Breaking News
Home / Biologia / Algas Verdes

Algas Verdes

PUBLICIDADE

O que são Algas verdes?

As “algas verdes” são o grupo de algas mais diverso, com mais de 7.000 espécies crescendo em uma variedade de habitats.

A “alga verde” é um grupo parafilético porque exclui a Plantae. Como as plantas, as algas verdes contêm duas formas de clorofila, que usam para capturar a energia da luz para abastecer a fabricação de açúcares, mas, ao contrário das plantas, são principalmente aquáticas.

Por serem aquáticos e fabricarem seus próprios alimentos, esses organismos são chamados de “algas”, junto com certos membros da cromista, das rodófitas e das bactérias fotossintéticas, embora não tenham uma relação estreita com nenhum desses grupos.

As algas verdes são algas fotossintéticas que se caracterizam por terem as clorofilas a e b como pigmentos predominantes, tornando-as de cor verde.

As algas verdes constituem o grupo mais heterogêneo de protoctistas fotoautotróficos que habitam a biosfera e mostram uma enorme variabilidade de forma, tamanho e hábito.

Como produtoras primárias, as algas verdes têm uma importância em nosso planeta comparável à das florestas tropicais.

Do ponto de vista taxonômico, eles constituem um grupo parafilético, pois provavelmente têm um ancestral comum com as plantas: eles têm o mesmo tipo de pigmentos e produzem o mesmo tipo de carboidratos durante a fotossíntese que as plantas terrestres.

A capacidade de uma única espécie em explorar os recursos pode ser fortemente diferente no que diz respeito à absorção de nutrientes, coleta de luz e resistência ao fluxo; as diferentes combinações desses parâmetros, que em ecossistemas de águas interiores podem flutuar fortemente em escalas de tempo curtas, dão origem a uma variedade de assembleias que podem apresentar uma diversidade biológica surpreendentemente alta.

Sua onipresença torna bastante difícil resumir sua ecologia em poucas palavras, uma vez que esses organismos são arquetípicos da possibilidade incrivelmente vasta de adaptação mostrada pela Vida em nosso planeta.

Classificação

As algas pertencem a um grupo parafilético que se distingue dos outros grupos de organismos por serem organismos aquáticos, fotossintéticos e eucarióticos. Eles incluem uma ampla gama de organismos, ou seja, desde formas unicelulares, coloniais e multicelulares.

Geralmente, as algas possuem clorofila, mas não possuem raízes, caules e folhas verdadeiras, características dos embriófitos.

As algas podem ser classificadas com base em seus pigmentos fotossintéticos predominantes.

As algas verdes são um grupo de algas caracterizadas por sua cor esverdeada em oposição a outros grupos de algas, como algas vermelhas (Rhodophyta), algas marrons (por exemplo, Phaeophyta), algas douradas (Chrysophyta) e algas verde-azuladas (Cyanophyta).

Algas verde-azuladas

A cor esverdeada e a capacidade fotossintética das algas verdes estão associadas à abundância de clorofilas aeb em seus plastídios. Esses pigmentos estão nas mesmas proporções, da mesma forma que os das plantas vasculares.

Características gerais

As algas verdes têm muitas formas: unicelulares, multicelulares ou coloniais. Algas verdes unicelulares são organismos fotossintéticos unicelulares solitários (por exemplo, Micrasterias sp.).

As formas multicelulares são aquelas que aparecem filamentosas ou formando talos em forma de folha (Ulva sp.). Alguns deles formam colônias, como as espécies Volvox.

A parede celular de uma célula de alga verde é composta principalmente de celulose. O cloroplasto contém predominantemente pigmentos verdes, isto é, clorofilas a e b.

Outros pigmentos presentes são os pigmentos acessórios, beta-caroteno e xantofilas. Eles armazenam produtos fotossintéticos na forma de amido. Algumas algas verdes são flageladas.

Os flagelos são geralmente de dois a três em número, localizados apical ou subapicalmente. Os flagelos são usados para o movimento celular. As algas verdes podem se reproduzir assexuadamente ou sexualmente.

A reprodução assexuada é feita por meio de esporos. A reprodução sexual envolve a troca de núcleos por meio de tubos de conjugação. Quando os dois gametas que se fundem são idênticos, essa forma de reprodução sexual é chamada de isogamia. Por outro lado, quando os dois gametas em união não são idênticos (ou seja, o gameta móvel menor se funde com o gameta não móvel maior), esta forma de reprodução sexual é chamada de oogamia. Algumas espécies podem ser tipificadas como haplobiônicas ou diplobiônicas com base em seus ciclos de vida.

Algas verdes haplobiônicas são aquelas em que a geração gametófita (haplóide) é multicelular. Quanto à diplobiônica, tanto a fase haplóide quanto a diploide (esporófita) são multicelulares.

Eles seguem um ciclo de vida denominado alternância de gerações, em que a fase haplóide e a fase diplóide se alternam.

Algas verdes – Divisão Chlorophyta

Algas verdes

Algas verdes, membros da divisão Chlorophyta, compreendendo entre 9.000 e 12.000 espécies.

Os pigmentos fotossintéticos (clorofilas aeb, caroteno e xantofila) estão nas mesmas proporções que os das plantas superiores.

A célula de alga verde típica, que pode ser móvel ou não móvel, tem um vacúolo central, pigmentos contidos em plastídeos que variam em forma em diferentes espécies e uma parede celular de celulose e pectina de duas camadas.

Os alimentos são armazenados como amido em pirenóides (núcleos proteicos dentro dos plastídeos).

As algas verdes, de tamanho e formato variáveis, incluem as formas unicelulares (Chlamydomonas, desmids), coloniais (Hydrodictyon, Volvox), filamentosas (Spirogyra, Cladophora) e tubulares (Actebularia, Caulerpa). A reprodução sexual é comum, com gametas que possuem dois ou quatro flagelos.

A reprodução assexuada ocorre por divisão celular (Protococcus), esporos móveis ou não móveis (Ulothrix, Oedogonium) e fragmentação.

Algas verdes em rochas costeiras

A maioria das algas verdes ocorre em água doce, geralmente presas a rochas e madeira submersas ou como espuma em água estagnada; também existem espécies terrestres e marinhas.

As espécies microscópicas de flutuação livre servem como fontes de alimento e oxigênio para os organismos aquáticos. As algas verdes também são importantes no estudo evolutivo das plantas; a Chlamydomonas unicelular é considerada semelhante à forma ancestral que provavelmente deu origem às plantas terrestres.

Qual é a diferença entre algas verdes e marrons?

As algas verdes e marrons são dois grupos que, juntos, constituem a maior parte das algas do mundo, embora sejam bastante diferentes. Junto com as algas vermelhas, tanto as variedades marrons quanto as verdes são às vezes chamadas de “algas marinhas” coloquialmente. Embora ambos sejam organismos multicelulares eucarióticos (de células complexas), eles pertencem a reinos diferentes, com as algas verdes pertencentes a Plantae e as algas marrons a Chromalveolata. Plantae e Chromalveolata são duas das seis principais divisões de eucariotos, sendo as outras Fungi, Animalia, Amoebozoa, Rhizaria e Excavata. Ambos os grupos são principalmente marinhos, mas o verde se adapta melhor à água doce do que o marrom.

As algas marrons são mais conhecidas pelas pessoas como kelp, algas marinhas com uma taxa de crescimento muito alta e Sargassum, uma variedade de superfície flutuante encontrada no mar dos Sargaços que fornece um habitat exclusivo para enguias e outros animais. Embora as algas e o Sargassum sejam as variedades mais conhecidas, existem mais de 1.500 espécies no total, e são especialmente comuns no hemisfério norte, mais frio. As algas marrons freqüentemente podem ser encontradas ao longo das costas rochosas.

Junto com seus parentes principalmente unicelulares no filo Heterokontophyta, eles são autótrofos (organismos fotossintetizantes) com cloroplastos cobertos por quatro membranas.

Essa alga usa um pigmento chamado fucoxantina para absorver a luz solar, dando-lhe uma cor verde acastanhada. As células dentro dela costumam ter buracos usados para compartilhar nutrientes e carbono livre.

Do ponto de vista dos humanos, as algas verdes são um pouco mais comuns do que as marrons, pois crescem com mais frequência dentro e perto de lagos e rios, que as pessoas tendem a ver com mais frequência do que em mar aberto. É famoso por ser o grupo mais primitivo do reino Plantae e a forma de vida a partir da qual as plantas terrestres (embriófitas) evoluíram há cerca de 500 milhões de anos, durante o período Ordoviciano.

Existem cerca de 6.000 espécies conhecidas de algas verdes, a maioria delas unicelulares, embora as espécies mais visíveis vivam em colônias estruturadas em longas cadeias ou filamentos. Somente na ordem Charales – as stoneworts, um tipo de ervas daninhas de lago mais intimamente relacionadas às plantas terrestres – ocorre a verdadeira diferenciação dos tecidos.

Ambos os tipos de algas são extremamente importantes como produtores em ecossistemas aquáticos, e a dieta de muitos peixes, especialmente juvenis, é composta principalmente ou exclusivamente por eles.

Alguns peixes são especialmente adaptados para limpar algas de outros peixes.

Ao lado dos corais, as florestas de algas criam um dos ecossistemas aquáticos mais ricos em espécies e complexos do planeta, lar de dezenas ou milhares de espécies marinhas.

Fonte: ucmp.berkeley.edu/www.researchgate.net/www.gov.nl.ca/www.microscopy-uk.org.uk/bio.libretexts.org/www.biologyonline.com/www.seaweed.ie/www.anses.fr

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …