Breaking News
Home / Biologia / Rótulos dos Alimentos

Rótulos dos Alimentos

PUBLICIDADE

Os rótulos de alimentos foram criados para facilitar a escolha de alimentos saudáveis.

Com os rótulos, é possível comparar os produtos na hora da compra, seja quanto à qualidade, preço, ingredientes etc.

Algumas informações devem estar obrigatoriamente presentes e devem sempre ser consultadas antes de adquirir um produto. Veja abaixo os detalhes mais importantes do ponto de vista nutricional a serem observados.

Lista de ingredientes

É importante ler esta lista para identificar ingredientes que não são saudáveis, como por exemplo a gordura hidrogenada. Ainda, pode-se reconhecer nomes diferentes dados a alguns alimentos, como por exemplo no caso de produtos que descrevem não conter açúcar, mas contém xarope de milho, mel ou melado.

Prazo de validade

É necessário observar a validade especialmente em produtos perecíveis como pães, carnes, laticínios e também ao comprar produtos em promoção pois muitas vezes o prazo de validade é muito pequeno. Nem sempre só o prazo de validade garante que o alimento esteja apto para o consumo, sendo assim, deve ser observado se há qualquer alteração na embalagem e no próprio alimento.

Instruções para conservação

É importante observar as orientações do fabricante pois alguns produtos, por exemplo os sucos e leites em caixinha, devem ser armazenados na geladeira logo após serem abertos.

Informações nutricionais

São descritas obrigatoriamente as seguintes informações por porção na forma de tabela ou texto: valor calórico, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, colesterol, fibra e sódio. É importante verificar a qual quantidade da embalagem corresponde o valor da porção.

Também deve-se verificar qual é o percentual de Valores Diários (%VD) da porção, ou seja, o quanto a porção do alimento consumido corresponde do valor total de energia e nutrientes de uma dieta de 2000 calorias. Por exemplo, se o valor de gorduras de uma porção estiver em 20% do %VD, significa que da necessidade diária, 20% estará sendo atingida naquela porção.

Fonte: www.penselight.com.br

Rótulos dos Alimentos

ENTENDENDO OS ROTULOS DOS PRODUTOS

Provavelmente, todos nós checamos as informações nutricionais na rotulagem dos alimentos em algum momento, mas realmente sabemos pelo que estamos procurando e o quão relevante são as informações para nós como consumidores?

Fornecemos algumas informações simples para ajudar você a entender os rótulos dos produtos.

Tabela de Quantidades Diárias (relevante apenas para a Europa) – no Brasil temos algo similar, talvez possamos adaptar

A rotulagem da Tabela de Quantidades Diárias na embalagem do alimento significa que agora você pode tirar suas próprias conclusões sobre o que deve estar comendo e planejar uma dieta mais saudável e balanceada sem muito esforço. Essas tabelas orientam homens, mulheres e crianças sobre a quantidade aproximada de calorias, açúcares, gordura, gordura saturada e sal requerida em uma base diária.

As Tabelas de Quantidades Diárias estão claramente marcadas em todos os nossos produtos da Becel.

Simplificando

Homens e mulheres têm diferentes necessidades diárias de alguns nutrientes, mas para simplificar as coisas, melhor do que usar dois grupos de figuras em cada rótulo, as Tabelas de Quantidades Diárias de adultos são baseadas em diretrizes femininas.

Dê uma olhada no quadro abaixo para saber mais sobre suas necessidades diárias específicas:  

  Calorias Açúcares Gordura Saturadas Sal
Mulheres 2000 90g 70g 20g 6g
Homens 2500 120g 95g 30g 6g
Crianças 5-10 1800 85g 70g 20g 4g

E lembre-se, ele é conhecido como Tabela de Quantidades Diárias, pois é exatamente isto o que ele é – um guia, não um alvo. E enquanto é normal fixar-se bem de perto nas tabelas por causa das calorias, você deveria tentar não comer mais do que sua necessidade diária de açúcares, gordura, saturadas e sal.

Você sabia?

Gorduras trans (também chamada ácidos graxos trans) não têm que ser incluídas nas informações nutricionais providas nos rótulos dos alimentos, a menos que uma alegação específica de gorduras trans tenha sido feita, tal como “baixo em gordura trans”. E elas não precisam estar listadas nos ingredientes. Os alimentos da Becel são baixos em gorduras trans.

Fonte: www.becel.com.br

Rótulos dos Alimentos

Dois minutos de seu dia para ler um rótulo. Esse é o tempo que você precisa investir para começar a cuidar da sua alimentação. Estar de bem com a vida, com os cuidados essenciais para manter a saúde através de uma alimentação saudável. Invista em você!

Observe a seguir o que você deve ler antes de decidir pela escolha de um produto:

DATA DE VALIDADE e MODO DE CONSERVAÇÃO e armazenamento. (ex: sob refrigeração, local fechado, etc).

Fique atenta: Muitos alimentos têm seu prazo de validade reduzido depois de abertos.

LISTA DE INGREDIENTES

Os ingredientes do produto, eles estão listados em ordem decrescente de peso.

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

A informação nutricional complementar indica alguma propriedade especial do produto e para que possa ser declarada no rótulo obedece a normas específicas estabelecidas pela ANVISA.

Exemplos: “baixo teor de gordura”, “sem colesterol”, “reduzido teor de sódio”, etc.

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL

Pode ser declarada em tabela ou por extenso e indica as quantidades de alguns nutrientes presentes em uma porção do alimento. Ou seja, as propriedades nutricionais do produto.

Veja padrão atual de declaração da informação nutricional no rótulo dos alimentos:

Tabela padrão de informações nutricionais

Informação Nutricional
Porção de ______ g / ml ( medida caseira )
    % VD (*)
Valor Calórico (2) Kcal  
Carboídratos (3) g  
Proteínas (4) g  
Gordura Totais (5) g  
Gorduras Saturadas (6) g  
Colesterol (7) mg  
Fibra Alimentar (8) g  
Cálcio (9) mg  
Ferro (10) mg  
Sódio (11) mg  
Outros Minerais (quando for declarado) (12) mg ou mcg  
Vitaminas (quando for declarado) (13) mg ou mcg  

*Valores Diários de referência com base em uma dieta de 2.500 calorias

1) PORÇÃO

A informação nutricional é expressa por porção do alimento. O valor da porção para cada tipo de alimento deve ser estabelecido pela nova resolução da ANVISA (RDC 359/2003), que define porção como “a quantidade média do alimento que deveria ser consumida por pessoas sadias, maiores de 36 meses de idade em cada ocasião de consumo, com a finalidade de promover uma alimentação saudável”.

2) VALOR CALÓRICO

Ou valor energético representa a quantidade de calorias (Kcal) do alimento. Caloria é uma unidade utilizada para expressar a quantidade de energia produzida pelo alimento no organismo.

3) CARBOIDRATOS

São nutrientes essenciais que fornecem energia.
Alguns exemplos de alimentos fontes de carboidratos são:
pães, cereais e açúcares.

4) PROTEÍNAS

São nutrientes essenciais com funções estruturais (formação de células, tecidos, etc), reguladoras e de defesa, entre outras.
Alguns exemplos de alimentos fontes de proteínas são:
carnes, leite e derivados, ovos e leguminosas.

5) GORDURAS TOTAIS

Representa a quantidade total de gorduras (todos os tipos) do alimento.

6) GORDURAS SATURADAS

Esse tipo de gordura possui características que a tornam prejudicial à saúde, pois seu excesso na alimentação pode elevar o colesterol do sangue. Por isso, deve ser consumida em menor quantidade.
Algumas das principais fontes são os alimentos de origem animal:
carne, leite integral e derivados e ovos, etc.

7) COLESTEROL

Pode ser considerado um tipo de gordura. É produzido em nosso organismo, e desempenha funções importantes, porém o excesso é prejudicial.
Ele está presente em alimentos de origem animal:
carnes, leite e derivados e ovos, etc.

8) FIBRA ALIMENTAR

Substâncias presentes em vegetais, que não são digeridas e absorvidas pelo nosso intestino, e que desempenham muitas funções importantes no organismo, como a regulação do intestino. Não produzem energia.

9) CÁLCIO

Mineral muito importante, relacionado principalmente à formação de ossos e dentes. As principais fontes são leite e derivados e vegetais de folhas verde-escuras (couve, escarola, rúcula, brócolis, etc).

10) FERRO

É um elemento muito importante para o organismo. Está ligado ao pigmento das células vermelhas do sangue e sua carência é uma das principais causas de anemia.
As principais fontes são carnes vermelhas e vísceras (mais facilmente absorvido), e vegetais de folhas verde-escuras:
couve, escarola, agrião, etc (menos absorvido).

11) SÓDIO

Envolvido com o controle de líquidos no corpo, entre outras funções. Seu excesso na alimentação pode ser prejudicial à saúde, sendo relacionado com o desenvolvimento da hipertensão (pressão alta). Principal fonte é o sal de cozinha e os alimentos industrializados em geral (conservas, enlatados, embutidos, etc).

12) OUTROS MINERAIS

Se o produto apresentar algum outro mineral (ex: potássio) este pode ser declarado.

13) VITAMINAS

Se o produto apresentar ou for adicionado de vitamina(s), ela(s) pode(m) ser declarada(s).

14) % VD

Porcentagem do Valor Diário de referência. Existe um valor de ingestão diário recomendado para cada nutriente.
Por exemplo:
se a % VD declarada no rótulo para ferro é 16%, isso quer dizer que a porção daquele determinado produto contém cerca de 16% da quantidade que recomenda-se ingerir de ferro durante o dia. Quanto ao total de calorias, o porcentagem é baseada em uma dieta de 2500 Kcal por dia.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia

Rótulos dos Alimentos

É importante conhecer a composição dos alimentos que serão consumidos observando o rótulo contido na embalagem.

A informação nutricional do alimento mostra as quantidades de macronutrientes, fibras, entre outros, em gramas por porção do alimento. Vale ressaltar a importância de os pacientes serem estimulados à pesagem dos alimentos que serão consumidos para definição do tamanho da porção, caso a informação contida no produto seja por 100g (ver tabela ao lado).

Como proceder à leitura de rótulos com informação nutricional por porção (na embalagem):

Checar o tamanho da porção que está sendo avaliada na embalagem (nem sempre é o tamanho da porção que será consumida)
Quantidade total de gordura:
até 5g/porção de alimento é saudável
Quantidade total de carboidratos
Valor calórico.

O que são:

Carboidratos: são nutrientes essenciais que fornecem energia.

Alguns exemplos de alimentos fontes de carboidratos são:

Pães.
Cereais.
Açúcares.

Proteínas

São nutrientes essenciais com funções estruturais (formação de células, tecidos, etc), reguladoras e de defesa, entre outras.

Alguns exemplos de alimentos fontes de proteínas são:

Carnes.
Leite e derivados.
Ovos.
Leguminosas.

Fibra Alimentar

São substâncias presentes em vegetais, que não são digeridas e absorvidas pelo nosso intestino, e que desempenham muitas funções importantes no organismo, como a regulação do intestino. Não produzem energia.

Valor Calórico

Ou valor energético representa a quantidade de calorias (Kcal) do alimento. Caloria é uma unidade utilizada para expressar a quantidade de energia produzida pelo alimento no organismo.

Porção

A informação nutricional é expressa por porção do alimento. O valor da porção para cada tipo de alimento deve ser estabelecido pela nova resolução da ANVISA (RDC 359/2003), que define porção como “a quantidade média do alimento que deveria ser consumida por pessoas sadias, maiores de 36 meses de idade em cada ocasião de consumo, com a finalidade de promover uma alimentação saudável”.

Gorduras Totais

Representa a quantidade total de gorduras (todos os tipos) do alimento.

Gorduras Saturadas

Esse tipo de gordura possui características que a tornam prejudicial à saúde, pois seu excesso na alimentação pode elevar o colesterol do sangue. Por isso, deve ser consumida em menor quantidade.

Algumas das principais fontes são os alimentos de origem animal:

Carne.
Leite integral.
Derivados.
Ovos.

Fonte: www.proteste.org.br

Rótulos dos Alimentos

Consulte sempre as informações nutricionais nos rótulos dos alimentos. Elas ajudam você a fazer escolhas mais saudáveis.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), aproximadamente 70% dos brasileiros consultam os rótulos dos alimentos no momento da compra. Apesar desse hábito saudável, mais da metade não entende corretamente o significado das informações.

Estampar informações nutricionais nos rótulos chama-se Rotulagem Nutricional. É um procedimento obrigatório no Brasil desde 2003 para que os consumidores conheçam as propriedades nutricionais dos alimentos e, dessa forma, possam fazer escolhas mais saudáveis.

A nutricionista Maria Fernanda Elias Llanos* explica que o alimento deve trazer no rótulo uma Tabela Nutricional com valor energético e quantidades de carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibras alimentares e sódio. Além desses itens obrigatórios, os fabricantes podem declarar outros nutrientes, como vitaminas, minerais e colesterol.

Essa Tabela Nutricional deve indicar as informações por porção, ou seja, na quantidade média que deveria ser consumida por pessoas sadias durante as refeições.

Por exemplo: 1 colher de sopa de queijo ralado (10g) e 1 copo de suco (200 mL).

Essa tabela também deve mostrar quanto a porção daquele alimento contribuiem energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2.000 calorias, ou seja, o Percentual de Valor Diário – %VD.

Confira a seguir o que são os nutrientes declarados nas Tabelas Nutricionais:

Valor Energético: É a energia produzida pelo nosso corpo ao consumir carboidratos, proteínas e gorduras totais. O Valor Energético vem expresso em forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ).
Carboidratos:
A principal função dos Carboidratos é fornecer energia para o corpo. Eles são encontrados em maior quantidade nas massas, no arroz, açúcar, mel, em pães, farinhas, tubérculos e nos doces em geral.
Proteínas:
As Proteínas são necessárias para a construção e manutenção do nosso corpo. São encontradas em carnes, ovos, leites e derivados, ou em leguminosas (feijões, soja e ervilha).
Gorduras Totais:
São fontes de energia e ajudam no aproveitamento das vitaminas A, D, E e K. As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento.
Gorduras Saturadas: Presentes em alimentos de origem animal, como:
carnes, toucinho, pele de frango e queijos. Quando consumidas em grandes quantidades, podem aumentar o risco de doenças cardíacas.
Gorduras Trans:
Encontradas na carne, no leite e nos alimentos industrializados que utilizam gorduras vegetais hidrogenadas em sua preparação. O excesso de Gordura Trans pode aumentar o risco de doenças cardíacas.
Fibras Alimentares:
Estão presentes em alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A ingestão de fibras auxilia o funcionamento do intestino.
Sódio:
É encontrado no sal de cozinha e em alimentos industrializados. O consumo excessivo de sal pode levar ao aumento da pressão arterial.

O Ministério da Saúde (MS) orienta os consumidores a preferirem alimentos com conteúdo aumentado de fibras alimentares e pobres em gorduras saturadas, gorduras trans e sódio.

Na próxima visita ao supermercado, procure pelas informações nutricionais nos rótulos dos produtos e leve mais saúde para sua casa.

Maria Fernanda Elias Lilanos

Fonte: www.nestle.com.br

Rótulos dos Alimentos

Rótulos dos Alimentos

Dúvidas freqüentes

O QUE É ROTULAGEM NUTRICIONAL?

É toda descrição destinada a informar o consumidor sobre as propriedades nutricionais do alimento.

O QUE É DECLARAÇÃO DE NUTRIENTES?

É uma relação ou enumeração padronizada do conteúdo de nutrientes de um alimento.

O QUE É DECLARAÇÃO DE PROPRIEDADES NUTRICIONAIS (informação nutricional complementar)?

É qualquer representação que afirme, sugira ou implique que um produto possui propriedades nutricionais particulares, especialmente, mas não somente, em relação ao seu valor energético e conteúdo de proteínas, gorduras, carboidratos e fibra alimentar, assim como ao seu conteúdo de vitaminas e minerais.

O QUE É NUTRIENTE?

É qualquer substância química consumida normalmente como componente de um alimento, que proporciona energia, é necessária ou contribui para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da saúde e da vida, ou cuja carência possa ocasionar mudanças químicas ou fisiológicas características.

O QUE SÃO CARBOIDRATOS?

São todos os mono, di e polissacarídeos, incluídos os polióis presentes no alimento, que são digeridos, absorvidos e metabolizados pelo ser humano.

O QUE SÃO AÇÚCARES?

São todos os monossacarídeos e dissacarídeos presentes em um alimento que são digeridos, absorvidos e metabolizados pelo ser humano. Não se incluem os polióis.

O QUE É FIBRA ALIMENTAR?

É qualquer material comestível que não seja hidrolisado pelas enzimas endógenas do trato digestivo humano.

O QUE SÃO GORDURAS?

São substâncias de origem vegetal ou animal, insolúveis em água, formadas de triglicerídeos e pequena quantidades de não glicerídeos, principalmente fosfolipídeos.

O QUE SÃO GORDURAS SATURADAS?

São os triglicerídeos que contém ácidos graxos sem duplas ligações, expressos como ácidos graxos livres.

O QUE SÃO GORDURAS MONOINSATURADAS?

São os triglicerídeos que contém ácidos graxos com uma dupla ligação cis, expressos como ácidos graxos livres.

O QUE SÃO GORDURAS POLIINSATURADAS?

São os triglicerídeos que contém ácidos graxos com duplas ligações cis-cis separadas por grupo metileno, expressos como ácidos graxos livres.

O QUE SÃO GORDURAS TRANS (OU ÁCIDOS GRAXOS TRANS)?

São os triglicerídeos que contém ácidos graxos instaurados com uma ou mais duplas ligações trans, expressos em ácidos graxos livres. São formadas quando se adiciona hidrogênio ao óleo vegetal, num processo conhecido como hidrogenação. São encontradas nas margarinas, cremes vegetais, biscoitos, snacks (salgadinhos prontos), produtos de panificação e, alimentos fritos e lanches salgados que utilizam as gorduras hidrogenadas na sua preparação. Gorduras provenientes de animais ruminantes também apresentam teores de gorduras trans.

O QUE SÃO PROTEÍNAS?

São polímeros de aminoácidos ou compostos que contém polímeros de aminoácidos.

O QUE SÃO ALIMENTOS PARA FINS ESPECIAIS?

São os alimentos processados especialmente para satisfazer necessidades particulares de alimentação determinadas por condições físicas ou fisiológicas particulares e ou transtornos do metabolismo e que se apresentem como tais. Incluí-se os alimentos destinados aos lactentes e crianças de primeira infância. A composição desses alimentos deverá ser essencialmente diferente da composição dos alimentos convencionais de natureza similar, caso existam.

NUTRIENTES COMO COLESTEROL, CÁLCIO E FERRO PODEM CONTINUAR SENDO DECLARADOS NA TABELA DE INFORMAÇÃO NUTRICIONAL?

Sim. Esses nutrientes podem continuar a serem declarados.

O QUE SÃO PORÇÕES DE ALIMENTOS?

É a quantidade média do alimento que deveria ser usualmente consumida por pessoas sadias, maiores de 36 meses, em bom estado nutricional, em cada ocasião de consumo, para compor uma alimentação saudável.

O QUE É MEDIDA CASEIRA?

Medida caseira é a forma de medir os alimentos sem o uso de balanças ou qualquer tipo de utensílio que se faça uma mensuração exata.

Por exemplo: em fatias, biscoitos, pote, xícaras, copos, colheres de sopa entre outros.

EXISTE OBRIGATORIEDADE DA DECLARAÇÃO DE MEDIDA CASEIRA?

Sim. A Informação nutricional obrigatoriamente deve apresentar além da quantidade da porção do alimento em gramas ou mililitros, o correspondente em medida caseira, utilizando utensílios domésticos como colher, xícara, dentre outros.

O NÚMERO DE PORÇÕES CONTIDO NA EMBALAGEM DO ALIMENTO DEVE SER DECLARADO NO RÓTULO?

Não. Caso seja declarado, pode constar na tabela de informação nutricional ou em local próxima à mesma.

O QUE SÃO VALORES DIÁRIOS (VD)?

Valores Diários são as quantidades dos nutrientes que a população deve consumir para ter uma alimentação saudável. Para cada nutriente temos um valor diário diferente.

QUAIS SÃO VALORES DIÁRIOS (VD)?

Carboidratos – 300 gramas
Proteínas – 75 gramas
Gorduras totais – 55 gramas
Gorduras saturadas – 22 gramas
Colesterol – 300 miligramas
Fibra alimentar – 25 gramas
Cálcio – 1000 miligramas
Ferro – 14 miligramas
Sódio – 2400 miligramas

Outros minerais e vitaminas (quando declarados): Regulamento Técnico de Ingestão Diária Recomendada.

E QUAIS SÃO OS VALORES DIÁRIOS (VDs) PARA GORDURA Trans?

Não existe um valor de ingestão diária recomendada para esse tipo de gordura.

COMO DEVE SER DEECLARADO O PERCENTUAL DE VALORES DIÁRIOS PARA DETERMINADOS NUTRIENTES COMO GORDURA TRANS, MONOINSATURADAS E POLINSATURADAS?

Não são estabelecidos valores diários de referência para esses nutrientes.

Nesse caso, pode constar a seguinte frase no rótulo do alimento: “Valor Diário não estabelecido” ou “VD não estabelecido”.

O QUE SÃO OS PERCENTUAIS DE VALORES DIÁRIOS (%VD)?

É o número, em percentual, que representa o valor energético e de nutrientes em uma dieta diária de 2000 kcal. E é este número que deve vir indicado no Rótulo Nutricional.

COMO OS VALORES DIÁRIOS FORAM ESTABELECIDOS?

Foram utilizados os valores da Ingestão Diária Recomendada (IDR) para vitaminas, minerais e os Valores Diários de Referência (VDRs) para os demais nutrientes.

QUILOJOULES?

O quilojoule (kJ), assim como a quilocaloria, é uma unidade de energia usada para medir calor. Cada quilojoule corresponde a aproximadamente 4,2 quilocalorias. A caloria é uma medida mais conhecida da população e usada com freqüência (kcal). Desse modo, basta converter as medidas em quilojoules para calorias dividindo o primeiro por 4,2.

NO RÓTULO PRECISO COLOCAR A QUANTIDADE EM GRAMAS OU MILILITROS E A MEDIDA CASEIRA?

Sim, é obrigatório expressar a porção de alimentos em gramas ou mililitros e medida caseira correspondente.

A ROTULAGEM NUTRICIONAL É OBRIGATÓRIA TAMBÉM PARA PRODUTOS A GRANEL E OU PESADOS À VISTA DO CONSUMIDOR?

A Resolução n.º 360 de 2003 não se aplica aos produtos vendidos a granel ou pesados à vista do consumidor. No entanto, caso haja interesse do fabricante, as informações nutricionais devem atender à referida resolução.

A PARTIR DA AGORA OS LAUDOS DE ANÁLISE DEVEM PASSAR A INFORMAR A COMPOSIÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DO ALIMENTO POR PORÇÃO?

Não. Os laudos de análise continuam trazendo a composição físico-química do alimento por 100g ou 100ml. A empresa deve proceder à conversão de valores para a porção do alimento, aplicando uma regra de três simples.

PORQUE OS PRODUTOS QUE APRESENTAM EM SUA COMPOSIÇÃO GORDURA TRANS PRECISAM PROCEDER A ANÁLISE FÍSICO QUÍMICA?

Não é possível utilizar as informações nutricionais disponíveis em tabelas de alimentos por três grandes razões:

O perfil dos ácidos graxos trans de alimentos similares, como é o caso da batata frita de diferentes marca, pode variar consideravelmente devido ao tipo de gordura adicionada, bem como a tecnologia de processamento do produto em questão
O perfil dos ácidos graxos de alimentos tipo “ingredientes” de produtos citados acima, como é o caso de margarinas e gorduras hidrogenadas pode também variar enormemente também em função do tipo e qualidade de gordura adicionada ao produto, bem como a tecnologia de processamento
O perfil dos ácidos graxos de alimentos que são matérias-primas para os ingredientes e produtos, como é o caso dos óleos e gordura animal também podem variar, mas em proporções menores que dos outros produtos.

Tais razões inviabilizam o uso de informações nutricionais de gordura trans provenientes de tabelas de alimentos.

Assim, para prover informação fidedigna ao usuário, em um primeiro momento, é necessária a análise das amostras de todos os tipos de alimentos. Tanto aqueles que são considerados os ingredientes mais básicos, como os óleos e gordura animal, aqueles que já são processados, como é o caso das margarinas e gorduras hidrogenadas e por último, aqueles produtos os quais são elaborados a partir dos óleos vegetais, gordura animal, margarinas e gordura hidrogenada, como é o caso dos sorvetes, panificações, bolos, salgadinhos de pacote entre outros. E, em um segundo momento, quando grandes empresas, como é o caso das margarinas e gorduras hidrogenadas, tiverem disponíveis nos rótulos dos seus produtos as informações de ácido graxo trans, mediante análise do produto, indústrias de médio e pequeno porte que utilizem tais alimentos como ingredientes poderão se utilizar dessas informações para o cálculo das informações dos seus produtos.

Fonte: www.ivegetal.com.br

Rótulos dos Alimentos

Apresentação

Rótulos dos Alimentos

Rótulos dos Alimentos

Nesse manual vamos conhecer algumas legislações que se referem à ROTULAGEM DE ALIMENTOS. O objetivo maior é estimular que você e a sua família leiam e entendam as informações veiculadas nos rótulos dos alimentos. Isso tudo para contribuir com a melhoria da sua saúde e qualidade de vida.

Os rótulos são elementos essenciais de comunicação entre produtos e consumidores. Daí a importância das informações serem claras e poderem ser utilizadas para orientar a escolha adequada de alimentos.

Dados recentes levantados junto à população que consulta o serviço Disque- Saúde do Ministério da Saúde demonstram que aproximadamente 70% das pessoas consultam os rótulos dos alimentos no momento da compra, no entanto, mais da metade não compreende adequadamente o significado das informações.

Com a publicação das normas que tornam obrigatória a declaração do conteúdo nutricional dos alimentos, denominada de rotulagem nutricional, as informações contidas nos rótulos passam a ser ainda mais complexas, exigindo maior habilidade do consumidor para interpretá-las e entendê-las.

Divulgar as informações e seu correto significado motivou a publicação deste manual dirigido especificamente aos consumidores. O propósito é facilitar a compreensão dos termos usados na rotulagem de alimentos, aumentando seu potencial de proteção e promoção da saúde.

A expectativa é que o material possa ser adotado como instrumento de orientação e capacitação pelos diversos segmentos da população e desperte, ainda mais, o interesse pela busca do consumo e escolha mais saudável de alimentos.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA é o órgão responsável pela regulação da rotulagem de alimentos que estabelece as informações que um rótulo deve conter, visando à garantia de qualidade do produto e à saúde do consumidor.

Rótulo de Alimentos

O rótulo do alimento é uma forma de comunicação entre os produtos e os consumidores.

Vejam algumas informações que sempre devem estar presentes nos rótulos e são importantes que você as identifique:

Lista de Ingredientes

Informa os ingredientes que compõem o produto. A leitura dessa informação é importante porque o consumidor pode identificar a presença de termos, como açúcar, sacarose, glicose, ou outros tipos de açúcar, como a dextrose.

Obs 1:

Alimentos de ingredientes únicos como açúcar, café, farinha de mandioca, leite, vinagre não precisam apresentar lista de ingredientes.

Obs 2:

A lista de ingredientes deve estar em ordem decrescente, isto é, o primeiro ingrediente é aquele que está em maior quantidade no produto e o último, em menor quantidade.

Origem

Informação que permite que o consumidor saiba quem é o fabricante do produto e onde ele foi fabricado. São informações importantes para o consumidor saber qual a procedência do produto e entrar em contato com o fabricante se for necessário.

Prazo de Validade

Os produtos devem apresentar pelo menos o dia e o mês quando o prazo de validade for inferior a três meses; o mês e o ano para produtos que tenham prazo de validade superior a três meses. Se o mês de vencimento for dezembro, basta indicar o ano, com a expressão “fim de…… “ (ano).

Rótulos dos Alimentos

Conteúdo Líquido

Indica a quantidade total de produto contido na embalagem. O valor deve ser expresso em unidade de massa (quilo) ou volume (litro).

Lote É um número que faz parte do controle na produção. Caso haja algum problema, o pro duto pode ser recolhido ou analisado pelo lote ao qual pertence.

Informação Nutricional Obrigatória

É a tabela nutricional. Sua leitura é importante porque a partir das informações nutricionais você pode fazer escolhas mais saudáveis para você e sua família.

Os rótulos dos alimentos não devem:

Apresentar palavras ou qualquer representação gráfica que possa tornar a informação falsa, ou que possa induzir o consumidor ao erro.

Exemplos:

Chocolates que demonstram mediante ilustração que o consumo de deter minada quantidade equivale ao consumo de um copo de leite.

Obs: Mesmo que o consumo de deter minada quantidade de chocolate possa equivaler em determinado nutriente (como o cálcio) ao consumo de leite, os dois alimentos não são comparáveis. Essa comparação pode levar o consumidor ao erro.

Demonstrar propriedades que não possuam ou não possam ser demonstradas.

Exemplos:

Determinados produtos demonstrando que seu consumo reduz o risco de doença cardíaca.

Destacar a presença ou ausência de componentes que sejam próprios de alimentos de igual natureza.

Exemplos:

“Óleo sem colesterol” – todo óleo vegetal não apresenta em sua composição colesterol.

O certo é: “Óleo sem colesterol, como todo óleo vegetal”.

Ressaltar, em certos tipos de alimentos processados, a presença de componentes que sejam adicionados como ingredientes em todos os alimentos com tecnologia de fabricação semelhante.

Exemplos:

“Maionese preparada com ovos” toda maionese deve ter ovos em sua composição.

Indicar que o alimento possui propriedades medicinais ou terapêuticas ou aconselhar o seu consumo como estimulante, para melhorar a saúde, para prevenir doenças ou com ação curativa.

Exemplos:

“…previne a osteoporose”.

”…emagrece”.

Informação Nutricional Obrigatória

Porção: é a quantidade média do alimento que deve ser usualmente consumida por pessoas sadias a cada vez que o alimento é consumido, promovendo a alimentação saudável.

Medida caseira: indica a medida normalmente utilizada pelo consumidor para medir alimentos. Por exemplo: fatias, unidades, pote, xícaras, copos, colheres de sopa. A apresentação da medida caseira é obrigatória. Esta informação vai ajudar o consumidor a entender melhor as informações nutricionais.

%VD: percentual de valores diários é um número em percentual que indica o quanto o produto apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2000 calorias.

Cada nutriente apresenta um valor diferente para se calcular o VD (valor diário).

Veja os valores diários de referência:

Valor energético: 2000 kcal/8.400 kJ
Carboidratos: 300 gramas
Proteínas: 75 gramas
Gorduras totais: 55 gramas
Gorduras saturadas: 22 gramas
Fibra alimentar: 25 gramas
Sódio: 2400 miligramas
Gorduras trans: não há valor diário de referência.

O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional nos Rótulos:

Rótulos dos Alimentos

Valor Energético

É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem nutricional o valor energético é expresso em forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ).

Obs: Quilojoules (kJ) é outra forma de medir o valor energético dos alimentos, sendo que 1 kcal equivale a 4,2 kJ.

Carboidratos

São os componentes dos alimentos cuja principal função é fornecer a energia para as células do corpo, principalmente do cérebro. São encontrados em maior quantidade em massas, arroz, açúcar, mel, pães, farinhas, tubérculos (como batata, mandioca e inhame) e doces em geral.

Proteínas

São componentes dos alimentos necessários para construção e manutenção dos nossos órgãos, tecidos e células. Encontramos nas carnes, ovos, leites e derivados, e nas leguminosas (feijões, soja e ervilha).

Gorduras Totais

As gorduras são as principais fontes de energia do corpo e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento, tanto de origem animal quanto de origem vegetal.

Gorduras Saturadas

Tipo de gordura presente em alimentos de origem animal.

São exemplos: carnes, toucinho, pele de frango, queijos, leite integral, manteiga, requeijão, iogurte. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado porque, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Alto %VD significa que o alimento apresenta grande quantidade de gordura saturada em relação à necessidade diária de uma dieta de 2000 Kcal.

Gorduras Trans ou Ácidos Graxos Trans

Tipo de gordura encontrada em grandes quantidades em alimentos industrializados como as margarinas, cremes vegetais, biscoitos, sorvetes, snacks (salgadinhos prontos), produtos de panificação, alimentos fritos e lanches salgados que utilizam as gorduras vegetais hidrogenadas na sua preparação. O consumo desse tipo de gordura deve ser muito reduzido, considerando que o nosso organismo não necessita desse tipo de gordura e ainda porque, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Não se deve consumir mais que 2 gramas de gordura trans por dia.

Obs: O nome trans é devido ao tipo de ligações químicas que esse tipo de gordura apresenta.

Fibra Alimentar

Está presente em diversos tipos de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino. Procure consumir alimentos com alto %VD de fibras alimentares!

Sódio

Está presente no sal de cozinha e alimentos industrializados (salgadinhos de pacote, molhos prontos, embutidos, produtos enlatados com salmoura) devendo ser consumido com moderação uma vez que o seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial. Evite os alimentos que possuem alto %VD em sódio.

Rótulos dos Alimentos

Além de saber o que é VALOR DIÁRIO DE REFERÊNCIA e entender o significado de cada nutriente da INFORMAÇÃO NUTRICIONAL OBRIGATÓRIA, é importante saber utilizar todas essas informações.

Mas não é necessário ficar somando as quantidades de cada nutriente para saber se atingiu ou não as recomendações diárias. O importante é escolher alimentos mais saudáveis a partir da comparação de alimentos similares, como, por exemplo, escolher o iogurte, queijo, pão mais adequado para a saúde da sua família.

Para isso basta saber que um alto %VD indica que o produto apresenta alto teor de determinado nutriente. Já os produtos com %VD reduzido indicam o contrário.

Para ter uma alimentação mais saudável dê preferência a:

Produtos com baixo %VD para gorduras saturadas, gorduras trans e sódio
Produtos com alto %VD para as fibras alimentares.

Situações que encontramos no momento das compras:

Caso 1

Rótulos dos Alimentos

Você, consumidor, está lendo o rótulo do pão de forma e se depara com a informação abaixo.

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção 30 g (3/4 de xícara de chá)
Quantidade por porção % VD (*)
Valor energético 170 kcal = 714 kj 9%
Carboidratos 34 g 11%
Proteínas 4,8 g 6%
Gorduras totais 1,5 g 3%
Gorduras saturadas 0 g 0%
Gorduras trans 0 g 0%
Fibra alimentar 0 g %
Sódio 66 mg 3%
(*) % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores, dependendo de suas necessidades energéticas.

A Tabela de Informação Nutricional do pão de forma é apresentada para 2 fatias. Mas, se você possui o hábito de, em cada ocasião de consumo, comer apenas 1 fatia, para saber a quantidade de energia e nutrientes que você ingeriu, basta dividir por 2 os valores da tabela.

Desta forma, você terá os valores de energia e nutrientes para 1 fatia de pão de forma, ou seja, 85 calorias, 17g de carboidratos, 2,4g de proteínas, 0,75g de gorduras totais e 33mg de sódio.

Obs 1: Esse exemplo está sendo dado com o pão de forma, mas pode valer para outros tipos de alimentos. Por isso, preste bastante atenção na medida caseira correspondente à medida em gramas ou mililitros.

Obs 2: Observe que os valores da informação nutricional variam em função da composição do produto.

Caso 2

Rótulos dos Alimentos

Você, consumidor, está lendo as Informações Nutricionais dos alimentos e se depara com tabelas não completas. Por que estão dessa forma?

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção 20 g (1 colher de sopa)
Quantidade por porção % VD (*)
Valor energético 70 kcal = 294 kj 3%
Carboidratos 18 g 6%
Não contém quantidades significativas de proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar e sódio.
(*) % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores, dependendo de suas necessidades energéticas.

Declaração Simplificada de Nutrientes Amido de Milho

A Declaração Simplificada de Nutrientes pode ser utilizada quando o alimento apresentar QUANTIDADES NÃO SIGNIFICATIVAS.

Para tanto, a declaração de valor energético e/ou conteúdo de nutrientes de quantidade não significativa será substituída pela seguinte frase:

“Não contém quantidade significativa de… valor energético e/ou nome(s) do(s) nutrientes(s)”.

Isso significa que o amido de milho só apresenta em sua composição valor energético e carboidratos.

Caso 3

Você, consumidor, está lendo as Informações Nutricionais dos alimentos e se depara com diferentes formatos de tabela. Está certo?

Segundo a Resolução RDC nº 360 de 23 de dezembro de 2003, a Informação Nutricional Obrigatória pode ser apresentada de três formas.

São elas:

MODELOS

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção __ g ou ml (medida caseira)
Quantidade por porção % VD (*)
Valor energético …kcal * … kj  
Carboidratos g  
Proteínas g  
Gorduras totais g  
Gorduras saturadas g  
Gorduras trans g  
Fibra alimentar g  
Sódio mg  
(*) % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores, dependendo de suas necessidades energéticas.

Vertical

 

 

Informação
Nutricional
porção_ g ou ml (medida caseira)
Quantidade
por porção
% VD
(*)
Quantidade
por porção
% VD
(*)
Valor Energético
… Kcal * .. Kj
  Gorduras Saturadas …g  
Carboidratos
… g
  Gorduras Trans …g
Proteínas
… g
  Fibra Alimentar …g  
Gorduras
… g
  Sódio …g  

Horizontal

(*) % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

Linear

Informação Nutricional: Porção __ g ou mL (medida caseira); Valor energético… kcal = … kJ (…%VD); Carboidratos …g (…%VD); Proteínas …g (…%VD); Gorduras totais …g (…%VD); Gorduras saturadas …g (%VD); Gorduras trans…g; Fibra alimentar …g (%VD); Sódio …mg (%VD).

* % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

Caso 4

Você, consumidor, está procurando um alimento que tenha grande quantidade de fibras. Como escolher o mais rico? Neste caso serão comparados dois tipos de cereais matinais.

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção 30 g (3/4 de xícara de chá)
Quantidade por porção % VD (*)
Valor energético 110 kcal 7
Carboidratos 27 g 7
Proteínas 1 g 2
Gorduras totais g 0
Gorduras saturadas g 0
Gorduras trans g
Fibra alimentar 1 g 3
Sódio 200 mg 8
(*) % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores, dependendo de suas necessidades energéticas.

Cereal Matinal A

 

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção 30 g (3/4 de xícara de chá)
Quantidade por porção % VD (*)
Valor energético 100 kcal 4
Carboidratos 18 g 5
Proteínas 5 g 10
Gorduras totais 1 g 1
Gorduras saturadas 0 g 0
Gorduras trans 0 g
Fibra alimentar 12 g 40
Sódio 120 mg 5
(*) % Valores Diários com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores, dependendo de suas necessidades energéticas.

Cereal Matinal B

O cereal matinal com maior teor de fibras é o cereal matinal B, que possui o maior %VD para fibras.

Dúvidas Freqüentes

Todos os alimentos e bebidas embalados precisam ter Rotulagem Nutricional?

Todos, com exceção das bebidas alcoólicas; especiarias (como, por exemplo, orégano, canela e outros); águas minerais naturais e as demais águas envasadas para consumo humano; vinagres; sal, café, erva mate, chá e outras ervas sem adição de outros ingredientes (como leite ou açúcar); alimentos preparados e embalados em restaurantes e estabelecimentos comerciais, prontos para o consumo como sobremesas, musse, pudim, salada de frutas; os produtos fracionados nos pontos de venda a varejo comercializados como pré-medidosm, como queijos, salame, presunto; as frutas, vegetais e carnes in natura, refrigerados e congelados.

Embalagens muito pequenas também devem trazer a rotulagem nutricional?

Os alimentos com embalagens cuja superfície visível para rotulagem seja menor ou igual a 100 cm2 não necessitam apresentar a informação nutricional obrigatória. Se esses alimentos forem processados para dietas com restrição de nutrientes (“diet”) ou com valor energético e/ou o(s) nutriente(s) reduzido(s) (‘light”), devem apresentar informação nutricional obrigatória.

Existe obrigatoriedade da declaração de Medida Caseira?

Sim. A Informação Nutricional obrigatoriamente deve apresentar, além da quantidade da porção do alimento em gramas ou mililitros, o correspondente em medida caseira, utilizando utensílios domésticos como colher, xícara, copo, dentre outros.

O número de porções contido na embalagem do alimento deve ser declarado no rótulo?

Não. Caso seja declarado, pode constar na tabela de informação nutricional ou em local próximo a esta.

A rotulagem nutricional é obrigatória também para produtos a granel e/ou pesados à vista do consumidor?

A legislação não se aplica aos produtos vendidos a granel ou pesados à vista do consumidor.

Por que no nutriente Gordura Trans não aparece o %VD?

Porque não existe valor estabelecido, uma vez que o consumo de gordura trans não deve ser estimulado. Deve-se procurar sempre observar os alimentos com os menores teores de gordura trans.

Por que algumas informações aparecem como não significativas?

Porque os valores são tão pequenos, apesar de não serem ZERO, que são considerados não significativos para o consumo.

Alguns rótulos não apresentam todos os nutrientes, por quê?

Em alguns casos o fabricante de alimentos pode utilizar a DECLARAÇÃO NUTRICIONAL SIMPLIFICADA. É quando alguns nutrientes estão presentes em tão baixas concentrações que estas são consideradas quantidades não significativas para a alimentação do indivíduo.

Dúvidas sobre Diet e Light

Rótulos dos Alimentos

Os consumidores muitas vezes procuram por alimentos diet e light. Mas não sabem ao certo o que essa denominação quer dizer. Aqui temos uma série de perguntas e respostas que esclarecem a diferença entre diet e light.

Alimentos DIET

São os alimentos especialmente formulados para grupos da população que apresentam condições fisiológicas específicas. Como, por exemplo, geléia para dietas com restrição de açúcar. São feitas modificações no conteúdo de nutrientes, adequado-os a dietas de indivíduos que pertençam a esses grupos da população. Apresentam na sua composição quantidades insignificantes ou são totalmente isentos de algum nutriente.

Alimentos LIGHT

São aqueles que apresentam a quantidade de algum nutriente ou valor energético reduzida quando comparado a um alimento convencional. São definidos os teores de cada nutriente e ou valor energético para que o alimento seja considerado light. Por exemplo, iogurte com redução de 30% de gordura é considerado light. Tanto alimentos diet quanto light não têm necessariamente o conteúdo de açúcares ou energia reduzido. Podem ser alteradas as quantidades de gorduras, proteínas, sódio, entre outros; por isso a importância da leitura dos rótulos.

Para os portadores de algumas doenças

Os portadores de enfermidades devem ler os rótulos dos alimentos, observando a lista de ingredientes e a rotulagem nutricional para verificar a presença daquele ingrediente ou nutriente que não deve consumir ou que pode consumir em baixa quantidade.

Diabetes Melitus

Atenção aos alimentos com açúcares em sua composição, sendo ele diet ou light.

Os produtos diet destinados para dietas com restrição de carboidratos, dietas com restrição de gorduras e dietas de ingestão controlada de açúcares, devem conter a seguinte advertência:

“Diabéticos: contém (especificar o mono e/ou dissacarídeo – glicose / frutose / sacarose)”, caso contenham esses açúcares.”

Pressão alta

Atenção ao conteúdo de sódio descrito na informação nutricional dos rótulos. Os produtos diet ou light em sódio apresentam baixo ou reduzido teor em sódio. Devem ser evitados produtos que contenham sacarina e ciclamato de sódio, que, embora sejam adoçantes, são substâncias que contêm sódio.

Colesterol alto

A escolha de alimentos deve ser baseada no conteúdo de gorduras totais, gorduras saturadas e trans. Os produtos para dietas com restrição de gorduras (diet) só podem conter 0,5g de gordura em 100g do produto. Os produtos com baixo teor de colesterol (light) podem apresentar no máximo 20mg de colesterol em sólidos e 10mg em líquidos, em 100g ou 100ml do produto.

Triglicerídeo alto

Preferir alimentos reduzidos em gorduras e açúcares. Os alimentos diet e light podem ser usados, mas com algumas considerações. Por exemplo, o chocolate diet em açúcar não tem este ingrediente já que foi elaborado para o consumo das pessoas que não podem consumir açúcar. Em compensação, apresenta mais gordura do que o chocolate convencional, por isto deve ser consumido com moderação. Outro exemplo é o requeijão light, ele tem menos gordura que o original, mas ainda contém gordura, por isso deve ser consumido com moderação.

Doença Celíaca

Atenção à lista de ingredientes dos alimentos que contêm em sua composição trigo, aveia, cevada e centeio e seus derivados.

No rótulo desses alimentos, próximo à lista de ingredientes, deve conter a advertência: “Contem Glúten”.

Para os alimentos que não contêm trigo, aveia, cevada e centeio na sua composição a advertência que deve constar no rótulo é: “Não contém Glúten”.

Tabela de porções

Rótulos dos Alimentos

O consumidor deve sempre estar atento à porção dos alimentos indicada nos rótulos, mas nem sempre sabe exatamente quanto cada porção equivale em medidas caseiras. Para facilitar essa comparação, a tabela abaixo indica as porções de referência de alguns alimentos consumidos no Brasil e suas medidas caseiras.

Alimento Porção (g/ml) Medida Caseira
Arroz Cru 50g 1/4 de xícara
Barra de cereal 30g 1 barra
Bolo (sem recheio) 60g 1 fatia
Leite 200ml 1 copo
Queijo minas 50g 2 colheres de sopa
Requeijão 50g 2 colheres de sopa
Suco de frutas 200ml 1 copo
Óleo Vegetal 13ml 1 colher de sopa
Farofa pronta 35g 1 colher de sopa
Açucar 5g 1 colher de chá
Aveia 30g 2 colheres de sopa
Manteiga / Margarina 10g 1 colher de sopa
Doces em pasta 20g 1 colher de sopa
Presunto 40g 1 fatia
Pão Francês 50g 1 unidade

Fonte: www.anvisa.gov.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Síntese de Proteínas

PUBLICIDADE O que é a síntese de proteínas? A síntese de proteínas é um processo …

Teoria do Encaixe Induzido

PUBLICIDADE O que é a teoria do encaixe induzido? A teoria do encaixe induzido foi proposta …

Sinalização Celular

PUBLICIDADE O que é sinalização celular? A sinalização celular é um processo de comunicação entre …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.