente. O termo distintivo mamífero refere-se às glândulas mamarias das fêmeas, que fornecem leite para amamentar os filhotes.

O cuidado à prole é mais desenvolvido nesta classe e alcança seu clímax na espécie humana. Vários mamíferos vivem em todas as espécies de habitats desde as regiões polares aos trópicos e desde o mar ate as floresta mais densas e os desertos mais secos.

Muitos tem o habito de se esconder ou são noturno s e raramente vistos, mas, junto com os artrópodos, dominam os habitats terrestres do mundo atual.

Certas espécies selvagens são caçadas por esporte e outras causa de sua pele. Alguns roedores e carnívoros causam danos às colheitas e às criações do homem e algumas espécies são reservatórios de doenças. Os mamíferos domésticos fornecem alimento, vestuário e transporte ao homem.

Caracteres gerais

O revestimento isolante do corpo (pêlos e gordura subcutânea) e a separação completa do sangue venoso e arterial no coração tornam possível a temperatura regulada do corpo. Com isto o metabolismo é alto e conseqüentemente há necessidade de muito alimento. Os dentes são geralmente conspícuos e diferenciados.

Os sentidos da visão, audição e olfato são altamente desenvolvidos. Cerebelo e cérebro são responsáveis por um alto grau de coordenação em todas as atividades, aprendizagem e para memória retentiva.

Tamanho

Os menores mamíferos são musaranhos e camundongos com menos de 5 cm de comprimento e pesando apenas algumas gramas. Outros variam em tamanho até os elefantes e as grandes baleias; a baleia-azul (Balaenoptera musculus), que alcança 30 metros de comprimento e perto de 120.000 kg de peso, é o maior animal conhecido.

Classe Mammalia - Mamíferos

1. Origem

A era dos mamíferos estende-se desde os tempos da origem dos mamíferos placentários até o fim da idade do gelo, abrangendo um pouco menos de cinqüenta milhões de anos.

Durante essa idade cenozóica a paisagem do mundo apresentou uma aparência atraente – colinas onduladas, vales amplos, rios largos e grandes florestas. Por duas vezes, durante esse espaço de tempo, o istmo do Panamá subiu e desceu; por três vezes, o mesmo aconteceu à ponte de terra do estreito de Behring. As espécies animais eram não só numerosas como variadas. As árvores estavam repletas de pássaros, e todo o mundo era um paraíso animal, não obstante a luta incessante das espécies animais em evolução, pela supremacia.

Os depósitos acumulados de cinco períodos dessa era, que durou 50 milhões de anos, contêm os registros fósseis das dinastias sucessivas dos mamíferos e conduzem diretamente aos tempos do aparecimento fatual do próprio homem.

2. Subclasses e Ordens

A classe Mammalia compreende cerca de 6.000 espécies agrupadas em três subclasses: Prototheria, Metatheria e Eutheria.

As principais ordens dos mamíferos são:

Monotremados: ornitovinco e equidna.
Marsupiais
(mamiferos com uma bolsa no abdomen, na qual os filhotes completam o desenvolvimento): gambá, canguru.
Quirópteros
(mamíferos voadores): morcegos.
Primatas:
lêmure, macaco, homem.
Desdendados (mamíferos com dentes reduzidos ou ausentes):
tamanduá, preguiça, tatu.
Lagomorfos:
lebre e coelho.
Roedores:
esquilo, rato-canguru, castor, rato, camundongo, ouriço-cacheiro.
Cetáceos:
baleia, golfinho, boto.
Carnívoros:
cães, gatos, ursos, hienas, leões, focas,tigres, onças, leões-marinhos.
Proboscídeos:
elefantes.
Sirênios:
peixe-boi.
Perissodáctilos (ungulados com dedos impares protegido por casco):
zebra, anta (tapir), rinoceronte, cavalo, asno.
Artiodáctilos
(ungulados com dedos pares): porco, hipopótamo, camelo, veado, boi, girafa, cabra.

3. Caracteres Gerais

São homeotermos,mantendo constante sua temperatura corporal

Produzem leite pelas glândulas mamarias

Para que o embrião termine o seu estágio de desenvolvimento, possuem uma bolsa no abdome

Possuem pêlos que atuam como camada isolante, armazenam gordura na pele que também atuam como isolante térmico e como reserva energética que oxigenado gera calor, sistema respiratório e circulatório de alta eficiência.

O tamanho dos mamíferos é variável, pode ser alguns centímetro ou toneladas
O chifre é formado apenas por ossos recoberto por uma fina camada de pele
Todos dispõem de fígado e pâncreas, mas somente monotremados possuem cloaca
A respiração é exclusivamente pulmonar, mesmo nas espécies aquáticas
São os únicos vertebrados que apresentam o músculo diafragma, que separa a cavidade torácica e abdominal
O coração tem quatro cavidades e não há mistura de sangue venenoso com sangue arterial
As hemácias são discóides e anucleadas
Há bexiga urinaria e o produto final da excreção é a uréia
O encéfalo e o cerebelo são desenvolvidos
Muitas espécies têm visão de cores , existem ouvidos internos médios e externos, os epitélios gustativos e olfativos são bm diferenciados, onde há ainda um grande numero de estruturas sensoriais na superfície do corpo

4. Subclasses e Ordens

O termo mamífero (do latim mamma=mama; e feros=portador) refere-se às glândulas mamárias, presentes nas fêmeas, que fornecem o leite para alimentar os filhotes.

Esta é a principal característica desses animais.

Eles ainda têm outras características que nenhum outro animal possui:

Pêlos recobrindo o corpo
Desenvolvimento do filhote dentro do útero
Presença de placenta:
um órgão através do qual o filhote recebe os nutrientes da mãe
Presença de um músculo respiratório, chamado diafragma, que determina os movimentos dos pulmões durante a respiração.

5. Sistema Respiratório

Os mamíferos possuem respiração exclusivamente pulmonar. O sistema respiratório deles é formado pelos pulmões e pelas vias respiratórias (fossas nassais, faringe, laringe, traquéia e brônquios).

Os movimentos de entrada do ar (inspiração) e saída (expiração) são controlados por um músculo que separa o tórax do abdômem: o diafragma.

6. Sistema Digestório

Os mamíferos possuem hábitos alimentares, que estão relacionados com o seu modo de vida. Muitos são herbívoros, como o boi, o carneiro, o cavalo, o elefante; outros são carnívoros, como o leão, o lobo, a raposa, a onça, o cão. Existem ainda insetívoros, como os musaranhos, a toupeira; e os onívoros, que se alimentam de carne e também de plantas, como é o caso do homem.

Depois de mastigados e insalivados na boca, os alimentos são engolidos e levados até o estômago. Ao passarem por várias transformações, seguem do estômago para o intestino delgado, onde os nutrientes passam para o sangue, através das paredes deste órgão. Assim, as substâncias nutritivas podem ser distribuidas pelo corpo do animal. Os resíduos dos alimentos seguem para o intestino grosso, que absorve a água e forma as fezes, que são mandadas para fora do corpo pelo orifício retal.

7. Reprodução

Os mamíferos são classificados em três subclasses: Prototheria(monotremados), Metatheria (marsupiais) e Eutheria (placentários).

Monotremados (subclasse Prototheria) são mamíferos ovíparos. Seus representantes mais conhecidos são os ornitorrincos e as équidnas.

As fêmeas dos monotremados botam ovos, que são carregados em uma bolsa de pele ventral ou aquecidos em um ninho. Como as fêmeas não possuem mamilos, os recém-nascidos alimentam-se do leite que escorre entre os pêlos da barriga da mãe.

Os marsupiais (subclasse Metatheria) mais conhecidos são os cangurus da Austrália e os gambás da América do sul. Seu desenvolvimento embrionário inicia-se no interior do útero materno. Entretanto, depois de algumas semanas, o embrião ainda imaturo nasce, agarra-se aos pêlos maternos e desloca-se até uma bolsa de pele no ventre da mãe, o marsúpio, onde completa o desenvolvimento. Na pele sob o marsúpio localizam-se os mamilos com as glândulas mamárias, que nutrem os filhotes.

Placentários (subclasse Eutheria) são mamíferos cujo desenvolvimento embrionário ocorre totalmente no interior do útero materno. O embrião recebe alimento e gás oxigênio e elimina excreções e gás carbônico, através de um órgão especias, a placenta, ligado à parede do útero materno.

8. Particularidades

Os mamíferos têm três características próprias que os diferenciam dos outros tipos de animais, são elas:
A produção de leite através de glândulas mamárias
Pêlos formados por queratina, e especializados em funções diferentes:
proteção contra a insolação, isolamento térmico, sensoriais, camuflagem e defesa
Três ossos no ouvido médio (martelo, bigorna e estribo)

9. Importância Econômica

Muitas espécies semi-fossorias de ratazanas cavam buracos que podem servir para aerificar o solo e, ao defecarem e urinarem em suas tocas, auxiliam no retorno de nutrientes e sais minerais para o solo.

Algumas espécies que se alimentam também de frutos e sementes, como a paca, a cutia e a capivara, são ótimos dispersores de sementes. Auxiliando, também, na germinação das sementes e provável fixação de uma nova planta.

Muitas espécies são predadoras de insetos, auxiliando assim no equilíbrio populacional destes.

Algumas espécies são criadas como cobaias para a pesquisa e o experimento de novos remédios e técnicas que auxiliam na cura e no tratamento de diversas doenças prejudiciais ao homem e mesmo para outros animais, como os de estimação.

A pele de muitos animais são bastantes cobiçadas para fazer casacos, bolsas, roupas etc
A maioria tem uma grande importância na alimentação
A gordura do boto é utilizada para fazer óleo de lanternas, os olhos e a genitália para feitiço.

10. Papel do Biólogo frente ao zoológico

Biólogos podem, dependendo de sua formação, atuar nas mais diferentes áreas, sendo que são pelo menos 50 as áreas de atuação do Biólogo, ou seja, é uma profissão que existe, formalmente, há pouco tempo, e cujas funções pertenciam antes a agrônomos, médicos, farmacêuticos.

Devido à profissão ter sido regulamentada em um 3 de setembro, instituiu-se este o Dia do Biólogo. É bom lembrar que o professor de biologia, portadores de diploma universitário, também são Biólogos, desde que exerçam a profissão de educador.

O Biólogo é um profissional capacitado para, além de executar, pensar. A pesquisa básica na área das Ciências,técnicas aplicadas na medicina, no controle de pragas, e na preservação ambiental.

Mas, é na preservação ambiental que os Biólogos mais vêm se destacando atualmente, muito em função da divulgação da mídia, é verdade, que acaba mostrando este lado da profissão mais do que os outros. Essa mídia faz com que consciência nacional vem crescendo bastante, recentemente, e lá estão os Biólogos para mostrar como se deve fazer, e por que se deve fazê-lo, para preservar o ambiente.

Cor da profissão é azul e a pedra da profissão é a água marinha.

A função do Biológo é descobrir um problema para poder aplicar seu conhecimento e, consequentemente, resolvê-lo.. "O segredo está em andar observar tudo o que se tem ao redor.De fato, as ciências biológicas têm um campo de interesse praticamente infinito, estudando a origem, função e manifestação de todos os seres vivos, animais e vegetais, dos mais simples aos mais complexos.

Assim o papel do biólogo no zoológico, é de fato cuidar dos animais e de tudo o que está relacionado a eles.

Classe dos Mamíferos

São os animais mais evoluídos e também originam-se a partir dos répteis primitivos.

A característica principal desta classe é a presença de glândulas mamárias desenvolvidas, nas fêmeas, para a nutrição de seus filhotes. Pelo fato de apresentarem, em sua maioria, desenvolvimento embrionário no interior no útero da mãe, o risco de serem devorados por predadores nessa fase é o mínimo possível.

São também homeotermos e vivem em todos os tipos de habitat: regiões frias, quentes, secas, úmidas, aquáticas, etc.

Sistema Tegumentário

Os mamíferos são revestidos por uma pele que apresenta pêlos e glândulas (mam rias, seb cias e sudoríparas), além de alguns anexos como: chifres, garras, unhas, cascos, espinhos, etc.

Sistema Digestivo

O sistema digestivo é completo. Na boca, além da língua, há diferentes tipos de dentes (incisivos, caninos, pré-molares e molares).

O estômago é simples, pórem nos ruminantes possui quatro câmaras (pança, barrete, folhoso e coagulador).

Só os monotremos possuem cloaca; os demais possuem orifícios retais anexos do sistema digestivo: fígado, pâncreas e glândulas salivares.

Os ruminantes apresentam um estômago denominado polig strico, isto é, com 4 câmaras separadas. O trajeto do alimento inicia-se na boca onde é mastigado e misturado com saliva; após a deglutição, desce pelo esôfago e dirige-se à primeira câmara, o rúmem ou pança. Em seguida, vai para o retículo ou barrete, onde é transformado em bolinhas que serão regurgitadas. Após a ruminação, o alimento é novamente deglutido, dirigindo-se, agora ao omaso ou folhoso, onde ocorre a absorção de água. Em seguida, vai para o único compartilhamento semelhante ao dos outros mamíferos, o abomaso ou coagulador. Saindo do estômago, o bolo alimentar agora segue um trajeto igual ao dos demais mamíferos.

São ruminantes: boi, girafa, camelo, lhama, veado, etc.

Sistema Excretor

São urotélicos, ou seja, excretam principalmente uréia através dos rins metanefros, os ureteres desembocam na bexiga urinária, da qual sai a uretra, que conduz os produtos de excreção (principalmente a uréia) ao exterior, em geral, por uma abertura independente do aparelho digestivo.

Sistema Respiratório

Respiração pulmonar (pulmões com alvéolos); laringe com cordas vocais (exceto nas girafas); diafragma separando os pulmões e o coração da cavidade abdominal, sendo o principal músculo dos movimentos respiratórios.

Sistema Circulatório

A circulação é dupla e completa. Coração (revestido pelo pericárpio) completamente dividido em 4 câmaras (2 trios, 2 ventrículos); persiste apenas o arco esquerdo; glóbulos vermelhos anucleados, geralmente em forma de discos bicôncavos. A circulação é fechada, dupla e completa.

Sistema Esquelético

Crânio com dois côndilos occipitais, três ossículos auditivos (martelo, bigorna e estribo); boca com dentes (raramente ausentes) em alvéolos nos 2 maxilares e diferenciados em relação aos hábitos alimentares.

Coluna vertebral com cinco regiões bem diferenciadas: cervical, torácica, lombar, sacral e caudal.

Quatro membros (cetáceos e sirênios sem membros posteriores); cada pé com 5 (ou menos) artelhos e variadamente adaptados para andar, correr, trepar, cavar, nadar ou voar; artelhos com garras, unhas ou cascos córneos e frequentemente almofadas carnosas.

Plantígrados - apóiam toda a planta dos pés (homem, urso).
Digitígrafos
- apóiam apenas os dedos (gato, cão).
Ungulígrados -
apóiam o casco (são os Ungalata cavalo).

Sistema Nervoso

O SNC é constituído pelo incéfalo e pela medula espinhal. O encéfalo é bem desenvolvido e possui dois hemisférios subdividos em lobos. O sistema nervoso periférico apresenta doze pares de nervos cranianos e nervos radiquianos que saem da medula espinhal.

Possuem ouvido interno, médio e externo, este com pavilhão auditivo (orelha). Olhos, em muitas espécies, com visão de cores. Possuem o olfato e o gosto vem desenvolvidos e, ainda, a superfície do corpo com inúmeras estruturas sensoriais.

Reprodução

Os machos apresentam falo, testículos protegidos por uma bolsa escrotal para manutenção da temperatura um pouco abaixo da corpórea; fecundação interna e ovos oligolécitos, ou seja, com pouco vitelo.

Possuem, ainda, todos os anexos embrionários anteriores, mais o aparecimento de uma placenta com cordão umbilical, permitindo a ligação entre mãe e filho. Após o nascimento, o filhote é alimentado pelo leite produzido nas glândulas mamárias.

Sistemática

Na classe Mammalia, encontramos cerca de 6000 espécies, enquadradas em:

Subclasse PROTOTHERIA (ADELPHIA)

Aplacentados ovíparos (sem útero e sem genitália).

Ordem Monotremata, exemplo: ornitorrinco e équidna.

São muito primitivos e vivem na Austrália. O ornitorrinco possui um bico semelhante ao do pato, patas com membrana natatória e cloaca.

A fêmea não possui tetas: o leite sai das glândulas com o suor, empanando os pêlos do peito, que são lambidos pelos filhotes. A fêmea põe de 1 a 3 ovos com cerca de 1,3 por 2,0 cm.

A équidna possui bico alongado, cilíndrico, língua protátil, corpo coberto com pêlos grossos e espinhos, pernas curtas. Tem hábitos noturnos e alimenta-se de formigas encontradas embaixo de pedras. A fêmea põe um ovo, provavelmente carregado na bolsa (marsúpio) do abdome.

Subclasse THERIA

Infraclasse METATHERIA (DIDELPHIA).

Ordem Marsupialia

Placentados com útero e genitália duplos. (A placenta é pouco desenvolvida ou ausente).

Fêmea geralmente com bolsa ventral (marsúpio) ou dobras marsupiais circundando tetas no abdome.

Fecundação interna; começo do desenvolvimento no útero, mas, após alguns dias, os embriões "nascem" e rastejam até o marsúpio, onde se prendem, pela boca, às tetas, e aí permanecem até estarem completamente formados, exemplos: canguru, gambá, cuíca, coala.

Infraclasse EUTHERIA (MONODELPHIA)

Verdadeiros placentados, com um útero e genitália única; vivíparos; sem cloaca.

As principais ordens são:

Chiroptera (quirópteros) mamíferos voadores: morcegos.
Edentata (edentados) dentes reduzidos aos molares ou ausentes:
tamanduás, preguiças, tatus.
Lagomorpha (lagomorfos)
3 pares de dentes incisivos que crescem continuamente: lebres e coelhos.
Rodentia (roedores) 2 pares de dentes incisivos que crescem continuamente:
ratos, camundongos, esquilos, castores.
Cetacea (cetáceos) - mamíferos aquáticos:
baleias, golfinhos e botos.
Carnivora (carnívoros) - dentes caninos muito desenvolvidos:
cão,gato, leão, lobo, hiena, coiote, urso, tigre, quati, lontra, foca,jaguatirica.
Perissodactyla -
mamíferos ungulados de dedos ímpares: cavalo, rinoceronte, anta, asno, zebra.
Artiodactyla - mamíferos ungulados de dedos pares:
boi, porco, camelo, girafa, hipopótamo, búfalo, alce, cabra.
Proboscidea (proboscídeos)
- nariz e l bio superior formam uma proboscide muscular longa e flexível, a tromba: elefantes.
Sirenia (sirênios) -
corpo fusiforme, aquáticos: peixe-boi.
Primata (primatas) - cabeça formando ângulo reto com o pescoço; ossos das pernas separados; olhos dirigidos para frente; onívoros:
lêmures, macacos, homem.

Observações

Dá-se o nome de ungulados aos animais portadores de cascos. Os unguiculados são os portadores de garras (quirópteros, edentados, carnívoros, roedores e lagomorfos).

Os mamíferos - Grupo

Os mamíferos formam o grupo mais importante dos vertebrados e ocupam o lugar mais elevado da escala de evolução zoológica. A classe dos mamíferos é também a mais conhecida pois inclui o homem e possui 4600 espécies diferentes. Os mamíferos descendem dos répteis; surgiram há 195 milhões de anos de um grupo diferente daquele que originou os répteis atuais, o que explica as diferenças. Com o tempo eles passaram a apresentar a mais variada forma de adaptação ao ambiente, como pêlos que ajudam a se protegerem do frio. Suas principais adaptações estão ligadas ao modo de reprodução, ao aleitamento materno e ao cuidado com a prole. Estão distribuídos em praticamente todas as regiões da Terra, porém muitos mamíferos encontram-se ameaçados de extinção em diversas áreas florestais. Os membros se localizam quase sempre na face abdominal do corpo, o que permite ao animal andar ou correr.

Existem representantes tão pequenos quanto os musaranhos e camundongos com menos de 5 cm de comprimento e pesando apenas alguns gramas, e tão grandes quanto o elefante africano (Loxodonta aficana), que pode pesar até 7 toneladas. No mar, a baleia-azul (Balaenoptera musculus), que pode alcançar 31,5 m e 119 toneladas de peso, é o maior animal conhecido. No Brasil, o tamanho varia desde cerca de 5 cm e alguns gramas nos pequenos roedores até aproximadamente 300 kg da anta (Tapirus terrestris).

Todos os mamíferos possuem três características não encontradas em outros animais:

A produção de leite através de glândulas mamárias;
Pêlos formados por queratina, e especializados em funções diferentes:
proteção contra a insolação, isolamento térmico, sensoriais, camuflagem e defesa;
Três ossos no ouvido médio (martelo, bigorna e estribo).

Outras características secundárias encontradas na maior parte dos mamíferos são a presença de dentes diferenciados, uma mandíbula inferior formada por um único osso, a existência do diafragma (músculo que separa a cavidade abdominal da torácica), pulmões revestidos de pleura, epiglote controlando e separando a passagem de alimento e de ar, cérebro altamente desenvolvido, endotermia e homeotermia, sexos diferenciados, sexo do embrião determinado pela presença dos cromossomos X ou Y e fertilização interna.

Além das características gerais é necessário conhecer os seguintes detalhes:

1. Normalmente, os mamíferos utilizam quatro membros para se deslocarem, têm o corpo coberto de pêlos, que mudam periodicamente, uma epiderme queratinizada que protege contra o atrito, impermeabiliza e é uma barreira contra microorganismos, e a temperatura corporal é constante (homeotermos).

Os mamíferos são animais de sangue quente; isso requer, então, algum tipo de isolamento térmico que é oferecido pela pele: tecido gorduroso, uma camada de pele externa morta (epiderme) e, principalmente, pêlos. As glândulas sebáceas, embutidas no pele, revestem os pêlos com uma secreção que repele água, e cada pêlo tem um músculo especial (horripilador) que pode deixá-lo eriçado.

2. Por ser o grupo mais complexo, onde o homem está presente, a característica que marca este grupo é a presença de glândulas mamárias para a alimentação de seus filhotes, possuindo outras glândulas tais como: sebáceas (produção de gordura para lubrificar), sudoríparas (produzem suor para manter a temperatura do corpo constante), odoríferas (produzem cheiro para afugentar os inimigos).

3. Todos os mamíferos, sem exceção, possuem pêlos (as baleias, que não tem pêlos quando adultas, nascem com eles; as escamas do pangolim são pêlos modificados, etc.).

Os pêlos variam de acordo com o tipo ou animal: porco e javali possuem cerdas; o carneiro, a lã; o porco-espinho possui cerdas longas e rijas chamadas de espinhos.

4. O esqueleto se caracteriza por ter a coluna vertebral dividida em várias partes diferenciadas: região caudal, que pode terminar numa cauda, regiões lombar, dorsal e cervical. O nariz pode ser proeminente. No nariz está alojado o sentido do olfato que se encontra muito desenvolvido em algumas espécies de mamíferos. Possuem quatro extremidades, típicamente terminadas em cinco dedos providos de unhas córneas, garras ou cascos (ainda que ,em alguns casos, as extremidades podem estar mais ou menos atrofiadas como observamos em Cetáceos, baleias e golfinhos, ou em Sirenídeos). Freqüentemente o número de dedos é menor que cinco. Apresentam adaptações para andar, correr, trepar, voar, nadar ou escavar. Os membros, muito modificados nos cetáceos (os braços se tornam nadadeiras), se localizam quase sempre, nos mamíferos terrestres, na face ventral do corpo. Isto permite ao animal andar ou correr. Os membros podem ser terminados em quatro pés (quadrúpedes), dois pés e duas mãos (no homem) ou quatro mãos (nos macacos). Nos ungulados (búfalos), as unhas ficam em contato com o chão e se transformam em cascos.

Em geral podemos dizer que temos nos mamíferos terrestres três formas de extremidades para caminhar:

PLANTÍGRADOS: que utilizam toda a palma ou sola do pé para caminhar, como no urso ou no ser humano
DIGITÍGRADOS (digitos:dedo):
que caminham apoiados nos dedos, como o cão e o gato.
UNGULADOS:
são mamíferos que caminham sobre a unhas, que por este motivo transformaram-se num casco, como ocorre no cavalo e em outros herbívoros.

Seu aparelho respiratório é formado pelos seguintes órgãos: vias aéreas, as narinas, a faringe, a laringe, a traquéia, os brônquios e por último os pulmões.

Por isso apresentam respiração pulmonar.

Os pulmões apoiam-se no músculo diafragma que auxilia nos movimentos respiratórios (inspiração, que é a entrada de ar, com a cavidade toráxica ampliada, e expiração, com a contração da cavidade toráxica, que é a saída do ar rico em gás carbônico). O diafragma separa o tórax do abdome.

Respiração nos Mamíferos

Cavidade toráxica, que contém os pulmões e o coração. Cavidade abdominal, com os aparelhos digestivo, excretor e reprodutor.

No aparelho respiratório possuem laringe para poder emitir sons.

O aparelho circulatório faz o sangue circular pelo corpo com ajuda dos vasos sangüíneos e do coração.O coração é igual ao das aves e crocodilianos, formados por duas aurículas e dois ventrículos, onde do lado direito circula o sangue venenoso e do lado esquerdo o sangue arterial . Os vasos sangüíneos - como artérias e as veias - são tubos por onde o sangue circula. As veias levando o sangue para o coração e as artérias conduzindo o sangue do coração para o corpo.

O coração é composto de dois átrios ou aurículas (direito e esquerdo) e dois ventrículos (direito e esquerdo).Cada átrio comunica-se com o ventrículo do mesmo lado. Os vasos que desembocam nos átrios são chamados VEIAS, bem como os vasos que saem dos ventrículos são as ARTÉRIAS.Portanto, o que identifica um vaso como veia ou artéria não é o tipo de sangue que carrega e sim o sentido em que o sangue circula.

Para a transformação e o aproveitamento dos alimentos, os mamíferos apresentam aparelho digestivo formado por: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso e oriifício retal. Na boca têm os dentes , diferentes segundo sua utilização, apresentam dentes incisivos para cortar, caninos para desgarrar e premolares e molares para triturar. Não há cloaca , como nas aves , nos placentários .O tubo digestivo é muito variado segundo se trate de carnívoro e omnívoros que o podem apresentar mais curto e simples que o dos herbívoros .

O aparelho excretor tem por finalidade a eliminação dos resíduos líquidos do organismo. Esse aparelho é formado por dois rins (que produzem a urina), dois bacinetes, dois ureteres, uma bexiga que irá armazenar temporariamente a urina, que em seguida será eliminada pela uretra .O principal resíduo nitrogenado é a uréia . Nos Répteis, Aves e Mamíferos os rins são chamados Metanefros, que são rins com muitos glomérulos situados na parte posterior do corpo.

Os mamíferos dispõem de cinco órgãos dos sentido: tato, olfato, paladar, audição e visão. Eles são utilizados para caçar, perceber a presença do inimigo, procurar alimentos, encontrar a fêmea para o acasalamento, proteção, etc . Alguns órgãos dos sentidos são mais apurados em certos animais do que em outros.

Olfato bem desenvolvido - no cão, no leão, no elefante, etc., boa visão tem o lince, ótima audição tem o morcego, olfato o gato, tem através de suas vibrissas.

O sistema nervoso é bem desenvolvido , com cérebro e cerebelo grandes e aperfeiçoados. Eles possuem o maior cérebro entre os vertebrados, sendo particularmente bem desenvolvida a camada superficial, o córtex, responsável pela inteligência e memória. Isto dá aos mamíferos uma capacidade maior de aprendizagem que a dos outros vertebrados. Tal capacidade se reflete em variados e complexos padrões de comportamento, como a corte, a defesa de território, a vida em sociedade e a procura de alimento. Graças a eles, fica garantida a sobrevivência .Os hemisférios cerebrais, que são planos nos mamíferos inferiores, cresceram tanto nos superiores que apresentam pregas para entrar no crânio. (chamam-se circunvoluções).

O aparelho reprodutor dos mamíferos é formado das seguintes partes: o feminino é constituído por dois ovários que produzem óvulos, dois ovidutos, um útero, corpo do útero, aparelho genital e abertura urogenital com a presença do clitóris.

O reprodutor masculino é assim formado: dentro do escroto estão os testículos que produzem espermatozóides que serão armazenados nos epidídimos, duto deferente, canal inguinal, as glândulas próstata e Cowper fornecem secreção para que o espermatozóide possa nadar e sair pela uretra no meio do órgão copulador, que é o falo.

A reprodução sempre é precedida de acasalamento verdadeiro. Os mamíferos são vivíparos (os filhotes se desenvolvem dentro do organismo da mãe), exceção feita aos Monotremados. Os monotremados, como o ornitorrinco e o equidna, são ovíparos. Nos marsupiais (canguru, koala), que possuem uma placenta vestigial e o desenvolvimento embrionário subdividido, inicialmente no útero e depois no marsúpio, dobra da epiderme do abdome onde se alojam as glândulas mamárias, a fêmea dá à luz um filhote embrionário que termina seu desenvolvimento na bolsa ventral materna; nestes mamíferos com placenta rudimentar, a bolsa marsupial substitui a placenta. Nos placentários, o embrião se desenvolve inteiramente no útero materno, ao qual se liga pela placenta.

Este terá períodos variáveis de gestação; por exemplo: elefoa 20 meses, égua 12 meses, mulher 9 meses, cadela 2 meses, coelha 1 mês. Após esse período os filhotes são expulsos do corpo da mãe, sendo animais vivíparos.

Características Gerais

Os mamíferos (do latim mamma: mama; e feros: portador) são vertebrados que, assim como as aves, originaram-se dos répteis e podem ser encontrados nos mais diversos tipos de habitat, principalmente terrestres.

A Classe dos mamíferos é a mais conhecida pois inclui o homem. Os maiores animais selvagens ou domésticos, são mamíferos. Um mamífero pode ser definido como um animal cuja fêmea possui glândulas mamárias. Essas glândulas terminam em tetas (menos nos monotremos - ornitorrinco - que têm glândulas mamárias, mas sem mamilos para os filhotes sugarem), cujo número varia conforme a espécie (a cabra tem duas, por exemplo e o rato 12). Em todas as espécies o leite materno é o primeiro alimento do animal recém-nascido. No caso dos monotremos, o leite materno se espalha sobre a pele na região ventral, ficando a fêmea deitada de costas e os filhotes o lambem para se nutrir.

Além desta característica fundamental, os mamíferos têm muitas outras comuns a todos, incluindo quatro membros, pele recoberta de pelos, glândulas sebáceas e sudoríparas.

Como as aves, os mamíferos são animais de sangue quente; isso requer, então, algum tipo de isolação térmica que é oferecida pela pele: tecido gorduroso, uma camada de pele externa morta (epiderme) e, principalmente, pelos. As glândulas sebáceas, embutidas na pele, revestem os pelos com uma secreção que repele água, e cada pelo tem um músculo especial (horripilador) que pode deixá-lo eriçado.

Todos os mamíferos, sem exceção, possuem pelos. (As baleias, que não têm pelos quando adultas, nascem com eles; as escamas do pangolim são pelos modificados, etc.)

Os membros, muito modificados nos cetáceos (os braços se tornaram barbatanas), se localizam quase sempre, nos mamíferos terrestres, na face abdominal do corpo. Isso permite ao animal andar ou correr. Os membros podem ser terminados em quatro pés (quadrúpedes), dois pés e duas mãos (no homem) ou quatro mãos (nos macacos).

Nos ungulados (búfalos), as unhas ficam em contato com o chão e se transformam em cascos.

A reprodução sempre é precedida de acasalamento verdadeiro. Os mamíferos são vivíparos (os filhotes se desenvolvem dentro do organismo da mãe), menos nos monotremos. Nos marsupiais (canguru) a fêmea dá à luz um filhote embrionário que termina seu desenvolvimento na bolsa ventral materna (marsúpio). Nos placentários o embrião se desenvolve inteiramente no útero materno, ao qual se liga pela placenta, um anexo relacionado com a nutrição do embrião e que também promove trocas respiratórias, elimina excretas e produz hormônios. A viviparidade contribui para a segurança do embrião em desenvolvimento.

Os mamíferos possuem um aparelho circulatório eficiente, com um coração dividido em quatro câmaras separadas; possuem diferentes tipos de dentes que são substituídos apenas uma vez; a respiração é pulmonar, existindo um diafragma muscular que separa o tórax do abdomen; os pulmões possuem grande superfície, garantindo uma eficiente aquisição de oxigênio e contribuindo para a alta taxa metabólica desses animais.

Em geral os mamíferos são ativos. O cérebro preenche a cavidade craniana e tem córtex muito desenvolvido, o que torna possível a adaptação do animal a ambientes variáveis. O sucesso da evolução dos mamíferos deve-se também à sua inteligência, que os torna aptos a aproveitar da melhor maneira as condições nas quais se encontram e, se necessário, a procurar novos habitats.

Fonte: www.consulteme.com.br/www.animalshow.hpg.ig.com.br/br.geocities.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal