Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Filo Nematelmintos  Voltar

Filo Nematelmintos

Filo Nematelmintos

1. Origem

Sabemos que os invertebrados surgiram milhões de anos antes dos primeiros vertebrados, que foram os peixes "primitivos". Como não possuiam esqueleto, restaram poucos fósseis, o que representa uma falha no estudo da evolução. Os fósseis, foram descobertos em camadas de rocha cálcaria muito retorcidas.

Essas camadas são restos de montanhas destruidas pela erosão e submersas pelos mares que então se formaram. Esses grupos tiveram sua origem entre 600 milhões e 800 milhões de ano s atrás. O ambiente da época apresentava alimento em abundância. O lodo do fundo do mar oferecia esconderijo e proteção para os animais que aí viviam.

2. Habitat

Os Nematelmintos constituem um grupo de organismos muito bem sucedidos, habitando, tanto hambientes terrestres como aquáticos, de água doce ou salgada.

Como parasitas estão muito bem adaptados a essa situação: causam, geralmente, poucos transtornos aos hospedeiros, vivendo bem como eles. Se um parasita provocar sérios danos aos seus hospedeiros, a ponto de matá-los, a vida do parasita também estará ameaçada; se por outro lado, o hospedeiro não sofrer muito com a parasitose, o parasita terá moradia e alimento assegurados.

3. Morfologia

CLASSE ASCHELMINTHES

Os nematelmintos são avasculares (não possuem sistema circulatório). Sua estrutura, possui uma cavidade que é preenchida e funciona como um “esqueleto hidrostático”, além de favorecer a distribuição de nutrientes e recolher excretas. Algumas espécies são microscópicas, enquanto outras chegam a mais de um metro de comprimento. Também são características exclusivas dos asquelmintos a ausência de células ciliadas e os espermatozóides amebóides, sem flagelo, deslocando-se por pseudópodos.

A grande diversidade de espécies não é baseada em grande diversidade de estrutura corpórea. Os nematelmintos de vida livre são pequenos, geralmente menores do que 2,5mm de comprimento. Têm o corpo construído ao longo do mesmo plano fundamental. O corpo é um cilindro quase perfeito, delgado e alongado, com ambas as extremidades fechadas em vários graus, parecendo de filiforme, em sua maioria, a um fuso. O corpo é essencialmente um tubo dentro de outro tubo.

Filo Nematelmintos
Estrutura do Nematelmintos (distinção entre fêmea e macho)

4. Sistema Respiratório

Os nematelmintos não possuem sistema respiratório nenhum. A respiração desses vermes portanto é anaeróbica.

5. Sistema Digestório

Filo Nematelmintos
Nematelminto

Os nematelmintos possuem sistema digestivo completo com boca e orifício retal; que é constituido dos seguintes orgãos.

Em características gerais:

Boca Trilabiada

Faringe

Esôfago

Intestino

Orifício retal para a fêmea e cloaca (orifício retal e órgão reprodutor) para o macho

Digestão extracelular, dentro da cavidade intestinal

6. Reprodução

Todos os nematelmintos têm sexo separado e são dióicos. Nota-se um pequeno grau de diformismo sexual. Existe diferença de tamanho entre os machos e as fêmeas.

O macho deposita seu material genético no poro genital da fêmea. Os gametas do macho são liberados pelo orifício retal, pois não possuem poro genital.

A fecundação ocorre no corpo da fêmea. Depois da fecundação, o zigoto se desenvolve dentro de um ovo com a casca resistente. Muitas espécies eliminam os ovos para o ambiente, ocorrerão as primeiras divisões e o ovo se tornará embrionado. Ele passará por vários estágios larvais. A larva que sai do ovo se chama larva rabditóide. Depois de passar por algumas substituições de sua cutícula, ela se transforma em larva filarióide e, depois no adulto.

7. Aproveitamento Econômico

Tem como importância, sua participação na cadeia alimentar(natureza), causadores de verminoses.

8. Papel de um Biólogo frente ao Zoológico

Controle biológico, forma alternativa de controle de pragas em culturas humanas.

Reinaldo G. Ribela

Fonte: br.geocities.com

Filo Nematelmintos

Vermes mais evoluídos, corpo cilíndrico e alongado com as extremidades afiladas.

Vivem livremente no solo, fundo dos mares, poças de água, e em rios e lagos. Parasita de animais e plantas.

Ascaris lumbricoides

Popularmente conhecido como lombriga, este verme parasita o intestino de vertebrados, onde se alimenta de nutrientes já digeridos. Causam, no seu hospedeiro, enfraquecimento, alteração do apetite, dores abdominais, e alternância entre diarréia e prisão de ventre. A contaminação se dá pela ingestão de ovos do verme em água ou alimentos contaminados, além da falta de higiene (lavar as mãos).

Enterobius vermicularis

Popularmente conhecido como oxiúrus, este verme ataca crianças de áreas tropicais onde, geralmente, as condições de higiene são precarias. É o menor dos vermes (medindo cerca de 5mm o macho e 13mm a fêmea ), pode ser contraido por auto - infestação (indivíduo coça a região oríficio retal, os ovos embrionários ficam retidos sob as unhas, e ao levar a mão à boca ou ao alimento acontece a contaminação), heteroinfestação ( quando um indivíduo infectado transmite a outro indivíduo através do contato com as mãos ou alimentos), ou retroinfestação ( fêmea realiza a postura dos ovos na região perianal, onde os ovos aberem e amadurecem liberando larvas que migram para o intestino grosso e se transformam em oxiúrus adultos).

O hospedeiro tem, como patologia, prurido orifício retal, irritabilidade nervosa, vômitos, insônia, espasmos abdominais. O tratamento se dá através de higiene pessoal, educação sanitária e tratamento do doente.

Ancylostoma braziliense

Causa, na fase larval, a doença conhecida como bicho - geográfico; este é um parasita intestinal comun em cães e gatos. A infestação humana se dá através do contato do homem com areia contaminada, a larva penetra de forma ativa através da pele e causa dermatite serpenteante.

Franco Cunha

Fonte: francocunha.com

voltar 12345678avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal